gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

domingo, 27 de novembro de 2016

Campeonato do Mundo Alemanha 2017 – Femininos – VII

23.º MUNDIAL DE SENIORES FEMININOS
(ALEMANHA)
PORTUGAL ELIMINADO DO APURAMENTO
(DE ACESSO AO PLAY OFF)

Após a divulgação dos torneios das Qualificações Europeias de acesso ao Play Off do Mundial de 2017 em Femininos que se disputará na Alemanha de 1 a 17 de Dezembro de 2017. Portugal está a disputar os seus jogos no Torneios de Apuramento (Grupo 4) em Siracusa (Itália) de 25 a 27-11-2016.

Infelizmente no Grupo de Portugal apenas o primeiro classificado será apurado para os jogos de Play OFF, que se disputam em 09 a 11-06-17 e 09 a 11-06-17.

Começamos esta nossa crónica com as palavras de esperança do Seleccionador Nacional, “o grupo treinou bem, os processos estão bem assimilados e elas estão muito coesas, bem-dispostas e sobretudo com muita vontade de conseguirem este apuramento, Estamos na máxima força para a qualificação

A disputa deste grupo, que teve transmissão pela Andebol TV, iniciou-se com o encontro Israel / Itália, que foi um jogo de total equilíbrio pois o resultado ao intervalo já era indicador do mesmo, para terminar com uma igualdade a 26 golos. Como é costume a equipa que organiza estes grupos normalmente ´+e única equipa com descanso entre os jogos, assim Portugal, iniciou a sua participação defrontando a equipa de Israel, e fez nos primeiros 30 minutos um jogo de excelência (perdoem-nos o termo), mas pensamos que +e o mais adequado para uma equipa que não têm uma única Falta técnica registada neste período, em que comandou o jogo desde o primeiro o primeiro minutos, permitindo no entanto uma igualdade a 4 golos aos 8 minutos de jogo, para de pois embalar para um 8-4 aos 11 minutos, para chegar a ter 8 golos de diferença aos 25 minutos (18-9, para terminar o primeiro tempo a vencer precisamente com 9 golos de diferença (19-10), dizer que Portugal durante este período teve uma boa gestão do plantel com Cláudia Correia em grande plano no ataque, e com uma prestação defensiva como á muito não lhe víamos. No segundo tempo embora se tenham registado algumas faltas técnicas o que é absolutamente normal, continuou a ser feita uma boa gestão do plantel, tendo sempre na mente o decisivo jogo que será feito a seguir, e continuou a equipa portuguesa a aumentar a diferencial existente com o ataque de Portugal entrar na deseja israelita que parecia de “manteiga”, chegando com a facilidade a um diferencial de 14 golos aos 36 minutos (25-11), para continuar o encontro num ritmo vivo, e aos 52 minutos Portugal vencia por 32-17 (15 golos de diferença, para terminar com uma diferença que à muito tempo não existia em jogos internacionais (17 golos). Portugal com 13 atletas a marcarem golos, teve em Mónica Soares com 5 golos (83% de eficácia) a sua principal marcadora. Na equipa de Israel destaque para Eden Vakrat com 7 golos foi a melhor marcadora da equipa. Jogo Dirigido pela dupla de Montenegro constituída por Jelena Vujacic e Andjelina Kazanegra, que não encontrou qualquer problema, na direcção do encontro. Iniciamos a crónica do jogo Itália / Portugal com as palavras do treinador nacional proferidas e escritas no Portal da FAP, a seguir à concludente vitória sobre Israel, “..é uma ilusão pensar que, depois do empate de ontem, que o jogo de amanhã vai ser fácil. Vai ser um jogo muito difícil, a Itália ontem não esteve bem, as melhores jogadoras ontem não estiveram nos melhores dias, mas isso não acontece sempre. Vamos ter um adversário muito duro, que está a jogar em casa, com o seu publico e, por isso, amanhã vamos ter de dar tudo e não tremer. Acredito que, com a resposta que as jogadoras têm dado, amanhã vamos ganhar e sair daqui com a qualificação.” Parece que o Seleccionador Nacional estava adivinhar o que seria passar, pois a Itália venceu e convenceu o jogo diante Portugal com duas jogadoras em excelente momento em especial no primeiro tempo a guarda-redes que deu um autentico festival, de seu nome Monika Pruenster, com defesas por vezes quase impossíveis, e posteriormente nunca teve soluções para a anular a lateral  Anika Niederwieser com 10 golos (72% de eficácia), Durante os primeiros 30 minutos Portugal ainda equilibrou o resultado chegando ao intervalo com uma igualdade a 12 golos, e nestes 30 minutos registaram-se diversas igualdades, mas tivemos menos bem na defesa e no ataque nunca encontramos soluções surgindo as faltas técnicas que não tinham acontecido na véspera, nos segundo 30 minutos ainda mantivemos a igualdade até aos 13 gogos (33 minutos de jogo) mas a partir daqui as italianas assumiram o comando do jogo e do marcador, variando a diferença entre os três e quatro golos, para terminarmos com um diferencial que não passava pela cabeça de ninguém, Não vamos efectuar uma critica mais assertiva, mas uma equipa que ao ataque faz dois passes e remate, com total precipitação, não pode sonhar alto. Mesmo assim devemos por imperativo de consciência destacar em alguns momentos Isabel Góis na baliza de Portugal e Mónica Soares, que com 6 golos, mas apenas 40% de eficácia foi a melhor marcadora de Portugal. E assim foi mais uma oportunidade perdida, alguém deve tirar as ilaões necessárias desta derrota. Jogo novamente dirigido pela dupla de Montenegro constituída por Jelena Vujacic e Andjelina Kazanegra, que tal como se previa, não teve na nossa opinião princípios de equidade em especial na sanção progressiva, e esteve menos bem na lei da vantagem e na falta do atacant

