gal vence

Liga dos Campeões Europeus Sporting Perde por 33-29 - EHF CUP FC Porto Vence vence Eliminatória, Benfica perde por 26-21, e é eliminado - Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

PO12 – 2013 / 2014 – 2.ª Fase - Sorteio

PO12 – Campeonato Nacional de Juvenis Femininos
 
Esta prova na época transata tinha 7 zonas na 1.ª Fase, esta época teve apenas 6, mas a sua divisão teve um melhor aproveitamento, face às equipas inscritas. 
 
Esta época participou na 1.ª Fase 45 equipas, o que, na nossa opinião apresenta número significativo para o escalão, pese embora, que em algumas associações como por exemplo Lisboa com apenas (3) equipas, seja um número demonstrativo do trabalho (não) desenvolvido.
 
Realizou-se Hoje (31-01-14), o sorteio da 2.ª Fase desta prova não fixa, que tal como todas as provas não fixas, teve a sua 1.ª Fase a ser disputada sob a responsabilidade das associações. 
 
Nota: Existem sobre esta prova os CO N.º 14, 20 (onde é indicado a estrutura e formato competitivo) e 21 (reforça o n.º 14 e faz a delegação de competências), e neste caso ainda o 42 que faz um reajustamento dos apurados por zona.
 
Zonas na 1.ª Fase e equipas Apuradas 18
 
Zona 1 – Maiastars e Didáxis (2 equipas)
Zona 2 – CA Leça, Colégio Gaia, Alpendorada, A. Garrett e S. Félix da Marinha (5 equipas)
Zona 3 – Alavarium, Valongo Vouga e AD Sanjoanense (3 equipas)
Zona 4 – JAC-Alcanena, 1.º Maio, CC Ansião e Juventude Lis (4 equipas)
Zona 5 – Porto Salvo e Porto Alto (2 equipas)
Zona 6 – Lagoa AC e Gil Eanes / Vela Tavira (2 equipas)
 
Estranha que na zona 6, a 1.ª Fase apenas vá terminar no dia 08-02-14. 
 
Modelo Competitivo:
 
Os clubes apurados da 1ª Fase serão agrupados na 2ª Fase em 3 zonas geográficas (TXT a 2 voltas). O 1º Classificado de cada zona fica apurado para a Fase Final. O 2º Classificado de cada zona disputa uma fase de apuramento com o representante da região Autónoma da Madeira (TXT a 1 volta – regime concentração), sendo que o 1º Classificado fica apurado para disputar a Fase Final (TXT a 1 volta – regime concentração). O 1º Classificado será Campeão Nacional.
 
2.ª Fase – 18 equipas – Inicio em 15-02-14 e terminará previsivelmente em 10-05-14
 
Constituição e Sorteios das Zonas da 2.ª Fase
 
Zona 1 – Alpendorada, CA Leça, A. Garrett, Colégio Gaia, Didáxis e Maiastars.
1.ª Jornada

Zona 2 – AD Sanjoanense, Alavarium, S. Félix Marinha, CC Ansião, Valongo Vouga e Juventude Lis.
1.ª Jornada
Zona 3 – 2.º Classificado da AA Algarve, Porto Alto, JAC-Alcanena, Lagoa AC, Porto Salvo e 1.º Maio.
1.ª Jornada 
Nota – Os custos para as equipas na Zona 3, serão certamente muito mais elevados do que nas restantes zonas. Apesar de os custos na Zona 2, também não serem baixos, pensamos que será uma situação a rever pela FAP em futuras provas deste escalão.
 
O Formador

PO11 – 2013 / 2014 – 2.ª Fase - Sorteio

Realizou-se hoje (31-01-14), o sorteio da PO11 (Campeonato Nacional Juniores Femininos), prova não fixa, que tal como todas as provas não fixas, teve a sua 1.ª Fase a ser disputada sob a responsabilidade das associações. 
 
Nota: Existem sobre esta prova os CO N.º 14, 20 (onde é indicado a estrutura e formato competitivo) e 21 (reforça o n.º 14 e faz a delegação de competências).
 
Na época anterior esta prova apenas foi disputada na primeira fase por 12 equipas, e nenhuma situada geograficamente abaixo de Santarém o que se lamenta. Muito trabalho existe a fazer neste escalão.
 
Destaca-se que na presente época a prova, a participação foi muito significativa com 21 equipas na 1.ª Fase, que foi dividida em 4 zonas, com os seguintes apuramentos, para a 2.ª Fase:
 
Zona 1 – Maiastars e AC Vermoim (4 equipas)
Zona 2 – CA Leça, Colégio Gaia, Alpendorada e CA S. Félix da Marinha (7 equipas)
Zona 3 – ADA Canelas, AA Espinho e AC Salreu (4 equipas)
Zona 4 – Juventude Lis, Porto Alto, Passos Manuel (6 equipas)
 
Nota não se entende como tendo a FAP através do seu CO n.º 42, feito reajustamentos no apuramento das diversas zonas em algumas provas e a PO11 não tenha sido comtemplada, pois não se compreende como a zona 3 tendo apenas 4 equipas apure tantas equipas como a zona 1 com o mesmo número de equipas.
 
Mais uma vez não existiram equipas abaixo da AA Setúbal, o que se lamenta. Será que não existem equipas Femininas no escalão no Algarve?
 
Modelo Competitivo:
 
Os clubes apurados da 1ª Fase serão agrupados na 2ª Fase em duas zonas geográficas jogando TXT a 2 voltas, apurando-se o 1º Classificado para a Fase Final. O 2º Classificado de cada zona mais o representante da A.A. Madeira (TXT a 1 volta - regime concentração) apurando-se os dois primeiros classificados para a Fase Final (TXT a 1 volta – regime concentração). O 1º classificado será Campeão Nacional.
 
2.ª Fase – 12 equipas – Inicio em 16-02-14 e terminará previsivelmente em 18-05-14
 
Sorteio
Zona 1 (6) – AC Vermoim, Alpendorada, CA Leça, S. Félix Marinha, Colégio Gaia e Maiastars. 
Zona 2 (6) – AA Espinho, AC Salreu, Canelas, Porto Alto, Juventude Lis e Passos Manuel.
O Formador

PO10 – 2013 / 2014 – Fase Final - Sorteio

PO10 – Campeonato Nacional da 2.ª Divisão Seniores Femininos
 
Esta prova não fixa, na época transata, teve a participação de apenas 18 equipas, (13 na Zona 1 e 5 na Zona 2), o que se considerou, muito abaixo das expectativas. E Esperávamos melhora no futuro.
 
Com constituição de mais uma zona, registaram-se melhoras, embora ficassem aquém do desejado, e participação nas 3 zonas situou-se em 20 equipas.
 
Realizou-se hoje (31-01-14), o sorteio da Fase Final desta prova não fixa, que tal como todas as provas não fixas, teve a sua 1.ª Fase a ser disputada sob a responsabilidade das associações. 
 
