gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

quarta-feira, 26 de março de 2014

Europeu 2014 – Seniores Femininos - VI

Portugal regressou á competição a disputa de uma nova jornada (3.ª) do Grupo 3 de apuramento para a Fase Final do Euro 2014 que vai decorrer de 7 a 21 de Dezembro na Croácia e Hungria em organização conjunta. Com a disputa do jogo com a equipa da Polónia apenas o 4.º Classificado Mundial
O encontro que contou com o patrocinio da Câmara Municipal da Maia, e que se enquadra no programa Maia Capital Europeia do Desporto 2014, foi disputado no Pavilhão Municipal da Maia, às 21H00.
 
Como já não fosse motivo suficiente para insatisfação a realização á mesma hora de encontro de futebol com transmissão em directo, como para completar o “ramalhete a própria Federação transmitiu á mesma hora na Andebol TV, outro jogo de andebol, o dérbi lisboeta da Fase Final. Terminamos com uma forte crítica aos critérios jornalísticos de alguns OCS escrito, havendo até quem nem uma palavra sobre este jogo fale no dia da sua realização. É triste mas é uma grande verdade, este ostracismo a que parece quererem para a modalidade.
 
A qualidade da transmissão da Bola TV durou cerca de 5 minutos, até que teve de ser interrompida, simplesmente deplorável. 
 
Uma nota, apenas para perguntar, por que motivo não foram divulgadas as 18 atletas que fizeram o estágio final antes do jogo?
 
3.º JOGO, 3.ª DERROTA DE PORTUGAL AGORA FRENTE Á POLONIA 
Num Pavilhão que tinha mais público do que aquele que se poderia esperar, defrontaram-se duas equipas cujo potencial andebolisticio esta muito distante um do outro, de um lado uam equipa que procura encontrar-se á já algum tempo, mas ainda não passou dos primeiros passos, do outro lado uma equipa cujo trabalho de base está devidamente comprovado e provado, nas diversas competições internacionais onde participa e nos resultados que obtêm. Se o possível apuramento já era de grande dificuldade, depois desta derrota, na nossa opinião será impossível. O que se poderá dizer de uma equipa que sofre uma desqualificação direta, tendo no total 6 (seis) exclusões (Portugal), contra uma equipa que apenas sofreu duas advertências e uma exclusão (Polónia), que dizer de uma equipa que sofreu 6 golos em 8 possiveis de Livre de 7 metros, e que apenas marcou 2 em 3 possiveis (Portugal. Que dizer de uma equipa onde a atleta com mais experiencia (Ana Seabra), teve uma eficiência de remate de 17%, e onde a atleta com rendimento mais positivo foi a Maria Pereira com 6 golos. Que dizer de uma equipa que 9 minutos sem marcar dos 11 (5-4) aos 20 (5-8), para logo de seguida estar mais 9 minutos sem marcar dos 21 (6-8) aos 30 (7-11), resultado que se verificava ao intervalo, no segundo período de jogo com as polacas aa celararem o ritmo de jogo, chegaram a ter 9 (nove) golos de vantagem cerca dos 48 minutos quando venciam por (21-12), sendo que Portugal teve então um período de reação e fez um parcial de 4/0 que conseguiu atenar as diferenças existentes, chegando aos 21-16 quando se registavam 52 minutos de jogo, mas acabou aqui a reação Nacional. Que os responsáveis tirem as ilações necessárias é a esperaça dos adeptos da modalidade em especial dos femininos
 
Recordamos que o Grupo 3 é constituído: Montenegro, República Checa, Polónia e Portugal (Sendo apuradas duas equipas), e que Portugal. “Apenas” foi incorporado no Grupo, que engloba o último Campeão Europeu (Montenegro) e o 12.º Classificado na mesma prova (República Checa), e ainda o 4.º Classificado último Mundial (Polónia). 
 
Resultados do Grupo:
 
1ª Jornada
Montenegro 2521 Polónia
Rep. Checa 35 – 20 Portugal

2ª Jornada
Portugal 24 29 Montenegro
Polónia 1922 Rep. Checa

3ª Jornada
Rep. Checa 23 – 24 Montenegro
Portugal 17 24 Polónia

Calendário do Grupo:

4ª Jornada
Dia 30-03-14
Montenegro - Rep. Checa (16H00)
Polónia – Portugal (17H30)

5ª Jornada
Dia 11/12-06-14
Polónia - Montenegro
Portugal - Rep. Checa

6ª Jornada
Dia 14/15-06-14
Montenegro - Portugal
Rep. Checa - Polónia

A toda comitiva portuguesa, reforçamos os nossos desejamos boa sorte na sua deslocação á Polónia.
 
Banhadas Andebol

4 comentários:

Anónimo disse...

