gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

terça-feira, 8 de novembro de 2016

Europeu 2018 Masculino – VIII

OS ÓCULOS DO RUI SILVA

Incompreensível a atitude do Delegado da EHF, será provavelmente mais uma interpretação da EHF, apoiada pelo Conselho de Arbitragem da FAP, ao que temos lido na imprensa, com declarações totalmente fora do contexto por parte do Presidente do CA, que em nossa opinião só são entendidas face ao próximo acto eleitoral que se realiza em breve na EHF, e que até agora a nossa Federação omitiu pura e simplesmente.

  • Pergunta-se, como é que o Rui Silva, actua na Alemanha e nada foi dito?
  • Perante as declarações do Sr. Presidente do CA, será que ele vai ser autorizado a jogar em Portugal com aqueles óculos? Ou a sua coragem foi só para aquele momento.
  • Pergunta-se ainda, como é que o polaco Bielecki, pode jogar?
  • Pergunta-se ainda, a FAP vai abrir um inquérito a quê e a quem?

A Federação deveria era chamar imediatamente a atenção do CA, para as palavras que profere e para os prejuízos causados à modalidade em especial à Selecção e tomar imediatamente uma forte atitude perante a EHF, não vá ficar na “gaveta” como de costume, O ABC que o diga por exemplo.

Qual o critério de interpretação da Regra 4:9, na sua nova redacção, e que aqui transcrevemos, pois a mesma não fala em “parafusos” nenhuns a coberto ou a descoberto, O Sr,. Presidente do CA, segundo relata por exemplo o Jornal o Record é que os refere, então é assim que se defende o Andebol em Portugal, e a sua Selecção…

Regra
4:9   Os jogadores têm que usar sapatos desportivos.

Não é permitido usar objectos que possam ser perigosos para os jogadores, ou que possam dar-lhe vantagens inadequadas. Isso inclui, por exemplo, protecção de cabeça, máscaras faciais, luvas, pulseiras, relógios, anéis, “piercing” visíveis, colares ou correntes, brincos, óculos sem faixas de segurança ou com armações sólidas, ou qualquer outro objeto que possa ser perigoso (17:3). (Nunca refere parafusos, á mostra ou escondidos)

Os jogadores que não obedeçam a esta regra não poderão participar no jogo até que corrijam o problema.

Os anéis planos ou pequenos e objectos “piercing” podem ser autorizados, desde que cobertos de tal maneira que não possam tornar-se perigosos para os jogadores. São permitidas faixas na cabeça, lenços, e braçadeiras de capitão desde que sejam feitas de material macio e elástico.

Antes do jogo se iniciar o Oficial Responsável de Equipa, confirma assinando o Boletim de jogo, informando de que todos os jogadores se encontram correctamente equipados. Se os árbitros detectarem algumas irregularidade depois do jogo se ter iniciado (de acordo com a Regra 4:9), o Oficial Responsável de Equipa, deve ser sancionado progressivamente e o jogador em questão tem de abandonar o terreno de jogo, até que o problema esteja resolvido.

Se a equipa tem alguma dúvida sobre o equipamento, o Oficial Responsável de Equipa têm de entrar em contacto com os árbitros ou o delegado antes do início do jogo (ver também esclarecimentos sobre as Regras de jogo, Anexo 2).

(o texto a vermelho na Regra 4:9 é o que foi introduzido em 2016)

Por último importa esclarecer que em nenhum dos Apêndices (ou Anexos) I e II ás regras é referido qualquer situação em relação aos óculos de um atleta, pois o Apêndice I refere-se em especial ás mascaras faciais e o Apêndice II referem-se a outras situações, referidas na Regra 4:9.

Terminamos este texto dizendo que os óculos são legais e não somos só nós a dizer, e que iremos acompanhar este triste episódio, sempre que considerarmos oportuno.

O Administrador Delegado

10 comentários:

Anónimo disse...

QUEM RESPONDE A ESTE COMENTÁRIO E QUANADO:

"Anónimo Anónimo disse...
NA III DIVISÃO NACIONAL, NAS "SÉRIES" ORGANIZADAS PELA AALISBOA A REVELIA DE TODOS, PEDIMOS DESCULPA, A REVELIA DA MAIORIA,O ART JÁ NÃO FOI JOGAR NO DOMINGO A LAGOA.

POR OUTRO LADO E ENQUANTO "ACTUAREM AS DUPLAS PRIVATIVAS DE SOPRADORES" DE LAGOA E A DE SINES (QUE VERGONHA), CONJUNTAMENTE COM LIMAS E VENTURAS, O QUE ANDAM A FAZER NESTA "BARRACA COMPETITIVA" OS CLUBES MAIS FRACOS OU COM MENOS OU NENHUM PROTAGONISMO JUNTO DA ASSOCIAÇÃO E DA FEDERAÇÃO? ANDAM A GASTAR O QUE NÃO TEM (ESTÃO JOGADORES A PAGAREM PARA A INSCRIÇÃO, PARA O EXAME MÉDICO, PARA TREINAREM, PARA AS DESLOCAÇÕES, PARA A ALIMENTAÇÃO, ETC., PARA DEPOIS SEREM GOZADOS POR ALGUNS QUE POR AI VÃO ANDANDO QUE A SEU BELO PRAZER "ESTIPULAM" QUEM GANHA O "JOGO", QUEM "SEGUE" EM FRENTE A QUEM "DISTRIBUEM" VERMELHOS E AZUIS A MAIORIA SEM QUAIOSQUER CASTIGOS.

