gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

domingo, 21 de junho de 2015

PO14 e PO15 – Encontros Nacionais de Infantis Femininos e Masculinos – 2014 /2015 - IV

Conforme já é do conhecimento publico desde a época de 2012 /2013 estas provas, sofreram uma forte alteração, deixando-se de designar por Campeonatos Nacionais, passando a designar-se em boa hora por Encontros Nacionais. E esta época, realizaram-se em simultâneo, e no mesmo local, proporcionaram um extraordinário espetáculo e convívio entre os jovens, embora exista sempre (entre os adultos) alguma competitividade.

Felizmente deixou de haver número máximo para passar a ser “prevista”, e assim esperamos que continue.

O Encontro Nacional, realizou-se de 18 a 21 de Junho em Leiria, sendo realizados 156 jogos, divididos por nove (9) campos, com a presença de cerca de 1200 praticantes

Prova Feminina, PO14Participam 24 equipas (60 jogos)
VENCEDOR LAGOA AC

Teve como vencedor o Lagoa AC, que venceu na final o JAC-Alcanena por 21-18, e que assim sucede ao CS Madeira vencedora na época anterior.

Classificação Final – 1.º Lagoa AC, 2.º JAC-Alcanena, 3.º CA Leça, 4.º Juventude Mar, 5.º Juventude Lis, 6.º ND Santa Joana, 7.º CP Vacariça, 8.º Porto Salvo, 9.º Didáxis A2D, 10.º CS Madeira, 11.º S. Félix Marinha, 12.º Douro AC, 13.º ARC Alpendorada, 14.º Porto Alto, 15.º AA Espinho, 16.º Gil Eanes, 17.º ACD Monte, 18.º B. Perestrelo, 19.º CC Ansião, 20.º Alavarium, 21.º GD Chaves, 22.º S. Pedro Sul, 23.º ASCD SM Mato e 24.º SIR 1.º Maio.

Conforme informação no Portal da FAP, existiu neste encontro o prémio de Fair Play (entregue por Pedro Portela), a equipa do Porto Salvo, este é um prémio cujo valor simbólico é enorme, a quem teve a ideia os nossos parabéns. 

Prova Masculina PO15Participaram 32 equipas (96 jogos)
 
VENCEDOR SPORTING
 
Teve como vencedor a equipa do Sporting, que venceu na final o Águas Santas por 20-19, e que assim sucede ao São Paio de Oleiros vencedor na época anterior.

Classificação Final – 1.º Sporting, 2.º Águas Santas, 3.º SC Espinho, 4.º Póvoa do Varzim, 5.º SP. Oleiros, 6.º CCR Fermentões, 7.º B. Perestrelo, 8.º Santo Tirso, 9.º ABC, 10.º Benfica, 11.º Boavista FC, 12.º Ginásio Sul, 13.º CA Barrosas, 14.º Colégio Carvalhos, 15.º Vela Tavira, 16.º CD Feirense, 17.º Almada AC, 18.º SC Horta, 19.º Évora AC, 20.º IPG Guarda, 21.º AC Sismaria, 22.º S. Pedro Sul, 23.º NA Penedono, 24.º Alto Moinho, 25.º ADC Benavente, 26.º Juventude Lis, 27.º União Progresso, 28.º Lagoa AC, 29.º GC Tarouca, 30.º Zona Azul, 31.º Samora Correia e 32.º SIR 1.º Maio.

Conforme informação no Portal da FAP, existiu neste encontro o prémio de Fair Play (entregue por Pedro Portela), a equipa do GMD União e Progresso, este é um prémio cujo valor simbólico é enorme, a quem teve a ideia os nossos parabéns.

Uma referência para o quase total cumprimento de todas as atividades paralelas, e que constituíram um êxito que não pode nem deve ser ignorado, transformando estes encontros em verdadeiras festas do Andebol (não fossem as condições de temperatura verdadeiramente adversas que se registaram), bem como para os pavilhões onde se registaram excelentes molduras humanas, numa prova inequívoca de que o Andebol é uma modalidade de referência no Desporto Nacional.

