gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

segunda-feira, 18 de maio de 2015

PO09 - Play Off e Grupo “B” - No Feminino – 29 – 2014 / 2015

Mais uma Crónica dedicada ao Feminino, aos jogos do Play OFF (Grupo “A”), mas igualmente aos jogos do chamado Grupo “B”.
 
PO09 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Femininos.
 
Grupo “A”
Play OFF 1/2 Final – Apuramento do 1º ao 4º lugar
 
APURADOS OS FINALISTAS
MADEIRA SAD E ALAVARIUM
 
1.º Jogo
Dia 09-05-15
Colégio Gaia 30 – 25 Alavarium
João Barros 26 – 28 Madeira SAD
2.º Jogo
Dia 16-05-15
Alavarium 25 - 21 Colégio Gaia
Madeira SAD 29 - 19 João Barros
3.º Jogo
Dia 17-05-15
Alavarium 28 – 20 Colégio Gaia
 
Resultados Da eliminatória
Alavarium – Colégio Gaia – 2-1
Madeira SAD – João Barros – 2- 0
 
Apurados para 3/4 Lugar
João Barros e Colégio Gaia

Apuramento do 5.º ao 8.º Lugar

1.º Jogo
Dia 09-05-15
Juventude Lis 21 – 25 JAC-Alcanena
Dia 14-05-15
CS Madeira 25 –
29 Maiastars
2.º Jogo
Dia 16-05-15
Maiastars 30
- 25 CS Madeira
JAC-Alcanena 36 - 21 Juventude Lis

Apurados para 5/6 Lugar
Maiastars e JAC-Alcanena

Apurados para 7/8 Lugar
Juventude Lis e CS Madeira
 
Com os jogos disputados este fim-de-semana, ficaram definidos os finalistas, sendo um deles encontrado apenas no 3.º jogo o que apenas valoriza o sistema e a prova em si, assim como ficaram definidos todos os restantes jogos que irão definir a classificação final do 1.º ao 8.º lugar. Com apenas os jogos da final e da definição do 3.º e 4.º lugar a serem disputados á melhor de 3 jogos, e os jogos classificativos do 5.º ao 8.º lugar, a serem disputados, no sistema de Eliminatórias Europeias, dois jogos. De salientar que não se registaram ocorrências disciplinares nos jogos disputados. 
 
A Equipa do Madeira SAD, defrontou desta vez na Madeira a equipa das meirinhas e voltou a vencer, vincando a sua total superioridade, e com esta vitória, apurou-se imediatamente para a final, com duas (2) vitórias. A expressão do resultado final, traduz fielmente o que se passou em campo, e que é revelador da maturidade da equipa insular que ao intervalo já vencia por uns claros 13-8, vindo a aumentar ainda mais a diferença no decorrer dos segundos 30 minutos. Nota-se claramente que o João Barros está em “crise” de valores anímicos, cuja culpa no nosso entender é completamente exterior á equipa, mas afeta o rendimento da mesma. Cláudia Aguiar com 7 golos e Erica Tavares com 5 golos, foram as marcadoras de serviço nas insulares, no João Barros, Eduarda Pinheiro com 5 golos foi a sua melhor marcadora. Com este resultado a equipa das meirinhas irá discutir o 3.º e 4.º lugar da classificação final. 
 
No outro jogo que envolveu uma equipa da Madeira, o CS Madeira deslocou-se á Maia, para discutir como Maiastars, qual das duas equipas irá estar presente nos jogos que definem o 5.º e o 6.º lugar. A equipa do Maiastars, que no 1.º jogo disputado na Madeira, dominou totalmente o jogo, com uma boa gestão do seu plantel, encarou este jogo, talvez com demasiada confiança, e nunca atingiram os níveis evidenciados na jogo anterior, por culpa diga-se desde já de uma substancial melhoria competitiva da equipa madeirense, e apesar das maiatas comandarem praticamente o marcador durante os 60 minutos, a sua vantagem nunca superou os 6 golos, já no segundo período de jogo (23-17), depois de chegar ao intervalo na frente do marcador por 16-11, precisamente o mesmo diferencial que se registava no final do encontro. Maria Cerqueira e Ana Silva com 7 golos, bem acompanhadas pela regressada Diana Oliveira com 6 golos, foram as melhores marcadoras do Maiastars, enquanto e mais uma vez Sara Gonçalves do CS Madeira com 9 golos, foi a melhor marcadora do encontro e do jogo. Co esta vitória o Maiastars irá disputar os jogos para definir o 5.º e o 6.º lugar.
 
