gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Crónica de Fim-de-semana – 16 – 2013 / 2014 - IV

Cronica possível, dedicada à PO04, que é a prova do calendário Nacional que mantem uma grande regularidade, embora a competitividade seja bastante duvidosa. 
 
PO04 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Juniores Masculinos.
 
Zona Norte
17.ª Jornada
Santo Tirso 27 - 26 CA Leça
Águas Santas 26 - 20 FC Gaia
ABC 40 - 19 Xico Andebol
AD Sanjoanense 28 - 28 Ismai
AC Fafe 33 - 39 São Bernardo
São Mamede 21 - 32 FC Porto
 
Jornada marcada pela disciplina, nem um único jogo com relatório disciplinar, um princípio salutar e que nós saudamos. Um aspeto que gostaríamos que alguns clubes ponderassem quando efetuam as suas marcações de jogos são os horários, basta ver o número e espectadores nos encontros marcados para horas próximos do normal horário das refeições. Foi uma jornada de confirmação quase total dos resultados verificados na 1.ª volta, com a única a verificar-se no Municipal das Travessas, com a AD Sanjoanense a registar uma igualdade no seu jogo com o Ismai, não evitando mesmo assim uma saída dos últimos lugares da classificação da zona. No jogo disputado entre duas equipas minhotas, e que ocupam os primeiros lugares da zona o ABC venceu claramente o Xico Andebol, com o resultado ao intervalo a ser um claro indicado da superioridade da equipa bracarense, sendo este o encontro com menor assistência da jornada nesta zona. O FC Porto venceu como seria de esperar o São Mamede como visitante, num encontro de algum equilíbrio até aos 30 minutos. Em Santo Tirso assistiu-se ao “confronto” mais equilibrado da jornada com a equipa local a vencer o CA Leça pela margem mínima, depois de estar a perder ao intervalo por 16-13. A equipa da Maia o Águas Santas, venceu o FC Gaia por margem que não é o reflexo do equilíbrio do encontro, que registava ao intervalo um 13-11 a favor dos maiatos. Em Fafe no jogo que opunha a equipa local ao São Bernardo, e que em caso de vitória da equipa da casa poderia ser relançada luta pelo 3.º lugar de apuramento, assim o São Bernardo que teve em Fernando Marques a sua grande figura com 14 golos ainda se mantém na “luta” no mínimo pelo 3.º Lugar da zona e que dará acesso á Fase Final. Nesta zona estão completamente afastados de qualquer hipótese de apuramento, todas as equipas abaixo do 7.º lugar (Águas Santas) inclusive. Após esta jornada a classificação ficou assim ordenada: 1.º ABC (49 pontos), 2.º FC Porto (47 pontos), 3.º Xico Andebol (41 pontos), 4.º São Bernardo (39 pontos), 5.º Ismai e Santo Tirso (35 pontos),7.º Águas Santas (33 pontos), e 8.º FC Gaia (30 pontos).
 
Zona Sul
14.ª Jornada
Vitória FC 23 - 23 Juventude Lis
ADC Benavente 17 - 27 Benfica
Sporting 28 - 27 Belenenses
Passos Manuel 26 - 22 GS Loures
Alto Moinho 18 - 20 Boa Hora
 
Tal como na zona norte, também esta marcada zona foi por uma jornada sem casos disciplinares o que será sempre de saudar. Um encontro marcava esta jornada não só por ser um clássico do escalão, como pela influência que poderá vir a ter na classificação final e até no apuramento do 3.º Lugar para a Fase Final, estamos certamente a referirmo-nos ao Sporting / Belenenses, que terminou com a vitória do Sporting por apenas 1 golo, refletindo o equilíbrio que se registou ao longo de todo o encontro. Com este resultado o Sporting já garantiu na prática o seu apuramento para a Fase Final, enquanto a equipa do Belenenses está na discussão direta pelo 3.º apurado com o Passos Manuel que nesta jornada apanhou um susto em Loures, quando a equipa local vencia ao intervalo por 12-9, mas também ao Vitória FC e ao ADC Benavente que matematicamente ainda não estão completamente afastados.  Em Setúbal o Vitória FC ao ceder uma igualdade diante a Juventude Lis num jogo de grande equilíbrio, perdeu uma flagrante oportunidade de se aproximar mais da discussão pelo 3.º lugar, foi das poucas equipas que não confirmou o resultado obtido na 1.ª volta. Em Benavente o resultado final é um pouco enganador da realidade, pois os encarnados devem lembrar-se de que só as camisolas não ganham jogos, e por via disso encontravam-se a vencer pela diferença mínima ao intervalo (21-11), no entanto com esta vitória continuam a ser a única equipa que só contabiliza vitórias nos jogos disputados até ao momento nas duas zonas. O Boa Hora somou a sua segunda vitória na prova, sendo também uma das raras equipas que retificou o resultado conseguido na 1.ª volta, ao vencer o Alto do Moinho na condição de visitante, apesar de nos primeiros 30 minutos apenas ter concretizado 4 golos, encontrava-se a perder ao intervalo por 9-4. Neste encontro os 13 golos de Fábio Ferreira do Alto Moinho foram insuficientes para levar a sua equipa a vitória. Após esta jornada a classificação ficou assim ordenada: 1.º Benfica (42 pontos), 2.º Sporting (40 pontos), 3.º Passos Manuel (33 pontos), 4.º Belenenses (32 pontos), 5.º Vitória FC e ADC Benavente (27 pontos), 7.º Juventude Lis (24 pontos), 8.º Alto Moinho (21 pontos).
 
