gal vence

Euro Sub-17 Femininos (Lituânia), Portugal Campeão Europeu após vencer a Lituânia 25-24 - Mundial Sub-19 Masculino Portugal vence Japão por 34-26 e fica em 7.º Lugar - Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Crónica de Fim-de-semana No Feminino – 13 – 2013 / 2014

Crónica exclusivamente dedicada ao Feminino.

PO09 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Femininos.

1.ª Fase
14.ª Jornada
CA Leça 20 - 27 Colégio Gaia
15.ª Jornada
CA Leça 25 - 30 JAC-Alcanena
CS Madeira 28 - 19 Vela Tavira
Juventude Lis 24 - 24 Alavarium
Juventude Mar 22 - 23 Maiastars
Madeira SAD 21 - 20 Assomada
Colégio Gaia 19 - 23 João Barros
16.ª Jornada
CS Madeira 30 - 24 Assomada
Madeira SAD 40 - 11 Vela Tavira

Um dos fins-de-semana mais interessantes do campeonato com jogos muito equilibrados, uma surpresa e a prova de que esta é um dos campeonatos mais equilibrados dos últimos anos.
 
Comecemos pela grande surpresa da jornada, com o empate do campeão nacional no recinto da Juve Lis. As leirienses que vinham dando sinais de subida de forma arrancaram uma grande exibição, mesmo privadas da sua guarda-redes Tatiana Góis, com Sofia João a substitui-la com grande acerto, salvando a sua equipa com uma grande defesa no último segundo. O jogo começou com o marcador a assinalar 11-4 favorável às leirienses que não conseguiram segurar a vantagem, apesar da grande exibição. Ana Gante voltou a fazer uma bela exibição, bem como Ana Carolina Silva. A jovem internacional fez talvez a sua melhor exibição ao nível sénior e foi determinante na boa exibição. Este empate diante das campeãs nacionais é mais um sinal positivo da equipa da Juve Lis que vai subindo na tabela classificativa, aproximando-se daquele que é o seu real valor. Quanto ao Alavarium, uma entrada no jogo verdadeiramente desastrada, com as jogadoras completamente desconcentradas. Depois, correram atrás do resultado e até podiam ter ganho mas quem começa o encontro daquela forma não merece ganhá-lo. Salvou-se Mónica Soares que jogou apenas 15 minutos, claramente inferiorizada fisicamente, mas que foi fundamental na recuperação aveirense e Ana Seabra que, apesar de ainda estar longe do seu melhor, deu outro ritmo de jogo à sua equipa. Mas a defesa individual do Alavarium fracassou. E se fomos os primeiros a dizer que o ano passado esta novidade trazida por Ulisses Pereira foi uma jogada de mestre e a grande arma para vencerem o campeonato inesperadamente, atualmente, todas as equipas se preparam contra esta defesa que perdeu eficiência. Nos próximos dois fins-de-semana, o Alavarium enfrenta os seus dois grandes rivais e terá que fazer muito melhor do que fez neste encontro pois esteve longe do que já vimos fazer. Veremos como reagem as campeãs nacionais na hora da verdade.
 
No Funchal, o Madeira Sad não ganhou para o susto e ganhou por apenas um golo diante do Assomada. À semelhança do Alavarium, as madeirenses entraram no jogo muito relaxadas, desconcentradas e chegaram ao intervalo a perder. A segunda parte não foi muito diferente, com inúmeras falhas técnicas, remates desperdiçados e não fosse Sara Gonçalves que encarou o jogo sempre com a atitude certa e as madeirenses teriam sido surpreendidas. A equipa está na frente do campeonato mas não pode relaxar desta forma, até porque se avizinham jogos muito importantes e que vão decidir a liderança nesta primeira fase do campeonato. Quanto ao Assomada, tal como já dissemos, parece talhada a jogar contra os grandes. Depois do sensacional empate diante do Colégio João de Barros, as lisboetas estiveram quase a repetir a façanha no Funchal. Fisicamente, é das poucas equipas que consegue competir com os candidatos ao título, sendo Micaela Sanches o grande exemplo disso, mostrando todo o seu potencial no Funchal bem como a rapidíssima Odete Tavares que foi um quebra-cabeças para as madeirenses. A pergunta é porque é que o Assomada não apresenta a mesma garra e atitude contra as equipas mais fracas do campeonato? Se assim fosse, estariam certamente dentro do lugar dos play-offs.
 
No Domingo, o Madeira Sad esmagou o Vela de Tavira num jogo sem história. As madeirenses vinham determinadas a fazer esquecer a má exibição da véspera e conseguiram-na, jogando sempre com o pé a fundo no acelerador, de novo com Sara Gonçalves a provar que está num grande momento de forma, muito bem acompanhada por Renata Tavares. As madeirenses esmagaram umas algarvias que, na segunda parte, mostraram que são a equipa com pior condição física do campeonato e o jogo foi tão fraco por parte do Vela de Tavira que nem conseguimos destacar alguém, numa equipa sem qualidade para estar na primeira divisão.
 