De referir, que face às temperaturas que se registaram, e que deram origem a adiamentos de jogos nos campos instalados no Estádio, existindo até segundo informações que chegaram até nós, atletas a desmaiar e 3 atletas femininas a necessitarem de ida ao hospital, todas estas situações deram origem a que muito provavelmente, as atividades culturais previstas para o dia 20, tivessem de ser adiadas, por existiram jogos a iniciarem-se às 22H00, o que consideramos um facto negativo

Lamentamos não ter informações sobre as arbitragens, pois não foi divulgada, qualquer atividade para as mesmas e sobre as mesmas, o absurdo silêncio com que temos sido presenteados, continua a ser o lema em vigor. Felizmente o documento de apresentação da prova diz que estarão 28 árbitros

Uma última palavra, para as boas reportagens, feitas sobre estes encontros, no sitio da Federação, embora com a omissão natural dos factos menos bons que tenham ocorrido.

O Formador

27 comentários:

Anónimo disse...

Ao que parece não houve casos com arbitragens...
Ao menos houve mais pureza que nos seniores!

Anónimo disse...

Apuramento 5/8
Parece que o SIM Porto Salvo fica à frente do CP Vacariça, erro grave que interfere na classificação final...

Anónimo disse...

E há mais classificações erradas...

Anónimo disse...

~Poucos arbitros para tantos jogos e funcionou mal os boletins on line.

Anónimo disse...

há classificações erradas, porquê? se sabem digam o motivo ou só se critica por criticar.

Anónimo disse...

Aquilo que seria uma ideia fantástica, juntando a comnpetição de infantis masculino com a de femininos, proporcionando um convivio e uma grande fest ado andebol acabou por se tornar numa enorme trapalhada fruto de amadorismo que impera na FPA.
Não sei bem o que passou pela cabeça dos responsaveis da FPA mas marcar este encontra para Leiria em fimnais de Junho não deveriam de estar á espera que chovesse ou estivessem temperaturas primaverais.
A FPA montou dois pisos sintéticos de muita boa qualidade na pista de tartan do estadio Municipal de Leiria mas não se lembraram que o local estarai exposto ao sol durante grande parte do dia pelo menos até as 19 horas.
Com foram marcados jogos para a parte da manha e fim da tarde assistiu-se a tudo desde atletas e arbitos a desfalecer até guarda redes de boné e arbitos de óculos de sol.
Para agravar decidiram apenas fornecer 6 litros de agua por equipa e jogo.
Apenas ao segundo dia nos jogos masculinos da manhã, porque a dupla de arbitos se recusou a apitar, cancelaram os jogos e transferiram para dosi pavilhãoes que estariam de reserva se chuvesse.
Enfim foi uma trapalhda de todo o tamanho com jogos marcados para as 10.30 a realizarem-se as 12.30.
Por fim alguém percebeu que podiam realizar-se os jogos à noite e as meias finais foram feitas nos estádio.
Sobre arbitragens muito haveria dizer tal a miséria qualitativa a que asssitimos.
Diga-se também que houve jogos em que os delegados à mesa não compareceram obrigando à utilização de representantes dos clubes.
Enfim foi lamentável e era excusado se a FPA de uma vez por todos entendesse a competição neste escalão como importante e respeitasse o empenho e dedicação que os clubles, pais e atletas lhe dedicam.


Anónimo disse...

Oh mentalidade mesquinha...Classificações? Mas isso interessa para quê nestes escalões? Vejam a alegria dos miudos e o ambiente e ...tirem conclusões sobre qual o caminho.

Anónimo disse...

Funcionou mal os boletins on line? O que funcionou mal foi existir boletins on line e classificações e pancada entre treinadores e pancada entre pais de atletas. isso é que funcionou mal!
Triste exemplo que treinadores e pais dão aos jovens!

Anónimo disse...

Onde anda a AAB que agora não mete títulos em nada? Em que lugar ficou nos iniciados? E nos infantis? Meteu os juvenis porque ainda é do tempo da outra senhora, pois no presente é só dizer mal dos árbitros e trabalho nada! Eram todos muito bons com o Padrinho por trás, este foi-se embora e o sucesso foi-se! Pode ser que a dizer mal da AAP consiga enganar os papalvos!

Anónimo disse...

Talvez um dos melhores encontros nacionais de infantis a que assisti até hoje. Alguns atrasos nos jogos normais num evento desta envergadura, muito por culpa de algumas equipas que chegavam tarde aos pavilhões. A formula de juntar masculinos aos femininos foi bonito e proporcionou um convívio engaçados entre os miúdos. Pena foi o calor excessivo, que obrigou a transferir jogos do estádio para pavilhões, mas isso são coisas que ninguém podia controlar. Os jogos no estádio à noite foram brutais, à semelhança do que se faz nos torneios dos países nórdicos.

