gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Crónica de Fim-de-semana – 02 – 2016 / 2017 – I – Actualizada

Após ter já ter começado a época, apenas este fim-de-semana se deu início ao normal e regular desenvolvimento da época desportiva nacional. Iniciou-se a principal prova do calendário nacional (PO01- Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Masculinos). Que esta época e conforme já por nós referido, sofreu fortes alterações não só no seu número de clubes como no seu modelo competitivo (Que representam na nossa opinião um forte retrocesso na Modalidade, para satisfazer alguns).

Conforme já referimos, regressamos assim às nossas habituais crónicas de fim-de-semana, em princípio teremos o modelo da época transacta, separando as provas, sempre que se justificar, e criando crónicas intermédias quando se julgar conveniente. Esta primeira crónica será incompleta, apenas pelas vicissitudes e originalidades que a nossa modalidade comporta., com vários jogos adiados logo na 1.ª jornada, devido a provas Europeias o que é absolutamente normal, mas com um jogo adiado sem se saber os motivos, o que se estranha. Destaca-se o trabalho positivo que o sítio da Federação fez ao apresentar as equipas, lançando um chamado “Média Kit”, mas que envolve uma outra curiosidade, apenas o clube que segundo parece pediu o adiamento do seu jogo, é o único clube da PO01, que em termos do Sitio da Federação alinda não têm atletas inscritos. È mais uma prova de que não existem condições para uma prova de “TOPO”, com este número de equipas.

Eventualmente poderá haverá análise às arbitragens, mas somente nos jogos em que estiveram presentes colaboradores.

Renovamos os nossos desejos de que as duplas de arbitragem que venham a dirigir jogos nas provas do Calendário Nacional, seja qual for a prova, tenham uma época positiva e que as suas atuações, apesar das diversas alterações às Regras, contribuam para que as provas tenham um elevado grau de disciplina, competitividade e em especial de equidade.

Notas

Parece-nos que andamos as voltas com os delegados, pois desta vez todos os jogos tem delegados, pelo menos em teoria pelo que nos é dado a observar no sítio da FAP. Mas por aquilo que os nossos “passarinhos” dizem e que consta, não existirão delegados em todos os jogos, motivos são completamente desconhecidos até ao momento, pois segundo as circulares emitidas pelo CA, apenas existiram ações de formação para alguns Delegados e para alguns observadores. E por aquilo que temos constatado parece-nos que iremos ter critérios demasiados “regionalistas”, o que significa, que os clubes passarão a “levar” sempre com os mesmos, e porque não os próprios delegados a “levarem” sempre com os mesmos clubes. No nosso entender deveria haver um total esclarecimento do que se irá passar, e a prova que agora se inicia apenas na véspera, teve o Comunicado Oficial com as Orientações técnicas, o que é lamentável no mínimo. E que os elementos do CA irão estar presentes muitas vezes (não se entende porquê?)

Mais uma vez referimos o já dizemos á várias épocas, mas parece-nos que só ouvem o que lhes interessa e quando interessa., não existe um esclarecimento de quais são as verdadeiras funções destes elementos. Pois até ao momento, nem no sítio da FAP, nem nenhum CO, se publicou, ou foi publicado qualquer texto, onde sejam especificadas as suas funções.

Finalmente uma última palavra para as estatísticas, que através do “Match Center” irão ser colocadas á disposição dos interessados, apenas ontem dia 02-09-16, ficaram com o seu sítio devidamente actualizado, o que é pena,

Continua-se a dar valor acrescentado às diversas transmissões que irão ser efectuadas, em especial pelos canais próprios de alguns clubes, via internet e não só, tal como se saúda o positivismo das diversas Transmissões da Andebol TV. Apenas esperando que se continue a verificar uma forte melhoria nos seus comentadores.

PO01 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Masculinos.

