gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

PO09 – Entrevistas a Técnicos - I

Aqui vai a primeira entrevista com as respostas do treinador do Alavarium

"Somos candidatos ao título mas nesta altura, com 6 das nossas 7 internacionais de fora, há 4 equipas mais fortes do que nós"
O Banhadas inaugura hoje o espaço de entrevistas aos treinadores da PO9. Às Quintas-feiras publicaremos estas entrevistas. Começaremos com a entrevista ao campeão nacional e iremos continuar a publicar as restantes por ordem de chegada das entrevistas que enviámos. Na próxima semana, o entrevistado será Marco Santos, treinador do JAC- Alcanena. 
 
Críticos Femininos: Qual o balanço que faz da prestação da sua equipa até ao momento?
 
Ulisses Pereira: Estamos um pouco abaixo das expectativas, fruto de alguns jogos menos conseguidos e de uma onda de lesões devastadora. Se vos disser que, das 7 internacionais A que tínhamos no início da época, nesta altura temos apenas 1 disponível, isto diz bem da razia que temos sofrido em termos de lesões (além da saída da Cláudia). Por mais completo que seja o nosso plantel, estas 6 ausências de jogadoras que há de melhor no nosso país criam-nos muitos problemas e o objetivo é tentar recuperar a maior parte delas para os playoffs para podermos voltar a ser competitivos.
 
Críticos: Quem são para si os principais candidatos ao título?
 
Ulisses: Madeira Sad e Colégio João de Barros estão numa primeira linha. O Colégio João de Barros reforçou-se muito bem e tem o plantel mais consistente do campeonato. O Madeira Sad, além da experiência, tem Isabel Góis que é provavelmente a jogadora mais decisiva do campeonato. A seguir, na candidatura ao título, vem o Colégio de Gaia e o JAC. O Colégio de Gaia com um plantel fortíssimo esta época com inúmeras soluções para todos os postos específicos. O JAC não tem um plantel tão completo mas tem um 7 que joga de olhos quase fechados e tem Patrícia Rodrigues. Finalmente, aparecemos nós. Começámos o campeonato como principal candidato ao título mas não tenho problemas em admitir que, com 6 das nossas 7 internacionais A de fora, há 4 equipas mais fortes do que nós. Mas, tal como o ano passado que ninguém acreditava em nós, vamos tentar puxar pela fantástica alma das nossas jogadoras, para tentarmos surpreender de novo.
 
Críticos: Quem é, até ao momento, a melhor jogadora do campeonato e a jogadora revelação?
 
Ulisses: Patrícia Rodrigues tem sido a melhor jogadora e Diana Oliveira a revelação.
 
Críticos: Qual o pavilhão mais difícil de jogar?
 
Ulisses: O nosso? :) Digo-o sem puxar a brasa à nossa sardinha. Todos sabem o ambiente que costuma estar no nosso pavilhão. Essa foi uma das nossas vitórias nos últimos 5 anos. Provar que o andebol feminino pode ter pavilhões cheios, entusiasmo e que Aveiro é uma terra do andebol. Mas, não fugindo à vossa pergunta: Na Madeira é muito difícil de jogar, pelas condições climatéricas. Na Maia o público também costuma ser muito e criar um ambiente difícil.
 
Críticos: São conhecidas as propostas que clubes estrangeiros fizeram a Mariana Lopes, Mónica Soares e Soraia Fernandes. Está preparado para as perder?
 
Ulisses: Não estou preparado para as perder pois acho que são pessoas bastante inteligentes para concluírem primeiro os seus cursos universitários, antes de se aventurarem no estrangeiro. Sair para o estrangeiro sem um curso na mão, é garantia de tempos difíceis quando o andebol terminar. Mas acredito que será uma questão de tempo até acontecer (provavelmente, a conclusão dos seus cursos), dada a enorme qualidade de ambas as atletas. A Mariana e a Mónica são, na minha opinião, a par da Sandra Santiago, as jogadoras a atuar em Portugal com mais capacidade para singrar no estrangeiro, enquanto a Soraia se continuar a evoluir da forma fantástica como tem vindo a fazer, terá também todas as capacidades para isso. Além disso, o Alavarium é uma ótima montra e não é por acaso que essas jogadoras tiveram essas propostas e a Cláudia já voou até à Grécia.
 