Parabéns à organização.

Anónimo disse...

com que então comentários encomendados, basta ler o facebook da prova e vê-se os comentários. parabens aos muidos que fora o melhor da festa.

Anónimo disse...

Anónimo de 21 de junho de 2015 às 23:37

6 litros por equipa / jogo? Ainda assim tiveram sorte, pois muitos encontros onde fui tive de a comprar pois davam zero litros. Eu comprei mais para a minha equipa. Quem vai para o mar avia-se em terra. Isso é incompetência dos dirigentes.

Sobre o tempo, se tivesse o tempo que está hoje, 2ª feira, era brutal e já não se passava nada.

"Não sei bem o que passou pela cabeça dos responsáveis da FPA mas marcar este encontra para Leiria em fimnais de Junho não deveriam de estar á espera que chovesse ou estivessem temperaturas primaverais."

Se não marcassem para esta data marcava para qual? O tempo qual seria? Se não fosse para Leiria era para onde? Lá o tempo seria melhor? Isto realmente é criticar por criticar, ora porque chove ora porque faz sol.

O Sr. já foi a torneios no estrangeiro? Já viu como se faz lá fora? Aprenda.

Embora as equipas fossem responsáveis pelos transportes, conforme comunicado, a organização ainda assim colocou autocarros de serviço e até emprestou carrinhas a alguns. Fizeram mal?

Sobre as mesas: isto não foi uma competição.... foi um encontro.... e não se deixaram de fazer os jogos. Se o sr. é assim tão infalível, tente organizar uma coisa assim, encomende o tempo ao São Pedro e depois veja se é fácil....


Anónimo disse...

A minha equipa participou neste encontro e os meus atletas divertiram-se à brava. Convém dizer que nós não fazíamos parte do grupo de campeões que queriam ar condicionado e piso flutuante nos recintos. Queríamos mesmo é que os miúdos se divertissem.
Também tenho criticas a fazer à organização, que se viu com um problema de excessivo calor quer nos pisos abertos quer nos pavilhões e acabou por suspender uma noite de festa para realizar jogos à noite, onde devia ser a festa. Eu compreendo que 4 equipas que filmavam jogos uns dos outros, tiravam apontamentos exaustivos uns dos outros, que obrigaram os seus atletas a recolher fora do ambiente de festa para que não fossem minimamente perturbados com distrações que extravasavam o simples dever de ganhar fosse a que preço fosse, compreendo que essas equipas só quisessem jogar em ambiente de mate-se quem tiver que ser, para ganhar, mas não compreendo que a organização tenha sacrificado 50 equipas para satisfazer a vontade deste maus pedagogos do desporto. 1000 jovens não tiveram festa para 28 atletas poderem jogar. Digo 28, porque cada equipa tinha mais de doze no banco, que daria um total 50 ou mais atletas, mas era para bateram palmas aos que estavam a jogar! Foi assim em quase todos os jogos destes grandes pedagogos!
Foi giro o ambiente entre miúdos e miúdas, foi interessante este aglomerado de atletas, cometeram-se erros, mas no computo geral foi dos encontros nacionais que mais gostei e já participei em cinco. Claro que eu sou dos treinadores fraquinhos, que nunca ganho nada e fico sempre a meio da tabela. Possivelmente nem devo ter direito a opinar. Opinar devem ter direito apenas os treinadores que se envolveram em cenas lamentáveis, em pleno jogo, dando esse grande exemplo aos seus atletas. A verdade é que um deles foi campeão masculino e o outro fartou-se ele e a equipa dele, de ver cartões vermelhos ao longo do encontro. Mas ganharam!
Ouvi dizer que depois dos maus exemplos deste ano, que a FAP estava a pensar acabar com a formula de campeonato, com campeões. Eu peço que não façam isso, porque senão que será do futuro destes grandes treinadores campeões nacionais de infantis?

Anónimo disse...