Nota: Existem sobre esta prova os CO N.º 14, 20 (onde é indicado a estrutura e formato competitivo) e 21 (reforça o n.º 14 e faz a delegação de competências).
 
Zonas na 1.ª Fase e Apurados

Zona 1 – Santa Joana, Alpendorada, AC Lusitanos e S. Félix Marinha (9 equipas)
Zona 2 – AA Espinho e AD Sanjoanense (5 equipas)
Zona 3 – Passos Manuel e Porto Salvo (6 equipas)

Não é explicado motivo da não participação do Salgueiros 08 na Zona 1, onde foi terceiro classificado, surgindo em seu lugar a equipa de S. Félix Marinha 5.º Classificada. Também na Zona 2 não surge o São Bernardo 2.º Classificado, e no seu lugar surge a AD Sanjoanense que se classificou em 3.º Lugar. Seria do interesse de todos que fossem esclarecidas estas substituições. 
 
Tal como na PO11, verifica-se a não existência de equipas abaixo da AA Lisboa, o que se lamenta. E é demonstrativo do trabalho que existe para fazer, Será que o andebol Feminino estagnou no Algarve?
 
Modelo Competitivo:
 
Os clubes apurados da 1ª Fase formam uma zona única na Fase Final (TXT a 2 voltas). O 1º Classificado é o Campeão Nacional, e os dois primeiros classificados disputam a PO09 na época seguinte.
 
Fase Final – 8 equipas – Inicio em 15-02-14 e terminará previsivelmente em 14-06-14 
 
Sorteio - 1.ª Jornada
O Formador

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

O CA e a sua Atividade – 2013 / 2014

Circula um email sobre o Conselho de Arbitragem da FAP, que um nosso leitor nos fez chegar, mas só iremos falar (escrever) sobre o mesmo após analise cuidada do seu conteúdo, confirmação de alguns dos factos, e omitiremos e não nos pronunciaremos sobre conteúdos que contenham ofensas diretas ou indiretas, este não pronunciamento não prejudicará uma analise que será certamente lucida e assertiva. Já confirmamos que alguns comentários que publicamos não são mais do que extratos do referido email que se diga está perfeitamente identificado e assinado.
 
Em 19-10-13, publicamos um artigo sobre o CA da FAP e a profusão de Circulares, que tem sido profícua (Em quantidade, já que quanto á qualidade...), e voltamos a referir que com a Circular N.º 8, criou situações de verdadeiro surrealismo, contrariando tudo, o que Regulamentarmente está escrito (fomos ler o atual Regulamento), e os erros detetados anteriormente continuam e agravam-se, na altura dissemos “…A começar por contrariar tudo o que diz, e colocar no Nível 4 um árbitro sem dupla.” Hoje teremos de dizer que a situação em nada melhorou o quadro do Nível 4 apenas comporta 14 duplas de máximo, segundo o próprio regulamento o diz, e no quadro apresentado existem 14 duplas + 1, em ficamos?
 
Agora agrava a situação com uma circular 14, onde no seu ponto 3, refere que determinada dupla, a título excecional pode dirigir jogos da PO01, Porquê? A justificação apresentada não tem cabimento, em que matérias do regulamento se basearam, somos sinceros não encontramos nenhuma.
 
Vejamos de forma resumida, apenas alguns pontos, depois da publicação definitiva dos quadros de arbitragem:
 
Duplas – Divulgam-se as duplas definitivas em número de 64 (+5 que na época anterior – fator positivo) na circular N.º 8, mas temos fortes dúvidas de que este numero se mantenha, depois de nos terem “soprado”, que quando for “se chegar a ser” publicada a lista dos não aptos provavelmente haverá muitas surpresas para não dizer que segundo as informações que nos tem chegado (autentico “descalabro”), desde que o CA cumpra com toda a matéria que tem escrito nas suas informações publicas.
 
Pois as contradições não param, elabora a Circular n.º 13, cancelando as ações de formação em 25 e 26 do corrente mês em Viseu, devido a “ atual conjuntura socioeconómica “, palavras suas e depois elabora a Circular 14 a dizer a dizer que fora, aprovados no Curso de formação realizado em Viseu nos dias 25 e 26 os seguintes Observadores, Mas meus senhores no final em ficamos? É a completa contradição…
 
Observadores – Existem? Vão acumular funções segundo se sabe, e todos os descritos na Circular n.º8 o podem fazer? Duvidamos? E os Não Aptos?
 
Âmbito de Actuação – Finalmente a estamos a mais de meio da época, sem a divulgação desta norma, que define quem é prioritário para apitar quem, Ou quem pode apitar o quê. Será que está época alguma vez veremos o mesmo ser implementado, então para que a justificação no ponto 3 da circular 14? 
 
Uma questão se nos depara, quando vemos chamadas de atenção, nos quadros divulgados na Circular n.º 8, e nos quadros sem dupla. Pois ao lermos o Regulamento de Arbitragem, perguntamos, será que alguma vez será cumprido o estabelecido no ponto 2 do artigo 34? 
 
Factores de Avaliação – Reafirmamos o que referimos em anterior texto, “não foram divulgados”, foi sim, divulgado no entanto através da circular n.º 004 (06-09-13), os fatores de penalização relativos á assiduidade, uma novidade positiva esta época (veremos a sua aplicação na prática). 
 
Oficiais de Mesa – Em relação aos Oficiais de Mesa cuja lista divulgada é de apenas 28, número manifestamente insuficiente, para as necessidades atuais da modalidade, nada é dito, publicando-se uma lista, mas segundo parece mais uma vez temos a história dos Não Aptos….
 
Por último – Mais uma vez temos a Arbitragem, a não honrar os seus compromissos com a liquidação de verbas em atraso, e nomeações para jogos que só cria ilusões no imaginário de quem nomeia, mas sobre critérios e nomeações ficará para outra altura, porque o tema hoje já é longo. 
 
O Regras

Nomeações – EHF – 2013 / 2014 – XIV

A EHF procedeu a novas nomeações para as suas provas Europeias, desta vez apenas para Delegados. Parece-nos que os critérios editoriais, continuam bastante deficientes no Portal da FAP.
 
Delegados 
António Goulão - Foi nomeado, para o encontro da 8.ª Jornada da Fase de Grupos da Liga dos Campeões Masculinos, referente ao Grupo “D”, que se disputa entre o Naturouse la Rioja (Espanha) e o Aalborg Handball (Dinamarca), em Espanha no dia 05-02-14.
 
Ao nomeado endereçamos os nossos parabéns, e os desejos de que tudo corra pelo melhor.
 
O Regras

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Crónica de Fim-de-semana – 14 – 2013 / 2014 - IV

Cronica possível, dedicada à PO04, no seu formato normal de duas zonas em simultâneo, diga-se a prova que mesmo assim mantem uma maior regularidade, embora a competitividade seja bastante duvidosa. 
 
PO04 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Juniores Masculinos.