Epa a Mónica Soares e a Rita Alves deram realmente um contributo excelente, para convocarmos 1ªlinha que nem joga ,e quando jogam borram-se todas opá..
A Claudia Correia que está na Grécia a cilindrar todas as equipas contra quem joga não podia vir ? mas a Telma que veio passear, porque jogar está quieto, o lugar esta entregue a Renata, já pode vir ..
Sabino não pode jogar mais tempo ?
É num jogo destes que devemos dar prémios como o que demos a miuda guarda redes a Jéssica ?? Porque não começamos com a nossa miuda mais experiente ??

Enfim, assim ( não ) vai o andebol feminino em portugal .

Anónimo disse...

Vi o jogo as polocas soa muito melhores e recordei os tempos do "Passos Manuel 1976/80" com o sistema suicida H/H e neste Caso defesa Individual para as polacas que jogaram a meio gaz foi chixa!
Continuamso a nao jogar com as nossas melhores jogadorasm umas não querem vir, outras não sao convocadas, mas as da "corte" não faltam...
Adelaide

Anónimo disse...


Análise da convocatória da Selecção A

Como é habitual, analisamos a convocatória do seleccionador nacional, João Florêncio. 23 foram as convocadas, numa lista alargada e já explicada pelo nosso seleccionador.

Na baliza, Diana Roque é a novidade. A guarda-redes do Alavarium que tem realizado uma época intermitente voltou às opções de João Florêncio.
Ludmila Soares também é outra guarda-redes que tem estado em destaque e merecia estar nesta selecção. A convocatória de Jéssica Ferreira continua a ser para nós, um reconhecimento do potencial que a guarda-redes madeirense tem, contudo esta época não tem sido regular, daí ser discutível a sua chamada.
Jéssica Ferreira tem um potencial tremendo, mas continuo a dizer, a convocatória deve ser com base no momento actual.
Na ponta esquerda, saúda-se a tardia chamada de Ana Marques, porque há muito merecia estar neste lote. Cláudia Aguiar e Sara Gonçalves são duas jogadoras de eleição e são do núcleo duro da selecção.
Na Ponta direita, Patrícia Rodrigues, na nossa opinião, a melhor jogadora do campeonato até ao momento, tem a companhia de Ana Silva e Catarina Ascensão. Ana Silva, atravessa um período de menor fulgor, contudo é uma jogadora sempre muito útil em qualquer equipa.
Catarina Ascensão, encontra-se a subir de rendimento no Guardés e João Florêncio não hesitou em chamar a jogadora madeirense. Diana Oliveira é uma grande novidade, mas é um prémio justo, dada a grande temporada que se encontra a realizar.
Na posição de central, penso que João Florêncio vai voltar a adaptar Rita Alves a esta posição, com Ana Seabra e Ana Gante como outras opções.. Ana Gante é provavelmente a jogadora em Portugal que mais cresceu em relação à época transacta.
Nas laterais, João Florêncio vai ter que adaptar algumas das jogadoras à direita, porque com a ausência de Dulce Pina, assim terá que ser. Mariana Lopes ou Mónica Soares são as atletas que pelas características que possuem, mais condições tem para desempenhar esta função.
Na posição de pivot, a convocatória de cinco jogadoras para esta posição, surpreende um pouco, mas se tivermos a noção que Telma Amado vai chegar já com o estágio em andamento, talvez se justifique.
Presumo que a convocatória de Bebiana Sabino seja essencialmente para dar mais coesão defensiva, porque juntamente com Renata Tavares, fazem o melhor bloco do andebol português.
Soraia Fernandes é novidade, mas todos sabemos que será no futuro presença assídua na selecção.
Nesta convocatória, consideramos que faltam três jogadoras, que pelo que tem feito ao longo desta época, mereciam estar no lote das 23. Neuza Valente, Ana Andrade e Cláudia Correia são as atletas em questão.

Anónimo disse...

Já muito foi dito sobre o percurso das selecções, que nos últimos vinta anos pouco acrescentaram, desde a formação ao séniores. Sempre que se joga, fala-se do esforço, espírito combativo, atitude etc,e não se ouve falar ou divide-se as responsabilidades. Na verdade os resultados mantem Portugal na 2ª Divisão Europeia.

Muitos os especialistas quiseram mostrar o seu melhor, o Trancoso, o Punosevac, o Cruz, a Fernandes, o Fidalgo e muitos outros que passaram pela Federação, depois alternam pelos clubes, até ao ponto a que se chegou. Então, afinal o que tem corrido mal ? ou a avaliação é de mérito ?

A avaliação das responsabilidades dos resultados negativos são do topo para a base, como manda o profissionalismo. Repensar a organização e a estratégia é da base para o topo.