gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

APAOMA – Eleições e Contas

APAOMA – Eleições e Contas

Realizaram-se em 28-08-16, eleições para esta Associação de Classe (Representativa dos Quadros de Arbitragem, segundo dizem), descobrimos as mesmas através da sua página do Facebook, porque tal acto não publicitado em lado nenhum a não ser neste local, por uma notícia inserida em 31-08-16, onde ficamos a conhecer, os novos elementos da direcção que a seguir transcrevemos e a quem desejamos que façam, o seu trabalho dirigido em especial ao desenvolvimento da modalidade, e “sirvam a modalidade em vez de se servirem dela”.

Direcção:

Presidente – Eurico Nicolau
Vice-Presidente – António Brousse
Vice-Presidente – Francisco Leite
Vice-Presidente – Ivan Caçador
Tesoureiro – Alberto Alves

Esta AG que teve lugar na data por nós indicada, têm uma curiosidade, pois foi realizada, no local onde realizou a acção de formação de início de época para o sul do País, mas foi convocada em 14-07-16, quando o CA apenas deu conhecimento das acções e dos locais em 08-08-16, através da circular N.º 7, ou seja poderemos concluir, que existiu informação privilegiada. E que certamente não beneficiou toda a gente em igualdade de circunstâncias.

Mas vamos a outra situação, no mesmo dia e a anteceder a AG referida anteriormente, realizou-se outra AG, cuja ordem de trabalhos veja foi:
Cuja ordem de trabalhos nos chamou a atenção, em alguns dos seus pontos, nomeadamente o ponto 1 e o ponto 2.

Em Relação ao Ponto 1, perguntamos como é possível, uma Associação Publica de Direito Privado estar 4 anos sem apresentar contas, ou seja de 2012 a 2015.

Ainda em relação a este ponto preguntamos, como estavam legais nas AG da Federação, que diz, que Associações tem direito de se filiar na FAP, conforme ponto 2 do Artigo 1.º do Titulo 1 do Regulamento Geral, mas deve ser cumpridas diversas formalidades anualmente conforme estão especificadas nomeadamente na alínea e) do ponto 1, do artigo 3.º do mesmo Titulo e que transcrevemos:

e) Relatórios de actividades e contas do último ano;

E como não bastasse, ainda temos as alíneas a) e b) do ponto 8 do mesmo artogo, que a seguir transcrevemos:

8. Sem prejuízo do disposto nos números anteriores, as associações deverão inscrever-se no início de cada época desportiva, entregando á Federação os seguintes documentos:

a)      Plano de activiadades e Orçamento para o ano seguinte, devidamente descriminado, com quantificação das respectivas activiadades, acompanhadas co Ata da reunião do órgão em que foram aprovadas até 15 de Setembro de Cada ano.
b)      Relatório anual e conta de gerência, bem como balanço, acompanhados de Ata de aprovação, de acordo com as demonstrações previstas no POCFAAC, até 31 de Março de cada ano.

O que significa que esta associação nunca poderia ter direito de representação nas AG da Federação, o que em última instancia, alguém deveria ser responsabilizado por esta anómala situação, que não deve ser única, e que possibilita, se alguém assim o entender, perfeitamente legitimo a impugnação e consequente anulação de todos actos praticados nas AG’s da FAP, onde estiveram representados, uma situação deveras lamentável, e só possível, devido á conivência vivida.

Quanto ao Ponto 2 da ordem de trabalhos, pensamos ser um inequívoco, pois certamente a pessoa referida no ponto 3 é que deveria merecer tal distinção, pois como é possível alguém ser sócio honorário, se quando presidente da instituição, e segundos as informações até nós chegadas na altura, convocou uma AG para apresentação de contas e eleições, tal e qual como estas, em que os associados esperaram por ele cerca de 2horas ou mais, para não apresentar contas nenhumas, pois queria era projeta-las, e nem isso conseguiu, e apresenta um pseudo parecer do Conselho Fiscal que foi devolvido pela AG, tendo tudo sido adiado, pode ser proposto para sócio honorário, a não ser que seja por na altura o Vice-Presidente da Associação ser o actual presidente do CA.

Meus senhores, apenas esperamos que os novos elementos, como esperamos tenham a sensatez que outros, não tiveram.

Uma última curiosidade, ninguém sabe até ao momento, quais os resultados das votações realizadas nesta AG.

O Analista

4 comentários:

Anónimo disse...

Pura e simples uma vergonha

Anónimo disse...

Mais uma manobra no andebol português.
Leiria resolveu pôr-se em bicos de pés pelas mãos do presidente da Associação local.
Depois de várias negociações todas bem comidas e bem bebidas aí temos uma APAOMA de quem muitos esperam coisa nenhuma e outros tantos garantem ser um flop.
Nada como esperar para ver.

Quanto a processos ... fazem parte da vergonha em que continua mergulhado o andebol português.

Anónimo disse...

TRAFICO DE INFLUENCIA:
APAOMA na AALeiria
AJAP-AAAveiro Ana Seabra e Ulisses Miguel
ATAP-AABraga com sede em Guimarães
ACAA-Guimaráes sem eleições o mesmo presidente e sem relatório de contas
Eis a realidade do nosso Andebol em termos de Assembleia Geral da FPA.

Anónimo disse...

Infelizmente tenho que concordar que a associação de arbitros, continua muito mal representada. Eu até percebo a ideia de ir buscar um elemento de cada associação, mas do porto, ir buscar o arbitro mais prepotente e arrogante! Isso não tràz nada de bom. Espero que esse senhor não tente subir na carreira à conta da APAOMA. Visto que dentro de campo,derivado a sua postura, só tem prejudicado a sua dupla.