gal vence

Euro Sub-17 Femininos (Lituânia), Portugal vence a Bielorrússia por 31-24, e está na final - Mundial Sub-19 Masculino Portugal vence Japão por 34-26 e fica em 7.º Lugar - Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

domingo, 19 de abril de 2015

Europeu de Sub-19 Feminino 2015 – IV

PORTUGAL APURADO PARA A FASE FINAL
REPETE FEITO DE 2013
 
Portugal participou no Torneio de Qualificação (grupo 5), nas ilhas Gregas de Myrina Limnou para o Europeu Sub-19 Femininos 2015 em Feminino, cuja Fase Final se vai disputar na Espanha (Valência) de 23 de Julho e 2 de Agosto de 2015.
Depois, da autêntica “aventura” que foi chegar ao loca da prova, com vários desencontros chegando a EHF, a colocar a realização do com a França no dia 19 às 10H00 (locais), ou seja Portugal seria a única equipa a realizar dois jogos num dia. Publicamos imagem do texto que por sina já não se encontra disponível no site da EHF.
Após uma reflexão e uma decisão (na nossa opinião) tomada com maior bom senso, eis que o referido jogo se realiza, imediatamente após a chegada da equipa. E embora a preparação não tenha sido a correta as nossas atletas deram uma fantástica resposta de brio e de garra, neste encontro que terminou numa igualdade a 22 golos, (registando-se nova igualdade, entre estas equipas que se tinham defrontada no torneio das 4 Nações). Foi um jogo de grande equilíbrio, com Portugal a perder pela diferença mínima ao intervalo, mas mais uma vez o seu querer e a postura da equipa, deu a volta ao resultado e conforme diz o site da Federação a 10 minutos do fim do jogo Portugal vencia também pela diferença mínima (18-17), para terminar numa igualdade, que nos coloca em excelente posição para o apuramento. Ana Rita Neves com 7 golos foi a melhor marcadora da equipa, bem acompanhada por Erica Tavares com 5 golos. No segundo jogo Portugal defrontou a equipa da “casa” que face aos condicionalismos da nossa chegada, era uma equipa com esperança em nos vencer para poder assim quase que garantir o apuramento para a Fase Final, mas, mais uma vez e apesar do pouco descanso (os outros horários mantiveram-se todos), a equipa nacional num pavilhão completamente esgotado, e com o público a puxar pela sua equipa, fez um jogo extraordinário vencendo por um diferencial de 4 golos, depois de no final dos primeiros 30 minutos já estar a vencer por 10-7. De referir que Portugal chegou a ter uma vantagem de 5 golos, a 4 minutos do fim (20-15), maior vantagem durante todo o jogo, falhou 3 livres de 7 metros (marcou 5 em 8), apesar da extraordinária exibição da guarda Grega e de ter sofrido 8 exclusões contra 4 das gregas, mesmo assim soube resistir com enorme estoicismo. Neste encontro Erica Tavares com 6 golos, foi a nossa melhor marcadora. No terceiro e último jogo, Portugal defrontou Israel e apenas a vitória por margem folgada, estava nos horizontes da equipa Nacional. A vitória garantia imediatamente o apuramento, e a vantagem poderia dar-nos ou não o primeiro lugar da classificação do Grupo. Portugal que começou o encontro “adormecido”, permitiu algumas veleidades á equipa israelita que cercados 7 minutos de jogo conseguia uma igualdade a 3 , depois de ter estado na frente do marcador, mas a equipa portuguesa, acorda e “cilindra” autenticamente a sua congénere israelita. Obtém um parcial de 8-0 em 6 minutos, e coloca o resultado em 10-3 aos 13 minutos, seguidamente e após um período de lagum equilíbrio regressa com um parcial de 9-0 em 13 minutos passando de 11-6, cerca dos 17 minutos para os 20-6, com que se atingiu o intervalo. No Segundo Período de jogo, e fazendo uma total gestão do plantel (11 atletas, concretizaram golos), o marcador foi-se dilatando, de tal forma que se atingiu o resultado final com um diferencial de 29 golos, superando o diferencial que a equipa francesa tinha obtido (23). Anais Gouveia com 13 golos (eficácia de 93%), foi a melhor marcadora da equipa e do jogo, Erica Tavares com 8 golos (100% de eficácia), foi outras das principais marcadores da equipa a que se junta ainda Ana Rita Neves com 6 golos (100% de eficácia). No entanto mais uma vez não estivemos com 100% de eficiência na marcação dos livres de 7 metros, pois apenas convertemos 4 em 6. Mas deve-se dizer que o apuramento é conseguido sem derrotas. O outro lugar de apuramento no grupo, foi decidido, no jogo entre a França e a Grécia, com vitória da França, e assim se repete o mesmo apuramento de 2013.
 