O Noticias

5 comentários:

Anónimo disse...

O jogo do Benavente VS Benfica, num contexto de uma campeonato de baixa competividade, sem grande histórias em campo. Neste jogo o Benfica acaba por ganhar, num domínio claro da zona. O espírito combativo do Benavente não chegou.

Basta ver este jogo. O Benfica que domina a zona Sul: alguns jogadores de qualidade, com outros, muito menos, mas ao gosto e visão dos principais responsáveis. Talvez quem está na bancada percebe mas é matéria só para os habituais especialistas.

Por andará o Andebol nacional nos próximos 10 anos ?



Anónimo disse...

Boa pergunta, anónimo de 11 de Fevereiro de 2014 às 18:49

Por onde andará o andebol nos próximos 10 anos?

Alguém se atreve a responder?

Anónimo disse...

O Sporting já está apurado e... se calhar vai levar os bólides e limpa a f f!
Será que outras equipas aproveitam bem os seus juniores? È que ouço falar que, os tais que, foram campeões no Sporting, estão "á rasca" para jogarem nos séniores! Já nem falo dos que vão saír no final de época que, dizem ser três! Apesar que, um até parece lesionado á muito tempo.

Anónimo disse...

No ultimo post sobre os Juniores alguém colocou aquele que para mim foi desde a muito tempo o comentário mais sabio e preciso sobre jogadores craques e promessas do andebol nacional.

Em homenagem ao seu autor transcreveo para que todos analisem e comentem.

"Irrelevante comentar jogadores e conjecturar com tom inadequado, porque o que verdadeiramente interessa é o valor real dos jovens atletas.

Leva a pensar...sem distracções, sobre o importante, a evolução dos jovens, opções dos clubes e o futuro da modalidade, onde muitos poucos atletas de formação alcançam o escalão maior, certamente por responsabilidade de outros. Sem espaço, convidados a evoluírem noutros clubes. Ficam pelo caminho.

"Vê-se jogadores com qualidade no banco, sem oportunidade e tempo de jogo, e outros com questionável visão de jogo e ainda sem sabem correr, serem projectos de treinadores."

Esta tudo dito e nada mais possoacrescentar.

Anónimo disse...

Muito se poderia comentar ou analisar. Para além da matéria de gestão mais técnico - desportiva, o assunto relaciona-se com o repensar estratégia e de alguma cultura de estar.

Com rigor, a retrospetiva comparativa do andebol nacional ao nível EHF ou IHF não é famosa. Por cá, sem dúvida, muita gente na formação procura dar o seu melhor, de forma incondicional e sabem o verdadeiro sentido da missão de formar jovens para a competição, embora com os constrangimentos conhecidos da realidade portuguesa e com 5 ou 6 clubes na disputa.

Em regra, os jovens que escolhem o Andebol abraçam forte a modalidade. Quando ambicionam mais, procuram evoluir e crescer. É claro, quando a idade e a consciência já lhes permite, no campo e fora dele, questionam os saberes absolutos, a sensação de injustiça, explicações duvidosas e os maus exemplos. Quem pensar o contrário engana-se.

Espera-se que os treinadores, principalmente os mais jovens, nova geração, muitos ex. jogadores…., ajudem nos clubes a construir o futuro do Andebol em Portugal, que reforcem os conhecimentos técnicos e formativos e aproveitem outros horizontes. O foco da formação é a pessoa e o jogador, transmita-se sempre bons exemplo aos atletas, motive-se, mostre-se trabalho, visão, ponderação, humildade, equidade e respeito.

As vedetas do momento e as revelações, depois.

Competir o máximo.

Formar e depois vencer.