Críticos: Tem sido muito falada a intervenção de um empresário português nessas transferências para o estrangeiro. Uma vez que a Cláudia saiu a meio da época, esse empresário contactou o Alavarium para autorizar a transferência?
 
Ulisses: Não. Não fomos contactados por ninguém, o que estranhamos? Muito se tem falado sobre a legalidade ou não desse empresário, mas nós não quisemos complicar a vida da Cláudia que foi uma jogadora exemplar na forma como representou o Alavarium enquanto cá esteve, de alma e coração. Mas no futuro apresentaremos queixa junto das instâncias competentes se forem abordadas jogadoras nossas com contrato sem sequer nos contactarem. Acho que, além dos limites da legalidade, se estão a ultrapassar os limites da ética. Há regras para se cumprir e pessoas a ganhar dinheiro sem respeitarem os regulamentos?
 
Críticos: Não é estranho que, para colmatar a saída da Cláudia Correia, o campeão nacional tenha ido buscar Ana Moreira, uma jogadora da segunda divisão?
 
Ulisses: Se tivesse sido apenas a saída da Cláudia, não teríamos ido buscar ninguém a meio da época. O problema são as outras 7 lesionadas? Para mim, não há jogadoras de primeira e segunda. Estou sempre muito atento à segunda divisão e costumo ver jogos com regularidade. Não é por acaso que fomos buscar jogadoras no passado a clubes da 2ª divisão e são agora peças chave na nossa equipa como foi o caso da Diana Roque, Viviana Rebelo. Para quem gosta de trabalhar, o Alavarium é o clube perfeito para evoluir e chegar a elevados patamares de qualidade. A Elisa é uma jogadora que tem, como óbice, a sua baixa estatura, mas tem uma capacidade de deslocamento, visão de jogo e uma raça bem ao estilo do Alavarium e tenho a certeza que será uma agradável surpresa e vai provar toda a sua qualidade.
 
Críticos: O sistema defensivo individual que o Alavarium apresentou a época passada foi decisivo para a conquista do título nacional. Acha que esta época as equipas já encontraram o antídoto para este sistema, tornando-o menos eficiente?
 
Ulisses: Acho que o fator surpresa criado o ano passado já perdeu eficácia. Penso que, a nível sénior (masculino ou feminino) em Portugal, somos a única equipa a utilizar um sistema deste género. É natural que este sistema se tenha tornado menos decisivo do que na época passada pois as equipas preparam-se e vão percebendo as vulnerabilidades do sistema. Por isso, continuamos a utilizá-lo, mas com menos frequência do que na época passada.
 
Críticos: Qual a classificação final que lhe permitiria ficar contente?
 
Ulisses: Mesmo sabendo que há outras equipas em melhores condições que nós para serem campeãs, como o nosso objetivo era a revalidação do título, tudo o que não for o primeiro lugar não nos vai deixar contentes. O ano passado fomos o plantel mais jovem, na última década do andebol feminino português, a sagrarmo-nos campeões. Por isso, continuamos a treinar, para evoluirmos. É a entrega destas jogadoras que não faltam a treinos, que se entregam de alma e coração ao andebol que me continua a motivar dia após dia. É um enorme prazer treinar estas jogadoras.
 
Críticos Femininos

25 comentários:

Anónimo disse...

Se há coisa que eu gosto no Ulisses é que não tem medo de dizer o que pensa e de fazer o que quer. A defesa homem a homem o ano passado foi a prova das suas "big balls" e não tem problemas em reconhecer que este ano já não tem resultado tão bem.

As lesões fazem parte da vida de uma equipa por isso há que arranjar mais formas criativas para dar a volta à situação.

Gostei da frontalidade e colocando o dedo na ferida em alguns assuntos melindrosos...

Anónimo disse...

Ele que não se queixe de lesões porque a Cláudia não estava lesionada e deixou-a sair. Não defendeu os interesses do clube.

E muitas das vitórias em Aveiro são mesmo por causa daquela cambada de fanáticos.

Apesar disto tudo, não lhe tiro o mérito por ter conseguido construir uma equipa campeã e por ter organizado o clube de forma a o ano passado ter estado presente em todas as fases finais de todos os escalões.

Anónimo disse...