Tal como nos Sub-17, também nos Sub-19, (parece existir uma nova postura dos técnicos Nacionais o que se saúda), não podemos ficar imunes, as palavras que o Selecionador Nacional proferiu no final do “épico” encontro, e que aqui transcrevemos por serem raras "…só posso considerar este trabalho espetacular, tendo em conta todos os condicionalismos. Estou muito grato pela entrega, pelo empenho feito aqui, e pelo trabalho feito nos clubes, que nos permite jogar a este nível.  
 
Com este apuramento, esta equipa está de parabéns, esperando agora, continuação do bom trabalho, para que a participação na Fase Final seja bastante melhor do que a última (15.º Lugar), e mais eficaz. Depois do apuramento das Sub-17, agora foi a vez das Sub-19.
 
Resultados
1ª Jornada
Grécia 32 – 16 Israel
Portugal 22 – 22 França
2ª Jornada
Portugal 23 – 19 Grécia
França 37 – 14 Israel
3ª Jornada
Israel 17 – 46 Portugal
França 28 - 20 Grécia
 
Classificação1.º Portugal, 2.º França , 3.º Grécia e 4.º Israel.
 
Apurados para a Fase Final
Organizador – Espanha
Do último Euro Sub-17 - Suécia e a Rússia
Grupo 1 – Montenegro e Macedónia
Grupo 2 – Noruega e Lituânia
Grupo 3 – Roménia e Sérvia
Grupo 4Dinamarca e Bielorrússia
Grupo 5 – Portugal e França
Grupo 6 – Croácia
Grupo 7 – Alemanha
Grupo 8 – Hungria
 
O Noticias

13 comentários:

Anónimo disse...

Quem é que mamou com a excursão, desta vez?
Noutros tempos já sabíamos que era a agencia de viagens TORRESMOS e Comp., e agora quem +e que anda a juntar tijolos para a vivenda?
BAI

Jorge Almeida disse...

É para juntar à deslocação que esta mesma selecção fez para o Mundial Sub 18 no verão passado ...

Ainda não vi ninguém da FAP a esclarecer o que se passou na viagem para a Macedónia no verão passado.
Ou já se esqueceram do que circulava no FB por essa altura?

http://banhadasandebol.blogspot.pt/2014/07/v-mundial-juvenil-feminino-2014-vii.html

Anónimo disse...

Excelente resultado para o sucesso do Andebol feminino e só falta o passo seguinte no escalão Sénior, bem mais difícil visto que o andebol internacional está muito forte.
Parabéns ás atletas, treinadores e Clubes e respectivas Associações regionais.
O Andebol português podia e devia ser uma coisa bem grande nacional e internacional se.....
ADC

Anónimo disse...

Parabéns à equipa que conseguiu um grande feito e já agora à minha filha que integra esta seleção. Parabéns aos clubes, aos treinadores dos clubes, que coitados por tuta e meio fazem um grande trabalho! Parabéns ao Professor Pires (muitos dos que lhe estão aqui a dar os parabéns nem sabem que ele existe!)que sabe do treino e sabe motiva-las, o que é muito importante. Professor você é grande! Parabéns à direção da FAP que tem dado muita força ao andebol feminino, pois tanto o Sr. presidente como o Sr. Vice Presidente acompanham em permanência as equipas e para as miúdas é bom sentir esse calor que a direção da FAP lhes dá. É bom lembrar que esta equipa se preparou em Pinhel e teve o Vice-presidente com elas em permanência no estágio. Se quiserem saber a primeira coisa do que a minha filha me falou no 1º telefonema foi da presença deste diretor.
Espero que este apoio continue, pois estou em querer que com esta direção da federação o andebol feminino vai atingir níveis muito elevados.
Parabéns a todos!
Manuel Pizarro

Anónimo disse...

Se esta mesma seleção já tem no seu CV a desgraça da Macedónia,eu sou testemunha corporal de para ir ao Luxemburgo no tempo da agencia Torresmos fiz Lisboa,paris,zurique,luxemburgo e volta,Londres,lisboa,Porto.
Posso concluir que, ou o preço justifica e alguém da direção venha aqui dar a cara de dividir a diferença de preço a quantas refeições no ANDORINHAS equival.
Ou então por coerência em reunião de direção digam ao responsável para passar pela tesouraria para fazer contas e ir embora de vez.
Citando o poeta "misera e mesquinha nem princesa nem rainha".
Lopes,sol na eira e chuva no nabal,é utopia.
BAI

Anónimo disse...

