gal vence

Euro Sub-17 Femininos (Lituânia), Portugal vence a Bielorrússia por 31-24, e está na final - Mundial Sub-19 Masculino Portugal derrotado pela Rússia por 33-26 - Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

quinta-feira, 2 de julho de 2015

História do Andebol Português - I

UMA VIDA, A MESMA PAIXÃO
(MIRCEA COSTACHE)
Tomamos conhecimento muito recentemente da existência deste livro, cuja leitura aconselhamos a todos os amantes da modalidade.
E para termos uma ideia, mesmo que “vaga” das pessoas que passaram pela modalidade e da forma como os assuntos eram tratados, publicamos um extrato da pág. 82, do livro que contêm um episódio “fabuloso” do pensamento que existia, e cremos que ainda pulula por muita boa gente.

Em oportunidade publicaremos, outros extratos que nos chegaram e que são verdadeiras peças de arte.

O Historiador

18 comentários:

Anónimo disse...

Foi nessa altura que o "CHINA" recebeu uma medalha do Marques Mendes ganha com uma seleção na Suiça, sem nunca lá ter estado.
Ou antes,esteve lá ao fim da tarde de um dia em que havia uma reunião da EHF e ele foi a Zurique à conta dos clubes.
Ao todo esteve ao pé dos dirigentes da seleção durante 7 minutos no átrio do hotel.
Não é verdade senhor Luis Santos?
BAY

Anónimo disse...

Bolas, só minutos?
Então o Carlos Queiroz, foi mais bem educado.
Esteve 15 minutos a beber uma cerveja com o Rui Coelho e deixou uma mensagem para os jogadores e equipa técnica.
UM DOS MENINOS

Miguel Ribeiro disse...

Demagogia em estado puro...

Anónimo disse...

Não conheço o Treinador em causa porque não é do meu tempo, mas, sempre que me deparo com situações como esta em que alguém aparece passados muitos anos a criticar quem quer que seja, depois de "tacho perdido" cheira-me sempre a má formação enquanto homem. Todos nós temos a mania que temos memória viva, só que essa memória viva por sistema é a memória do mal que nos fizeram e nunca do mal que fizemos aos outros, porque também fazemos ainda que muitas vezes de forma inconsciente. Treinador de seleção nacional deve, ou deveria ser muito mais que isto, pois deve ser "superior" intelectualmente. Lembro-me de estar com a minha equipa numa Gala organizada pela FAP, onde este senhor foi homenageado e também aí ele "cuspiu no prato", pois aproveitou o tempo de antena para criticar a direção da FAP do tempo dele, que nada tinha a ver com a direção que o homenageou.
Este escrito vale o que vale, não tenho qualquer opinião sobre o Sr. Carlos Cruz porque não o conheço sei apenas que é dirigente do Benfica, contudo, quando um ex-selecionador vem com estas "queixinhas" volvidos muitos anos fico apreensivo pois fica a nítida sensação que a direção que o elegeu possivelmente soube escolher um treinador, mas não soube escolher um HOMEM à altura das de treinador de uma seleção nacional.

Anónimo disse...

O Autor que esteve no nosso andebol, anos a mais deve ter muitas historia para contar do nossos dirigente federativo e porque tinha que fazer as convocatória a lápis para depois ser corrigida pelo Presidente Luís Santos e Carlos Cruz!

Anónimo disse...

O problema é que de lá até aqui nada mudou , ou se mudou foi para pior .
Escolhem selecionadores sem curriculum sem espinha , também tiveram treinador de guarda-redes e mandaram embora , continua-se a privilegiar doutores ou antigos cromos em detrimento de qualidade e verticalidade .

Anónimo disse...

Bom dia, fui treinado por MIRCEA durante o tempo que ele esteve em Portugal, não era um DONNER, mas este comentário só mostra onde os dirigentes federativos continuam a colocar o ANDEBOL de PORTUGAL, na 3 Divisão .

Anónimo disse...