Zona Norte
15.ª Jornada
AC Fafe 31 - 26 CA Leça
FC Gaia 26 - 34 Xico Andebol
Águas Santas 24 - 32 FC Porto
São Mamede 19 - 28 São Bernardo 24/28 9-13 80e.
AD Sanjoanense 18 - 31 Santo Tirso
ABC 21 - 28 Ismai

Esta foi a 4.ª jornada da 2.ª volta desta 1.ª fase, onde felizmente apenas um encontro possui relatório disciplinar o que se saúda sempre com grande prazer. Nesta apenas em dois jogos não se confirmaram os resultados verificados na 1.ª volta, sendo que num deles se deu mesmo a grande surpresa da jornada, com a derrota do ABC em casa diante a equipa Maiata do Ismai, perdendo a invencibilidade que mantinha na zona, segundo algumas informações parece que o ABC dá como certo o seu apuramento para a Fase seguinte e assim deu-se ao “luxo” de se apresentar uma equipa com alguns juvenis a fim de lhes proporcionar alguma rodagem. Todos temos consciência plena de que a superioridade evidenciada pela equipa minhota, e grande, mas ainda faltam 7 jornadas para o final da zona, é um alerta. De destacar neste encontro os 10 golos marcados por André Rei do Ismai. O outro encontro que não confirmou o resultado foi no AC Fafe co o CA Leça, que na 1.ª volta terminou numa igualdade, e desta vez venceu a equipa minhota, que com estes pontos tenta adquirir o máximo de pontos para a fase seguinte, evitando a possível descida de divisão. O Único encontro com relatório disciplinar disputou-se no recinto do FC Gaia que defrontou o Xico Andebol e perdeu por uma diferença considerável, num jogo que não foi fácil para os vimaranenses apesar da diferença no resultado ser objetiva e clara. O Santo Tirso foi vencer a AD Sanjoanense, por números esclarecedores, num encontro disputado em família (35 espectadores), confirmando também o resultado obtido na 1.ª volta, onde curiosamente venceu apenas pela diferença mínima. O FC Porto na sua deslocação á Maia para defrontar o Águas Santas, confirmou a sua superioridade, vencendo sem qualquer dificuldade uma equipa que também é uma escola de formação, com esta vitória e face á derrota do ABC, igualaram estes no comando da zona. Em São Mamede de Infesta, defrontaram-se duas equipas com história nos escalões de formação, o São Mamede e o São Bernardo, com a equipa da Região de Aveiro a confirmar o resultado da 1.ª volta e a vencer por números completamente esclarecedores. Apesar de ainda estarmos nesta zona a 7 jornadas do fim desta fase, conforme já o dissemos anteriormente, não será difícil prever (e apenas isso), que a grande luta será certamente pelo terceiro lugar, que também dá lugar a ser apurado para a Fase Final da Prova. Após esta jornada a classificação ficou assim ordenada: 1.º ABC e FC Porto (43 pontos), 3.º Xico Andebol (37 pontos), 4.º São Bernardo (33 pontos), 5.º Ismai (30 pontos), 6.º Santo Tirso e Águas Santas (29 pontos), e 8.º FC Gaia e São Mamede (26 pontos).

Zona Sul
12.ª Jornada
Vitória FC 31 - 20 Alto Moinho
Benfica 29 - 23 Belenenses
ADC Benavente 29 - 24 GS Loures
Sporting 37 - 26 Boa Hora
Passos Manuel 28 - 28 Juventude Lis.

Nesta zona disputou-se a terceira jornada da 2.ª volta, esta discrepância entre zonas, está justificada pelo diferente número de equipas existentes em cada zona. Tal como na zona Norte apenas um encontro teve relatório disciplinar o que será sempre de saudar. Conforme na semana anterior criticamos os horários dos jogos, teremos de dizer que nesta jornada verificou-se uma forte melhoria, com apenas um encontro a ser disputado a horas impróprias, mas caso curioso foi logo aquele que era considerado por todos, o jogo da jornada o Benfica / Belenenses, encontro que era e é de capital importância para a definição do terceiro lugar nesta zona. Venceu o Benfica, que passou por um grande susto quando perdia ao intervalo por 11-10, conseguindo nos segundos 30 minutos superiorizar-se claramente á equipa do Restelo, confirmando aliás o resultado verificado na 1.ª volta, diga-se desde já que apenas um resultado não foi confirmado, e esse foi o Passos Manuel / Juventude Lis que terminou numa igualdade, após a equipa dos liceais estar a perder ao intervalo por 14-10, para este resultado foram decisivos os 10 golos marcados por Francisco Meneses da Juventude Lis. Diga-se que apesar de ainda faltarem 6 jornadas para o final desta 1.ª Fase, o Passos Manuel, não soube aproveitar o deslise da equipa de Belém, apesar de se manter na “corrida” ao apuramento. Nos outros encontros em que as equipas visitadas venceram com maior ou menos dificuldade, de salientar que no encontro realizado e Benavente (Boletim de jogo incompleto), a equipa local depois de construir o resultado nos 30 minutos iniciais, vencia ao intervalo por 23-11, apenas concretizou 6 golos no segundo período do jogo. Vitória FC e Sporting contabilizaram vitórias por números esclarecedores sobre o Alto Moinho e o Boa Hora respectivamente. O GS Loures continua a ser a única equipa nas duas zonas que apenas contabiliza por derrotas todos os jogos disputados. Após esta jornada a classificação ficou assim ordenada: 1.º Benfica (36 pontos), 2.º Sporting (34 pontos), 3.º Belenenses (28 pontos), 4.º Passos Manuel (27 pontos), 5.º ADC Benavente (25 pontos), 6.º Vitória FC (24 pontos), 7.º Juventude Lis (21 pontos), 8.º Alto Moinho (17 pontos).
 
O Noticias

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Crónica de Fim-de-semana – 16 – 2013 / 2014 - II

Crónica possível dedicada á PO02. Numa jornada em que não existiram jogos adiados, o que é de saudar, a bem da verdade desportiva.
 
Felizmente foram raros os boletins de jogo incompletos, embora alguns digam no seu estado “2.ª Parte” em vez de “Fim do Jogo”. Mais uma semana em que, estão todos contabilizados e refletidos nas classificações, o que se saúda.
 
PO02 – Campeonato Nacional da 2.ª Divisão Seniores Masculinos.