Isto é um nojo de competição! A Federação não pode dizer que não viu, que não sabe, que ignora o quanto é nocivo para os jovens este tipo de competição. Acabem com a campeonite e deixem os jovens divertirem-se! Que pais horríveis e foram muitos. Que treinadores horríveis que foram muitos. Que pai horrível que eu sou porque não fui tirar o meu filho do jogo Sporting - C carvalhos, onde os treinadores deixaram uma imagem que os devia envergonhar toda a vida! Fui ouvindo comentários do que se passou noutros jogos com agressões e tudo, de arrepiar os cabelos.
Mas o que é isto? Mas o que é isto FAP? Que festa é esta? Como querem que o meu filho jogue andebol se vocês promovem este tipo de competição? O que vão fazer?

Anónimo disse...

Isto é um nojo de competição! A Federação não pode dizer que não viu, que não sabe, que ignora o quanto é nocivo para os jovens este tipo de competição. Acabem com a campeonite e deixem os jovens divertirem-se! Que pais horríveis e foram muitos. Que treinadores horríveis que foram muitos. Que pai horrível que eu sou porque não fui tirar o meu filho do jogo Sporting - C carvalhos, onde os treinadores deixaram uma imagem que os devia envergonhar toda a vida! Fui ouvindo comentários do que se passou noutros jogos com agressões e tudo, de arrepiar os cabelos.
Mas o que é isto? Mas o que é isto FAP? Que festa é esta? Como querem que o meu filho jogue andebol se vocês promovem este tipo de competição? O que vão fazer?

Anónimo disse...

Então e boatos?

Anónimo disse...

Para o anónimo de 22 de Junho de 2015 às 11:56
Sendo certo que podem sempre ocorrer imprevistos isso não desculpa minimamente a organização.
Se mais não fosse porque enquanto os dirigentes e apoiantes das equipas estavam em Leiria por carolice e a expensas próprias os senhores da FPA estavam em trabalho a receber ordenado, horas extras deslocações, abonos etc.
Logo temos todo o direito de lhes pedir responsabilidades e exigir que façam o seu trabalho com competência porque é para isso que lhe pagam.
Não me venha falar de torneios no estrangeiro porque isso pouco importa como o diz o povo com o mal dos outros posso eu bem
Sobre as cenas a que alguns se referem só vem uma vez mais provar a falta de responsabilidade e profissionalismo da FPA. Os treinadores em causa, efectivamente o do Sporting e o do Povoa são perfeitos anormais deviam ter sido imediatamente impedidos de continuar a orientar as equipas e posteriormente alvo de processos disciplinar.
Nada aconteceu e branqueou-se a situação.

Anónimo disse...

Reposta ao Anónimo de 22 de junho de 2015 às 15:58


Sobre os treinadores tem toda a razão. Não duvide que muita gente na organização, excepto FPA, estava também por carolice e a expensas próprias, fazendo o melhor que podia e sabia. Não haja dúvida que cada vez mais se devia tirar a "campeonite" destes encontros e os pais têm de se saber comportar, pois são eles que dão o (mau) exemplo aos futuros desportistas deste país.
O que eu não aceito é que se critique gratuitamente só porque sim. O calor foi realmente um problema, que se tentou resolver o melhor possível. Se se passaram jogos para a noite e não se fez festa é porque não houve festa, senão é porque não se faziam os jogos. etc. E caríssimo, falo mesmo no estrangeiro. Nos chamados países "evoluídos". Já viu como se faz o maior torneio do mundo em Gotemburgo. A Partille Cup. Como se faz em Granollers. Ou em Teramo. Acha que se adiam jogos na rua por causa do calor? Se calhar é mesmo de chapéu e muita aguinha. Se estivesse no sábado o tempo que está hoje, 23º e enublado tinha sido um sucesso, e todos diziam que tinha sido uma grande ideia.

E pais a criticar a alimentação, quando nem sequer a provaram, só porque sim. Não acredito que essa seja a opinião generalizada, pois sei o que uma maioria das pessoas disse. Mas no meio de 1200 participantes há sempre uns esquisitos e sempre quem queira falar mal.


Anónimo disse...