Também acho que nesta altura com aquela gente toda no estaleiro, o Alavarium não é superior ao Jac nem ao Colégio. Nem ao Maia é provavelmente. O problema é que não sei lá o que o Ulisses lhes dá mas correm para caraças e parece que jogam sempre com confiança. E por isso, mesmo com lesões, não vai ser fácil ganhar-lhes.

Mas este ano o título é para a Sad ou para o João de Barros.

Jorge Almeida disse...

Fora de tópico:

Lista de transmissões de jogos de Andebol na TV, Internet e Rádio previstas entre 21 e 23 de Fevereiro de 2014:

http://andeboltv.blogspot.pt/2014/02/lista-de-transmissoes-entre-17-e-23.html

Anónimo disse...

entrevista do treinador campeão em Titulo do Alavarium Ulisses Pereira.
COMENTÁRIOS:
Tenho estado atento aos novos treinadores do nosso Andebol e felizmente que surgem com naturalidade novos e reforçados treinadores a nível do conhecimento que é ser Treinador no andebol, desporto coletivo jogando de forma clara e exata isto é Ataque contra Defesa e desenvolvendo a Transição rápida ou lenta para a zona do jogo.
O Andebol tal com outros desportos(Futebol) não tem meio de campo onde se constrói o jogo! mas sim numa zona especifica de duelos 1X1 e 2X2 e passando para a fase da táctica de Grupo e por fim táctica coletiva em "igualdade", "superioridade" e "inferioridade".
A origem do Andebol deriva do Futebol, passando pelo andebol de 11 e posteriormente os nórdicos adotaram o Andebol de 7 em espaços físicos cobertos, recordo que os Romenos, Checos, jugoslavos zona balcânica jogavam o andebol ao ar livre e só muito mais tarde entram para os espaços cobertos pela valorizar o processo de treino e valorização da competição.
O Caro Ulisses Pereira fez, faz, ou não fará um trabalho brilhante se as condições locais e apoios do poder local e desportivo e publicidade de empresas e Marcas não continuar a apoiar e tornar a equipa mais profissional e mais liberta do estilo equipa dos "amigos oi amigas do Andebol", a vitoria merecida do titulo na +época passada deve-se ao oportunismo do Clube Alavarium e seus dirigentes e treinador e a uma crise geral e continuada do Andebol da Madeira que dominava há anos (profissionalismo) o panorama do andebol feminino.
Admiro a forma aberta como fala dos problemas do Clube e suas soluções e o futuro e as tacticas "estranhas" como ganhou o titulo usando uma estratégia surpresa da "Defesa Individual" ou seja o HXH !.O andebol tem a sua historia, a sua lógica e construção do jogo e os objectivos de sempre ganhar se possível utilizando as tacticas que contribuam para a vitória da equipa e sejam favoráveis a crescimento das atletas..
Quanto ao HXH uma exceção em toda os campeonatos da Europa, não há regra sem excepção! recordo que 40% do tempo útil de jogo se joga em inferioridade e superioridade numérica e aplicação de tal estratégia só se pode fazer em igualdade e superioridade numérica, mas nunca será u sistema. recordo que o sistema base do andebol é 1X6X0 e o ataque 1X3X3 e não como vejo muito preletor da nossa praça a falar que o inicio de tudo é começar pelo HXH!!!!!!
recordo que quem não domina a logica do jogo vai para os sistemas individuais porque é mais fácil por em pratica, os sistema s colectivos são muito mais complexos, e quem não sabe entender e trabalhar a preparação atlética dos andebolistas com bola, vai para a pista e diz que tem que ser assim....
As lesões graves no andebol feminino são uma boa razão para fazer a nível da Federação e Treinadores do Feminino um seminário para abordar este tema grave de paragens de atletas por meses! Temos grandes especialistas portugueses nesta área nas especialidades do treino, fisiologistas, fisioterapeutas e PT, e recordar que o BRASIL é campeão do mundo em andebol de praia e de 7 no feminino e preparem-se para boas noticias no Masculino e gente que sempre se disponibilizou para vir dizer cá, o que fazem, com o fazem e porque são dos melhores do mundo.
Abraço ao meu caro Ulisses e continua com o teu lado magico e vicio do jogo, treino, andebol e feminino. O futuro passa mais por ai, do que pelo Masculino, historia antiga das minhas reflexões… o que sempre tem falhado no nosso andebol , não foi dentro do campo, mas sim na retaguarda da organização da Modalidade, quer a nível Federado, quer associativo e comunicação social, dentro do campo temos excelentes praticantes, bons árbitros e Treinadores na primeira linha, mas falta a muitos estrutura a LOGICA DO JOGO , SER JOGADOR, SER GANHADOR!
ADC

Anónimo disse...

Agora, que o banhadas, apresenta uma entrevista corajosa, os detratores do ostume fecham na sua concha e nada dizem e depois criticam-se uns aos outros nos bastidores, parabens Ulisses não só pelo que fizeste, mas pelas corajosas e honestas respostas, estou em pulgas para ver os outros.

Anónimo disse...

"Na Madeira é muito difícil de jogar, pelas condições climatéricas"

Hum... Na Madeira deve-se jogar outra modalidade sem ser andebol de pavilhão.

Anónimo disse...

Entrevista muito corajosa do Ulisses Pereira! Também quero ver as dos outros treinadores.

Marco Santos, pelos vistos, também respondeu e não costuma ser de meias palavras também.

Mas acredito que a maioria não responda. É fácil dizer-se que o andebol feminino tem pouca exposição mas na hora de contribuir para isso, muitos fogem ...

Vamos ver no final desta série de entrevistas quantos responderam. Eu acredito que para aí metade apenas...

Anónimo disse...

os meus parabens a lucida analise do ADC

Anónimo disse...

relembro hoje a primeira vez que usaste esse sistema defensivo, com pessimas consequencias para a tua equipa. corrigiste a tempo.

Interrogações disse...

Off Topic...

Já tanto se falou do jogo... ADA Maia ISMAI x Águas Santas Milaneza da Andebol1... Sem agentes de autoridade e sem responsável de Segurança no jogo...

No Regulamento Geral da FAP no seu Título 10 - Regulamento Especial da Segurança nos Jogos, diz-nos no ponto...

"2.4. PROCEDIMENTO DE EQUIPAS DE ARBITRAGEM
2.4.1. A equipa de arbitragem realizará os jogos ou com a presença de autoridade policial ou
mediante a apresentação de um responsável de segurança nos termos do ponto anterior.
2.4.2. No caso de nenhuma das condições anteriores ser cumprida a equipa de arbitragem
preencherá o boletim de jogo participando a ocorrência e não se realizando o jogo."

Depois lemos o Registo Disciplinar CO Nº.30... que dá um castigo baseado no artigo 2.5.4.C que diz: "Suspensão temporária ou definitiva de classificação de "clube responsável do policiamento" que pode ir de 1 semana a 1 ano;" Mas afinal qual o castigo?? Mas é para a Andebol 1 ou para todos os escalões do Clube?! Este castigo não poderia ser mais omisso do que isto... Sejamos claros meus senhores advogados...

E para os agentes que permitiram que houvesse jogo desrespeitando o Regulamento Geral da FAP, quais as Sanções? Delegado? Árbitros? Todos foram coniventes?! Ou será que existia Responsável de Segurança?! Haveria folha? Ou será que já foi feita à pressão?!

Será que não existiria matéria para ser atribuída Falta de Comparência!?! Meus senhores não foi cumprido o estipulado no Título 10 como acabei de citar e agora?!

Mais uma bota para ser descalçada? Ou será que o CA também irá encobrir conjuntamente com o CD e a Direção mais uma marosca?!

Não podemos continuar a compatuar com ilegalidades sucessivas e atropelos às regras da modalidade.

Anónimo disse...

O Marco só é bom é para se vangloriar. Quando ganha o mérito é só dele. Quando perde, a culpa é dos árbitros, a culpa é das atletas que não treinam, a culpa é de todos menos dele. Basta assistir a um jogo dele para se perceber o tipo de pessoa que é. Incentivar as miúdas tá quieto, mas quando é para as criticar aí é que não tá com meias palavras.

Gostei da iniciativa do banhadas e espero que continue a meter o "dedo na ferida".

Anónimo disse...

A sério que o Gaia levou 2 multas por atraso no jogo, no mesmo jogo? Que palhaçada.

Anónimo disse...

Anónimo de 21 de Fevereiro de 2014 às 22:15

São duas infracções. Não é relevante se forem no mesmo jogo.
Não seria sensato que os responsáveis do Gaia tivessem em conta a situação e a evitassem?

