gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

domingo, 23 de agosto de 2015

Europeu de Sub-17 Feminino 2015 – X


EUROPEU FEMININO SUB-17
(Macedónia)
DINAMARCA CAMPEÃ DA EUROPA
PORTUGAL EM 13.º LUGAR
A PIOR CLASSIFICAÇÃO
DOS ÚLTIMOS ANOS 
Terminamos a participação Portuguesa no Europeu Sub-17 Femininos 2015, cuja Fase Final se iniciou na Macedónia no dia 13 e terminou em 23 de Agosto de 2015, com todos os encontros a serem disputados na Capital Skopje, Portugal com o seu comportamento desportivo, obteve a sua pior classificação ( ), nas últimas Fase Finais em que esteve presente (2011-11.º Lugar e 2013-4.º Lugar). Uma referencia final apenas para a classificação das equipas que constituíram o Grupo de Portugal na Fase Preliminar, que ficaram todas classificadas abaixo de 5.º Lugar.
Na disputa do 13.º ao 16.º Lugar, começamos a disputa destes lugares jogando com a República Checa, e finalmente fizemos um jogo que nos deu uma vitória a primeira na prova, num jogo que foi de algum equilíbrio até o resultado já no segundo período se encontrar numa igualdade a 16 golos, depois de termos terminado os primeiros 30 minutos a vencer pela vantagem mínima (11-10), mas com muitos erros cometidos. No segundo tempo, a partir da igualdade já referida, assumimos em definitivo o comando do marcador, e ao realizar um parcial favorável de 7-2, terminamos como vencedores, e assim iremos discutir o 13 /14 lugar. Mais uma vez (terceira consecutiva), Mihaela Minciuna foi considerada a MVP da equipa, que com os 10 golos marcados voltou a ser não só a melhor marcadora da equipa Portuguesa como do jogo. De assinalar o regresso de Diana Oliveira aos bons jogos concretizando 7 golos, e o bom trabalho em especial defensivo de Debora Moreno (2 golos), seriamos injustos se não fizéssemos uma referência positiva ao trabalho, das duas guarda-redes portuguesa, Ana Ursu e Isabel Cardoso. Agora vamos defrontar a equipa da Eslováquia na Disputa do 13/14 Lugar, uma repetição do jogo realizado na Intermediate Round e onde Portugal foi derrotado por 27-24, tendo na altura sido a primeira vitória da equipa da Eslováquia, desta vez Portugal , venceu, num jogo em que ambas as equipas, cometerem demasiados erros, conforme se prova aque com 7 minutos de jogo Portugal vencia por 1-0 , e aos 14 minutos o resultado era favoravel á Eslováquia por 3-1, no entanto Portugal com uma excelente reação, coloca o marvcaro em 8-3, com uma excelente exibição de Ana Ursu (MVP da equipa Portuguesa neste encontro), de tal foar que aos 25 minutos Portugal vencia por 11-5, tendo chegado ao fim dos primeiro 30 minutos a vencer por 13-8. A Eslováquia, com uma excelente reação no segundo tempo coloca o marcador na difrença minima aos 40 minutos (17-16), para igualar o encontro a 17 golos aos 43 minutos. Portugal decide a vitória nos 3 minutos finais. Mihaela Minciuna com 6 golos, juntamente com Neide Duarte e Diana Oliveira com 5 golos, foram a s melhoras marcadoras de Portugal. Com este resultado, Portugal Classifica-se em 13.º Lugar, terminando a sua participação com apenas duas vitórias na prova, o que consideramos muito pouco, para o valor global da equipa.

