gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

domingo, 28 de agosto de 2016

VI Gala do Andebol – 2016 - II

Realizou a Federação de Andebol de Portugal a sua VI Gala da Modalidade, a organização de decorreu numa das Salas de Visitas da Cidade de Setúbal o Fórum Luísa Todi, integrada num conjunto de actividades que envolveram diversos agentes da modalidade, e realizada no âmbito de “SETÚBAL CAPITAL EUROPEIA DO DESPORTO 2016”.
Este ano, a principal animação esteve a cargo de diversas personalidades ligadas á cultura Setubalense.

Mais uma vez, e não nos cansamos de repetir, esta realização é uma tarefa singular, que deveria conter no seu espirito, além do seu evidente e gratificante significado, deveria ser de agradecimento para com todos, mas mesmo TODOS OS AGENTES DA MODALIDADE.

Pena que a cerimónia ter começado com 45 minutos de atraso, e não ter sido dada qualquer justificação.

A Cerimónia da FAP, que teve na apresentação dois andebolistas a Patrícia Lima (Colégio Gaia) e mais uma vez, Nuno Grilo (ABC).

No seu discurso de apresentação e Abertura o novel Presidente da FAP Dr. Miguel Laranjeiro usou palavras e expressões das quais destacamos pelo seu significado:

“… Um agradecimento aos atletas técnicos, árbitros e famílias que são os verdadeiros mentores da modalidade…”

“… Às autarquias, que são essenciais no apoio ao desporto no seu todo…”

“… O Andebol Feminino continuará a ser uma aposta forte da Federação…” a ver vamos.

“ … O Andebol transmitido em sinal aberto é que era bom…”
Para além dos melhores, a Gala do Andebol é, ainda, o momento em que se reconhece e se presta homenagem a quem de alguma forma, têm ou teve um papel preponderante e de relevo na nossa modalidade. São Semedo, uma das verdadeiras mentoras do desenvolvimento  da inclusão, e com um excelente trabalho no Andebol Feminino, com uma vida dedicada à modalidade e em especial a um dos clubes que fundou e construiu a Assomada que recebeu e muito justamente o chamado prémio Homenagem, viu finalmente reconhecido o seu trabalho na modalidade, foi para nós o ponto alto da Gala.

Os Premiados Foram
Atleta Revelação Masculino – André Gomes, que sucede a Miguel Martins.
Atleta Revelação Feminino – Diana Oliveira, que sucede a Daniela Mendes.
Melhor Jogador – Pedro Seabra Marques, que sucede a Gilberto Duarte.
Melhor Jogadora – Ana Andrade, que sucede a Mariana Lopes.
Melhor GR (masculino) – Alfredo Quintana, que repete a distinção.
Melhor GR (feminino) – Jéssica Ferreira, que sucede a Isabel Góis.
Melhor Treinador Provas Masculinas – Carlos Resende que repete a distinção.
Melhor Treinador Provas Femininas – Sandra Fernandes, que sucede a Carlos Neiva.
Melhor dupla de árbitros – Eurico Nicolau / Ivan Caçador, que regressam a um lugar que merecem, sucedendo a Marta Sá / Vânia Sá.

E uma nota que por vezes se torna difícil de entender, que na entrega dos prémios apenas existissem duas entidades ligadas á modalidade, a nível nacional, o antigo pivot António Morais, como embaixador de Setúbal Cidade Europeia do Desporto e ao Presidente da AA de Setúbal,

Um comentário á Bandeira utilizada, por a mesma já não refletir o actual emblema da Federação, e é pena.

E pelos vistos a “Diplomacia Desportiva” continua (quanto custou aos cofres federativos) pois esteve presente como convidado o actual responsável da arbitragem da EHF, que por sinal entregou o prémio á melhor dupla de arbitragem, o macedónio, Dragan Nachevski.

Não gostaríamos de terminar, sem mais uma vez dizer que esta foi a VI Gala da FAP, mas já existiram outras que ficam para memória futura, pois também fazem parte do legado histórico da modalidade. Mas aí parece que alguns dos actuais dirigentes da Federação, nem querem ouvir falar pois faz-lhes certamente muita confusão.

O Historiador

12 comentários:

jgo disse...

Aquele que foi justamente considerado o melhor jogador da temporada tem ficado sempre de fora das convocatórias da Seleção Nacional..

E depois ainda há quem se admire por Portugal ficar fora das grandes competições..

