gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

segunda-feira, 2 de junho de 2014

PO11 – 2013 / 2014 – Fase Final

JUVENTUDE LIS
CAMPEÃ NACIONAL

PO11 – Campeonato Nacional de Juniores Femininos

Realizou-se de 30-05-14 a 01-06-14 no Pavilhão de Alpendorada a Fase Final da Prova.
 
Sagrou-se Campeão Nacional a equipa do Juventude Lis, que terminou invicta a Fase Final, sucedendo ao JAC-Alcanena. Uma referência que se trata de uma recuperação do título que tinha sido perdido precisamente para o JAC-Alcanena.  
De referir que esta época não se verificou, qualquer transmissão em direto de  jogos da prova pela Andebol TV.

Modelo Competitivo: Os clubes apurados da 1ª Fase serão agrupados na 2ª Fase em duas zonas geográficas jogando TXT a 2 voltas, apurando-se o 1º Classificado para a Fase Final. O 2º Classificado de cada zona mais o representante da A.A. Madeira (TXT a 1 volta - regime concentração) apurando-se os dois primeiros classificados para a Fase Final (TXT a 1 volta – regime concentração). O 1º classificado será Campeão Nacional.

Resultados da Fase Final
1.ª Jornada
Alpendorada 23 – 23 CA Leça
CS Madeira 19 – 28 Juventude Lis
2.ª Jornada
CA Leça 23 – 28 Juventude Lis
Alpendorada 21 – 29 CS Madeira
3.ª Jornada
CS Madeira 29 – 27 CA Leça
Juventude Lis 36 – 26 Alpendorada

Uma referência, para o CA Leça e para o Alpendorada, que terminaram em igualdade pontual (4 pontos), mas sem terem averbado qualquer vitória.

Classificação Final1.º Juventude Lis, 2.º CS Madeira, 3.º CA Leça e 4.º Alpendorada.
 
O Formador

16 comentários:

Anónimo disse...

Parabéns à Juventude do Lis. Mereceu.

Desculpará o 'Banhadas' via 'O Formador', mas falar da Andebol TV como coisa que podia ser mas não é, já causa azia.
É o que (não) há e não adiante reclamar.

Anónimo disse...

Parabéns à Juventude do Lis. Mereceu.

Desculpará o 'Banhadas' via 'O Formador', mas falar da Andebol TV como coisa que podia ser mas não é, já causa azia.
É o que (não) há e não adiante reclamar.

Anónimo disse...

Sem andebol Tv, sem selecionadores e sem elementos da FPA.

Anónimo disse...

A uma Federação oca responde um CA incapacitado.
Anda tudo ligado.
Certo senhor Silva?

Anónimo disse...

E podem continuar com:
Sem condições para jogar (veja-se a distância da linha de fundo à parede e a quantidade de vezes que as jogadoras se magoam ao irem contra a parede).
Sem instalação sonora.
Sem árbitros decentes.
Sem delegado ao jogo (aquele sr. que lá estava só queria era que o deixassem sossegado).
Sem cronómetro e marcador nos 2 primeiros jogos (só funcionava quando o Brousse estava quieto)
Mas quando precisarem das miúdas (de todas as equipas presentes)nas selecções para irem passear à custa do esforço delas, a FAP os seleccionadores e os árbitros/CA vão dizer que gostam muito delas e dar muitas palmadinhas nas costas e muitos elogios.
Só que há quem veja e registe. E sobretudo, não se esqueça!

Anónimo disse...

Parabéns à JuveLiz, que é justa vencedora.
Foi mais forte em todos os jogos, embora no jogo com o Cale tenha "abanado" um bocado, no fim foi mais forte e mais rápida.

Anónimo disse...

Parabéns ao Cale pela grande atitude demonstrada e capacidade de luta.
Proporcionou os jogos mais equilibrados e mais bem disputados desta fase final.
Não há vitórias morais, mas fica na consciência de cada atleta o valor e a capacidade que têm.
São jogos destes que vos fazem crescer.
Força miúdas e muitos parabéns.

Anónimo disse...

Completa falta de respeito por parte de quem faz as nomeações dos árbitros para estes jogos.
A dupla Ricardo Ribeiro / Mário Ferreira é má de mais para um jogo destes. Aliás é má demais até para um jogo de iniciadas, como se viu na fase final de iniciadas do Porto.
Será que na sexta-feira, onde só se realizaram meia-dúzia de jogos, não havia árbitros melhores para dois jogos desta importância?
Ou os jogos não tinham importância?
Conseguiram em ambos os jogos colocar toda a gente revoltada com a má arbitragem que estavam a realizar.
Normal, dirão alguns, toda a gente diz mal dos árbitros. Pois, mas neste caso estes miúdos conseguem ter tantos erros, que desesperam jogadoras, treinadores e assistência de ambas as equipas.
Os mesmos lances são, ao longo do jogo, julgados ás vezes com três critérios diferentes.
Não sabem dar a lei da vantagem, ignoram o conceito de falta atacante, não percebem que se uma jogadora que está a defender é empurrada para dentro da área pala atacante não é 7 metros por violação da área e conseguem por várias vezes marcar passos a uma jogadora que faz três apoios (o que é matematicamente impossível).
Em contrapartida, foram marcados golos precedidos de 5 e 6 passos.
As jogadoras da Juve protestavam e discutiam diretamente com os árbitros as decisões deles, sem consequências. Normal, já que no banco os 4 oficiais estavam sempre de pé e a passear por todo o lado.
E já agora aproveitem os intercomunicadores para comunicar, pois apesar do look tecnológico, as pilhas devem ter falhado, já que por três vezes ficaram a assinalar coisas diferentes, virados um para cada lado.
Como ninguém se queixa e portanto, parece que nada se passou, fica aqui a nota dirigida ao CA.
Eu tenho de perdoar aos miúdos, porque talvez a culpa não seja deles.