1.ª Jornada – Resultados
Dia 03-09-16
Madeira SAD 30 – 28 Ismai
Arsenal 29 – 30 Benfica
Sporting 26 – 22 Águas Santas
São Mamede 27 – 31 AA Avanca
Dia 07-09-16
FC Porto 38 - 31 Belenenses
Dia 14-09-16
ABC - Boa Hora (19H00)
Dia 05-11-16
SC Horta - AC Fafe (21H00) (Adiado)

Actualização

FC Porto 38 – 21 Belenenses


Realizou.se hoje um dos jogos em atraso da 1.ª Jornada o FC Porto / Belenenses no Dragão Caixa, muito bem composto de publico, e onde se verificou uma notória diferença entre os jogos da EHF CUP, disputados no último fim-de-semana, e este encontro com o Belenenses, que apresenta uma substancial diferença e valia técnica em relação aos georgianos. Nos primeiros 30 minutos tivemos um FC Porto que usou os seus principais jogadores, sendo de destacar a excelente prestação de José Carrillo, que neste período de jogo marcou 7 golos, num total de 9 (100 % de eficácia), e com uma prestação defensiva, suficientemente agressiva em termos desportivos para criar grandes problemas á equipa do Belenenses, onde era notória a diferença física entre os dois planteis, com a equipa do Belenenses a ter jovens de grande valia técnica, mas de pouca envergadura física, onde Nuno Roque (6 golos, e 50 eficácia) faz a grande diferença. Dois factos marcam a primeira parte do jogo a desqualificação de Alfredo Quintana do FC Porto aos 17 minutos, e a desqualificação de Ivo Santos do Belenenses aos 27 minutos, chegando ao intervalo com o resultado a favor do FC Porto por 18-10., uma grandes figuras do jogo foi Hugo Laurentino (50% de eficácia), com uma enorme rotação da equipa do FC Porto, permitindo que a equipa do FC Porto, mantivesse o mesmo ritmo, com 11 jogadores a concretizarem golos. O Belenenses no segundo tempo teve na nossa opinião precipitado no ataque, onde os mesmos foram precipitados e demasiado curtos, onde apesar de tudo teve em Gonçalo Ribeiro um dos seus jovens mais produtivos com 6 golos (mas apenas 43% de eficácia). Não entrando bem no jogo tanto na primeira como na segunda parte, reflectindo-se no resultado final a diferença e a postura das duas equipas. Dirigiu o encontro a dupla aveirense constituída por Ruben Mais e André Nunes, que tiveram trabalho facilitado pela compostura dos atletas, e acabam por produzir uma arbitragem bem positiva, apesar de duas desqualificações (ambas correctíssimas) , apesar de algumas falhas (poucas) na falta do atacante,

A prova iniciou-se com três (3) jogos em simultâneo, infelizmente com dois dos jogos a terem honras de transmissão, não se evitando assim o reino da confusão e uma enorme dispersão de visualizações dos jogos, sendo esta uma situação que como várias vezes dissemos deveria ser ponderada pelos responsáveis. Destaca-se que foi uma jornada até ao momento sem situações disciplinares.