Zona Norte – Resultados
15.º Jornada
Xico Andebol 35 - 23 Marítimo
17.ª Jornada
Santana 16 - 20 Académico FC
AD Sanjoanense 24 - 24 FC Porto "B"
Modicus 23 - 29 Fermentões
SP Oleiros 30 - 30 Santo Tirso
Xico Andebol 37 - 31 São Bernardo
FC Gaia 23 - 26 FC Infesta
São Mamede 28 - 16 Marítimo

Numa jornada marcada pela disciplina, pois em nenhum jogo da zona se registou a existência de relatórios disciplinares o que saúda, outro facto chama a nossa atenção foi a diminuição dos Boletins de jogo incompletos, parece que nos começam a dar “ouvidos”, e a existir um maior cuidado na sua elaboração, pelo menos nesta Zona e Divisão, começando igualmente a acertar-se o calendário com a realização de jogos em atraso, continuamos a criticar alguns adiamentos, pois podem alterar a verdade desportiva da prova. O até então líder isolado da prova o Santo Tirso, foi a Oleiros ceder uma igualdade, num encontro onde ao fim dos 30 minutos iniciais se encontrava a perder por 17-15, o SP Oleiros último classificado da zona, obtém assim duas igualdades seguidas, sendo ainda de destacar os 11 golos conseguidos por César Rodrigues do SP Oleiros e os 10 golos de Diogo Oliveira do Santo Tirso. O Xico Andebol teve um fim-de-semana bem positivo, pois disputou dois encontros, vencendo os mesmos e igualando o Santo Tirso no topo da classificação, confirmando assim os resultados obtidos na 1.ª volta da prova, desta vez venceu o Marítimo por margem bem confortável, e no jogo com o São Bernardo nem os 14 golos conseguidos por Tiago Sousa da equipa da Região de Aveiro foram suficientes para evitar a derrota. No Municipal das Travessa a AD Sanjoanense, obteve uma igualdade diante o FC Porto “B” que estranhamente se apresentou com apenas 9 jogadores, e que com esta igualdade começa a ter escassas possibilidades de poder discutir o apuramento para a Fase Final da Prova, embora ainda faltem algumas jornadas para o final desta Fase da Prova. Uma referência deve ser feita, pois a equipa da casa encontrava-se a vencer por 12-10 no final dos primeiros 30 minutos. O Santana a equipa mais irregular da prova (na nossa opinião), foi derrotada na condição de visitado por uma das equipas que tem tido um comportamento dos mais fracos na Zona o Académico FC, que já vencia ao intervalo por diferencial de 8 golos (13-5). O CCR Fermentões que está a realizar uma prova digna de realce, deslocou-se a Sandim para defrontar o Modicus e não teve vida fácil, pois enquanto a equipa da casa teve algum domínio durante os 30 minutos iniciais (vencia ao intervalo por 15-13), mas uns segundos 30 minutos de grande eficácia, para o qual contribuíram os 11 golos de Rui Carvalho, a equipa minhota acaba por vencer e posicionar-se numa posição ao meio da tabela na sua zona. O FC Gaia recebeu o FC Infesta e voltou aa perder tal como na 1.ª volta, onde nem os 10 golos de Bruno Pinto foram suficientes para que o resultado fosse outro. O São Mamede ao retificar a igualdade da 1.ª volta, vencendo e convencendo o Marítimo (Boletim de jogo incompleto), confirmou a sua forte candidatura á discussão dos lugares de apuramento para a Fase Final. Após a realização desta jornada a classificação ficou assim ordenada, (apenas até ao 6.º Lugar): 1.º Xico Andebol e Santo Tirso (46 pontos), 3.º São Mamede (44 pontos), 4.º FC Porto “B” (39 pontos – 1 jogo), 5.º CCR Fermentões (37 pontos), 6.º Marítimo (35pontos - 1 jogo).

Zona Sul – Resultados
13.ª Jornada
CD Marienses 25 - 21 Vitória FC
17.ª Jornada
Vitória FC 19 - 20 Benfica "B"
Vela Tavira 24 - 29 CDE Camões
CD Marienses 25 - 22 IFC Torrense
Sismaria 23 - 29 Boa Hora
NA Redondo 26 - 26 Ílhavo
ADC Benavente 32 - 29 Ginásio Sul
Alto Moinho 25 - 23 Samora Correia

Tal como na zona norte, salienta-se o facto de não se terem registado adiamentos, o que é sempre salutar. E uma referência especial também para o aspeto disciplinar que será sempre de realçar, pois em apenas um encontro se registou o respetivo relatório, o que se saúda igualmente. Mas existiram mais Boletins e jogo incompletos, apesar de conforme dissemos no início da crónica se verificar uma diminuição dos mesmos. Os açorianos do CD Marienses tiveram na prática jornada dupla, saindo vencedores de ambos os confrontos, diante o Vitória FC (Boletim de jogo incompleto) num encontro que correspondia á última jornada da 1.ª volta. E diante o IFC Torrense que se apresentou apenas com 9 jogadores e se fasta cada vez mais da discussão dos lugares de acesso á Fase Final da Prova, destaca-se neste jogo Igor Stojanovic com os seus 10 golos, a equipa insular retifica assim o resultado obtido na 1.ª volta na Torre da Marinha. No único jogo com disciplina, verificou-se uma igualdade entre os alentejanos do NA Redondo na sua receção ao Ílhavo, num encontro de total equilíbrio, pois ao intervalo já se registava uma igualdade a 12 golos. Em Setúbal, teve quase a existir surpresa (talvez “dedo” do novo técnico) do Vitória FC, que perdeu pela diferença mínima diante o leader da zona o Benfica “B”, que se encontrava a perder ao intervalo por 8-7, isto diz do grande equilíbrio que verificou ao longo de todo o encontro. Com esta vitória o Benfica ”B” confirmou o resultado obtido na 1.ª volta. Em Tavira a equipa local última classificada da zona recebeu o Camões e voltou a ser derrotada, embora desta vez por um resultado bem mais equilibrado (Boletim de jogo incompleto). Salienta-se neste jogo os 10 golos conseguidos pelo “suspeito do costume” Carlos Abraul do Vela e pelo reforço da época do Camões, Tiago Fonseca. O Boa Hora foi a Gândara confirmar que é um dos candidatos á discussão dos lugares para a Fase Final, derrotar um Sismaria, que se encontra longe do poderio de outras épocas, e confirmar o resultado da 1.ª volta. Em Benavente (Boletim de jogo incompleto) a equipa local recebeu e venceu o Ginásio do Sul, com o resultado praticamente construído durante os primeiros 30 minutos, vencendo ao intervalo por 18-11, permitindo posteriormente uma recuperação do Ginásio que poderia ter sido fatal para as aspirações da equipa local, tendo em Ricardo Barrão com 11 golos mais uma vez o seu marcador de serviço. O Alto Moinho recebeu o Samora Correia e voltou a vencer desta vez por 2 (dois) golos de diferença, quando na 1.ª volta a diferença tinha sido mínima. Apesar de ainda estamos a alguma distância do fim desta Fase, intensifica-se a luta (no mínimo) pelo 3 lugar de apuramento para a Fase Final. Após a conclusão desta jornada a classificação, ficou assim ordenada até ao 6.º Lugar: 1.º Benfica “B” (49 pontos), 2.º CDE Camões (44 pontos – 1 jogo), 3.º ADC Benavente (42 pontos), 4.º Boa Hora (40 pontos), 5.º CD Marienses (37 pontos – 1 jogo), 6.º IFC Torrense (33 pontos).
 
O Banhadas Andebol

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Crónica de Fim-de-semana No Feminino – 15 – 2013 / 2014

Crónica exclusivamente dedicada ao Feminino. 
 