Não há perfeição neste tipo de coisas, portanto não correu tudo bem. No próximo vão melhorar aspetos que falharam neste e ocorrer falhas noutras vertentes. A minha equipa pagou 400€ para estar presente, fez as refeições todas desde quinta-feira, teve agua em todos os jogos, não teve sorrisos de todos os funcionários da FAP, que me pareceram exaustos, mas tivemos sempre respostas e soluções para os nossos problemas. Três dos nossos atletas divertiram-se à brava a passear todos os dias no autocarro descapotável. A grande preocupação deles era poderem ter lugar em cima!.
Vi dirigentes e técnicos que desde o 1º dia em que lá chegaram até saírem tiveram como preocupação única arranjar problemas. Alguns criticaram os jogos ao ar livre, criticaram os jogos à noite, criticaram a mudança de pavilhões e até criticaram os colchoes onde dormiram. Nada a fazer porque há gente realmente muito complicada. 400€ com direito a 8 refeições, com boa comida, dormida, transportes, diversão, agua, jogos e medalhas para todos, durante 4 dias pareceu-me um milagre. Para alguns pareceu pouco, que dizer? Cada um fica com a sua não é?
Quanto aos funcionários que estavam lá a ganhar o dinheiro deles mais horas, mais subsídios, mais um anel e diamantes para cada um no fim do torneio eu acho bem. Trabalharam, fizeram-no bem, merecem recompensa. Tenho pena de quem escreveu um comentário depreciativo destes funcionários, porque da forma como escreveu já vi que é um explorado, porque exerce a profissão dele como estes estiveram a exercer a deles, só que ao contrário dos da FPA, este nosso amigo não recebe pelo trabalho que presta. E assim eu compreendo que ele queira igualdade, ou seja ninguém recebe! Mas por acaso o que está errado não é os funcionários da FAP serem pagos pelo trabalho que prestam mas sim o contrário, este nosso amigo ser tão desgraçadinho que se sinta no direito de dizer mal de que trabalha e recebe por isso.
Espero que a FAP não retire a competição desta prova, porque não é por existir meia dúzia de treinadores completamente anormais, que devemos alterar o figurino. A FAP deve é retirar o estatuto de treinador aos treinadores que mais pareciam feras enjauladas durante os jogos. Quem eram? quase todos os que ficaram nos lugares da frente! E então ver um clube com o prestigio do Sporting ter um treinador daqueles à frente da equipa é de bradar aos céus! Que grande exemplo que este clube através do treinador deu em Leiria! Grande exemplo!

Anónimo disse...

não sou funcionário da federação, mas alguns dos comentadores, provavelmente até andaram a lamber-lhes as botas, a pedir favores, e fico admirado como conseguem saber tudo o que ganham, e até quantas horas diárias trabalham, pois provevelmente muitos dos que falaram, spaenas trabalham 35 semanais, e apenas 7 por dia, e aqueles que aliestavam, devem ter chegado a trabalhar 15 e mais, para tentarem que a alguns que aqui falam nada faltasse, ou tentarem minimizar o que estava a correr mal, pois verifico que algun dos aqui comentam o trabalho deles, devem ser os patrões expertos, que proavelmente nem a segurança social liquidam a quem trabalha, um pouco de juizo nas pessoas não lhes fazia mal de vez em quando.

Anónimo disse...

Em todos os comentários que li até agora encontro razões válidas para criticar a organização. Eu também vou por aí! Pavilhões bons e outros menos bons!(como em todo o lado) Pisos num enorme estádio! (que grande ideia, pena o clima).Alimentação mais que razoável! Enorme realização da cerimónia de abertura! Grande equipa da FAP (enormes profissionais)!Colaboradores muito simpáticos e disponíveis! Arbitragem insuficiente para o número de jogos e falta de acompanhamento visível! Pais do pior que a educação precisa! Treinadores autênticos malfeitores cujos pais são criminosos por permitirem que os filhos sejam acompanhados por gente desta! Cerimónia de encerramento com ritmo aceitável face às condições! Ninguém percebeu o papel desempenhado por um senhor ,que segundo as informações recolhidas, era um alto dirigente da FAP e que passou o tempo todo a atrapalhar e com demasiada preocupação em ter protagonismo! A sua ânsia de protagonismo teve o seu momento mais alto quando terminou o ENI rompendo o protocolo esquecendo até que tinha a seu lado o vereador da cultura e desporto da Câmara.Este senhor vereador que conheci durante a fase de alojamento onde resolveu situações da minha equipa e de muitas outras durante o evento e sem puxar dos galões transportou colchões de atletas ,etc. Pois bem o vereador não teve a mínima hipótese de se despedir formalmente daqueles a quem desejou uma boa estadia na chegada. Que falta de educação e verniz! Parabéns FAP por ter um dirigente deste perfil.

Anónimo disse...

Apenas quero deixar um "reparo":
Penso que o grande objetivo deste tipo de provas, é dar tempo de jogo aos pequenos atletas. Se não é, para mim deveria ser (independentemente dos resultados). Há equipas que chegam "aqui" com meia dúzia de jogos jogados, pois ainda há associações muito "pequenas", e vêm nesta prova uma possibilidade de "oferecer" aos seus atletas o que eles mais querem: JOGAR. Sendo este, para mim, o grande objetivo, acho que o tempo de jogo deveria ter sido conforme mandam os regulamentos da FAP. Ter 16 atletas para rodarem durante 50 minutos, é diferente quando os jogos passam para 40 minutos. Pior ainda foi o último jogo (no Domingo), o qual teve apenas 30 minutos. Fazendo as contas, em seis jogos previstos, cada equipa jogou efetivamente apenas 4 jogos completos de 50 minutos, conforme os regulamentos da FAP. Estes pequenos atletas divertem-se a jogar e apaixonam-se pela modalidade, jogando.

Anónimo disse...

é muito fácil criticar...sou do norte, nada tenho a ver com a federação, mas achei a ideia de juntar os femininos com os masculinos, fantástica! o local também foi excelente, apenas a notar que a fazer algo do género de novo, lembrar que um grande toldo por cima dos campos é uma boa ideia...esteja sol ou a chover...seja como for, lá se foram resolvendo os problemas com cenários alternativos e boa vontade! Estes encontros, que não são campeonatos (!) devem servir para educar estes pequenos, que serão os homens e mulheres de amanhã...a atitude que o jogador do Sporting - Salvador - teve na final, e que mereceu um vermelho foi uma vergonha para um clube como devia ser o Sporting! Ganharam um jogo, muito provavelmente, pela falta de carácter deste menino... os segundos que roubaram à outra equipa que se debateu com 2 homens feitos (não sei se repararam mas foram os únicos a marcar os golos), garantiu-lhes um título o que está errado!O castigo deveria ser uma desclassificação...porque desta forma, meus caros...o crime compensa!

Anónimo disse...

O Aguas provou do seu veneno ou o comentador esqueceu-se do que os seu meninos fizeram no jogo de apuramento para final contra o Espinho.
Presumo que sim logo vou lembrar-lhe:
O Aguas ganhava por 3 na parte final da segunda parte e é marcad uma falta a favor do Espinho só que a bola segue para o meio campo do Aguas e então o primeiro jogador simula que a vai apanhar mas no ultimo momento abra as pernas e deixa passar. O segundo repete a cena e o terceiro no caso o guarda redes copia o gesto e deixa a bola entrar na baliza.
O jogador do Espinho não teve outro remédio senão ir busca-la perante as risotas dos jogadores do Aguas.
Cá está uma prova do vosso fair-play. O jogador do Sporting fez o que tinha de fazer e se fosse ao contrario os vossos também o fariam a menos que fossem burrinhos.

Anónimo disse...

Alguém sabe por acaso a idade do jogador " de cor " do Sporting ???? ( identifico desta forma por náo saber mesmo o nome , e sem quaquer outra intenção). Ele pode ser tudo ,mas infantil náo é de certeza. A dúvida é se é juvenil ou eventualmente estará a passar a junior . Eu apostaria uns 17anos REAIS . Não é só por uma questão de estatura , é mesmo pela musculatura , feiçoes que ele tem ? O Salvador talvez ainda seja qualquer coisa maior , mas no entanto as feições são bem mais infantis .

Anónimo disse...

Anónimo de 27 as 10:36 o Daniel tinha 14 anos frescos quando participou na prova(sou da equipa) se tiver opurtonidade de o conhecer terá hipotese de ver que ele é muito cuidado com a sua alimentação treino e bem-estar fisico e mental e por isso é assim, para além disso tambem é muito boa pessoa. Portanto deixe-se de disparates.

Anónimo disse...

É ridiculo criticarem os jogadores e treinador do Sporting, quando todo o encontro foi os arbitros a levarem as eqipas do nrte ao colo, treinadores a conspirarem contra tudo, falam dos miudos mas os do aguas entre outros eram do mais arrogante que há.. enfim.. cuidem-se