gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Crónica de Fim de Semana no Feminino 24 – Play OFF – 2013-2014

Crónica exclusivamente dedicada ao Feminino.

PO09 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Femininos.
 
MADEIRA SAD E ALAVARIUM FINALISTAS
 
Fase Final
Grupo "A" 1/2 Final
2.º Jogo
Madeira SAD 24 - 21 Colégio Gaia
João Barros 23 - 25 Alavarium

5.º / 8.º Lugar
2.º Jogo
JAC-Alcanena 37 - 23 CS Madeira
Maiastars 23 - 25 Juventude Lis

Grupo B
4.ª Jornada
Assomada 31 - 15 Vela Tavira
Juventude Mar 19 - 17 CA Leça
 
Madeira Sad / Alavarium. Vai ser esta a grande final do campeonato. As madeirenses confirmaram as expectativas e o favoritismo diante do Colégio de Gaia enquanto as campeãs nacionais foram eliminar o Colégio João de Barros no seu próprio recinto. Também já ficou definido quem vai descer de Divisão: Assomada e Vela de Tavira regressam à segunda divisão, de onde tinham vindo na época passada. Mas comecemos pelo jogo grande do fim-de-semana: Colégio João de Barros / Alavarium.
 
Campeãs nacionais e vice-campeãs nacionais defrontaram-se e uma vez mais as aveirenses voltaram a ser os carrascos da formação das Meirinhas. O Alavarium foi a equipa mais consistente ao longo desta eliminatória e conseguiu levar mais espectadores ao Pavilhão das Meirinhas do que o Colégio João de Barros, o que é incompreensível. A equipa de Paulo Félix, além da falta de apoio do seu público, pareceu sempre algo descrente, nunca se conseguindo galvanizar. Defensivamente, a equipa esteve até em bom plano mas ofensivamente nunca conseguiram encontrar soluções para furar o forte sistema defensivo 6-0 do Alavarium. Eduarda Pinheiro, Maria Pereira e Dulce Pina ainda deram um ar da sua graça mas o Colégio João de Barros está muito abaixo das campeãs nacionais e a este nível é fatal. Pensava-se que este poderia ser o ano do Colégio João de Barros mas a equipa falhou a final da Taça e a final do Campeonato, uma época frustrante. No Alavarium, Mónica Soares esteve imparável com o seu poderoso remate de primeira linha, apontando 11 golos, confirmando o acerto da sua contratação e Diana Roque quase intransponível na baliza. Defensivamente, a equipa de Ulisses Pereira anulou completamente os pontos fortes do adversário e isso acabou por ser determinante. As campeãs nacionais, depois de uma época em que pareciam arredadas do título, estão na final e apesar do favoritismo do Madeira Sad, podem conquistar de novo o título e há que respeitar o seu estatuto de campeãs nacionais.
 
O Madeira Sad venceu o Colégio de Gaia num jogo de duas partes de cariz completamente diferente. O Colégio de Gaia fez uma péssima primeira parte, mas soube reagir e conseguiu colocar-se a apenas dois golos já perto do final, acreditando que ainda era possível darem a volta ao encontro, mas tal não sucedeu. De qualquer das formas, a exibição foi bem melhor do que na passada semana, a aparecem em melhor plano as jogadoras mais experientes como Fernanda Carvalho, Vanessa Silva e Bebiana Sabino. Apesar de arredado da luta do título, o Colégio de Gaia subiu muito em relação às últimas épocas e tem um plantel que as pode intrometer pela luta do título no futuro, mas precisa de mudar o modelo de jogo e a mentalidade de treino. O Madeira Sad pensou que tinha arrumado a questão logo na primeira parte e entrou na segunda parte com uma displicência que poderia ter custado caro, mas na hora da verdade conseguiram a vitória e o apuramento para a final, num jogo em que as suas pontas Sara Gonçalves e Cláudia Aguiar foram as jogadoras em maior destaque, sobretudo no aproveitamento de contra-ataque. O Madeira Sad encontrará na final um adversário bem mais difícil e, apesar de ter o fator casa, sabe que a tarefa é complicada. Apesar de tudo, o Madeira Sad é favorito e pode reconquistar um título que o Alavarium lhe roubou na época transata. 
 