No Sábado, o Vela de Tavira também não tinha conseguido vencer o Sports Madeira. E até fez uma primeira parte de muito boa qualidade, com Joana Reis em bom plano e com Sónia Viegas a fazer o seu melhor jogo da época. Mas, depois do intervalo, veio o caos. Falhas técnicas, remates falhados e uma verdadeira hecatombe, com apenas 4 golos marcados! É verdade que não é fácil jogar no Funchal e as segundas partes, muitas vezes, são um pesadelo, mas 4 golos é mau demais para uma equipa que começa a dar sinais que não vai fugir à despromoção. O Sports Madeira esteve muito frágil, defensivamente, na primeira parte mas transfigurou-se ao intervalo e fez das tripas coração para vencer o encontro. Sara Sousa esteve em destaque, ela que é capaz do melhor e do pior, apareceu na altura certa, bem acompanhada pela surpreendente Catarina Fernandes. O Sports Madeira sabia que uma derrota diante do Tavira podia comprometer as suas aspirações aos playoffs e arrancou para uma grande segunda parte.
 
No Domingo, o Sports Madeira conseguiu nova vitória perante o Assomada. E, de novo, foi uma vitória suada, com uma primeira parte muito equilibrada, mas onde a melhor condição física das madeirenses foi determinante na segunda parte, com Odete Freitas em grande plano, com uma elevada eficácia e Mariana Sousa a mostrar que atravessa um bom momento de forma. Com estas duas vitórias, o Sports Madeira entra na rota dos playoffs e, apesar da tarefa ser árdua, a equipa acredita nesse que sempre foi o grande objetivo da época depois de saídas tão importantes. Quanto ao Assomada, uma segunda parte de excelente nível com Edna Oliveira a fazer um ótimo jogo mas, na segunda parte, o desgaste do duríssimo jogo do dia anterior fez-se sentir, os erros sucederam-se e essas falhas técnicas originaram falhas técnicas que resultaram em contra-ataques das adversárias. Apesar das duas derrotas, o Assomada sai da Madeira a acreditar mais nas suas possibilidades da manutenção.
 
Em Leça, o Cale perdeu com o Jac num jogo bem “quente”. A equipa de Leça equilibrou o jogo na maior parte do encontro, mas perdeu a cabeça na segunda parte, deixando o resultado alargar, num jogo em que Cristiana Morgado fez a sua melhor exibição com a camisola do Cale e onde Daniela Mendes também teve bons apontamentos. Mas a equipa de Leça está a sofrer a baixa de rendimento de Maria Rodrigues que está bem longe da excelente forma demonstrada no início de época e a equipa que começou por ser a grande sensação do campeonato, está em queda livre e corre riscos de ficar de fora dos playoffs. O Jac sentiu dificuldades, mas a maior qualidade das suas jogadoras acabou por vir ao de cima na segunda parte, conseguindo uma vitória importante. E faltam já adjetivos para classificar Patrícia Rodrigues que continua a ser o verdadeiro abono de família da equipa de Alcanena que está cada vez mais dependente da jovem prodígio do andebol português que, neste jogo, viu Rita Alves estar de pontaria acertada na hora de atirar à baliza. O Jac depois de uma série de maus resultados estava a precisar desta vitória que volte a devolver à equipa a confiança perdida.
 
Finalmente, o jogo mais aguardado da jornada era o Colégio de Gaia / Colégio João de Barros. Com as ausências das duas guarda-redes das vice-campeãs nacionais (Ludmila e Carolina Costa), de Dulce Pina e Paula Malcato, o Colégio de Gaia tinha a sua grande oportunidade para vencer o João de Barros, mas não aproveitou. Nem com Bebiana Sabino já transferida do Madeira Sad, a equipa de Gaia conseguiu vencer, num jogo em que andou sempre relativamente perto mas que, na hora da verdade, não conseguiu passar para a frente. Apenas 19 golos marcados, num jogo em que se avolumaram as falhas técnicas das nortenhas, incapazes de ultrapassar o muro defensivo adversário. Salvou-se, como sempre, Sandra Santiago que é o verdadeiro abono de família de um conjunto de boas jogadoras, mas que está longe de ser uma equipa e onde o seu esquema de jogo ofensivo usa e abusa de cruzamentos inconsequentes que já não se usam. Quanto ao Colégio João de Barros, ultrapassaram um teste difícil sem muitas jogadoras importantes, fruto da sua defesa que é, nesta altura, o seu ponto mais forte. Ofensivamente, a equipa esteve desastrada valendo pela grande exibição de Maria Pereira que, ao intervalo, já levava 8 golos apontados. As vice-campeãs nacionais, apesar de um período menos bom no final de 2013, não desarmam e terão o seu grande teste no próximo fim-de-semana, quando se deslocarem a Aveiro. E a sua capacidade competitiva vai depender da possibilidade de apresentarem muitas das jogadoras que estiveram ausentes em Gaia.
 