O Ideal, era um ou outro dos idiotas que aqui escreveu, aplicar os seus conhecimentos em prol do Andebol Nacional, começando pelos clubes. Se trabalharmos bem nos clubes, as seleções serão uma beneficiadas por conseguinte. Opiniões temos muitas, sacrificios, é que temos poucos.

Anónimo disse...

3 de julho de 2015 às 09:10 anónimo
não disse nada e mais valia estar calado!

Anónimo disse...

Fico espantado com um ou outro comentário, bem sintomático do nível mental do nosso andebol ou então são meros "opinadores", ou distraídos.

Quanto ao autor em causa e para acalmar o desconhecimento puro, viveu e treinou muitos anos em Portugal, tanto ao serviço da Federação como em clube. Foi campeão internacional pelo seu pais e esteve nos poucos momentos de glória do Andebol nacional ao nível europeu. Sim dos poucos....

Talvez impaciente com uma certa mentalidade, que perdura ainda, e que pouco ajuda o nosso Andebol. Não era consensual com um certo tipo de academistas, mestres e afins.

Onde esteja, um abraço ao Costache.

Anónimo disse...

Escrevi o comentário de 3 de julho às 9.10 e queria pedir imensa desculpa ao comentador de 3 de julho às 17.21, porque muito sinceramente não pretendia ofende-lo, fosse de que forma fosse! Espero que com este pedido de desculpa se sinta reparado e reconfortado, pois acompanho este pedido de desculpa com a promessa que no futuro irei estar atento aos comentários que se escrevem, para de seguida escrever igual para não destoar.
As minhas sinceras desculpas!

Anónimo disse...

3 de julho de 2015 às 19:17
ANÓNIMO
CONTINUA A NÃO DIZER NADA, DEVE SER ESPECIAL DE CORRIDA E ANALFABETO!

Anónimo disse...

Nesse livro ele também assume a autocritica?
Espero que no livro que escreveu relate o excelente trabalho que desenvolveu aqui no Alentejo, onde veio parar depois das seleções. Como todos podem constatar foi tão bom, tao bom, que hoje há andebol por todo o Alentejo e um andebol praticado ao nível dos melhores do país. Não é verdade?

Anónimo disse...

Conheço o M. Costache.

Não era pessoa do mais ou menos, do bastidor.

Pelo que ganhou no Andebol e serviu a modalidade, foi um prazer conhece-lo.

Anónimo disse...

Os críticos do autor do livros fizerem melhor na Capital e no Portugal interior ?

Duvido. Mais dos mesmos.

Anónimo disse...

Ainda bem que ele já não anda cá por estas bandas, do pobre sul da Europa! Apesar que Espanha não está deprimida. Em Portugal os erros e os burros continuam... Na gala do andebol deste ano bem podiam criar o prémio de asno do ano. Depois do melhor batoteiro e por aí adiante! Quando vemos a tristeza e sujidade que, se perpetuam com alguns feiticeiros do burgo, enfim! Basta olhar para as convocatórias de seleções em TODOS escalões... Na maneira como foi decidido o principal campeonato do país, motivo de risota entre estrangeiros, depois de visionamento das imagens...
Vou parar! È que é sempre longa metragem! Este e Donner... Tinham razão!
Às carradas... Infelizmente! Digo eu Português apanhado nestes vendavais...

Anónimo disse...

Era bom que o referido Treinador Romeno CM conta-se os atropelos que teve na sua função de treinador e desseleccionar durante anos. Proibido de falar com os treinadores dos clubes principalmente alguns "personas no gratas" ao Senhor do Andebol Português!
As convocatórias a lápis e depois corrigidas pelo CC e opinião avalizada do sr. LS e ninguém piava nem os próprios jornalistas na altura com avenças da Presidência da FPA!
Os resultados foram pobres ou nenhuns e acabou por sair pela porta do cavalo!

Anónimo disse...


Este e o Donner fartaram-se desta Terra de Andebol.
Entendo, porque os fins não justificam os meios, e perdem-se os princípios. E as historietas e os personagens tipo repetem-se e perduram.