A decisão está correcta.

Anónimo disse...

Só um idiota frustrado e com dor de cotovelo é que vem para o espaço dedicado ao Ulisses criticar o Marco do jac que vem feito coisas incríveis por esse clube. Há gente tão doente

Anónimo disse...

O espaço é do Ulisses mas já que falaram no Marco aproveitei para dar a também minha opinião. Não estou contra o trabalho dele, apenas estou contra a maneira dele ser, enquanto pessoa. Como treinador nada tenho a apontar, mas espero pela entrevista.

Anónimo disse...

Li com alguma atenção a entrevista e surpreende-me, vindo do Ulisses a justificação constante das 6 ou 7 lesionadas.
Infelizmente como ele sabe os outros clubes sofrem do mesmo e algumas como é por exemplo o caso da Assomada, tem 7 atletas a trabalhar e é muito complicado por vezes conseguirem ir aos jogos, quanto mais treinar.
A Viviana foi quase sempre uma jogadora de 1º divisão.

Algumas perguntas ficaram por fazer, como por exemplo, como explica a quantidade absurda de arbitros da Ass. de Aveiro a arbitrar constantemente os jogos do Alavarium?
Ou outra ainda, como explica que os adversários diretos do AlAvarium em jogos complicados também tenham arbitragens da Ass. Aveiro?
os próximos 2 jogos têm mais 2 arbitragens (os mesmos de sempre) da Ass. Aveiro. E o Jac-Joao Barros, mais uma arbitragem da Ass. Aveiro?

Agora pergunto eu, se não fossem segurando o Alavarium esta época, estaria na posição que está ou estaria novamente a lutar pelo 8º lugar?

Anónimo disse...

O Ismai não fez nada que o S. Bernardo não tenha feito no jogo da taça de seniores femininos: contra todas as regras e com o benepláctito do CD. o que é grave é o conselho de disciplina, que deviam se várias pessoas, mas é só uma e parece que faz as sanções quando vai ao wc: das duas uma: ou desconhece o regulamento disciplinar ou tem muitos amigos por aí espalhados.

Anónimo disse...

Se calhar a associação de Aveiro SÓ é a associação com mais árbitros a nível nacional. árbitros de nível 3 e 4 inclusivé!

Anónimo disse...

EPOCA 2013/2014

FASE FINAL
GRUPO “A”
SPORTIN 31
PORTO 30
BENFICA 30
ABC 27
AGUAS SANTAS 27
SP. HORTA 20

Pela primeira vez o Sporting assumiu o primeiro lugar da Fase Regular e nunca a diferença mínima entre os vários candidatos foi tão competitiva e parece que vai tudo começar de novo com exceção para o Sp. da Horta (20), AS RESTANTES 5 EQUIPAS PODEM ASPIRAR AO TITULO NACIONAL.

Conclusão:
1-As equipas estão melhores e mais bem treinadas no processo treino e competição, mais regulares nas exibições e resultados (os resultados internacionais assim permitem concluir dos 4 participantes nas ligas europeias, Porto, Aguas Santas, Benfica e Sporting) e a expectativa vai ser enorme a nível dos responsáveis das equipas, Treinadores, Atletas, Publico e comunicação social e que se verifique marcação de jogos adequadamente e não simultaneidade entre clubes da mesma Cidade ou periféricas, ou ainda a colidir com o calendário internacional e nacional do Futebol(fazer uma boa propaganda da modalidade de forma objetiva e não cometer erros de marcação de jogos).

2-Perante este equilíbrio na competição tudo levava a querer que para o ano o “MODELO DE CAMPEONATO “ se manteria com pequenos ajustes e não levar para um PLAY-OFF ? negativo perdendo a regularidade da competição e o Vencedor não é o mais conquistas pontos mas o que teve mais sorte e sabe-se lá com arbitragens desajustadas?

3-Há que refletir e a mudar-se o modelo ou ajuste do campeonato deve ser uma discussão aberta entre Clubes e Federação e não um “Esperto” do bastidor a ditar leis e normas e ele é que sabe!