Resultados dos Jogos Cruzados (13 ao 16.º Lugar)
República Checa 22 – 27 Portugal
Eslováquia 25 – 17 Macedónia
República Checa 36 – 22 Macedónia
Portugal 27 – 24 Eslováquia

Resultados das 1/2 Finais e Final
Rússia 33 – 24 Hungria
Dinamarca 31 – 23 Roménia
3/4 – Lugar
Hungria 34 – 31 Roménia
Final
Rússia 24 – 25 Dinamarca

Classificação final 1.º Dinamarca, 2.º Rússia, 3.º Hungria, 4.º Roménia, 5.º Eslovénia, 6.º Croacia, 7.º França, 8.º Suécia, 9.º Alemanha, 10.º Espanha, 11.º Noruega, 12.º Holanda, 13.º Portugal, 14.º Eslováquia, 15.º República Checa, e 16.º Macedónia.

De salientar que a última campeã (Suécia), apenas se classificou em 8.º lugar, com a equipa da Rússia a disputar a sua segunda Final consecutiva, e mais uma vez foi vencida desta vez pela difrença minima, e a Dinarmarca a estar mais uma vez presente nas equipas melhores classificadas, sendo Campeã, depois de ter sido terceira classificada em 2013.

All Star Team
Guarda – Redes - Learke Sofie Tandrup Sorensen (Dinamarca)
Ponta Esquerda - Sarah Grunnet Sougaart (Dinamarca)
Lateral Esquerda - Karina Sabirova (Rússia)
Central - Matea Pletikosic (Croácia)
Lateral Direita - Antonina Skorobogatchenko (Rússia)
Ponta Direita - Maria Dudina (Rússia)
Pivot - Noemi Pasztor (Hungria)

MVP - Helena Elver Hagesoe (Dinamarca)
Melhor Marcadora - Maria Sorina Tirca (Roménia) – 55 golos, 7 jogos
Melhor Defesa - Kristina Joergensen (Dinamarca)

Depois o excelente comportamento em 2013, onde fomos a grande surpresa da prova com o 4.º lugar, onde tivemos uma atleta no “All Star Team” (A Lateral Esquerda – Sandra Santiago), onde a técnica portuguesa, mereceu referências especais no site da EHF, teremos de concluir que esta foi a participação da desilusão.

Os jogos foram transmitidos em Livestream através do link http://www.mk2015.ehf-euro.mk/live-stream-1/  

Arbitragem

A arbitragem portuguesa está representada pela dupla constituída por Marta Sá / Vânia Sá, que na Fase preliminar, esteve presente como suplentes em 3 Jogos e dirigiram 2 jogos (Espanha / Rússia e o Suécia / Eslováquia), na Intermediate Round dirigiram o encontro do Grupo I1, República Checa / Alemanha, seguindo-se o jogo da Main Round do Grupo M2, Dinamarca / França. Dirigiram posteriormente o Noruega / Alemanha, para a disputa dos jogos classificativos do 9.º ao 12.º Lugar, sendo suplentes ao jogo do 3/4 lugar (Hungria / Roménia), tendo tido um comprtamento onde a arbitragem portuguesa saiu dignificada.

Nota FinalUma referência aos excelentes Boletins Diários, que a organização emite diariamente no site da prova, ele próprio em si muito bem organizado.

O Noticias

3 comentários:

Anónimo disse...

Tivemos azar foi só isso.

Anónimo disse...

Quando é que se pode dizer que foi a pior classificação dos últimos anos, quando em 2013 sim, ficaram em 4º, em 2011 em 13º e nos anos anteriores nem sequer lá estiveram.
Simplesmente não estiveram lá muito bem na fase de grupos.
Temos que apoiar a formação no andebol. e pelo que vi temos aqui jovens que com algum acompanhamento poderão dar frutos no andebol feminino.

Jorge Almeida disse...

Não consigo compreender como é que esta equipa de Sub17, assim como as Sub19, fizeram excelentes qualificações para acabarem a fazer Fases Finais com esta qualidade.

É bom recordar que as Sub17 foram à Polónia roubar a qualificação às Polacas (país que normalmente apresenta boas equipas), e que, na qualificação efectuada na Grécia, as Sub19 empataram com a França (tendo chegado em cima da hora de jogo), com quem na Fase Final perderam por 12.