PO09 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Femininos.

1.ª Fase
17.ª Jornada
Vela Tavira 18 - 36 JAC-Alcanena
Juventude Lis 24 - 19 CA Leça
Alavarium 25 - 17 CS Madeira
Assomada 20 - 27 Maiastars
João Barros 27 - 25 Juventude Mar
Colégio Gaia 22 - 22 Madeira SAD

18.ª Jornada
Alavarium 22 - 27 Madeira SAD
Colégio Gaia 29 - 27 CS Madeira

Jornada muito interessante do campeonato, com um jogo grande, uma grande surpresa e a confirmação que nenhum jogo, à partida, tem um vencedor definido. Mas comecemos pelo jogo grande da jornada onde o Madeira Sad foi vencer em casa do campeão nacional, Alavarium.
 
Perante um público entusiasta (e que pena é em Portugal não existirem mais pavilhões com este ambiente), as campeãs nacionais queriam dar a volta aos resultados negativos das últimas semanas, mas tal não se verificou e a equipa confirmou o mau momento de forma que atravessa. O jogo foi excelente, com uma enorme intensidade mas a segunda parte do Alavarium foi péssima, com inúmeras falhas técnicas e sem soluções para ultrapassar Isabel Góis. O Alavarium viveu muito da fantástica capacidade de remate de Mariana Lopes e da velocidade de Ana Marques, mas com Mónica Soares a ser pouco utilizada (pensamos que por problemas físicos já que também não foi utilizada na véspera), com Cláudia Correia a anos luz do que já a vimos fazer e com as suas centrais Ana Seabra e Ana Neves muito apagadas, nunca conseguiu boas soluções ofensivas. E não compreendemos a opção de Ulisses Pereira manter Andreia Madail na baliza durante 45 minutos, defendendo apenas 4 remates. Com esta derrota, o Alavarium terminará esta fase em 3º ou 4º lugar, o que o levará a perder o fator casa que teve o ano passado. Veremos como Ulisses Pereira conseguirá dar a volta à situação e como irão aparecer as campeãs nacionais nos playoffs, onde tudo se decidirá. Quanto ao Madeira Sad, grande exibição defensiva, com uma agressividade perfeita e com uma Isabel Góis a provar que é, atualmente, de longe a melhor Guarda-redes portuguesa (e neste lote incluímos Daniela Pereira a jogar em França). E, na segunda parte, Ana Andrade voltou aos seus tempos áureos e assinou uma grande exibição com muitos golos de primeira linha. E, quando o Alavarium tentou a sua defesa individual, Cláudia Aguiar conseguiu desequilibrar e criar exclusões às adversárias. Depois do mau jogo de Sábado, as madeirenses vestiram o fato de macaco e mostraram que querem terminar esta fase regular na frente. E tudo se vai decidir no dia 15 de Março, altura em que se jogará o explosivo Colégio João de Barros / Madeira Sad.
 
Na véspera, as madeirenses foram surpreendidas pelo Colégio de Gaia. Depois de terem dominado a primeira parte, as madeirenses foram perdendo gás na segunda parte, cometendo muitas falhas técnicas, revelando incapacidade ofensiva e viram o Colégio de gaia empatar perto do fim. Márcia abreu fez um jogo notável, sendo das poucas que conseguia encontrar os espaços na defensiva do Colégio de Gaia para marcar golos ou assistir as suas colegas, nomeadamente Renata Tavares que esteve em bom plano. Mas fica a sensação que a equipa relaxou em demasia e acabou por pagar caro isso perante um Colégio de Gaia que, depois de maus jogos, fez uma excelente exibição, mostrando que é uma das mais imprevisíveis equipas do campeonato, capaz de passar do inferno ao céu em apenas uma semana. Sandra Santiago mostrou que, nos seus melhores dias, pode fazer com que o Colégio ganhe a qualquer equipa e quando na segunda parte disparou os seus remates, deu a volta ao jogo, bem acompanhada por Vanessa Silva e sobretudo por Bebiana Sabino que veio melhorar muito a qualidade defensiva da equipa de Paula Castro que, com esta aquisição, pode sonhar alto. Mas para isso é preciso que a mentalidade mude e que a equipa não jogue apenas bem contra as equipas melhores. Se o Colégio render ao nível deste Sábado, pode ser candidato ao título.
 
No Domingo, quase o inferno. O Colégio de Gaia ganhou ao Sports Madeira mas não perdeu para o susto e esteve sempre a correr atrás do resultado. A equipa de Gaia esqueceu-se de defender, permitindo remates fáceis de primeira linha e teve que suar muito para vencer, muito à custa de Vanessa Silva que voltou às boas exibições. Mas este susto pode ser uma excelente lição para uma equipa que tem jogadoras de grande qualidade mas onde falta uma mudança de mentalidades para jogar contra o Sports Madeira como contra o Madeira Sad (recorde-se que, já na primeira volta, o Colégio de Gaia tinha empatado com o Sports Madeira). As madeirenses fizeram uma bela exibição, com destaque para as suas atiradoras Sara Sousa e Mariana Sousa, além da esquerdina Anaís Gouveia. A equipa jogou descomplexada, sem medo de rematar à baliza e esteve à beira de uma surpresa, faltando algum discernimento na ponta final do encontro. 
 
Na véspera, o Alavarium venceu o Sports Madeira num jogo sem história, com superioridade das campeãs nacionais do princípio ao final, com Mariana Lopes em grande evidência, mostrando todo o seu poder rematador, com Lisa Antunes a fazer o seu melhor jogo depois de longa lesão e com a sua Guarda-redes Andreia Madail em grande plano. O Sports Madeira esteve muito mal na concretização, salvando-se Odete Freitas com excelentes remates de ponta esquerda e com Mariana Sousa a lutar para inverter o resultado. Apesar de tudo, a diferença entre ambas as equipas foi sempre grande e ambos os treinadores geriram os seus plantéis mais a pensar nos jogos do dia seguinte. 
 
Em Lisboa, o Maiastars venceu o Assomada. A vitória não foi fácil, mas foi justa e são com estas vitórias que a equipa da maia vai conquistando um lugar nos playoffs. Uma vez mais, Diana Oliveira foi a grande figura do encontro, carregando a equipa ao colo e mostrando que a idade não interessa na hora de jogar andebol. Desta vez, foi muito bem acompanhada por Dulce Oliveira que está a ressurgir esta época. Uma vitória assente numa excelente coesão e agressividade defensiva que conseguiu contrariar o maior poder físico das lisboetas. O Assomada que faz grandes exibições com as melhores equipas do campeonato, transfigura-se para pior quando defronta as outras equipas e foi uma sombra do que fez nas últimas semanas, nunca encontrando soluções para ultrapassar a defesa do Maiastars. Salvaram-se as velozes Nádia Fernandes e Carla Mendes mas o ataque organizado foi uma desgraça, com inúmeras falhas técnicas e má seleção de escolha de remate. E o Assomada não se pode esquecer que, para se salvar da descida, terá que triunfar perante as equipas do fundo da tabela, de nada valendo as boas exibições contra os “grandes”. 
 
Em Tavira, um jogo muito desequilibrado com o Jac a não dar qualquer hipóteses ao Tavira. A equipa de Alcanena dominou como quis, com Patrícia Rodrigues a liderar, uma vez mais, a equipa e com Ana Rita Henriques a mostrar que está em nítida subida de forma. A equipa de Marco Santos parece cada vez mais destinada a terminar a primeira fase em 4º ou 5º lugar, naquele que se prevê um duelo muito interessante na primeira ronda dos playoffs diante do Colégio de Gaia. Quanto ao Tavira, com exceção das irmãs Faleiro, exibições muito sombrias de uma equipa que tem que melhorar bastante para escapar à despromoção mas que passa semanas que, por motivos académicos, as suas jogadoras não podem treinar juntas. Assim fica muito difícil? 
 
O Colégio João de Barros venceu a Juve Mar mas também não ganhou para o susto. Depois da sensacional vitória em Aveiro na semana passada, as vice-campeãs nacionais encararam este jogo demasiado desconcentradas, sem a atitude defensiva que as caracteriza. Difícil destacar alguém numa equipa que só na segunda parte percebeu que poderiam não vencer o encontro e que aí sim deu 100% mas numa altura em que o jogo não estava nada fácil. Quanto à Juve Mar, grande atitude lideradas por Teresa Santos. A equipa de Paulo Martins tem provado o seu valor, tem dado excelente réplica com praticamente todos os adversários e, apesar de não nos parecer poder chegar aos playoffs, dá sinais claros que se vai manter na primeira divisão pois a sua qualidade de jogo é bastante superior às duas mais fracas equipas da competição.
 
Finalmente, em Leiria, a Juve Lis venceu o Cale mas teve que sofrer muito. Um jogo algo quezilento em que a equipa de Leiria esteve uns furos abaixo daquilo que vem fazendo nas últimas semanas de competição. Valeu Ana Gante que não deixou os seus créditos de rematadora por mãos alheias e mais uma excelente exibição de Sofia João que está a aproveitar muito bem a ausência de Tatiana Góis para mostrar todo o seu valor. Apesar da exibição menos conseguida, mais uma vitória para a equipa de Leiria. Quanto ao Cale, quinta derrota consecutiva e as contas para os playoffs continuam a complicar-se naquela que parece ser já uma luta a dois entre a equipa de Leça e o Sports Madeira. Cristiana Morgado está em clara subida de forma, ao contrário de outras atletas, longe de apresentar um bom momento. Defensivamente, a equipa esteve em excelente plano, mostrando agressividade mas ofensivamente o Cale tem estado muito mal e tem que melhorar muito até ao dia 15 de Fevereiro, onde estará no Funchal a defrontar o Sports Madeira naquele que consideramos ser o jogo que decidirá a última vaga em aberto para os playoffs.
 
Voltamos a dizer: Este está a ser o campeonato mais disputado das últimas épocas e vem provar que este modelo competitivo era aquele que viria a nivelar o campeonato feminino e a torná-lo uma prova verdadeiramente interessante.
 
Críticos Femininos

Crónica de Fim-de-semana – 22 – 2013 / 2014 – I

Crónica da 8 .ª Jornada da 2.ª Volta da 1.ª Fase. A 19.ª Jornada da prova. 
 
Mais uma vez existiram fortes problemas na transmissão da Andebol TV,com o Portal da FAP a anunciar transmissões que depois não estão programadas, como por exemplo o Ismai / Sporting através da AIsmai, pensamos que as asneiras atingiram um grau de qualificação de insuportável. 
 
Em relação às transmissões em Livescore / Direto no site da andYstat, apesar das melhorias verificadas ainda existiram muitas falhas.
 
O Funcionamento do portal da FAP, voltou ao seu estado normal, ou seja o “caos” raramente funcionou em condições, quer no acesso às provas quer no acesso aos boletins de jogo. Com a Janela “jogos de Hoje” na “Home Pag” a dar resultados de jogos a decorrer que já estavam terminados á horas. 
 
Os Boletins de jogo incompletos, continuam a ser uma “praga”, mas aqui temos dúvidas no grau de culpabilidade dos srs. Oficiais de Mesa e das próprias duplas que não devem conferir os mesmos.
 
Parece que finalmente começam a ter continuidade o funcionamento (embora com algumas deficiências), no site da andYstat. Mas apenas em termos de estatísticas.
 
PO01 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Masculinos.

1.ª Fase
15.ª Jornada
Madeira SAD 25 – 24 Avanca
19.ª Jornada
AC Fafe 26 - 22 Avanca
Madeira SAD 27 - 29 FC Porto
Passos Manuel 21 - 20 Belenenses
Ismai 25 - 40 Sporting
SC Horta 18 – 24 Águas Santas
ABC 26 – 26 Benfica
 
A Jornada que se iniciou com um Madeira SAD / FC Porto, que se presumia com naturalidade seria pouco mais que um passeio dos campeões Nacionais, acabou por se transformar, num jogo de grande equilíbrio, apesar da equipa do Continente ter estado grande parte do tempo no comando do marcador, a garra e determinação dos da equipa da casa deu origem a que cerca dos 47 minutos de jogo se regista-se uma igualdade a 20 golos, depois de já ter estado numa outra igualdade a 18 golos cerca dos 45 minutos. O resultado final espelha com clareza as grandes dificuldades sentidas pela equipa do FC Porto. No Madeira SAD salienta-se mais uma vez o pivot João Mendes com 11 golos e melhor marcador de todo o encontro, e ainda a sagacidade de Luís Marques com (7 golos com uma eficácia de 100%, nas estatísticas), mas apenas 6 golos contabilizados no Boletim de jogo, uma referencia especial para o guarda redes Luís Carvalho que com 33% de eficácia, esteve acima dos seus colegas de posto no FC Porto, que não passaram os 28%. O FC Porto por seu lado teve a sua grande figura no Dinamarquês Mick Shubert com 9 golos, e alguns decisivos, em especial no contra ataque, diga-se no entanto que este atleta só nos primeiros 30 minutos de jogo já tinha concretizado por 8 ocasiões. Gilberto Duarte parece estar de regresso e com 7 golos marcados foi outro dos baluartes da equipa (mais uma vez existem diferenças entre o Boletim de jogo e as estatísticas (8 golos). (Boletim de jogo incompleto). Em Fafe disputou-se o duelo entre os últimos classificados AC Fafe / AA Avanca, com a equipa minhota a confirmar o resultado obtido na 1.ª volta em Avanca, voltando a vencer, e desta vez por uma margem mais ampla. Este jogo cuja transmissão apenas começou já cerca de 20 minutos de jogo decorridos, registou períodos de grande equilíbrio, como prova o resultado ao fim dos 30 minutos iniciais de jogo, que era de 11-9 a favor do AC Fafe. No entanto a equipa minhota com uma melhor entrada no segundo período de jogo, que derivou das grandes dificuldades atacantes da equipa do Avanca, que cometeu “apenas” 15 Faltas técnicas. Registava aos 42 minutos de jogo um diferencial a seu favor de 6 golos (18-12), o que lhe permitiu efetuar um total controlo do jogo, embora esporadicamente a equipa do Avanca reduzir o diferencial, de destacar que o AC Fafe chegou a estar com apenas 4 jogadores de campo nos momentos finais e nunca foram devidamente aproveitados pelo seu adversário. No AC Fafe o Armando Pinto com 5 golos esteve uns furos acima dos seus colegas, pois concretizou quase sempre em momentos decisivos, juntamente com Pedro Peneda também com 5 golos, mas a fazer jogar a equipa, no entanto o melhor marcador dos minhotos acabou por ser Marco Sousa com os seus 7 golos. Na AA Avanca, com o novel treinador a ter muito trabalho pela frente em especial no ataque porque não existe conjunto, Apenas Tiago Cunha com 6 golos e Miguel Batista na parte final do encontro marcaram alguma diferença. (Boletim de jogo incompleto). Com esta vitória os minhotos abandonaram um dois últimos lugares, por troca com o Ismai. Na Maia defrontaram-se Ismai / Sporting, com a equipa lisboeta, também a confirmar o resulta do da 1.ª volta ao voltar a vencer a equipa Maiata, com uma goleada das antigas. O Sporting comando o encontro do 1.º ao último minuto, chegando a ter diferencias de 17 golos, como quando vencia por 35-18 a cerca de 5 minutos do fim do encontro. Foi um encontro de sentido único, e que permitiu ao Sporting, fazer uma completa gestão do plantel, utilizando os jovens jogadores, e onde o contra ataque foi uma das suas principais armas. Pedro Portela com 9 golos foi o melhor marcador do encontro e continua a afirmar-se como um dos valores seguros do Andebol Português. Pedro Solha (4 golos), continua a ser utilizado apenas para a marcação de livres de 7 metros, seria injusto não salientar a ação desenvolvida por Bruno Moreira (6 golos) e Marzo com 5 golos tantos como Rui Silva. No Ismai Armando Ventura com 7 golos (4 de 7 metros) foi na nossa opinião, um dos eus destaques pela positiva, juntamente com José Pedro Coelho com igual número de golos, não pode uma equipa da 1.ª Divisão Nacional cometer o número de falhas técnicas que os Maiatos cometeram (17). Disputou-se um outro encontro que poderá ter ainda alguma influência na atribuição do 6.º lugar da classificação geral, ou seja o último que dá acesso ao Grupo “A” na 2.ª Fase da Prova, o Passos Manuel / Belenenses, que terminou com a difícil vitória dos liceais pela diferença mínima. Foi um encontro de grande equilíbrio, com as ações defensivas a sobreporem-se às ações atacantes. Embora a equipa do Passos Manuel tenha iniciado o encontro da melhor forma e aos 21 minutos de jogo vencia por 10-5, maior diferença registada por qualquer das equipas durante todo o jogo, no entanto a equipa de Belém, com uma forte reação isto qualidade e garra, enceta uma excelente recuperação tendo chegado ao fim dos primeiros 30 minutos a perder pela diferença mínima (12-11). Nos 30 minutos seguintes o Belenenses entrou forte, e aos 35 minutos já vencia por 16-13 (maior diferencial registado por qualquer das equipas nos segundos 30 minutos), permitindo uma recuperação dos liceais que aos 39 minutos igualavam a 16. A partir daqui as igualdades e alternâncias foram-se sucedendo, com o Passos na frente nos minutos finais (21-19), com o jovem Pedro Pinto a ainda reduzir para 21-20 que foi o resultado final. O Passos venceu mas mais uma vez o número de faltas técnicas (21) cometidas é no nosso entender inadmissível numa 1.ª Divisão Nacional. No Belenenses ainda não se estreou o jovem Flávio Fortes cedido por empréstimo pelo Benfica. Edgar Landim com 8 golos foi o grande destaque da equipa do Belenenses e o seu melhor marcador, onde Nelson Pina esteve muito abaixo do que pode sabe produzir. No Passos Manuel os Suspeitos do costume Pedro Sequeira (7 golos) e Bélone Moreira (6 golos) foram as suas principais figuras. Com este resultado o Passos igualou o seu adversário em termos pontuais. Jornada ainda era com posta por um dos clássicos da modalidade um ABC / Benfica que terminou numa igualdade, e por um SC Horta / Águas Santas, que foi um jogo onde a equipa da Maia confirmou o resultado da 1.ª volta ao vencer a equipa Insular, mas com o dado curioso de ter construído muito mais facilmente o resultado, pois comandou o marcador do 1.º ao último minuto, atingindo os 30 minutos de jogo a vencer por 13-6, curiosamente a maior diferença que se registou durante todo o desafio. Nos segundos 30 minutos o Águas Santas controlou o marcador nunca permitindo grandes aproximações da equipa Insular do SC Horta, que no entanto cerca dos 50 minutos consegui colocar a diferença em apenas 3 golos (19-16), para se colocar. Com Pedro Cruz longe dos seus dias, foi Bosko que assumiu ser o melhor marcador da equipa com 6 golos logo seguido de perto por Jorge de Sousa com 5 golos, no SC Horta mais uma vez o “veteraníssimo” Yuriy Kostetkyy foi um dos melhores marcadores da equipa com 4 golos tantos quantos marcou Filipe Pinho. Tivemos mais um encontro da 1.ª Divisão Nacional em que o número de Faltas Técnicas é impensável para a prova máxima da modalidade (30 no total, 17 para o SC Horta e 13 para o Águas Santas. Realizou-se também o jogo em atraso da 15.ª Jornada Madeira SAD / AA Avanca, que terminou com a difícil vitória dos madeirenses pela diferença mínima. Foi um jogo com duas partes distintas o Madeira SAD a dominar nos 30 minutos iniciais e a AA Avanca a ter o domínio dos segundos 30 minutos. Com o calendário certo e 3 jornadas do fim desta 1.ª Fase, estão em luta pelo 6.º lugar 4 equipas a saber SC Horta, Madeira SAD, Belenenses e Passos Manuel. Após a conclusão destes jogos a classificação ficou da seguinte forma: 1.º Sporting (52 pontos), 2.º FC Porto e Benfica (50 pontos), 4.º ABC (48 pontos),5.º Águas Santas (45 pontos), 6.º SC Horta (35 pontos), 7.º Madeira SAD (34 pontos), 8.º Belenenses e Passos Manuel (31 pontos), 10.º AC Fafe (29 pontos), 11.º Ismai (28 pontos) e 12.º Avanca (23).
 