No apuramento entre o 5º e o 8º lugar, o JAC bateu claramente o Sports Madeira, confirmando a vitória da primeira mão no Funchal. E tudo se resolveu na primeira metade, com o JAC a não dar qualquer hipótese e com Patrícia Rodrigues a mostrar que é a melhor jogadora deste campeonato. Neste jogo, muito bem acompanhada por Rita Alves e Neuza Valente. O JAC irá acabar nos 6 primeiros lugares mas sabe a pouco numa equipa com talento mas pouca quantidade. Quanto ao Sports Madeira, a primeira parte foi simplesmente desastrosa, sem qualquer intensidade defensiva, salvando-se Mónica Gomes, a carismática jogadora madeirense e Sofia Ribeiro também com bons momentos. As madeirenses irão disputar com o Maiastars o 7º e 8º lugar. 
 
Maiastars que perdeu, no desempate por livres de 7 metros, com a Juve Lis. O jogo foi quase sempre bastante equilibrado, com as maiatas a terem 2 golos de vantagem perto do final mas com a Juve Lis a conseguir empatar, resultado idêntico ao da primeira mão, o que obrigou à marcação de livres de sete metros. Aí, o Maiastars esteve desastrado, concretizando apenas dois livres de sete metros. No Maiastars foram as esquerdinas Diana Oliveira e Ana Silva em destaque, enquanto na Juve Lis as rematadoras Ana Gante e Ana Carolina Silva foram as melhores. A equipa da Maia que fez uma boa fase regular, foi caindo ao longo da época e não poderá aspirar a mais do que um 7º lugar, enquanto as leirienses foram subindo e irão disputar o 5º e 6º lugar com o JAC-Alcanena. 
 
No grupo da manutenção, a Juve Mar venceu o Cale e, dado o resultado do outro encontro do grupo, ambas as equipas asseguraram a manutenção a duas jornadas do final do campeonato. Jogo muito fraco, com inúmeras falhas técnicas e remates falhados. Salvaram-se Maria Domingues e Cristiana Morgado, com pormenores técnicos a destacarem-se no meio da baixa bitola exibicional da maioria das jogadoras. Cale e Juve Mar vão continuar na primeira divisão e provaram que são claramente superiores às duas equipas que vão descer de divisão. 
 
Assomada e Vela de Tavira defrontaram-se num encontro que marcou a descida de ambas as equipas pois, com a vitória da Juve Mar, o Assomada, mesmo tendo vencido o encontro, não evitou a descida. O Assomada que foi uma equipa, esta época de 8 ou 80, fez um excelente encontro, com uma primeira arrasadora com as velozes Odete Tavares e Rute Fernandes a fazerem a diferença. Quanto ao Vela de Tavira, uma primeira parte horrível num jogo em que foi a inesperada Laura Gago a destacar-se. Vela de Tavira e Assomada descem de divisão. Eram equipas com executantes de alguma qualidade mas sem treinos não há milagres. 
 
Para a semana, começa a grande final do campeonato. Espera-se uma final muito intensa com duas equipas de grande qualidade. Conseguirá o Alavarium repetir o título da época passada ou será o Madeira Sad a regressar à “normalidade” dos títulos nacionais? Para a semana teremos o primeiro jogo e o Banhadas levará todos os pormenores da grande final até si. 
 
Críticos Femininos

16 comentários:

Anónimo disse...

esperemos que desta vez os jogos sejam transmitidos na andebol tv e que o site da federação esteja funcional e com as fichas de jogo atualizadas...

Anónimo disse...

Então agora não flam a dizer que o Duarte é um bluf, ou acabaram-se os argumentos. Atença pequenos que a procissão ainda não saiu. Até já

Anónimo disse...

Não me pareceu que o Leça tenha sido assim tão superior à Assomada e ao Tavira.

Anónimo disse...

Sinceramente eu gostava de saber o q voçês sabem dos treinos do Colégio quando escrevem na crónica "têm q mudar a mentalidade de treino", visto não estarem lá...pq que eu saiba não temos nenhuma atleta chamada "banhadas"!!!

Jorge Almeida disse...

Fora de tópico:

Alterações ao nº de não comunitários que podem ser inscritos nas provas.

Ver http://portal.fpa.pt/fap_portal/do?com=DS;1;111;+PAGE(2000025)+K-CATEGORIA(380)+KID-NOTICIA(9643)+COD_COR_CAIXA(1)+TIT-CAIXA(Not%EDcias);RCNT(1)

Acho mal a poderem ser inscritos até 3 não comunitários. Se considerarmos o nº de não comunitários a jogar na PO01, tirando o veteraníssimo Kostetsky (que já está cá à tanto tempo que é capaz de ser mais Português que outra coisa qualquer), o mais decisivo tem sido o cubano Frankis Carol, que é um bom jogador, mas não mais que isso. O mesmo se passa com o trio de cubanos do FC Porto. Só estão a tirar o lugar a jovens jogadores nacionais, e a impedi-los de desenvolverem as suas capacidades. Ao mesmo tempo, não vemos nenhum jogador nacional a jogar Andebol em Cuba (não há a mínima reciprocidade).
A FAP deveria ter coragem de restaurar a antiga norma de renovação da inscrição de não comunitários caso estes ficassem entre os 50 melhores jogadores da PO01. Nada obsta, pois a prova não é profissional. Assim é que defenderia o jogador português e elevaria o nível da PO01.