Foi uma jornada sem grandes surpresas, pois acabaram por se verificar as vitórias das equipas teoricamente mais apetrechadas, no entanto dois resultados no mínimo desapertam a atenção pelas dificuldades sentidas pelas equipas que venceram, Em Braga na disputou-se o Arsenal / Benfica, que terminou com a vitória do Benfica pela diferença minima. Na Madeira disputou-se o Madeira SAD / Ismai, e quando se esperava um jogo sem grandes dificuldades para os madeirenses, eis que são surpreendidos por uma equipa do Ismai, que não lhes permitiu muitas veleidades. No primeiro tempo o Madeira SAD chegou aos 4 golos de vantagem por duas vezes (9-5, e 12-8), mas os maiatos reagiram sempre e apesar do número de livres de 7 metros sofrido neste período (6), conseguiram chegar ao intervalo a perder pela diferença minima (17-16), No segundo período a equipa insular continuou a comandar o marcador e cerca dos 46 minutos vencia pela diferença máxima que obtiveram durante o jogo (5 golos) 26-21, daqui até final do encontro foi ver a recuperação da equipa maiata, onde Manuel Borges esteve com grande qualidade na baliza (56% de eficácia), e teve em Angel Zulueta (7 golos) o seu melhor marcador, mas com uma baixa eficácia (47%), mas Yoan Blanco (4 golos e 100% de eficácia), na equipa madeirense, tivemos um Fábio Magalhães que parece renascido pois foi o seu melhor marcador com 11 golos (73% de eficácia), e o seu guarda-redes Luís Carvalho com 37% de eficácia. No pavilhão do Casal Vistoso, tivemos o principal jogo da jornada o Sporting / Águas Santas, e surpreendentemente tivemos um jogo de grande equilíbrio até aos cerca de 15 minutos, quando o marcador assinalava uma igualdade a 6 golos, a partir deste momento a equipa do Sporting (ainda falta bastante para chamar equipa a este conjunto de jogadores), tomou conta do jogo e do marcador até final do encontro chegando ao intervalo a vencer por 15-9. No segundo tempo a sua vantagem oscilou sempre entre os 5 a 7 golos, permitindo que a equipa da Maia, diminuição com dois golos nos últimos minutos do encontro, e terminasse, com um diferencial de somente 4 golos, em jeito de nota poderemos dizer que o Águas Santas venceu o segundo período de jogo. A equipa maiata com o “veterano” António Campos na baliza, onde foi uma das suas principais figuras com 32% de eficácia, e com Mário Oliveira com 5 golos (83% de eficácia) a ser o seu melhor marcador, pois Pedro Cruz (3 golos e 30% de eficácia) esteve com um rendimento muito baixo do esperado. No Sporting destaque para Asanin na baliza com 38% de eficácia, e para Bozovic (5 golos, 100% de eficácia), e Nikcevic (5 golos e 71% de eficácia. No Pavilhão Eduardo Soares disputou o São Mamede / AA Avanca, jogo que assinalava a estreia do histórico São Mamude neste seu regresso á Divisão maior do Andebol Português. Jogou praticamente dominado e comandado pela equipa mais experiente a AA Avanca, que chegou a ter 7 golos de vantagem por diversa vezes, chegando ao intervalo na frente do marcador por 14-12, para aos 53 minutos vencer por 27-20, permitindo que a equipa d0 São Mamede, diminuísse progressivamente a vantagem até ao resultado final de apenas 4 golos de diferença. A equipa da AA Avanca que dividiu o tempo de jogo pelos seus dois guarda-redes, Alejandro Carreras e Luís Silva, ambos com 30% de eficácia, e teve em Miguel Batista e Pedro Veitia, ambos com 7 golos os seus melhores marcadores, e ambos com 78% de eficácia. Na São Mamede, Gustavo Almeida (6 golos e 86% de eficácia) e João Baltazar com (5 golos mas apenas 45% de eficácia), foram os seus melhores marcadores.