Vai Rolando e não voltes, esperemos que o Paulo Jorge Pereira saiba olhar para o que se faz bem no Andebol em Portugal e convoque os melhores e não os amigos..

Era sinal que tínhamos condições de voltar às grandes competições..

Anónimo disse...

vocês ainda não viram que a vinda do macedónio se insere no problema das próximas eleições na EHF, pois pode haver quem perca e não é pouco, hi, hi, hi, e ainda por cima ele ter de entregar o troféu aqueles de quem eles se queriam ver livres, não foi fácil de engolir.

Anónimo disse...

Boa Tarde muito se tem a dizer desta gala do andebol.

Vamos lá começar e gostaria que me tentassem explicar alguns acontecimentos:

Afinal quem vota para decidir os melhores? O Povo? O amigo do amigo? Quem nem vê Andebol? Não seria melhor uma comissão técnica e especializada alargada de forma a avaliar os desempenhos individuais e coletivos de forma esclarecedora , leal e objetiva?

Vamos por partes:

Então temos uma dupla de árbitros nos jogos olímpicos e quem ganha são outra dupla? Aquela que tem vindo a ganhar ano após ano. Será que não chega desta palhaçada? Talvez o Nicolau e Caçador até mereçam ganhar, mas estamos a cair no ridículo! Sempre todos os anos os meus. A EHF toma más decisões? Escolhe mal a dupla portuguesa? Não me parece.

Próxima, no feminino o treinador Marco Freitas que treina o Satellite ganha a Taça de Portugal e nem nomeado está? Que credibilidade de nomeação é essa? Então a Treinadora do clube que mais de dinheiro tem em Portugal tem as melhores jogadoras nacionais e madeirenses perde a Taça ao fim de 17 anos e ganha o prêmio de treinadora quando só cumpriu a sua obrigação. Curioso que a Paula Marisa ganhou sempre à Sandra Martins esta época.
Já agora digam à Sandra Martins para se vestir apropriadamente para uma gala, até o miúdo Gomes estava melhor vestido.

Seabra melhor jogador, começou a competir em Dezembro? Melhor que Karol? Melhor que Grilo? Melhor que Gilberto? Melhor que Claudio Pedroso? Sério as pessoas amigas do Seabra perdem muito tempo na Internet. Agora lançam posts para o Paulo Pereira convocar o Seabra.
Qual a credibilidade de uma gala quando o Seabra é o melhor jogador, e nem sequer anda na Seleção?

Quintana correto, Diana correto, Homenagem à São muito correto.

Carlos Resende correto, mas acho que a tristeza é a não nomeação do Ortega. Fidalgo ok, esse é dos melhores que temos e lá na Ilha tem muita sorte do rapaz andar por ali, senão já estava em outras paragens. Ricardo Costa? Porquê? Então destruiu 7 anos de trabalho? Trabalho da Champions? no grupo dos mortos da champion? Ou somos todos ceguinhos que o grupo do Porto é de 2ª Divisão na Champions.

Ana Andrade correto, então vim a saber que o Madeira não renovou com ela? Só mesmo no Planeta do Feminino. A melhor jogadora deixou de jogar porque o Madeira quer reduzir o ordenado dela e depois vai buscar cubanas, montenegrinas, servias e moldavas?. E querem investir no Feminino na FAP? Está tudo lucido?

Querem um conselho repensem a forma de premiar. Vão ver a Espanha, Alemanha, França como se premeia. Deixem os lobbies das informáticas.

Para terminar, era melhor encherem a sala de pessoas. fica mal tantas cadeiras vazias.

Anónimo disse...

...e não foi este macedónio que mandou limpar o ABC na final do ano passado da Challenge? Porque não lhe deram uma malha?

Anónimo disse...

A intenção de realizar a Gala é manifestamente positiva. No entanto, não basta fazer a festa, é preciso saber fazê-la.
O atraso no início não foi explicado mas aconteceu. 45 minutos é tempo excessivo, inadmissível mesmo. Não houve explicação porque a organização entendeu não dever dar o braço a torcer em relação ao motivo. Era simples e as pessoas compreendiam. A opção pelo silêncio não ficou bem.

A lista dos premiados não é passível de discussão. Tem sempre que haver vencedores e vencidos. Podemos discordar mas não pôr em causa.

A presença de Dragan Nachevski não constitui admiração. Foi, sem dúvida, uma forma de mostrar ao responsável da arbitragem da EHF que estamos com ele e que ele não se esqueça de que temos gente à espera para os grandes palcos andebolísticos.
Marketing, puro marketing.