PROPOSTA:
ÉPOCA 2014/15/16
AJUSTE AO MODELO DE CAMPEONATO:

A-Manter o modelo de campeonato para a época 2014/15 e mantendo-se o quadro olímpico ou seja até 2016 (Rio16)

B-O numero de clubes integrantes na grupo “a” deveria passar para 8 e não sei devido aos elevados prejuízos de 2 ou mais equipas excluídos com oeste ano e serem Clubes de Referencia na modalidade(Madeira SAD e Belenenses).Com mais 4 jogos poder-se-ia pensar em fazer jogos a meia da semana e fim de semana. Deste modo o calendário não sofria com os problemas das datas?

C-O grupo “B” com 4 clubes pela luta da manutenção:

2 Hipóteses:

1-4 Poules a disputar em casa de cada equipa todos contra todos e a sequência é o mérito desportivo da classificação.

2-Os 4 clubes faziam uma fase final com os 2 primeiros da zona norte e zona sul, 8 no total e os 2 primeiros subiam á P01.
D-O modelo de campeonato Fase regular e PLAY OFF só a títulos excecional e quando se verifica uma enorme diferença de capacidade entre duas equipas e as restantes, que não se tem verificado e este ano a distancia é mínima. Não vamos estragar o mérito e esforço dos Clubes em manter o andebol competitivo com todas as vantagens para o crescimento dos Atletas e resultados internacionais a nível de Clubes como é evidente e das seleções Nacionais.

ARBITRAGENS:
Temos duplas de bom nível técnico e disciplinar algumas delas internacionais e na FASE FINAL devem estar disponíveis para arbitrar os quase todos os jogos de grau de dificuldade elevado e não andarem por Torneios internacionais ou dispensados pelo CA para fazerem experiencias com duplas jovens? ou metendo férias. “NÃO HÁ BONS JGOSO SEM UMA BOA ARBITRAGEM, Domingos Barcenas ”
Cumprimentos.
(ADC)

Interrogações disse...

Se AA Aveiro tem muitas duplas de Nível 3 e 4... AA Braga também as tem. Única que não se pode queixar é a AA Porto... Essa não tem nenhuma... Tinha mas pelos vistos deixou de ter...

Nível 4: AA Madeira - 2; AA Braga - 3; AA Leiria - 2; AA Lisboa - 2; AA Aveiro - 4.

Nível 3: AA Leiria - 1; AA Santa Maria (Açores) - 1; AA Porto/Aveiro - 2; AA Lisboa - 1; AA Portalegre - 2; AA Aveiro - 1; AA Madeira - 1; AA Braga - 3; AA Coimbra/Lisboa - 1.

Totalizando assim:
AA Braga - 6; AA Aveiro - 5 + 2 AA Aveiro/AA Porto; AA Madeira - 3; AA Leiria - 3; AA Lisboa - 3 + 1 AA Lisboa/AA Coimbra; AA Portalegre - 2; AA Santa Maria (Açores) - 1.

Há dúvidas onde existem mais duplas de Nível 3 e 4? Será que será mesmo Aveiro... Sinceramente não me parece. Quando se fala deve-se saber o que se diz... De Nível 4 ainda sou forçado a concordar mas dos 2 níveis não... Mas sinceramente até duplas de Nível 2 já arbitraram JOGOS... Qualquer dia até duplas de Nível 1 vão fazer... Já faltou mais.. Porque até uma dupla de Nível 2 já vai com 6 jogos da Andebol 9... A dupla que tem mais jogos vai com 10... Por isso imaginem...

Mas relativamente ao Alavarium como falam... Dos seus 20 Jogos... Metade foi arbitrado por árbitros da AA Aveiro e apenas 4 por duplas da AA Braga e só 2 em casa...

Mas sinceramente muito MAIS gritante passa-se na Juve Mar... Que em 10 Jogos em casa... 8 Jogos mais 1/2 arbitrado por árbitros da AA Braga, a outra metade é do Porto e só 1 arbitrado por dupla da AA Porto/AA Aveiro... E nos jogos fora arbitrados por duplas de Aveiro, em 5 e 1/2... Em 10 Jogos? Nada parece mesmo estranho? Só mesmo a mim?

O CJB em 8 Jogos em casa... 7 arbitrados por duplas da AA Leiria... 3 pelos Martins/Martins... Normalíssimo?

