gal vence

Fim de Semana com as Super Taças - Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Crónica de Fim-de-semana No Feminino – 15 – 2014 / 2015

Regresso às crónicas exclusivamente dedicada ao Feminino, para falarmos da 2.ª jornada da 2.ª volta, e dos dois jogos da 3.ª jornada da 2.ª volta que as equipas Insulares disputaram.
 
Para aqueles que são verdadeiros adeptos do Andebol no Feminino, mais uma vez reforçamos o nosso pedido de colaboração para que estas crónicas melhorem dia a dia, e deste modo possamos continuar a dar o merecido valor a esta prova, aguardando que algum ou alguns dos nossos habituais leitores se disponibilizem para no mínimo nos fornecerem dados para que esta continuidade às crónicas sobre o andebol em especial no feminino, seja uma realidade, continuamos abertos às mesmas. Algumas colaborações estão a ser recebidas, o que agradecemos, mas ainda são poucas, esperamos mais e muitas mais, obrigado. 
 
PO09 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Femininos.
 
1.ª Fase – Resultados
 
13.ª Jornada
Juventude Mar 13 - 31 Madeira SAD
CA Leça 24 -
27 Juventude Lis
JAC-Alcanena 24 - 21 Colégio Gaia
João Barros 30 - 25 CS Madeira
ARC Alpendorada 21 - 31 Alavarium
Passos Manuel 23 - 28 Maiastars
Dia 18-01-15
João Barros 13 -
21 Madeira SAD
Juventude Mar 26 –
27 CS Madeira
 
Com a realização destes encontros, jogou-se a 2.ª jornada da 2.ª volta da 1.ª Fase da Prova, e ainda dois 2 jogos da 3.ª jornada da 2.ª volta. 
 
Uma referência, para o facto de se trem disputado oito (8) encontros e em apenas um (1) foi retificado o resultado verificado na 1.ª volta da prova (JAC-Alcanena / Colégio Gaia), e de igualmente em apenas um (1) se ter verificado ocorrências disciplinares (CA Leça / Juventude Lis, por uma desqualificação direta).
 
Várias equipas realizaram jornada dupla, pelo facto de disputarem jogos com as equipas insulares, e de entre eles destacava-se o João Barros / Madeira SAD, que terminou com fácil vitória das madeirenses, diante uma equipa demasiado frágil para o que se esperaria, neste encontro as meirinhas deram uma pálida imagem do seu valor, com as madeirenses a comandarem o jogo e o marcador praticamente durante todo o tempo, chegando ao intervalo já com uma “comoda” vantagem de seis (6) golos (12-6), basta dizer que a equipa do João Barros até aos 22 minutos apenas concretizou dois (2) golos. No segundo período, que foi uma continuação do efetuado no primeiro, o João Barros nunca encontrou soluções para a boa organização defensiva da equipa Insular e chegou a estar a perder por um diferencial de nove (9) golos, por exemplo aos 55 minutos (20-11). A equipa das meirinhas ressentiu-se em demasia da ausência de Maria Pereira, que segundo o comentador da Andebol TV, partiu. Para outros “voos”. Com este resultado o Madeira SAD igualou no comando da prova o seu adversário. Uma referência especial neste encontro para Mónica Correia na Baliza das madeirenses e para Carolina Costa na baliza das meirinhas. A melhor marcadora do Madeira SAD e do jogo foi a Erica Tavares com 7 golos. Uma chamada de atenção para o fator mais negativo deste encontro, foi a falta de apoio médico, pois com Eduarda Pinheiro lesionada, o único auxilio que lhe foi prestado segundo o que nos apercebemos foi por uma atleta da equipa adversária Ana Andrade, a quem desde já saudamos. Na espera as madeirenses tinham defrontado a equipa de Esposende, a Juventude Mar, a venceram igualmente com alguma facilidade, pois também controlaram totalmente o encontro, atingindo o intervalo já vencer por 13-6. No segundo período a equipa nortenha ainda teve uma ligeira reação, mas rapidamente a equipa insular regressou ao seu ritmo normal, e aos 10 golos de vantagem, por exemplo aos 21-11, para terminar o encontro com um parcial de 8-0, e fixar o resultado final. Teresa Santos com 6 golos foi a melhor marcadora da Juventude do Mar, E Márcia Abreu do Madeira SAD com igual número de golos foi a melhor marcadora da sua equipa.
 