Em Alcanena o JAC, voltou a defrontar a Juventude Lis, num jogo sem grande história, tal a superioridade evidenciada pela equipa local, durante os 60 minutos, vencendo por um assinável diferencial, uma equipa que nunca ofereceu uma réplica condigna, a não ser quando o JAC, começou a fazer gestão do resultado e do marcador, que no final dos primeiros 30 minutos já registava um resultado de 20-6 a favor do J Em Leiria a Juventude Lis defrontou o JAC-Alcanena, no jogo da 1.ª mão da eliminatória que decide os lugares do 5.º ao 8.º Lugar. Neuza Valente com 7 golos, Rita Alves e Mihaela Minciuma, ambas com 6 golos foram as marcadoras de serviço do JAC. Na Juventude Lis, Inês Luís com 9 golos foi a melhor marcadora da sua equipa e do jogo. 
 
Em Alavarium, disputou-se o segundo jogo da semifinal, que colocava, frente a frente a equipa local e o Colégio Gaia, vencedor do 1.º jogo, pelo apenas a vitória da equipa da visitada, lhe interessava, para levar a eliminatória para o 3,º jogo. Diga-se que o jogo mereceu “honras” de Andebol TV, com uma boa transmissão e com comentários a propósito até acerca da arbitragem, situação com a qual nos congratulámos. Num pavilhão cheio de um publico entusiasta, por vezes até demais, assistiu-se a um excelente jogo de andebol, com a equipa do Alavarium a retificar todo o seu processo defensivo, dando uma melhor resposta ao ataque sistematizado do Colégio Gaia. Esta retificação de processos permitiu ao Alavarium também melhorias no seu processo ofensivo, que se refletiram na melhoria de rendimento em especial nos ataques rápidos. No entanto o jogo foi disputado com grande equilíbrio, e várias vezes se registaram igualdades no marcador e situações de alternância, pois o Colégio Gaia comandou nos minutos iniciais de jogo, até cerca dos 8 minutos, para posteriormente o Alavarium assumir o comando e voltarem a registar-se novas igualdades no marcador, o intervalo chegou com o resultado em 15-13 a favor das locais. Nos segundos 30 minutos, excelente reação do Colégio Gaia, superiormente comandadas pela experiente Fernanda Carvalho (6 golos), restabeleceram a igualdade cerca dos 40 minutos, e cercados 42 venciam por 18-17, com o Alavarium a igualar a 18 (beneficiando do único grave da dupla de arbitragem, que atribuiu uma reposição pela lateral ao Alavarium, quando a guarda-redes nem toca na bola, é totalmente “poste”). Depois da última igualdade a 19 golos registada cerca dos 45 minutos de jogo, a equipa do Alavarium assumiu o comando do jogo e do marcador, até final do encontro. Com esta vitória a definição do segundo finalista fica adiada para o terceiro jogo. Neste encontro uma referencia especial para Irina Vieira na Baliza do Colégio e para Andreia Madail na Baliza do Alavarium, que estiveram muito bem, tal como Ana Rita Neves (5 golos) no Alavarium, e as rematadores Mariana Lopes com 8 golos, as por vezes sem discernimento e Mónica Soares igualmente com 8 golos, No Colégio uma referência também á jovem Vanessa Silva com 5 golos e para Helena Soares (2 golos), mas uma lutadora incansável e para Ana Filipa Gante (4 golos), mereceu “honras” de marcação individual. Uma referencia para os 8 livres de 7 metros (apenas converteu 4) de que beneficiou o Colégio Gaia, fruto na maior parte deles da grande experiencia da sua pivot Bebiana Sabino.
 
