gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Planeamento Desportivo – Época 2016/2017 - XII

ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA A ÉPOCA 2016 / 2017 - I

Mantemos o texto por nós já escrito, Pois finalmente a FAP, na véspera das principais provas se iniciarem, publicou o Comunicado Oficial N.º21 de 02-0916, Esclarecendo aquilo que foi dito nas acções de formação da arbitragem, já que treinadores, apesar de terem sido convidados e da PO01 e PO09, a sua presença foi escassa, o que se lamenta. Mas a questão continua e os outros escalões e as outras divisões.

Assim Hoje iremos escrever sobre algumas das Orientações Publicadas no referido CO.

Cartão Azul

A Federação informou de que existem duas interpretações a da IHF e a da EHF, que constam do seguinte:

IHF – Interpretação pura e simples da Regra – Ou seja apenas é exibido quando se verificar uma desqualificação que obrigue a Relatório Escrito.

EHF – Exibir o cartão sempre que existir uma desqualificação directa – É uma exibição inócua pois apenas fica de fora a sua exibição aquando se tratar de uma desqualificação por sucessão de exclusões.

Foi esta a interpretação que a Federação Portuguesa decidiu seguir, o que vai tornar obrigatório (contrariando as Regras), a que exista sempre relatório escrito, excepto na desqualificação por sucessão conforme já foi por nós dito, empurrando para o Conselho de Disciplina a decisão final, mas mais grave ainda o espirito da Regra é completamente adulterado pois o público e os restantes agentes ficam sempre na dúvida se haverá punição ou não á posterior.

Na Nossa Opinião é tomada esta decisão apenas porque se encontrava presente um elemento da EHF, pois se estivesse presente como já esteve anteriormente um elemento da IHF, seria certamente a sua interpretação, que diga-se aliás é a única entidade com autoridade para proceder a interpretações Oficiais das Regras. E realizam-se brevemente eleições para a EHF…

Já agora só uma pequena questão, e as equipas Europeias que se encontram a disputar uma Qualificação para o Mundial, aplica-se o quê? Até hoje a EHF, ainda não publicou as suas Orientações para a época 2016/2017, deve existir uma grande confusão.

Bola a Utilizar

A Informação prestada, não é novidade para ninguém pois já consta co Comunicado Oficial N.º 6 (actualizado em 21-07-16).

Intervalo do Jogo

A Federação informou conforme já tínhamos escrito de que na Categoria de Seniores será de 15 minutos, para a categoria de seniores, conforme o descrito no Anexo IV ao CO n.º 1 desta época. Mantendo a orientação que as excepções deverão ser autorizadas e coordenadas para efeitos de Transmissão Televisiva.

Número de jogadores

O Número máximo de jogadores será de 16 (não obrigatório), aqui encontra-se conforme o estabelecido na Regra 4:1 e sua nota.

Time OUT

Interpretação igual ao da época anterior, e em consonância a nota da Regra 2:10, e o Esvaecimento N.º 3 das Regras de jogo. Com a obrigatoriedade de o Cartão Verde ser entregue em mão aos Oficiais de Mesa ou ao delegado.

Lesão de um Jogador

A Regra 4:11 foi alterada, e estabelece novos parâmetros de actuação aquando destas situações. Mas a IHF, colocou uma nota na Regra, onde dá poderes às Federações de suspender a aplicação do 2.º parágrafo, ou seja o cumprimento dos 3 ataques de fora, apenas será aplicada na PO01, PO09, PO20 e PO23 nestas a partir dos 1/16 final e nas PO22 e PO24. Esta decisão não está em consonância com a nota da Regra que apenas permite excepções aos escalões mais jovens, e Federação está a isentar a PO02 a PO3 e PO10 por exemplo.

Identificação de Participantes

Os árbitros identificarão os participantes através da Lista de Participantes, pelo CIPA, ou documento com foto, (conforme alteração introduzida em tempo no Regulamento Geral, e divulgada através de noticia publicada no sitio da Federação, podendo usar o sistema de informação da Federação, ou até o seu conhecimento pessoal, no caso das principais provas.

Mais uma diretriz para a “Fogueira”, pois nos escalões de formação irão existir certamente muito e variados problemas, e mesmo nas principais provas, se os árbitros usarem a prorrogativa do conhecimento pessoal, como poderão saber se ele está inscrito e se está apto a jogar, sem consultar o sistema informático?

Como é possível que se já se tenham disputado tantos torneios alguns até anunciados no próprio sitio da Federação, que se momento em que escrevemos este texto, existe pum dos clubes participantes na PO01, que não têm qualquer inscrição feita.

Iremos dar sequência a este texto, pois existem mais indicações que se encontram no Comunicado Oficial já referido e publicado somente hoje (02-09-16).

O Analista

8 comentários:

Anónimo disse...

é lá afinal vocês tinham razão e agora, na calçada não mandam comentar

Anónimo disse...

e o clube a que vocês se referem continua sem inscrições feitas, e mais uma vez vamos ter problemas, ou então já estão a correr telefonemas para não se levantarem ondas, By la By

Anónimo disse...

Eu não entendo (mas não entendo mesmo, decerto sou lérdinho), uma coisa: se a FAP está alinhada e inscrita na EHF; se esta regula as principais provas internacionais (as que nos interessam), como competições europeias de clubes e competições europeias de selecçoes e se esta decide que o cartão azul e outras regras devem ter uma determinada interpretação que a FAP seguiu, porque deve a FAP respeitar a IHF em detrimento da EHF? Vai a FAP dar ordens aos clubes e seleçoes nas competições europeias para nao respeitarem as ordens da EHF?
Expliquem-me que eu na maior das inocências nao percebo nada!

Anónimo disse...

Achas que o Henrique te vai explicar ele quer e confusão agora quecesta fora.
Ze lerdo

Anónimo disse...

Incrível é obrigarem alguns clubes a cumprir o período de inscrições incluindo os escalões obrigatórios e depois sabemos que inúmeros clubes não cumprem nada disto. Inscrições com fotos atualizadas??? assistimos depois a montes de inscrições com fotos de anteriores clubes,etc,etc. É preciso uma limpeza na FAP.

Anónimo disse...

Em vez de tanta cópia, podiam ter pensado o que fazer por exemplo nos iniciados e infantis. Aplica-se a regra da substituição do guarda-redes por um jogador de campo, quando depois só podem substituir outra vez em posse de bola?

Anónimo disse...

Alguém que me esclareça uma coisa: existe um clube de femininos que tem 2 equipas a jogar no escalão de seniores. Falo do SIR 1°MAIO que compete com o nome de SIR 1°MAIO/ C JOAO BARROS na 1a divisão e compete com o nome de SIR 1°MAIO na 2a divisão. Isto é permitido legalmente? As jogadoras da equipa da primeira divisão podem assim jogar na equipa da 2a divisão e vice versa uma vez que são do mesmo clube, ou não podem fazer isto?

Anónimo disse...

Ao que parece só existe um Sir 1º Maio. O outro é o CJB, que mudou de nome para Sir/CJB. Por isso, são clubes distintos e não pode haver trocas entre eles, nem as atletas de um podem jogar no outro. Basta ver nas inscrições de atletas ou nos clubes filiados na AAL. Giro vai ser se, por exemplo, calham as duas na taça. A FAP vai ter muito que explicar e, acima de tudo, que inventar.