O CS Madeira, nesta sua deslocação ao continente onde também fez jornada dupla, defrontou no primeiro jogo o João Barros, onde foi derrotada pela equipa das meirinhas, com o resultado a ser totalmente construído nos primeiros 30 minutos, pois o resultado ao intervalo era favorável a equipa do continente por 17-7. No segundo período de jogo já foram notórias as dificuldades da equipa local, perante a boa reação das madeirenses. A melhor marcadora do encontro foi Sara Gonçalves do CS Madeira com 7 golos. No dia seguinte a equipa madeirense deslocou-se a Esposende para defrontar e vencer pela margem mínima, a equipa local, num jogo de grande equilíbrio como prova o resultado final, que se verificou, com a equipa de Esposende a dar muito boa conta de si chegando inclusive ao intervalo a vencer por 14-10. No segundo período excelente reação das madeirense que, souberam aproveitar as várias falhas da equipa local para chegar á vitória. Com esta derrota a equipa da Juventude Mar continua em último lugar da classificação com apenas uma (1) vitória. De salientar a boa moldura humana que se registou neste encontro e em outros desta prova. Ana Couto com 8 golos e Teresa Santos com 7 golos, foram as melhores marcadoras da Juventude Mar, enquanto Sara Gonçalves com 12 golos voltou a ser a melhor marcadora da sua equipa e do jogo, acompanhada por Maria Rodrigues com 6 golos.
 
Em Alpendorada a equipa local recebeu a equipa que defende o título de campeã Nacional, o Alavarium que apesar de estar a efetuar uma prova algo distante do esperado, venceu com facilidade a jovem equipa do ARC Alpendorada, com o resultado ao intervalo a ser um precioso indicador do que se iria passar nos segundos 30 minutos, onde a equipa do Alavarium fez uma autêntica gestão do plantel, confirmado no facto de 12 atletas desta equipa aveirense terem concretizado ocasiões de golos. Tânia Braga do Alpendorada foi a melhor marcadora da sua equipa e do jogo com 8 golos, Mariana Lopes e Filipa Fontes, ambas com 6 golos foram as melhores marcadoras do Alavarium. Com este resultado a equipa aveirense coloca-se na discussão pelo 1.º lugar nesta 1.ª Fase da prova. 
 
Em Lisboa, o neo divisionário Passos Manuel recebeu a equipa da Maia o Maiastars que tem estado a efetuar uma excelente prova em especial nos últimos jogos, onde tem registado alguns resultados surpreendentes. No entanto, esperava-se um encontro mais equilibrado, mas as maiatas não permitiram qualquer veleidade às lisboetas no primeiro tempo e rapidamente tomaram conta do jogo, chegando ao fim deste período a vencer por um confortável 16-10. No entanto a equipa do Passos Manuel pareceu revigorada nos segundos 30 minutos e tentaram equilibrar o encontro o conseguiram mas apenas até determinado ponto, pois as maiatas continuaram a controlar o resultado. Mais uma vez Carolina Santos e Cátia Santos ambas com 6 golos foram as marcadoras de serviço das lisboetas, enquanto a maiata Diana Oliveira foi também mais uma vez a melhor marcadora não só da sua equipa mas do jogo com 10 golos. Com esta vitória a equipa maiata, assume-se como uma séria candidata ao acesso ao Play OFF, que na nossa opinião não lhe fugirá. 
 
Em Leça da Palmeira disputou-se o único encontro que teve relatório disciplinar conforme já referimos. Com a equipa local o CA Leça a ser derrotada por uma Juventude Lis, que vinha de uma derrota “histórica” para a Taça de Portugal. A vitória das leirienses foi totalmente construída nos primeiros 30 minutos, quando chegou a intervalo a vencer por 13-10, com a equipa do CA Leça a ter uma excelente reação e a provocar um total equilíbrio no jogo que termino exatamente com a mesma diferença. Daniela Mendes do CA Leça com 9 golos foi a melhor marcadora da sua equipa, Ana Silva da Juventude Lis com 13 golos foi não só a melhor marcadora da sua equipa como do jogo, sendo bem acompanhada por Patrícia Mendes com 7 golos. 
 
No único encontro onde o resultado verificado na 1.ª volta foi retificado, disputou-se em Alcanena, onde a equipa do JAC-Alcanena venceu o Colégio de Gaia (talvez o melhor plantel desta divisão feminina), confirmando os bons resultados que têm alcançado ultimamente. A equipa local construi o resultado no primeiro período que terminou a vencer por três (3) de diferença, precisamente a mesma diferença que se verificava no final do encontro, no entanto o Colégio de Gaia entrou melhor e que chegou a estar na frente do marcador com dois (2) golos de vantagem, obrigando o JAC-Alcanena a utilizar todas as suas “armas” e principalmente a sua garra, que deu bons resultados, por sua ez o Colégio de Gaia, depois se encontrar em desvantagem nunca encontrou soluções para levar de vencida a aguerrida equipa do JAC-Alcanena. De destacar que a equipa local já apresentou a regressada Diana Roque, e que Patrícia Rodrigues com 9 golos foi a melhor marcadora do JAC e do encontro, sendo bem acompanhada por Neuza Valente com 8 golos. NO Colégio de Gaia, Ana Gante e Vanessa, ambas com 6 golos foram as suas melhores marcadoras. 
 
Após a realização destes jogos, o João Barros e o Madeira SAD comandam com (34 pontos, + 1 jogo), 3.º Alavarium (34 pontos), 4.º JAC-Alcanena (31 pontos), 5.º Colégio Gaia (28 pontos), 6.º CS Madeira (27 pontos, + 1 jogo), 7.º Maiastars (26 pontos), 8.º Juventude Lis (24 pontos), 9.º ARC Alpendorada (21 pontos), 10.º CA Leça (19pontos), 11.º Passos Manuel (17 pontos), 12.º Juventude do Mar (17 pontos, + 1 jogo). 
 
O Noticias

16 comentários:

Anónimo disse...

Nem com a gante a marcar golos a dar 7 passos,passaram o teste de alcanena.como é possivel um plantel como o do gaia estar na posição em que esta. parabens ao jac, ainda se vai ouvir falar muito delas esta epoca.

Anónimo disse...

O jogo das Meirinhas, em termos puramente técnicos, foi muito fraco, com demasiadas falhas técnicas!!
Muit precipitação de ambas as partes, tendo as madeirenses conseguido jogar um pouco mais em equipa, do que as suas adversárias.
A defesa madeirense esteve muito forte e quando falhava, Mónica Correia resolvia. Neste aspecto, é de saudar o regresso de Virgínia Ganau, pois nota-se que transmite segurança à colega de posto.
Não entendo porque salientam a Carolina, não esteve bem, tal como o resto da equipa. A melhor, dentro do possível, foi a Eduarda.
Muito trabalho tem o Né pela frente...!

Anónimo disse...

O João de Barros perdeu todas as hipóteses de ser campeão. Sem a Maria (depois de terem perdido a Dulce), nem ao Jac ganham...
Alavarium ou Madeira Sad passam a ser as únicas equipas com hipótese de ser campeões. Em condições normais, com a Sad sem Isabel Góis e com ela a passar para o rival, isto devia ser limpinho para o Alavarium, mas as aveirenses estão a jogar muito, muito mal.

Anónimo disse...

O Alavarium é como um ferrari conduzido por quem não tem carta...

Anónimo disse...