Manuel Pizarro
20 de abril de 2015 às 12:47

Anotei tua vocação para a escove ou graxa ou puxa saco no futebol!
Não é preciso tanto...
Entendemos desde que tua filha e jogadora esteja bem, está tudo bem ao menos é grato.. se é bom para a equipa ou não pouco importa...
Parabéns à equipa e todo Staff técnico..

Anónimo disse...

Acho fantástico que o Professor ADC tenha tido um desprezo absoluto pela vertente feminino, o tenha afirmado muitas vezes nas aulas, em tom de graçola, ao contrário de colegas seus da mesma instituição como é o caso do Zé António e da Luísa Estriga e que agora venha aqui felicitar o sucesso do feminino.
Quanto mais vivo mais me espanto!

Anónimo disse...

O Andebol feminino tem vindo a crescer de forma sustentada desde que esta direção da FAP tomou posse. Escamotear esta realidade é simplesmente desconhecer em absoluto a realidade do andebol feminino no nosso país.
Não é preciso fazer grandes investigações, basta trabalhar no feminino, como muitos de nós trabalhamos, para perceber que o feminino só passou a ter identidade com esta direção da FAP. Antes desta direção eramos as gajas que deviam estar em casa a lavar a loiça, com esta direção somos atletas de andebol. Não parece mas é uma grande diferença!
Concordo com o que escreve o Sr. Manuel Pizarro, que nem precisa de favores, pois a filha dele está na seleção por direito próprio, porque tem muita qualidade, mas realmente dissociar este sucesso do trabalho que a FAP tem vindo a realizar só cabe na cabeça de alguns iluminados sem emprego, nem norte no andebol.
Parabéns ao Prof Carlos Pires, um desconhecido, carregado de humildade, que tem muito para ensinar a quem quiser aprender. Parabéns aos clubes que tem vindo a fazer um excelente trabalho, dando espaço de competição a estas jovens no campeonato sénior feminino, parabéns às jovens que mereceram tudo o que conquistaram e sim, parabéns à FAP, que tem feito um trabalho fantástico de fomento e promoção do andebol feminino (e masculino)e que começa a recolher os frutos dessa grande aposta.

Anónimo disse...

20 de abril de 2015 às 18:43
anonimo

Espantoso agora querem meter os treinadores do masculino no Feminino e falam do que não sabem?.
Parabéns ao andebol feminino dos Clubes e nos Clubes e todo o entusiasmo verificado com resultados futuros na qualificação para as respectivas fases finais europeias dos escalões jovens. Mas não é fácil chegar ao Podium..
nota: como dizia o JVC os recadeiros são mais que muitos mas não jogam.. fazem papel de vulgares pessoas!

Anónimo disse...

20 de abril de 2015 às 18:43
anónimo?

Esqueceu-se do Carlos Resende e António Ferreira!acho fantástico, só má memória e tratar um pof.Univ. por Zé António /ex Benfica) não fica bem ao amigo Augusto&Pereira!
Evandro

Anónimo disse...

Parabéns ao STAFF técnico das Selecções Femininas Sandra, Pires e Ana pelo excelente trabalho realizado e com sucesso e continuado, vale a pena apostar em treinadores empenhadas e vontade de valorizar as jovens atletas com vista à Selecção Nacional "A".
Quem durante anos não apostavam nas selecções femininas foram os presidentes anteriores, esta direcção está a apostar e obtendo resultados, mas algo se passa nas Selecções jovens masculinos que depois do Rolando Freitas.. foi tiro e queda , perdemos um grande TR/formador de atletas de futuro e ganhamos um treinador Sénior com dificuldades em obter bons resultados!.
Já me faz lembrar o nosso Carlos Queirós no Futebol!
Porque não equacionar e reorganizar todo o departamento das Selecções com um Director Técnico Nacional(DTN) e reajustar os treinadores e treinadoras para maior sucesso!
Abraço
ADC

Anónimo disse...

No departamento das Selecções Femininas falta um Director Desportivo tipo Coaching para poder valorizar e aconselhar as nossas treinadoras no desempenho das suas funçoes. falo do Jorge Rodrigues para alem de uma larga experiência como treinador Mas., agora até com experiência de treinador fem. no ABC e com sucesso.
Joninhas

Anónimo disse...

21 de abril de 2015 às 15:33
anónimo
Boa ideia, as treinadores com certeza aceitavam tal apoio com vista a reforço de melhores resultados, assim como uma questão:
Porque será que a nossa FPA não ter Director Técnico Nacional! sabe-se porquê? assim mandam todos e nas costas uns dos outros decidem...
Está na hora de congresso do Andebol onde se poderia discutir e propor uma melhoria bem diferente na nossa modalidade.