Arsenal 29 – 30 Benfica

O Benfica que apadrinhou a estreia do Arsenal ma 1:º Divisão, num jogo disputado no Pavilhão Flávio Sá leite, apresentou-se para este encontro (na nossa opinião) com excesso de confiança, desorganizado, a defender mal e por vezes a atacar ainda pior, sendo demasiado passivo, diante uma equipa que reagiu sempre não só aos diferencias que foi sofrendo como às adversidade do jogo, incluindo a qui a saída por lesão diretamente para a cabine do jovem João Santos aos 44 minutos de jogo, Mais uma vez teremos de referir o péssimo comportamento da claque do Benfica com fumos dentro do Pavilhão obrigando a uma interrupção do jogo, cerca dos 38 minutos. Depois de um inicio de grande equilíbrio com o marcador a registar sucessivas igualdades o Benfica arranca no marcador através de Fábio Vidrago (3 golos e 75% de eficácia), com contra ataques letais, coloca o marcador num diferencial de 5 golos a seu favor aos 17 minutos (11-6), para de seguida “parar” no tempo e permitir ao Arsenal uma recuperação clama e segura, com Sérgio Caniço (6 golos e 60% de eficácia) a dar o mote, e a chegar ao intervalo na frente do marcador por 15-14, criando uma enorme surpresa, mas apenas para quem não estava a ver pois era notória a concentração e o querer entre as duas equipas. No segundo tempo e após a igualdade a 16 golos o Benfica passou para a frente do marcador, e voltou a ter uma vantagem confortável agora de 6 golos (46 minutos), mas quem pensou que o jogo tinha acabado enganou-se pois o Arsenal voltou a encetar uma extraordinária recuperação e aos 55 minutos o Benfica vencia apenas por 3 golos (30-27), para sofrer nos minutos finais os golos eu permitiram que a equipa vencesse pela diferença minima e se livrasse de um grande susto, graças a um Hugo Figueira que apenas jogou no segundo tempo e teve uma eficácia de 31%. O guarda-redes do Arsenal Ricardo Castro, apesar de apresentar uma eficácia de apenas 22 % foi determinante em determinados momentos do encontro, assim como João Afonso no jogo dos 6 metros da equipa (5 golos e 100% de eficácia). No Benfica de assinalar o razoável jogo de Belone Moreira (6 golos e 86 % de eficácia) e os seis golos de Elledy Semedo exatamente com a mesma percentagem de eficácia. Dirigiu o encontro a dupla aveirense constituída por Ramiro Silva e Mário Coutinho que realizaram trabalho positivo, em especial na sanção progressiva e nos 7 metros.

O Banhadas Andebol

9 comentários:

O Banhadas Andebol disse...

Apresentamos desculpas aos nossos leitores, que devido a um erro na actualização da noticia, se perderam os comentário já existentes.

Anónimo disse...

Pareceu-me que o Porto terá de ser mais equipa, na ausência do seu motor e desiquilibrador Gil. Ontem com o Belenenses das sete posições em todas o Porto era mais forte. Nos guarda-redes são a melhor dupla de Portugal. Isto faz a diferença e há momentos de jogo que decide. Alguns rapazes do Belenenses terminaram esgotados. A diferença de altura e peso fez mossa. Depois há o pormenor duma equipa mecanizada e jogando instintivamente e, outra em fase de construção e macia e inocente em demasia. Jogo corrido e bom para início de temporada. Lamentável mais uma vez, os dois comentadores da Porto canal! Que pobreza, incompetência, falta de tato etc... Ridiculo! Acho que na próxima, vou ver sem som...

Anónimo disse...

Foi bom ter visto a entrevista do sr. presidente do SLBenfica. Foi bom saber que o maior presidente de todos os tempos, quer apostar nas modalidades, embora não caindo nas competições selvagens, quanto a aquisições e depois vem o estoiro financeiro. O caso do andebol no clube é de notar e refletir sobre um passado recente. Estou esperançado que, finalmente vamos ter meninos feitos na casa e, a modalidade vai andar a subir e ser competitiva. Se não se ganhar que, haja atitude e dedicação. Que acabe a bandalheira de anos passados ou os gastos astronómicos que, fazem perigar qualquer modalidade sobretudo quando não se vence! Hoje o Benfica é único com dois pavilhões, enquanto outros incompetentes não pensaram sequer em um! Hoje paga-se uma quota de modalidades que é irrisória, só se pagando em fases finais! Já nem falo no êxito da Benfica Tv que, permite ver modalidades e sua formação. No meu caso não gosto só de andebol.

Anónimo disse...

O andebol nacional entregue aos bichos. Como cabe na cabeça de alguém racional e responsável, aumentar o n de clubes? Com os pavilhões ás moscas ou cheios nos play-off com claques e putos da formação, os in...responsáveis dirigentes continuam a tornar o n andebol o mais amador possível. Será que é por isso que há jogadores Portugas em todo o lado e outros a serem convidados? O mesmo se passa em matéria de treinadores. Era hora de mudar algo. Assim nunca haverá patrocínios nem tv´s. Neste país é só futebola e assim vamos continuar.

Anónimo disse...