ABC 26 –  26 Benfica
 
Num Flávio Sá Leite, que parece de regresso aos bons velhos tempos e se apresentava muito bem composto de público que chegou em determinados momentos do jogo a apoiar a sua equipa, “á antiga”, disputou um dos atuais clássicos do andebol português, com o ABC a defrontar a equipa do Benfica, que se apresentou desfalcada de Carlos Carneiro e Cláudio Pedroso, presumimos que por lesão e apresentou no banco Álvaro Rodrigues que não atou um minuto, assim como alguns dos jovens que apenas fizeram numero, tal a dificuldade para que o jogo caminhou. Foi um jogo que teve duas partes distintas, uma (30 minutos iniciais) totalmente dominada pela equipa do Benfica, e uma outra (segundos 30 minutos), de reação e domínio dos minhotos. Diga-se no entanto que a equipa do Benfica comandou o marcador até cerca dos 46 minutos, momento em que permitiu a primeira igualdade no marcado a 20 golos e apesar de voltar quase sempre ao comendo do marcado nunca mais conseguiu ter mais do que três golos de diferença (26-23), permitindo uma reação feita á base de muita garra e querer. Deve ainda dizer-se que o Benfica terminou o encontro com apenas 3 jogadores de campo. Na nossa opinião um houve um momento que decidiu o resultado, cerca dos 52 minutos, quando Fábio Vidrago falha uma tentativa de “rosca” perante um guarda-redes de nome Vicente Alamo que esteve simplesmente soberbo na balizado Benfica com uma exibição para não se esquecer e onde atingiu uma eficácia de 54%. O ABC que preparou na nossa opinião muito bem o jogo montou uma defesa agressiva “quante baste”, criando muitas dificuldades ao ataque do Benfica, deverá dizer-se que a defesa do Benfica com as suas “ torres” esteve intratável no bom sentido, mas o ataque do ABC nos 30 minutos iniciais nunca se encontrou, nem encontrou soluções para o bloco defensivo do Benfica, basta dizer que a eficiência do ataque minhoto nos 30 minutos iniciais era de 23%. O Técnico do ABC no segundo período conseguiu criara mais facilidades na forma de atacar a baliza encarnada e soube aproveitar todas as vezes que esteve em superioridade numérica. Agora é incompreensível (na nossa opinião) como se pede um time out a 2 segundos do fim do jogo quando a equipa vai a realizar um ataque rápido que pode determinar o resultado final e foi isto que o técnico do ABC fez. Destaques no jogo para os 14 golos de Elledy Semedo (melhor marcador do encontro) e ainda para José Costa com os seus 7 golos e a sua entrega ao jogo, pois já referimos o Vicente Alamo para nós a grande figura do encontro. No ABC Nuno Grilo com 10 golos foi o seu principal marcador e também fez bastas assistências, e quanto a nós Nuno Rebelo (4 golos) pode produzir muito mais. Não Falar em Humberto Gomes na baliza do ABC seria uma injustiça não pelos seus 35% de eficácia, mas porque nos momentos certos esteve lá. Jogo dirigido pela dupla IHF da Madeira, Duarte Santos / Ricardo Vieira, que tiveram um trabalho disciplinar onde na nossa opinião pecaram por exagero, embora todas as exclusões possam ser admissíveis, mas por vezes deve imperar o bom senso e esse não esteve presente, neste aspeto, estiveram muito bem no critério de 7 metros e da falta do atacante, as mesmas quando existem mesmo sem bola são para ser marcadas e eles fizeram-no. Já na Lei da vantagem não estiveram tão bem. 
 
Nota- Mais uma vez nas suas declarações, desta vez de forma dissimulada, o empate surge por culpa da arbitragem na voz do técnico do Benfica. Por falta de coragem nunca o disse declaradamente.
 
O Banhadas Andebol

domingo, 26 de janeiro de 2014

Europeu 2014 – Dinamarca – XXII - Final

Terminou mais um Euro, sendo provavelmente a última vez que um Europeu se disputou com este formato, com a EHF a seguir as pisadas da IHF e existir o aumento do número de equipas nas Fases Finais, passando-se diretamente da Fase Preliminar aos jogos dos 1/8 Final. 
 
FRANÇA CAMPEÃ EUROPEIA
França sucede á Dinamarca e recupera título 
Hoje publicamos os últimos resultados, dos jogos que definiram a classificação Final.

Jogos das 1/2 Finais e 5/6 lugar - Resultados

1/2 Final
Dinamarca 29 – 27 Croácia
França 30 – 27 Espanha

5/6 Lugar
Islândia 28 – 27 Polónia

A França conquista o seu 3.º título Europeu depois de 2006 e 2010.
 
A Dinamarca volta a perdeu a final, que registou o maior número de golos na história dos Europeus, sofrendo o maior de número de golos até agora registado numa final. 
 
Conforme tínhamos previsto o encontro da final foi presenciado por um pavilhão completamente esgotado, onde o grande herói do jogo foi o guarda-redes Francês Thirry Omeyer, sendo acompanhado de perto pelo seu colega de equipa Guigou com 10 golos, mas tendo sido considerado o MVP da sua equipa Daniel Narcisse. Niklas Landin, que após se saber que tinha sido considerado o melhor guarda-redes do do Euro, foi talvez o “réu” na sua equipa, pois chegou a ter 0% de eficiência, já com bastos minutos de jogo decorridos, foi MVP da equipa Dinamarquesa Mikkel Hansen que marcou 9 golos. Dizer que a Dinamarca durante toda a prova apenas perdeu o jogo da Final.
 
Jogos do 3/4 Lugar e Final

3/4 LugarEspanha 29 – 28 Croácia
FinalDinamarca 32 – 41 França

Com a curiosidade de o jogo da decidia o 3 / 4 Lugares ser disputado entre as mesmas equipas que o fizeram na ultima edição da prova em 2012, só que agora com um vencedor diferente.
 
Classificação Final – 1.ºFrança, 2.º Dinamarca, 3.º Espanha, 4.º Croácia, 5.º Islândia, 6.º Polónia, 7.º Suécia, 8.º Hungria, 9.º Rússia, 10.º Macedónia, 11.º Áustria, 12.º Bielorrússia, 13.º Sérvia, 14.º Noruega, 15.º República Checa e 16.º Montenegro.

Foram ainda distinguidos os seguintes atletas: 
Melhor Marcador Juan Canellas (Espanha)

Melhor Guarda Redes – Niklas Landin (Dinamarca)
Melhor Ponta Esquerdo – Gudjon Sigurdsson (Islândia)
Melhor Lateral Esquerdo – Mikkel Hansen (Dinamarca)
Melhor Central – Domagoj Duvnjak (Croácia)
Melhor Pivot – Julien Aguinagalde (Espanha)
Melhor Lateral Direito – Krzysztof Lijewski (Polónia)
Melhor Ponta Direito – Luc Abalo (França)

Melhor Defensor – Tobias Karlsson (Suécia)

MVP – Nikola Karabatic (França)

Uma nota final – Para a presença Portuguesa, com Rui Coelho a exercer funções não de Observador, mas como Supervisor da EHF, sendo nestas últimas funções que esteve presente na 1/2 Final disputa entre a Espanha e a França.

O Banhadas Andebol