Novamente em Alavarium, que mais uma vez registou excelente e entusiástica assistência, a equipa visitada recebeu mais uma vez o Colégio Gaia no 3.º e decisivo jogo, para definir, quem seria o outro finalista da prova. O Alavarium, que conforme já o tinha feito no jogo n.º 2, retificou completamente o sistema defensivo, tornando-o bastante mais agressivo e eficaz, controlando em absoluto as melhores marcadoras, e jogadoras do Colégio, em especial a sua pivot Bebiana Sabino, iniciou o jogo da melhor forma e cerca dos 7 minutos de jogo vencia por um parcial de 5-0, para cerca dos 15 minutos de jogo vencer por 8-2, com uma Isabel Góis na Baliza, fazendo uma excelente exibição durante todo o jogo, inibindo muitas das vezes as adversárias, tal era o seu acerto. Uma referência também para a prestação da Irina Vieira que foi bastante positiva, e que a sua defesa foi na nossa opinião a grande culpada da maior parte dos golos que sofreu. O resultado ao intervalo situava-se em 13-9 a favor do Alavarium, e refletia uma melhoria na prestação ofensiva do Colégio, onde se deve destacar a grande exibição da pequena Helena Soares (5 golos), jogando sempre onde era necessário e demonstrando uma “raça”, que não é muito comum, ou por outra teve na sua adversária Ana Moreira (5 golos) a sua maior rival em termos de entrega ao jogo. A equipa da Região de Aveiro controlou o jogo e o marcador durante os 60 minutos, pelo que a sua vitória não tem qualquer discussão. Retirando o resultado final o maior diferencial registou-se cerca dos 36 minutos de jogo (7 golos), mas mais uma vez o Colégio, reagiu e cerca dos 51 minutos o diferencial estava reduzido a 3 golos (21-18), apesar de se começar a notar algum cansaço na equipa de Gaia, onde Fernanda Carvalho (4 golos), se inibia em demasiado em rematar, no lado contrário Mónica Soares (6 golos), não esteve tão assertiva como costuma ser dando por vezes a sensação de estar distante do jogo. Quem esteve em pleno no Alavarium foi Filipa Fontes (9 golos) e melhor marcadora do encontro, demonstrando uma rapidez impressionante no contra-ataque e nos ataques rápidos, sendo bem acompanhada por Mariana Lopes com 6 golos. A partir dos 55 minutos (24-18), assistimos a um baixar dos “braços” da equipa do Colégio Gaia, pois sentiu que a eliminatória lhe estava a fugir. Com todos os condicionalismos existentes e que lhe foram colocados Bebiana Sabino com 5 golos ainda foi uma das melhores marcadoras do Colégio. Neste encontro uma palavra para a arbitragem que teve uma atuação do mais positivo que lhes temos visto fazer esta época. E repetimos o que se escreveu, sobre os comentários do jogo anterior. Diga-se que o jogo mereceu “honras” de Andebol TV, com uma boa transmissão e com comentários a propósito até acerca da arbitragem, situação com a qual nos congratulámos. E assim teremos uma repetição da final da época passada.
 
Grupo “B”
4.ª Jornada
Dia 16-05-15
ARC Alpendorada 31 - 25 Passos Manuel
CA Leça 22 -
24 Juventude Mar
 
Parece que fomos ouvidos em parte pelo CA, verificando-se um maio cuidado nas nomeações para esta fase da prova. De realçar o comportamento das equipas foi de forma a que não se registasse qualquer ocorrência disciplinar.
 