Ontem o Porto mostrou que tem pernas para andar. Este ano julgo quer na EHF podemos ir longe e quem sabe ser uma surpresa. Soubemos pôr jogadores a rodar noutros clubes e agora mais maduros eles explodirem. Ontem após a explulsão de Quintana o melhor guarda-redes do campeonato, entrou o suplente que, é dos melhores! Nada se notou. Finalmente um ponta esquerdo de qualidade! Os únicos pontos fracos são Ricardo a já andar a passo e Hugo Santos que, naquela idade já não conseguirá aumentar a massa. Spelic terá que se esperar pois, pode ser um problema de ambientação. Pivot´s temos a melhor dupla do campeonato.

Anónimo disse...

Chamo a atenção para algo que até a um burro faz mexer as orelhas!
O Sporting navega á sorte e fazem-se mudanças sem lógica. O que se tem gasto devia ser analisado. Como se não bastasse a corja que governa o andebol manteve um treinador que, é um insulto á lucidez. Um homem que entra num pavilhão em cima da hora, ou que durante o aquecimento não está presente várias vezes, diz tudo! Mas no presente isto é o andebol do sporting ou " a equipa de Zupo E.?" Pelo que vi no último jogo o capitão de equipa é C. Carneiro que, enquanto estiver no clube há elementos duma claque que, não vai lá por os calcanhares. O escândalo maior é que, a equipa foi feita á medida deste senhor que, nunca mostrou resultado algum. Com sete estrangeiros onde terão de haver casas e carros, tudo está dito. Ao que se comenta há quem ande revoltado porque, este senhor ganha uma fortuna. Basta! Rua!

Anónimo disse...

Pois é eu tb acho que existem treinadores de qualidade em Portugal para treinar o Sporting. Tenho a certeza que hoje existe gente apta a treinar em qualquer parte do mundo sem complexos de inferioridade. Tenho a certeza que com as mesmas "armas" fariam o mesmo ou melhor que muitos estrangeiros em equipas top.
os nossos dirigentes são os menos qualificados ade toda a tribo e com Cultura provinciana. No entanto deixemos o Zupo mostrar o que é capaz com um plantel escolhido por ele. Falo de resultados e qualidade de jogo. No fim então vamos comentar e deitar abaixo. De momento não vejo nada que um treinador português médio não pudesse fazer mas vamos dar tempo ao tempo. Quanto ao investimento estrangeiros todos teem. O Porto foi buscar dois brasileiros que nem convocados são. O Horta que desceu tem 5 o Benfica outros tantos. É consequência do mundo global. Tenho pena de não ver mais portugueses fora porque a qualidade tb existe. Enfim o andebol que temos e queremos.

Anónimo disse...

O que se tem passado no andebol do Sporting é gravíssimo! Quem comanda os destinos do clube e modalidade em particular, devia tomar medidas! Há suspeitas de muita coisa e outras estão á vista dum cego. O Zupo até já tinha passado por Portugal mas, alguns atos deviam ter terminado na sua demissão. Não é um exemplo nem nada que se pareça. Não é um líder! Depois isto não é o Qatar e não deveria haver dinheiro nestas quantidades. Nem comento as porcarias como o tal treinador de guarda-redes e donde veio. Quanto ao escandaloso caso da braçadeira de capitão, não é pra rir. Já batemos muito no fundo e agora esta. Estamos a pôr-nos a jeito pra sermos gozados.

Anónimo disse...

jogo Porto -belenenses começo por dizer que o treinador do belenenses aquele que dizia que trabalhava com Jose Mourinho realmente so esta no belem porque o pai Domingos completa lhe o vencimento e ainda lhe da de comer no restaurante o Caniço, como e possivel o melhor lateral esquerdo -central estar o jogo todo no banco (Fabio Semedo) ou sera que ele alem do pai Domingos tb recebe recados do Benfica que os jogadores emprestados tem que jogar Joao Florencio JR nao nao es o teu pai es muito fraco.
quanto ao Porto nem precisou de correr muito para ganhar por quase 20 golos mas esta longe dos 7 anos que foram campeos