Anónimo disse...

Os jogos não foram transmitidos para o Alavarium ser beneficiado à vontade...e ao Duarte, vale a qualidade das atletas...

Anónimo disse...

Oh sr anonimo, O cale esta época já teve em sexto lugar por muito tempo e em oitavo também. Não me parece que Juve mar, vela tavira e assomada tivessem realizado tal feito.
Depois de todas as saídas que o cale teve, até tiveram uma grande época.
Não se pode ver as coisas pela metade. É um grupo muito jovem e muitas das jogadoras são juniores. Estas têm que fazer duplo escalão e ora aí está, manutenção nas seniores e 3a fase nas juniores. Não se pode pedir muito mais.

Anónimo disse...

Sim, o Alavarium está na final porque é beneficiado, o Madeira Sad está na final porque o Duarte é um burro. Enfim, a dor de cotovelo é enorme...

Claramente as duas melhores equipas portuguesas estão na final. Mas nem chegando à final o dizer mal termina. Se calhar, por isso é que essas pessoas não estão a disputar uma final...

Anónimo disse...

Atenção pequenos que a VERGONHA CONTINUA e ninguém faz nada, então ULISSES, AUGUSTOS, MARREIROS e ou OUTROS VOCÊS COMPACTUAM COM O QUE SE ESTÁ A PASSAR NA 3ª FASE DE JUVENIS????
TÊM 1 EQUIPA DIVIDA EM DUAS, COLÈGIO GAIA/VALONGO VOUGA, A PARTICIPAR NUMA FASE FINAL ??????, AINDA TERÃO DE EXPLICAR O QUE SE PASSOU EM JUNIORES E EM SENIORES, POIS PERMITIRAM A ESSES 2 CLUBES E NÃO PERMITIRAM A OUTROS QUE O QUISERAM FAZER TAMBEM.
DEPOIS O SORTEIO DITOU QUE ESSAS 2 EQUIPAS JOGASSEM ENTRE SI NO ULTIMO JOGO , QUE CURIOSO, E MAIS QUE ISSO COLOCAM EX-ATLETAS DO COLÉGIO A ARBITRAR E UMA DUPLA DE AVEIRO NO TAL ULTIMO JOGO........

Querem ser sérios?, demitam-se ou INVESTIGUEM.
Querem brincar com o esforço das atletas, treinadores e dirigentes?
Poupem-nos viagens e incomodos familiares e façam ja a fase final e não tenham custos com esta fase.

Queria ver se fosse na Madeira com arbitros da Madeira ou Lisboa com arbitros de Lisboa e Santarém ou Setubal.

Anónimo disse...

Bem, Mais um campeonato para a madeira .....

Anónimo disse...

ao anonimo das 17:32
por isso é que os jogos da Madeira nunca são transmitidos....

Anónimo disse...

Não são os da Madeira, não são os de Esposende, não são os da Maia, não são os de Tavira, não são os de Leça, não são os de Lisboa, não são os de Leiria, não são os de....


Os que são, Aveiro 30 transmissões das campeãs por ano, os de Gaia, 20 transmissões por ano e os de Alcanena, umas 15 por ano, o resto é paisagem.

Anónimo disse...

os jogos de Aveiro deviam ser todos transmitidos já que é o clube que leva mais publico aos pavilhões e que mais adeptos tem por esse mundo fora....força ALA

Anónimo disse...

Sabem qual a equipa com mais jogos transmitidos este ano? Madeira Sad. Não foi mas é nenhum em casa... Mas é a equipa com mais transmissões na FAP TV

Anónimo disse...

Quem é quem??

No fim do jogo ao telefone: "Pai, os árbitros portaram-se bem!"

Anónimo disse...

Felizmente que, a seguir ao Madeira Sad, os jogos do Alavarium são os mais transmitidos na FAP TV para que todos possam ver se o Alavarium tem sido beneficiado. Tem sido BASTANTE prejudicado.

Mas claro que nem um título nacional, nem uma presença na final, nem o ano passado ser 2º lugar nacional em juvenis, 3º lugar em iniciadas e 4º lugar em infantis não servem para nada.

O que interessa é dizer mal. Claro que quem diz é quem nunca chega a essas fases. Trabalhem melhor...