O CA Leça, que até ao momento apenas registava vitórias nos jogos disputados nesta fase, foi surpreendido pela equipa que já toda a gente dava como “condenada” á descida de divisão a Juventude Mar, que obteve uma excelente vitória em Leça. A equipa de Esposende com esta vitória totalmente construída no primeiro tempo que terminou a vencer por 12-10, exatamente a mesma diferença que se verificava no final do encontro, que foi sempre disputado nos limites. Com esta vitória a equipa de Esposende, continua não dependendo apenas dela própria para evitar a descida de divisão, mas dos resultados conjugados das outras equipas. Mais uma vez, Cristiana Morgado com 8 golos foi a melhor marcadora do encontro e do CA Leça, enquanto Teresa Santos, da Juventude Mar, apesar de ter sido desqualificada, ainda foi a melhor marcadora da equipa com 5 golos, numa equipa onde existiram várias atletas a concretizarem golos. 
 
Em Alpendorada a equipa local confirmou o favoritismo que lhe era atribuído ao vencer o Passos Manuel, e dando desta forma um grande passo na direção mais correta para evitar a descida de divisão. A equipa do ARC Alpendorada que construi o seu resultado totalmente nos 30 minutos iniciais, chegando ao intervalo a vencer por 18-12, precisamente a mesma diferença que se verificou no final do encontro, onde o Passos Manuel, nunca esperou que o seu adversário entrasse tão forte no jogo. Maria Coelho e mais uma vez Tânia Braga, ambas com 6 golos, foram as melhores marcadoras do Alpendorada, enquanto no Passos Manuel as “suspeitas” do costume Carolina Santos e Cátia Santos, respectivamente com 8 e 7 golos, foram mais uma vez as melhores marcadoras da equipa. O Passos Manual, também está dependente da conjugação de resultados das suas adversárias para poder evitar a indesejada descida de divisão. 
 
Classificação do Grupo “B”, após esta Jornada: 1.º CA Leça (26 pontos), 2.º ARC Alpendorada (24 pontos), 3.º Passos Manuel (23 pontos), 4.º Juventude Mar (21 pontos). 
 
O Noticias

25 comentários:

Anónimo disse...

A crónica do JAC está bem feita por acaso.

Anónimo disse...

Incrível como nas fotos do final do jogo aparece Ana Seabra na equipa técnica. Vergonha uma selecionadora ao serviço de um clube! A FAP não ponha mão nisto não...

Anónimo disse...

Uma palavra apenas para o estado lamentável do piso do pavilhão do Alavarium. Incrível como se permitem jogos com aquele piso...enfim...opções...

Anónimo disse...

Piso no Alavarium horrível. COndições no pavilhão do Gaia miseráveis onde não há espaço entre os bancos e as linhas laterais.
Vi ao vivo em Gaia o jogo e vi o terceiro jogo via TV em Aveiro, excelentes comentários.

Anónimo disse...

(beneficiando do único grave da dupla de arbitragem, que atribuiu uma reposição pela lateral ao Alavarium, quando a guarda-redes nem toca na bola, é totalmente “poste”)

A reposição foi favorável ao Colegio de Gaia, e foi o colégio que (beneficiou do erro e passou para a frente do marcador nesse lance), remate da Helena Soares

Anónimo disse...

Realmente não se compreende que a Ana Seabra, seleccionadora nacional, apareça nas comemorações da equipa do alavarium... mas já não é de hoje que isso acontece, pois ela até o grito vai dar com a equipa, num total desrespeito pelas outras equipas... em vez de andar a festejar, devia era ter estado a trabalhar, observando no local a última jornada das juniores, quer norte, quer sul.Não se compreende como é que tal é permitido pela FAP.

Anónimo disse...

Excelente jogo numa instalação desportiva abandonada há anos e mantém as mesmas características para a pratica do desporto há 4o anos!
Piso ? sem nenhum qualidade de adaptabilidade á velocidade do jogo, BALIZAS COM KILOS DE RESINA NOS POSTES E TRAVES E NINGUÉM SE RESPONSABILIZA PELA SUA MANUTENÇÃO E LIMPEZA, LUZ PÉSSIMA E LA SE VAI JOGANDO...
- Vencedor justo mas andarem varias treinadores da FPA Ana Seabra(antiga atleta do ALAV. e do S. Bernardo Tr. Ulisses Pereira à volta da equipa e lógico ajudar de vencida um jogo decisivo compreendo mas o bom senso a ética estiveram longe..
Mas mais grave qual foi o papel dos responsáveis da mesa do jogo, qual foi o papel dos responsáveis do Colégio de Gaia!
O Andebol Feminino tem que ter maior autenticidade e legitimidade fora e dentro do campo!
Juvenal

Anónimo disse...