Anónimo disse...

Curiosa a forma como a dupla Fernando Costa / Diogo Teixeira mudou os critérios de decisão de algumas faltas entre o primeiro e o segundo jogo.
Aquilo é que foi aprender rápido!

Anónimo disse...

O cronómetro no primeiro dia só funcionou corretamente na segunda parte do 2º jogo quando o nosso presidente do Alpendorada, Sr Neves, chegou e trocou os cabos de ligação do cronómetro. Não inventem desculpas com o cronómetro, para justificarem os maus resultados!!! Funcionou igual para todas as equipas, só as que perderam se queixam, curioso!!! Um adepto / oficial de uma equipa que não perdeu

Anónimo disse...

Infelizmente a FAP não liga ao esforço dos clubes e parece inclusive zombar com a luta que estes fazem diariamente. Realmente, como é possível estas nomeações: Mário/Rui e as "meninas gémeas" para uma fase final? São medíocres demais para apitarem, quanto mais estarem numa Fase Final ou no caso das pequenas serem internacionais!!As pequenas gémeas nem as regras básicas da modalidade sabem e como dizia um treinador ali presente: nem para correr prestam!
Depois, que falta de respeito pelas atletas a ausência de selecionadores nacionais: será que já foram para angola?
Por fim, lamentável a falta de representantes da FAP: mau demais, tudo junto para ser verdade!
Pela positiva registe-se o alojamento e a alimentação cedido pelo ARCA e a simpatia desta gente de Alpendorada, sempre disponíveis para ajudar.

Anónimo disse...

Aos adeptos do andebol feminino: podem apreciar a corrida das "árbitras" gémeas Sá, pois como prémio da miserável prestação em Alpendorada nas Juniores, vão novamente apitar numa Fase Final, desta vez em Leça da Palmeira - pode ser que desta vez já saibam um pouquito mais as regras dos 3 passos, entre outras!
Como é isto possível? Que CA tão ignorante!

Anónimo disse...

Ao anónimo de 4 de Junho às 10:57, como é possível este comentário??? Ou não esteve lá ou pertence ao ARCA...

Arbitragens más porque não ganhou nenhum dos jogos, pois desde sexta o vosso treinador só queria os árbitros de Domingo... Depois quanto à alimentação, um pacote de leite e 1 pão com manteiga ao pequeno almoço, para não falar do almoço de Sábado, O Sports almoçou às 12h e depois não teve transporte para ir descansar (foi feito através da Juve Lis e CALE pois ninguém da organização se prestou a isso) nem direito a lanche!!! Ah coincidência, era o adversário do ARCA nesse dia!!!

Anónimo disse...

A andeboltv não esteve. E será que agora vai estar na fase final de juvenis?

Anónimo disse...

Não sei se o comentário é de alguém da ARCA ou não, mas a verdade é que árbitros com alguma qualidade só no domingo: 6ª autêntica desgraça com os rapazolas do Porto a perderem-se por completo; sábado ainda pior, com as gémeas internacionais: tanta vaidade e tanta, tanta asneira junta!"medíocres" até foi um elogio!Aliás penso que é comum o seguinte pensamento: arbitragem muito fraca e um justo vencedor.

Anónimo disse...

Amigos do andebol: não queiram arranjar problemas onde não os houve! A Fase Final de Juniores em Alpendorada permitiu que 3 equipas ficassem alojadas em Hotel com todas as mordomias daí adjacentes e com uma paisagem e meio envolvente como não o há por esse país fora; permitiu às equipas almoçarem e jantarem em Restaurante (e não tivemos nenhuma queixa); o pequeno-almoço dado foi o indicado no caderno de encargos da FAP e não somos obrigado a dar lanche, embora se o tivessem solicitado o fariamos com todo o gosto. Não sendo obrigados, sempre que a equipa do CS Madeira (clube com o qual nos orgulhamos de ter uma excelente relação) nos solicitou transporte assim o fizemos, desde o transfer do aeroporto-alpendorada até ao trajecto de regresso, bem como nas viagens hotel.pavilhão e vice-versa.
Quanto à faptv, representações por parte da FAP, essas são alheias à nossa organização.
No que diz respeito às arbitragens, entendemos as críticas comuns, embora da nossa parte, o que tivemos a dizer foi dito no local apropriado e a quem de direito.
Quanto ao resto: mau funcionamento do cronómetro no primeiro jogo, avisamos a bom tempo a dupla de árbitros e o delegado ao jogo, que face à lotação do pavilhão, o uso de auriculares por parte dos árbitros iria bloquear o sinal (assim aconteceu); o som no dia que foi preciso existiu; quanto ao pavilhão - é sem dúvida um dos melhores para a prática do andebol no país e entendemos a frustração de muitos.
Quanto ao andebol jogado, pensamos que o 1º lugar está bem atribuído, face à prova realizada pela Juve Lis. Por fim, de salientar o bom ambiente entre todas as comitivas.
Da nossa parte é tudo e esperamos que realmente façam uma reflexão antes de virem aqui denegrir o trabalho dos outros!
ARCA