JÁ FALTOU MAIS PARA ISTO TUDO ACABAR MAL.

POR ÚLTIMO: ASSOCIAÇÃO DE ANDEBOL DE LISBOA E FAP, DIGAM HONESTAMENTE O QUE VAI ACONTECER AOS CLUBES PARTICIPANTES NÃO APURADOS NESTAS "SÉRIES" A PARTIR DE 17 DE DEZEMBRO DE 2016 E ATÉ AO FINAL DA ÉPOCA DE 2016/2017, PARA QUE POSSAMOS TOMAR IMEDIATAMENTE UMA MEDIDA PARA O BEM E PARA O MAL.

8 de novembro de 2016 às 13:38"

Anónimo disse...

Bom texto banhadas, a verdade é que existe sempre quem se meta onde não é chamado, e depois dá nisto, não os metam na ordem e vai ser bonito vai vai

Anónimo disse...

O meu primo faz óculos bons!Oculista Fininho e Rêpas Lda.

Anónimo disse...

Desde o que aconteceu com a sel do Qatar, podemos acreditar em tudo.

Anónimo disse...


As regras de jogo visam antes de mais salvaguardar a integridade física dos jogadores (não só do atleta que usa os óculos, como principalmente a dos outros jogadores), sendo que na realidade óculos em armação rígidas e/ou quebráveis e com parafusos à mostra são (e bem) interditos.

Lamentavelmente a seleção não tem um dirigente à altura no banco de suplentes que saiba as regras e regulamentos e tenha ainda força para fazer lobby sobre o delegado e até sobre os árbitros. A Direção da FAP tem de escolher uma pessoa com um perfil que, entre outros, garanta essas qualidades e, de uma vez por todas, não escolha uma pessoa apenas e só por ser presidente de uma associação regional e/ou ter influencia no colégio eleitoral.

No geral, os jogadores sabem as regras, mas continuam a arriscar porque na maior parte das vezes as situações passam impunes. Veja-se o caso do Grilo que sistematicamente joga com calças térmicas - o que é proibido - apenas pode usar calções térmicos, e os delegados nada fazem. O mesmo sucede com a fita de cabeça do Ronny que também é interdita, já para não falar nas proteções dos joelhos e cotovelos que, não raras vezes tem reforços que não poderiam ter.

Quando há um delegado zeloso e cumpridor, como foi o caso, surgem os problemas e então das duas uma, ou os jogadores cumprem e retiram os objetos proibidos ou pura e simplesmente não jogam.

Ao contrário do que defende o Banhadas, entendo que a Direção da Federação e o Conselho de Arbitragem devem ser mais exigentes nas competições nacionais por forma a que estas situações não voltem a acontecer.

Por fim, deixo um recado ao António Marreiros para que use também as suas influencias politicas nas instancias internacionais em prol dos interesses da nossa seleção e não apenas para levar árbitros aos Jogos Olímpicos. Um simples telefonema ao Macedónio talvez fosse suficiente para que o Rui Silva tivesse jogado.


Anónimo disse...

O Rui já jogou com estes óculos em competições europeias e, apitado pelos mesmos árbitros!!!
Quando jogava no Sporting e houve a grande surpresa do Skjern (Dinamarca), perder com os portugueses...
- Quem da FAP fala sobre o caso?
- Se houver razão de queixa o que poderá acontecer?
- È possível a repetição do jogo?
- O jogador tinha jogado contra a Alemanha, e agora, pode jogar o próximo jogo na europa?

Anónimo disse...

Dizem que há uma bruxa na Amadora que acerta que se farta. Porque não levar a selecção sénior lá? Dizem que acerta muito! È que já se viu que o bruxo de Fafe não acerta uma. Temos que expulsar os maus espíritos. que mais andará para nos acontecer? O sorteio calhou ser áspero e tudo leva a crer, nem a vinda do Papa nos safa! È que no tempo que dizem ter acontecido aquilo do milagre, não havia fotos ou vídeos... e o presidente Salazar, tinha sido criado com padres! Coincidências incríveis! A nós tudo nos acontece! È o sorteio! È o Rui não poder usar óculos mas só neste jogo! È o selecionador que também não acerta uma! São os adjuntos que, para além de serem escolhidos ás escondidas, nada acrescentam! Irrrra!

Anónimo disse...

Depois de tanta notícia sobre o assunto espero que a FAP, através do seu site, faça um esclarecimento sobre o mesmo e, já agora, que arranje uma ótica ( tipo patrocinadora) que fornaça os óculos adequados e homologados onde os atletas possam comprar e, se possível, se forem federados com desconto.

Anónimo disse...

Primeiro foram as mangas térmicas, agora serão os óculos? Tanto caso que se, ou não cumpre! O sarilho-mor é a diferença de critérios. Assim como na arbitragem raramente o fingidor é punido, e vai intimidando o oponente, tudo se faz. È apernas e só uma questão de feitio. Aproveita Rui e anuncia uma nova marca de óculos, pode ser que com a publicidade ganhes algum! Já basta teres uma federação que nem existe!!!

Anónimo disse...

9 de novembro de 2016 às 11:54
Falava com o Prof. José Magalhães do Porto e o assunto era resolvido na hora!
Paciência visto que o Augusto Silva é fraco de línguas e não adianta estar presente!
Pra próxima vai ser melhor!