Encontra-se um erro na vossa crónica: "enquanto Teresa Santos, da Juventude Lis, apesar de ter sido desqualificada," não é da Juvelis mas sim da Juvemar.

Anónimo disse...

As estrelas do Colégio de Gaia foram humilhadas em Aveiro!

Anónimo disse...

Onde fica Alavarium?
Deviam corrigir o texto, trocando "Em Alavarium" por "Em Aveiro, o Alavarium"

Anónimo disse...

Parece que acabou a gasolina ao Cale.
Ou talvez não, já que a refinaria fica tão perto.
Talvez tenha voltado tudo ao normal.
Já que só se esforçam nos jogos de aflitos, importa recordar que a descida ainda é uma possibilidade real.
A próxima jornada com o Alpendurada é uma verdadeira eliminatória.

Anónimo disse...

"humilhadas em Aveiro"? pela linguagem deve ter sido este anónimo das 16:14 a atirar objectos para dentro do recinto de jogo... humilhação era se estas atletas 100% amadoras não tivessem dado o seu melhor, se a seguir a um dia de trabalho não fossem treinar, se a seguir a uma semana de trabalho não fossem jogar... Estão portanto de parabéns pela excelente campanha efectuada (chegaram a assustar algumas equipas a caminho da profissionalização...)

Anónimo disse...

Engraçado, as estrelas do Alavarium tinham sido humilhadas em Gaia na semana passada. O andebol tem destas coisas, quando menos se espera existem "humilhações".

Anónimo disse...

Querem ver que o Gaia perdeu por causa do mau piso, da fraca iluminação do pavilhão, pelas balizas terem resina nos postes e por causa dos adeptos da casa? Se calhar até dizem que perderam por macumba... Sejam é humildes. Ganharam ao alcanena que nem sequer treina e ja pensavam que eram as melhores do mundo. E depois ganharam o primeiro jogo e o ego não parou de subir e depois pumba cairam na realidade. Mudem de mentalidade e de treinadora. Amadores? Tirando a SAD somos todos amadores não se venham fazer de coitadinhas.

Anónimo disse...

O Colégio de Gaia é uma máquina destruidora de atletas com talento. Devia até ser caso de um estudo sério, como é possível a equipa que mais aquisições fez em todos os escalões, desde iniciadas até seniores não ganhar absolutamente nada: infantis, estão na série dos últimos, iniciadas foram o bombo da festa, a super-equipa de juvenis nicles e a de juniores, mais uma vez, ficou a mamar no dedo! seniores, a correr bem, ficam em 3º... Nem no desporto escolar conseguiram ganhar! A outra questão séria é como é possível estas atletas terem lugares cativos nas seleções?
Oh dias de tormenta!
Para a próxima época preveem-se mais 50 aquisições para o Gaia, todas como é habitual a custo zero, com promessas de lugar cativo nas selecções e um lugar gratuito na escolinha do colégio!

Anónimo disse...

A sério? Atiraram objectos para o recinto de jogo? E não houve relatório disciplinar?????????

Ou têm todos o mesmo critério e pagam todos por igual, ou então existe mesmo perseguição..........

Anónimo disse...

A sério? Atiraram objectos para o recinto de jogo? E não houve relatório disciplinar?????????

Ou têm todos o mesmo critério e pagam todos por igual, ou então existe mesmo perseguição..........

Anónimo disse...

Mas afinal a FAP está ao serviço de quem?

Não paga aos Selecionadores Nacionais e a alguns Presidentes de Associação? Não são remunerados?