A existência de apenas duas pessoas na entrega dos prémios tem justificação. Por um lado, eram duas pessoas há muito ligadas a Setúbal. Joaquim Queiroga e António Morais. Se podia estar mais alguém lá isso podia mas a organização não quis.

Miguel Laranjeiro continua a mostrar ser a pessoa errada no lugar errado. O que disse, escrito por alguém habituado a estas coisas, é esclarecedor. O mais politicamente correcto possível.
A promessa de que o andebol feminino continuará a merecer a melhor atenção por parte da Federação, cheirou a algo que tinha que ser dito.

Uma palavra de apreço para São Semedo pelo excelente trabalho feito.

E uma última palavra para a apresentação. Um apresentador não tem que ser bonito, tem que ser eficaz. Nuno Grilo tentou, Patrícia Lima nem isso.

Que venha a VII Gala com sinais de melhoria em todos os aspectos.
Viva o Andebol!

Dr. Luis António Silva Pereira disse...

Parabéns a todos distinguidos!! No entanto, para acontecer desenvolvimento do nível desportivo da modalidade do sexo feminino e operar mudança/transformações e de progresso, terão forçosamente que surgir projetos nos Clubes Ecléticos e de Referência no Desporto Nacional do S.L. Benfica (presente anos 80 e 90), F.C. Porto e Sporting C.P. (posteriormente o Guimarães, Belenenses, Boavista, Rio Ave, FC Setúbal...). Qual a razão da inexistência de prática desportiva da modalidade de Andebol Feminino pelos Clubes Ecléticos de Elite Portuguesa? sabendo-se que estes Clubes possuem Futsal, Hóquei em Patins, Voleibol, Futebol Feminino!!! Cumprimentos.

Dr. Luis António Silva Pereira disse...

PARABÉNS A TODOS OS DISTINGUIDOS!! No entanto, para acontecer desenvolvimento do nível desportivo da modalidade do sexo feminino e operar mudança/transformações e de progresso, terão forçosamente que surgir projetos nos Clubes Ecléticos e de Referência no Desporto Nacional do S.L. Benfica (presente anos 80 e 90), F.C. Porto e Sporting C.P. (posteriormente o Guimarães, Belenenses, Boavista, Rio Ave, FC Setúbal...). Qual a razão da inexistência de prática desportiva da modalidade de Andebol Feminino pelos Clubes Ecléticos de Elite Portuguesa? sabendo-se que estes Clubes possuem Futsal, Hóquei em Patins, Voleibol, Futebol Feminino!!! Cumprimentos.

Anónimo disse...

oh anónimo das 13:51...ficaste ressabiado com alguma coisa... Percebes pouco de andebol ou acompanhaste pouco a realidade que a gala premiou: o ano que acabou...

Anónimo disse...

A GALA foi uma festa de e para os Andebolistas. Mas esqueceram de premiar os 11 anos de Treinador das Selecções Nacionais Seniores do Prof. Rolando Freitas!
Foram injustos principalmente todos aqueles que o defenderam durante anos, Augusto Silva, Ulisses Pereira, Pedro Sequeira e outros da "Corte"
A memória das pessoas é curta e de fraca qualidade!

Anónimo disse...

30 de agosto de 2016 às 14:22

Estou de acordo e também o ex Presidente Ulisses Pereira que foi dirigente do Andebol português como vice Pres. dezenas de anos no tempo do Sr Luís Santos!
Fez um trabalho notável!

Anónimo disse...

Estas galas são uma palhaçada! È pra continuar? Não era melhor dar a cada praticante, treinador, dirigente etc um questionário e todos votavam?
Assim cada um votava na sua zona de voto. Depois podiam ser criados casos especiais como prémios carreira, homenagens etc...

Anónimo disse...

No planeta Andebol tudo na confusão. Pedro Seabra nomeado e vencedor da gala. Pedro Cruz melhor marcador. porque não são convocados para titulares de seleção? È que há uns que são! Deixem as artimanhas. As duas galinhas Sá foram sendo empurradas para o andar de cima do poleiro! È uma vergonha! Menos vergonha não é Trinca, assobiador e pr. duma associação sem morada. O andebol em Portugal não consegue patrocínios decentes... Assim como as tv`s não o desejam! Porque será?
Quem paga tudo isto? A seleção, claro!