Esta jornada marcou, penso que de forma definitiva, a definição dos três grupos da tabela: Os que ficarão em vantagem nos play-offs (1º ao 4º) os que se apuram (5º ao 8º) e os que vão tentar fugir à descida de divisão.
Com uma ou outra surpresa em alguns jogos, as posições finais não deverão variar muito.

Anónimo disse...

A falta de qualidade e de capacidade de concretização das laterais do Cale é de dar pena.
A derrota com a Juve é o princípio de um fim anunciado: A descida.
A equipa não tem capacidade atacante e perdeu a garra defensiva que já a caraterizou.
Não se consegue perceber se pretendem jogar e competir, ou passar o tempo.
É uma pena que a larga maioria das jogadoras ainda não tenha vergonha das figuras que fazem.

Anónimo disse...

Não sei que diferença faz a Isabel no Alavarium...não foi campea na SAD! A chavala tem futuro....mas longíquo! O Ala, com a equipa que tem, nem precisa dela para ser campeão....só precisa de um treinador.

Anónimo disse...

O CJB nem ao JAC ganha? Até parece que o JAC está no fundo da tabela para dizerem tal coisa. Lembro que o CJB esteve atrás do marcador nesse jogo durante 58 minutos. E vamos a ver se o JAC não faz uma gracinha aos "3 grandes candidatos". Ah e este fim de semana percebi o porque de tantas queixas sobre beneficiarem o Gaia. Sim o Gaia tem de facto um plantel ganhador: joga sempre com 9.

Anónimo disse...

A gante? passos? nunca na vida, voces estao vesgos?

Anónimo disse...

A Isa é a melhor Guarda-redes portuguesa. Só não vê quem não quer.

O Jac com a diana Roque fica muito mais forte, mas enquanto o seu treinador e dirigentes vierem para os blogs continuarem a chorar-se por causa dos árbitros vão continuar a ser um clube pequeno...

Anónimo disse...

o João de Barros perdeu a Maria??? Mas vai contratar o Ivan Caçador para apitar todos os jogos,ahahahahah

Anónimo disse...

Os elementos técnicos do Jac gostam é de criticar tudo. alem de passarem o jogo todo a ralhar e a insultar os arbitros. e ganharam eles. se tivessem perdido ja eram mais de 20 comentários contra as arbitragens, mas o jac nunca passara de um clube pequeno, mas que faz frente a muitos grandes, ou que pensam que sao grandes.

Anónimo disse...

o jac nem ao maia vai ganhar quanto mais querer bater o pe aos primeiros. ganhem juizo e treinem para nao se andarem a queixar dos arbitros como é habito

Anónimo disse...

Com queixas ou não, é lamentável o que o CA do marreiros faz à PO9 (2ª prova mais importante segundo a direção da Federação) nomeando semana após semana duplas sem nível nenhum para apitarem este tipo de prova. Então as nomeações para esta jornada que vem é completamente non-sense, um verdadeiro atentado e falta de respeito pelos clubes, Clubes, que se no inicio da época soubessem que iam ter este tipo de nomeações, se calhar não tinham pago o balúrdio que pagaram à federação para ter estas arbitragens sem nível.

Jorge Almeida disse...

"A equipa das meirinhas ressentiu-se em demasia da ausência de Maria Pereira, que segundo o comentador da Andebol TV, partiu. Para outros “voos”. "

Maria Pereira partiu para o norte de França, a ver as ilhas britânicas do outro lado do Canal da Mancha: Nada mais nada menos que Le Havre HC. Foi fazer companhia a Ana Miriam Sousa.

Mais pormenores em http://andebolfemininoportugal.blogspot.com/2015/01/antes-era-amadora-agora-sou.html

Boa sorte para Maria Pereira nesta sua nova fase da vida.

Anónimo disse...

O alavarium tem treinadora, pelo menos na bancada a pequena da selecionadora nacional ana seabra não se cansa de dar orientações para dentro de campo, festejando cada vitória como se fosse sua... ao que desceu a federação ao permitir tal...só lhe falta ir dar o gritinho final com as atletas.