Resultados
Dia 25-11-16
Israel 26 – 26 Itália
Dia 26-11-16
Portugal 35 – 18 Israel
Dia 27-11-16
Itália 25 – 20 Portugal

Classificação Final - 1.º Itália, 2.º Portugal, 3.º Israel.

Apurados para a Fase Final:
Alemanha – Organizador
Noruega – Campeã Mundial em Titulo
3 Primeiras classificadas no Europeu de 2016

Apurados para o Play OFF

Grupo 1 – Ucrânia e Eslováquia
Grupo 4 - Itália

Nota – Os nove (9) lugares Europeus, serão disputados através de Fases de Qualificação (Fase 1 e Fase 2), para o Play OFF, serão apurados 11 das seguintes 14 equipas – Croácia, República Checa, Dinamarca, Espanha, França, Hungria, Montenegro, Holanda, Polónia, Roménia, Rússia, Eslovénia, Sérvia e Suécia.

O Noticias

10 comentários:

Anónimo disse...

Este resultado devia de ser motivo de reflexão por parte do Presidente da FAP quando diz que vai apostar no Feminino. Que ridículo. Mas nós temos Andebol Feminino? Não existe. O Campeonato é uma vergonha, só uma equipa tem dinheiro, gasta à fartazana, compra estrangeiras duvidosas dispensa a melhor jogadora nacional. A Presidente percebe tanto de Andebol como a Treinadora, resumindo... FRACA. Passou pela Seleção A não fez nada, anda agora o Ulisses a juntar cacos, depois da Selecionador ter trocado o projeto de sonho pela cadeira que não é preciso treinar para ganhar. O Outro só tem Amadoras no satélite e treina mais. A Paula Marisa coitada faz o que pode, o ALavarium está perdido sem Ulisses. O Leça esforça-se, o Maia Stars faz o que pode. Depois é muito Facebook, ganha-se qualquer coisa a rotas e amadoras e o Facebook parece um Antro de vaidades miserável. Depois vêm os amigos dos amigos, muito competente :) grande trabalho... Enfim não é nada, tudo mentira. Quem paga? O Ulisses.
Olha Ulisses vou te dar um conselho, diz a verdade ao povo no Facebook, não venhas com discursos fracos. Acusa os culpados.
Ao Presidente, rapaz acorda e para de olhar para as pernas das atletas, ficas baralhado e depois pensas que é para apostar. Pensa antes de falar.

Anónimo disse...

Ulisses vai ver o telemóvel da Erica, ainda te surpreendes com mensagens superiores da Madeira para a bola ir para a bancada. Que vergonha. Abre olhos.

Anónimo disse...

Nada que não fosse o esperado. Portugal esteve bem ontem, mas note-se que a equipa de Israel esteve mal e com algumas baixas, além do cansaço visível.
E hoje? Fracas decisões do seleccionador Ulisses...
Prometeu que ía fazer mais que os outros, acha-se o entendido da matéria, e depois das promessas, deixa toda a gente totalmente desmotivada com a falta de resultados com o andebol feminino! Eu queria, mas nunca consegui acreditar na competência (?) dele.

Como é que querem chegar a algum lado com um treinador que está lá porque o papá lá o colocou? Isto é absurdo e ridículo.
Ulisses, vai para o teu S. Bernardo que é lá que estás bem. E não voltes!

Anónimo disse...

Quem paga? O responsável pela derrota. É só um. Enquanto o Andebol em Portugal funcionar por cunhas de familiares e amigos não vamos a lado nenhum.

Anónimo disse...

tudo normal no reino da calçada

Anónimo disse...

Depois do que se viu nas seniores e se tem visto nas juniores A e juniores B, está na altura de fechar um ciclo e dar a oportunidade a outros de iniciarem já em janeiro uma nova etapa para o andebol feminino, fazendo uma reflexão séria dos nossos campeonatos, dos centros de treino e limpar de baixo até cima tudo.

Anónimo disse...

Que vergonha!!!
Pedir que se demitam para quê. Que iriam fazer estes “pseudo-treinadores” todos.
Logicamente vão ficar. Tanto trabalho deu conseguirem entrar (ou não) para agora pedirem demissão!!! Nunca na vida.
Seniores (filho do ex-presidente)
Juniores A (amiga do filho do treinador filho do ex-presidente)
Juniores B (O que arranja estágios e organiza competições)
Convocatórias de jogadoras por interesses instalados e “clubites”.
Promessas a jogadoras jovens para irem para determinados clubes com a certeza que se vai à selecção.
Depois chegam lá e ai Jesus!!! Lá vem a falta de tudo por parte de muitas jogadoras, que nos leva (para quem ainda tem duvidas) a confirmar que afinal não é apenas “falar mal por falar”.
Continuem que fazem bem. Pena é das jogadoras dos clubes que não fazem parte do sistema e que vêm e sentem estas injustiças.
Então nas selecções jovens é de bradar aos céus.

Anónimo disse...

Depois destes comentários reais e com conteúdo melhor não fazia!
Mas é importante fechar para balanço e ano 2017 novo com nomeação de directora a que esta sabe o que tem que fazer, novas equipas técnicas e um bom documento apresentado pelo dupla maravilha Pedro Sequeira/Luísa Estriga e fica tudo bem! mas dava jeito alimentar ego da incompetência!
Acredito no Andebol Feminino e tenho testemunhas!

Anónimo disse...

O Presidente da FAP quando diz que vai apostar no feminino deveria dizer que vai investir para que mais tarde se possa apostar no feminino.
O homem nem conhece os projectos de andebol feminino que existem no país!!!

Anónimo disse...

Fantástica exibição da guarda-redes Italiana!
Ou talvez não.
Qualquer guarda-redes mediana consegue perceber que estão sempre a rematar para o mesmo sítio.
Com tantas jogadoras capazes de fazer os lugar de lateral, talvez fosse boa ideia trocar e evitar que uma única jogadora desperdice mais de uma dúzia de ataques em 30 minutos.
Para que serve insistir em alguém que para fazer 4 golos tem de fazer 12 remates? É que isto significa sofrer 9 ou 10 golos na resposta da outra equipa.
Esta gente ou não vê o que se passa no jogo, ou não sabe reagir, ou então pior ainda, não sabe contar.
Não vi em termos individuais uma única jogadora Italiana que fosse claramente superior ás Portuguesas.
Posição por posição, temos melhores jogadoras. É um facto.
Agora tirem conclusões...