Qual é a sua obrigação? Apoiar os Clubes a que estão ligados e falhar as suas responsabilidades federativas nas funções porque são pagos pela Federação, ou acompanhar as equipas de coração e Associação, em dias de eventos importantes.

Alguém aqui escreveu num post anterio, que o Presidente da Associação de Leira, no 3º Jogo/decisivo entre João Barros e Maiastars, esteve no pavilhão a "assistir" ao jogo e a movimentar-se durante o intervalo. A sua função como assalariado, não seria estar no mesmo dia a acompanhar a Seleção Nacional Sénior Masculina em Gaia, num jogo de Apuramento importante para a Federação? O seu Chefe não o convocou? Que desculpa terá dado para não comparecer em Gaia nesse mesmo dia?

E desde quando é que uma Selecionadora Nacional se torna isenta quando tem estes comportamentos? Não se colocará a jeito de criticas? A Federação não toma medidas? Quando começa a contratar gente com comportamentos éticos, e que possam ser um modelo de orientação para as atletas? Como jogadora todos respeitamos (acho eu), como selecionadora tem que ter "juízo". Desculpem, não é compativel o comportamento.

Mas no Feminino, parece-me mais do mesmo, tivemos uma Selecionadora que aliciava as atletas com a "cenoura" Seleção, para conseguir recrutar novas atletas para o seu Clube. Com este comportamento não estará a Selecionadora a colocar-se numa posição idêntica?


Tudo isto parece falta de atenção ou como em países evoluídos lhe chamam, corrupção, tráfico de influências, mas como cá, num país em que tudo passa impune, e até em que parece que o Patrão fecha os olhos... ou não se querem incomodar, ou não existe controle sobre s funções desempenhadas pelos seus ou porque interessa.

Alguém que possa explicar porque cada vez mais as coisas são feitas as claras e qualquer dia já será normal as ....anormalidades.

Anónimo disse...

Grande parte destes comentários destilam apenas frustrações e um ódio irracional. A agressividade verbal desta gente é algo que não deve ter lugar no desporto, muito menos no desporto amador.
É importante saber perder, da mesma forma que saber ganhar.
Percebo agora em parte a agressividade e o clima de crispação que existe nos escalões de formação.É este tipo de gente que afasta os atletas e os espectadores dos recintos desportivos.

Anónimo disse...

"no Feminino, parece-me mais do mesmo, tivemos uma Selecionadora que aliciava as atletas com a "cenoura" Seleção, para conseguir recrutar novas atletas para o seu Clube" - amigo, ela agora não é selecionadora, mas nas reuniões com os pais das atletas de outros clubes para as convencer a ir para o colégio de gaia, diz-lhes que tem cota fixa nas seleções... e deve ser verdade, pois só assim se explica que nas convocatórias apareçam loureiro, resende, veiga, lima e afins!

Anónimo disse...

O CALE AINDA OLHA DE CIMA PARA BAIXO.....

Anónimo disse...

A sério? Só se for do 9º para o 12ª :-)

Anónimo disse...

Era bom que o pavilhão em Aveiro em muito mau estado e onde joga o Alavarium seja limpo e ver as lâmpadas fundidas para o jogo do titulo com a SAD Madeira.
o nosso Presidente da FPA tem amizades partidárias como Presidente da CMAveiro um tal Ribau!
Meu pedido que o aalvarium seja dirigido e treinado pelo seu treinador que está a fazer um excelente trabalho e dando seguidamente ao Treinador anterior UPereira.
Boa jornada para o Andebol Feminino

jorge vigilante

Anónimo disse...

No próximo fim de semana, o Cale vai continuar a olhar de cima para baixo, mas vai ser do 11º para o 12º.
O jogo com o Alpendurada é uma autêntica eliminatória.
Depois, no jogo com o Passos, vai perder.
Apesar de ter a refinaria lá perto, acabou-se a gasolina.

Anónimo disse...

Todos errados... Já se garantiu o 1º lugar, invejosos !!!