gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Planeamento Desportivo – Época 2015/2016 - VIII

ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA
 A ÉPOCA 2014 / 2015 – Parte 1

Através do CO N.º 19 de 12-08-15 a FAP, deu a conhecer as Orientações Técnicas para a nova época (2015 / 2016), onde são esclarecidos alguns dos pontos já aqui mencionados por diversas vezes, o conteúdo deste CO é na prática igual ao da época finda, embora contenha alguns novos pontos e outros com oportunos esclarecimentos. Tal como na época anterior é um grande passo organizativo que as mesmas tenham sido divulgadas ainda antes de se realizar a 1.ª prova Oficial da Época.

 Assim, neste artigo apenas considerámos até ao ponto 6 do Comunicado já referido, que em relação á época anterior, são precisamente as mesmas.

Ponto 1. Intervalo do Jogo

a)      A FAP estabelece a duração do intervalo em 10 minutos.
b)      Exceções à alínea anterior deverão ser autorizadas e coordenadas para efeitos de transmissão Televisiva.

(Foi mantido a decisão, continuamos a considerar, um esclarecimento em tempo e oportuno)

Ponto 2. Time OUT

a)      O cartão de Time-out deve ser entregue em mão ao Oficial de Mesa.
b)      Cada equipa pode utilizar 3 time-out por jogo, no máximo dois por cada parte.
c)      Nos últimos 5 minutos do jogo, cada equipa apenas pode fazer a utilização de 1 Time-out.

(A FAP, manteve e bem o sistema, e para todas os jogos independentemente do seu género e escalão o princípio dos três Time-out, já utilizado em muitas provas pela EHF e IHF, o que se saúda, esperando nós que quem tenha de os utilizar, os faça em oportunidade.

Ponto 3. Número de jogadores

16 Atletas (não é obrigatório), o número máximo de atletas inscritos nos jogos de todas as competições

(Ao manter esta decisão a FAP, evita confusões e segue os caminhos traçados pela IHF e EHF)

Ponto 4. Lesão de um árbitro

Apenas é permitida a substituição de um árbitro por lesão, antes de jogo começar, devendo o colega proceder á sua substituição se existirem condições para tal.

(Manteve o texto da época passada, que na nossa opinião é um esclarecimento oportuno)

Ponto 5. Árbitros de Recurso

Sempre que um encontro já tenha sido iniciado com árbitros de recurso, por falta da presença á hora marcada para inico do jogo dos árbitros oficialmente marcados, o jogo deve sempre terminar com a dupla de recurso.

(Tal como no ponto anterior, manteve o texto, sendo um oportuno esclarecimento)

Ponto 6. Equipamentos Eletrónicos

A utilização de equipamentos eletrónicos de comunicação entre os árbitros em qualquer prova nacional carece de autorização do CA da Federação.

(Mantendo a mesma norma que estava em falta, até em termos de Regras de jogo, verificou-se, que muitas duplas já usam este meio para comunicar entre si)

O Analista

1 comentário:

Anónimo disse...

e a guerra dos cartões cipa e os equipamentos e respetivos complementos e os árbitros que são prepotentes e outros com ligações a clubes,etc,etc