Que a SAD e CSM estejam cativos do Aveiro/Fernandes e do Francisco/Gonçalves... Até vai dando para perceber... Constrangimentos económicos para o feminino... Porque o CSM Masculino... Já não poderá dizer o mesmo..

O CVT em 10 jogos em casa teve 5 duplas da AA Algarve (3x Santos/Cardoso)... 4 da AA Lisboa e 1 de Portalegre... Nem aqui existe tanto caseirismo associativo...

Basta ver o que há e o que espera...

Deixo a leitura da equipa do JAC para quando sair entrevista do seu treinador Marco Santos, um grande crítico dos árbitros e profundo conhecedor do CD da FAP... Sobretudo quando miraculosamente os relatórios dos árbitros não dão em castigos...

De quem é a culpa? É dos árbitros?!... Só se forem por serem quase sempre duplas da AA Leiria... (5 em 9... em casa) Mas se são assim tão ruins.. Porque disputam os Campeonatos Regionais / Pré Nacionais (Provas Não Fixas) conjuntamente com essa AA? Deve ser para garantir SEMPRE os apuramentos!

Interrogações disse...

Já agora o TOTAL de Duplas a Nível Nacional é superior na AA Braga sobretudo com a última realização dos cursos Intensivos / À Pressão que foram elaborados por este CA.

Daqui a pouco teremos TODOS os árbitros a serem NACIONAIS estes querendo ou não.

Não terão direito de escolha... Porque sinceramente quantidade em nada é sinónimo de qualidade. E francamente quer para UMA ou OUTRA... Ou se pára no Nível 4 e 3... Mas mesmo aí alguns dão dó...

Sinceramente os clubes deveriam propor a cessação da atividade da arbitragem por tempo indeterminado e repensar estratégias de formação de árbitros. Era mais vantajoso, neste momento, com este contexto sócio-económico que se fizesse como no Desporto Escolar... em que cada uma das equipas se faz acompanhar de 1 árbitro! Realmente se calhar o Andebol e Arbitragem por consequência seriam certamente mais credíveis do que os critérios informáticos das nomeações que são usadas atualmente...

Nem todos têm os mesmos direitos... Vêem autênticas aberrações de nomeações e de nomeados... Se a 1ª Divisão de Andebol Feminino em Portugal, por muito fraca que seja, o seu quadro competitivo desajustado, acho, na minha humilde opinião que merecia um respeito, no mínimo semelhante ao que é dado à Andebol1... Porque vá-se lá entender que com 14 duplas e 1/2 dupla que existia no início da época, para duplas de Nível 4... e com as autorizações especiais que estendia a 16 duplas e 1/2... Isto não chegava também para ter estas duplas a arbitrarem na Andebol9? 12 Jogos para 16? Vá-se lá entender porque teremos de ter duplas de Nível 2 a arbitrarem jogos... Deve ser para privilegiar clubes da Andebol2 em detrimento da Andebol9... Triste triste...

Totalizados 120 Jogos pouco mais de metade foram arbitrados pelas duplas acima referidas... (46 duplas fora desse âmbito + 4 duplas arranjadas à pressão...)

Será que isto não dá mesmo para pensar nas prioridades? Agora que vêm aí os Playoffs e Playouts...
Veremos... Sempre atentos... Estaremos!

Anónimo disse...

O Sr. Interrogações devia era de questionar porque é que as próprias equipas que deveriam de competir na AA Santarém estão a competir na AA Leiria... É que sinceramente, até acho as equipas da AAL um pouco mais competitivas que as da AAS. Ah e esqueceu-se de analisar a restante metade da PO09. E mais importante, até se esqueceu de referir que vieram árbitros das Ilhas do Faial e de S. Maria apitar um jogo do JAC (Assomada - JAC 7ª Jornada), que o jogo Assomada - SAD só teve um árbitro e que veio uma dupla da madeira apitar o Maia - Assomada.
Mas sinceramente você já me parece o treinador do JAC, só fala em árbitros e em favoritismos...

Anónimo disse...

com tanta informação e ninguém a fazer nada, continua e carrega Ulisses, que eles falam todos e ninguém se entende,tu deves ser o unico que falas a mesma lingua que eles e enquanto te perceberem, aproveita

Anónimo disse...

O Colégio de Gaia é sistematicamente apitado por duplas do Porto. Disso ninguém fala?

Vergonha, Colégio de Gaia sempre levado ao colo.