gal vence

Euro Sub-17 Femininos (Lituânia), Portugal vence a Turquia por 40-25 - Mundial Sub-19 Masculino Portugal derrotado pela França 1/4 Final por 34-24 - Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Planeamento Desportivo – Época 2015/2016 – XII

Participantes nas Provas Nacionais Não Fixas - Época 2015/2016

Dando continuidade a anteriores artigos sobre o Planeamento de Provas, hoje continuaremos a analisar mais em pormenor as provas Nacionais Não Fixas, e que foram divulgadas pela FAP, em especial através do Comunicado Oficial n.º 17 da Época 2015/2016, onde é feita uma primeira divulgação da estrutura das 1.ªs Fases, e completadas com os Comunicados Oficiais N.º 24, 25, 39 e 48 da época em curso, e onde, conforme por nós informado em tempo, já se divulga a indicação das Associações responsáveis por zona, assim como se indica a estrutura das 2.ªs Fases, foram efetuados os acertos de participações e divulgados a forma e as datas de jogos de acesso, bem como os respetivos modelos competitivos. Tal como já tínhamos escrito, regista na maior parte dos casos um regime de continuidade do verificado na época anterior, embora nalguns casos se tenham verificado ajustamentos, que naturalmente se impunham.

PO08 – Campeonato Nacional de Iniciados Masculinos

Em termos organizativos, mantiveram-se as 9 zonas, no entanto o número previsto de Associações a participar mantem-se em 16, exatamente as mesmas que na época anterior (2014 / 2015). Verificando-se uma diminuição das equipas participantes, passando-se de 99 na época 2014/2015, para 92 em 2015/2016 (entre quais se encontram 7 equipas B), o que na nossa opinião não é positivo, pois já tinha existido uma diminuição de 110, em (2013/2914), dando origem a um acerto na zona 6, com a diminuição dos apurados, pois a Associação de Portalegre, não inscreveu qualquer equipa.

O modelo competitivo divulgado, quer através do Regulamento Especifico da prova, quer através do CO N.º 24 da presente época, verifica-se que é um modelo praticamente igual ao aplicado na época passada, embora com um texto mais esclarecedor.

Os clubes apurados na 1.ª Fase serão agrupados na 2.ª Fase em quatro zonas, que serão disputadas no sistema de TXT a 2 voltas. O 1.º classificado, fica imediatamente apurado para a Fase Final. Com os 2.º’s classificados a disputarem uma Fase de Apuramento, com os representantes Insulares (Açores e Madeira), onde serão constituídos dois grupos de 3 equipas, que disputarão em regime de concertação e no sistema de TxT a 1 volta, o apuramento para Fase Final (Apuram-se apenas os 1.º’s classificados de cada Grupo).

A Fase Final, será disputada por 6 equipas, dividas em 2 grupos, que jogarão entre si no sistema TxT, a 1 volta em regime de concentração.

Numa 2.ª Fase, o título será discutido, em 1/2 Finais (1.º A x 2.º B, 1.º B x 2.º A), disputando-se os jogos de classificação entre as restantes equipas com o título a ser dirimido entre os vencedores das 1/2 Final.

É um sistema que por vezes, não se entende, pois pensamos que apenas deveriam estar presentes na final 4 equipas, em termos organizativos, vai ser complicado, e caro, embora se entenda a perspetiva de permitir que as equipas insulares possam estar presentes, pois é um direito que lhes assiste.

Distribuição das Associações por Zona

Zona 1 (11 equipas) – Braga, e Vila Real – Apura 4 equipas  
Zona 2 (25 equipas) – Porto e Viana do Castelo - Apura 6 equipas
Zona 3 (14 equipas) – Aveiro e Coimbra - Apura 4 equipas
Zona 4 (10 equipas) – Viseu e Guarda - Apura 4 equipas
Zona 5 (7 equipas) – Leiria – Apura 2 equipas
Zona 6 (5 equipas) – Santarém e Portalegre - Apura 2 equipas (*)
Zona 7 (17 equipas) – Lisboa - Apura 4 equipas
Zona 8 (7 equipas) - Setúbal – Apura 4 equipas
Zona 9 (6 equipas) – Algarve, Beja e Évora - Apura 3 equipas

(*) – Nesta zona verificou-se acerto nos apurados passando de previsíveis 3 para 2, e o 3.º classificado, irá disputar um jogo de apuramento com o 3.º classificado da Zona 5, (Jogo a realizar em 21-02-16)

Alguns, critérios de apuramento são difíceis de entender, pois ninguém sabe se as equipas B, entraram na contabilização dos apuramentos, e ainda qual o motivo de a zona 9 com apenas 5 equipas, apurar 3 equipas para a 2.ª Fase, e o jogo de apuramento ser disputado entre equipas de outras zonas.

Em próximo texto continuaremos a falar e a escrever sobre estas provas, agora depois da elaboração dos Comunicados n.º 39 e 48, já será mais concreta.

O Analista

1 comentário:

Anónimo disse...

As contas estão erradas: existiram 100 equipas, e Lisboa só teve 15, e não 17.
Braga teve 11, mas duas delas já nem chegaram a participar.
Curiosamente no ano anterior eram 103, sendo que 3 não chegaram a participar.
A grande alteração foi no numero de equipas por grupo na fase nacional, que passou de 6 para 8 (como tinha sido há 2 anos)
O mais estranho é mesmo o modelo de apuramento. Porquê 6 na fase final? porque não 8, por exemplo, para fazer grupos pares, que até se podiam disputar em concentração em locais diferentes, e ter um ultimo fim de semana para meias finais e final? Era tão simples...