Nós cá estaremos para vos contar tudo sobre essa reedição da final do ano passado e todos os outros jogos da jornada. O campeonato está ao rubro!
 
Críticos Femininos

19 comentários:

Anónimo disse...

já agora também podiam analisar a ficha de jogo do derby da A. A. Braga...

Anónimo disse...

Faltou referirem que além das ausências todas no CJB, durante o jogo a Eduarda também se lesionou.

Anónimo disse...

Entao e Juve Mar?! Nao faz parte da primeira divisão ou nao têm nenhum elogio a mencionar no que diz respeito as Maiatas?!

Anónimo disse...

O jogo da Juv. Mar com o Maia não merece comentários??

Anónimo disse...

E mais uma vez o CALE perde por culpa do seu treinador explosivo. E uma vergonha pois as miúdas esforçaram-se bastante.
Levar 2min em momentos cruciais não pode acontecer. Estarem a recuperar e de repente ficarem menos duas e imperdoável!

Anónimo disse...

dizer que o vela tavira não tem qualidade para estar na primeira divisão, é uma total falta de respeito pelas jogadoras, pela equipa técnica e pelo clube... Não sou da equipa em causa mas sou adepta de andebol de excelente qualidade e lamento informar que o vela tavira tem jogadoras que proporcionam andebol de qualidade muito elevada por isso deviam pensar melhor nas coisas que escrevem e mesmo se fosse uma equipa sem qualidade merecia o nosso respeito na mesma porque fez uma coisa que muitas equipas desejavam fazer e não conseguiram: subir à 1ªdivisão ...
dizer que o alavarium nao merecia ganhar o jogo só pelo inicio de partida horroroso que fez? por favor... e o madeira também nao fez uma exibição deprimente?ahh pois... faço uma pergunta quando é que este 'blog desportivo' começa a falar sobre andebol e deixa os pensamentos e as frases infundadas para os políticos... Todos os clubes que são falados devem ser respeitados quer sejam campeoes ou equipas que estejam a disputar a liga dos últimos, se este blog não consegue fazer isto em relação ao andebol feminino então deixe de comentar aquilo que nao sabe.

Anónimo disse...

As frutações desportivas por vezes tiram-nos capacidade de raciocionio, e por vezes parecem os relatórios qu querem privar quem escreve, posso não estar de acordo mas critico quando me apetece e não ofendo, e quando se comenta jogos agrada-se a uns e não se agrada a outros, e anonimo das 21:46, peca naquilo que diz.

parabens banhadas pois ao menos o andebol feminino é falado.

Anónimo disse...

O maia abriu uma secção de boxe ou que?

Anónimo disse...

Aiinda bem que o banhadas não falou do Juve Mar- Maiastars.

Uma vergonha o que se passou naquele pavilhão. Há muito tempo que não via um ambiente tão mau dentro e fora do campo. Não sei como os árbitros sairam dali vivos. O público da Juve Mar é doentio e o banco do Maiastars mal educado. Ribas acha que pode fazer e dizer tudo o que lhe apetece!

Anónimo disse...

O público da Juve Mar é doentio ???
Os árbitros cometeram imensos erros, um nível de injustiça e negligência raramente visto..
Uns adeptos do Maia pendurados nas grades insultando os árbitros e o público da Juve é doentio???
Será que vimos o mesmo jogo????

Anónimo disse...

A disciplina à central do Maia veio mesmo a calhar para o Cale.
A próxima jornada vai decidir muita coisa para ambas as equipas.

Anónimo disse...

Já não é a primeira vez e não será a última em que o treinador do Cale dá este tipo de "ajuda" á equipa.
Tem-se repetido ao longo dos anos e em vários escalões. Mas a família calense quer e gosta que assim seja.

Anónimo disse...

Quanto ao Cale e ao seu pseudo-treinador já não admira!
Esta época, até nos jogos do inatel, tem a mania que manda em tudo e todos.
O problema é que os altos quadros calenses, não tem coragem de lhe por os patins e mandá-lo definitivamente para o poker que é onde ele está bem!

Anónimo disse...

Quem quiser saber sobre o jogo Juv Mar e Maiastars pode faze-lo no SITE DA AAB. Em www.aab.pt

Anónimo disse...

O Vasco pertence à direção do Cale desde há vários anos.
Não vejo ele a mandar-se embora a si próprio.

Anónimo disse...

Ó Vasco vai para alcanena fazer companhia ao Marco no banco. Ainda gostava de ver os dois.

Anónimo disse...

Se gostavas de ver os dois porque nao foste ver o ultimo jogo? É que foi CALE-ALCANENA oh nabo!

Anónimo disse...

Porque e que a próxima jornada, Maia-CALE são árbitros de Braga a apitar o jogo?
Isto não devia de acontecer e infelizmente acontece muitas vezes.

Anónimo disse...

Eu sei perfeitamente que o cale jogou com o Alcanena, mas gostava era de ver os dois no mesmo banco a ralhar, ou foi difícil de perceber isso? Nabo