gal vence

Euro Sub-19 Feminino, Portugal derrotada pela Dinamarca 32/16 - Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Planeamento Desportivo – Época 2016/2017 – XX

Participantes nas Provas Nacionais Não Fixas - Época 2016/2017

Dando continuidade a anteriores artigos sobre o Planeamento de Provas, hoje continuaremos a analisar mais em pormenor as provas Nacionais Não Fixas, e que foram divulgadas pela FAP, em diversos CO’s da época em curso em especial os N.º 24, e 25, e onde já se divulga a indicação das Associações responsáveis por zona, assim como se indica a estrutura das 2.ªs Fases, regista-se na maior parte dos casos um regime de continuidade do verificado na época anterior, embora nalguns casos se tenham verificado ajustamentos, que naturalmente se impunham.

PO08 – Campeonato Nacional de Iniciados Masculinos

Em termos organizativos, mantiveram-se as 9 zonas, no entanto o número previsto de Associações a participar diminui em relação às duas últimas época, sendo agora de 15 quando anteriormente eram 16. Verificando-se uma possível alteração da tendência verificada nas últimas épocas foi de diminuição das equipas participantes, passando-se de 99 na época 2014/2015, para 92 em 2015/2016 (entre quais se encontram 7 equipas B), o que na nossa opinião não era positivo, pois já tinha existido uma diminuição de 110, em (2013/2914), até ao momento em que já estão completamente definidas 8 zonas temos já 104 (embora algumas sejam equipas B) participantes inscritos, faltando infelizmente uma Associação a criar a prova (Santarém), o que nos faz crer que está época teremos um feliz aumento do número de equipas inscritas.

O modelo competitivo divulgado, quer através do Regulamento Especifico da prova, quer através do CO N.º 24 da presente época, verifica-se que é um modelo exactamente igual ao aplicado na época passada.

Os clubes apurados na 1.ª Fase serão agrupados na 2.ª Fase em quatro zonas, que serão disputadas no sistema de TXT a 2 voltas. O 1.º classificado, fica imediatamente apurado para a Fase Final. Com os 2.º’s classificados a disputarem uma Fase de Apuramento, com os representantes Insulares (Açores e Madeira), onde serão constituídos dois grupos de 3 equipas, que disputarão em regime de concertação e no sistema de TxT a 1 volta, o apuramento para Fase Final (Apuram-se apenas os 1.º’s classificados de cada Grupo).

A Fase Final, será disputada por 6 equipas, dividas em 2 grupos, que jogarão entre si no sistema TxT, a 1 volta em regime de concentração.
Numa 2.ª Fase, o título será discutido, em 1/2 Finais (1.º A x 2.º B, 1.º B x 2.º A), disputando-se os jogos de classificação entre as restantes equipas com o título a ser dirimido entre os vencedores das 1/2 Final.

Voltamos a referir que é um sistema que por vezes, não se entende, pois pensamos que apenas deveriam estar presentes na final 4 equipas, em termos organizativos, vai ser complicado, e caro, embora se entenda a perspetiva de permitir que as equipas insulares possam estar presentes, pois é um direito que lhes assiste.

Distribuição das Associações por Zona

Zona 1 (13 equipas) – Braga, e Vila Real – Apura previsivelmente 4 equipas  
Zona 2 (24 equipas) – Porto - Apura previsivelmente 5 equipas
Zona 3 (14 equipas) – Aveiro - Apura previsivelmente 4 equipas
Zona 4 (13 equipas) – Viseu e Guarda - Apura previsivelmente 4 equipas
Zona 5 (7 equipas) – Leiria e Castelo BrancoApura previsivelmente 2 equipas
Zona 6 (??? equipas) – Santarém e Portalegre - Apura previsivelmente 2 equipas
Zona 7 (18 equipas) – Lisboa - Apura previsivelmente 5 equipas
Zona 8 (6 equipas) - Setúbal – Apura previsivelmente 2 equipas
Zona 9 (9 equipas) – Algarve, Beja e Évora - Apura previsivelmente 3 equipas

Podendo deduzir-se que as 4 zonas a criara na 2.ª Fase serão de 8 equipas cada, pois o número total de equipas apuradas mantem-se inalterável (32).

O Analista

Sem comentários: