gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Crónica Intermédia de Fim-de-semana – 58 – 2016 / 2017 – I

Crónica intermédia de fim-de-semana, dedicada apenas a jornada do Grupo B da PO01 que se disputou, neste feriado.

PO01 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Masculinos.

Fase Final Nacional – Grupo “B”
3.ª Jornada
Dia 06-05-17
São Mamede - Arsenal (21H00)
6.ª Jornada
Dia 25-04-17
SC Horta - Belenenses (Adiado)
São Mamede 22 – 25 AC Fafe
Arsenal 32 – 36 Boa Hora
AA Avanca 35 – 18 Ismai

Nesta Grupo, disputou-se uma jornada intermédia neste dia feriado, provavelmente de forma a certar o calendário como o Grupo A, e com um jogo adiado, à última da hora, por informação da FAP, sem indicação do motivo nem da nova data, assim tivemos a 6.ª jornada incompleta, continuando a existir ainda um encontro em atraso, mas relativo à 3.ª jornada. Não nos cansamos de referir que consideramos que nesta fase da prova, todo e qualquer adiamento, poderá ou não ter consequências ao nível desportivo. Nesta jornada, felizmente nos jogos disputados não se registaram ocorrências disciplinares, facto que destacamos, pela positiva. Deveremos ainda referir, não se compreende o motivo por que no segundo período de jogo no Flavio Sá Leite, não existiu estatística.E Boletins de jogo na PO01, incompletos.

AA Avanca 35 – 18 Ismai

Jogo disputado no pavilhão Adelino Costa, com menos assistência do que se esperaria, e que teve praticamente um sentido único, pois a AA Avanca comandou o jogo e o marcador durante os 60 minutos, com o seu técnico a ter oportunidade de fazer diversas alterações tácticas durante o jogo, bem como uma completa gestão do plantel. Por sua vez o Ismai que se apresentou sem Angel Zulueta, parecia uma equipa, a quem a permanência já estava garantida, e foi uma equipa displicente e determinados momentos mais parecia que jogo acabasse depressa do que jogá-lo com um mínimo de qualidade, e na nossa opinião apenas teve um jogador que “remou” contra a passividade dos colegas, que foi o Hugo Glória (1 golos, 50% de eficácia), apesar da baixos números apresentados mas foi na nossa opinião o único a tentar levar a equipa para caminhos mais positivos, sendo em alguns momentos bem acompanhado pelo jovem Diogo Silva (4 golos, 40% de eficácia), por sua vez na AA Avanca o seu guarda-redes Luís Silva (55% de eficácia), com Alejandro Carreras no mesmo posto a chegar aos 44% de eficácia), esteve em grande plano e a própria equipa fez da rapidez de execução a sua principal arma, verificando-se nitidamente que existe uma nítida intenção de preparar a equipa para a Final Four da Taça de Portugal. Aos 11 minutos de jogo vencia por 8-6, fazendo um parcial um parcial de 7-0, e cerca dos 20 minutos vencia por 15-6, e resolveu em definitivo o encontro, chegando ao intervalo com um diferencial de 12 golos (21-9). Na equipa do Ismai, as diversas mudanças de guarda-redes pouco efeito produziram e apenas João Valente (43% de eficácia) no pouco tempo que esteve no porto esteve mais presente, mas não o suficiente para a sua equipa melhor qualitativamente o seu jogo, enquanto na AA Avanca, José Gomes (7 golos, 78% de eficácia) e João Carvalho (5 golos, 71% de eficácia), com Miguel Batista, a também estar bem (5 golos, 100% de eficácia) estiveram sempre muito bem, sendo o seu elemento mais fraco (na nossa opinião) Jenilson Monteiro (2 golos, 33% de eficácia), pois até Pedro Pires (3 golos, 100% de eficácia) nos 6 metros esteve muito bem durante os períodos que jogou. E com um resultado que em determinados momentos se chegou a penar que podia ser catastrófico para a equipa do Ismai, que entretanto rodou o seu plantel, demasiadas vezes, pois chegou a ter 19 golos de diferença (33-14) quando estavam decorridos cerca de 50 minutos de jogo, conseguindo atenuar depois um pouco essa diferença, pouco mais à que dizer. Jogo dirigido e bem pela dupla IHF de leiria constituída por Eurico Nicolau e Ivan Caçador, com o seu trabalho bem facilitado pelo comportamento de todos os intervenientes.

No Pavilhão Eduardo Soares, muito bem composto, disputou-se o São Mamede / AC Fafe, que foi um jogo emotivo de grande equilíbrio, em especial até aos 23 minutos, quando se registava uma igualdade a 10 golos, com a equipa minhota a passar para a frente do marcador e a chegar ao intervalo a vencer por 12-11. No segundo tempo reacção inicial da equipa de São Mamede, que iguala aos 37 minutos de jogo a 14 golos, para, o AC Fafe passar em definitivo para a frente do marcador nesta altura, situação que nunca mais largou. Chegando por diversas vezes a ter 4 golos de diferença a seu favor, como por exemplo aos 46 minutos, quando vencia por 19-15, e aos 57 minutos quando vencia por 23-19. Foi a equipa que melhor soube aproveitar as superioridades numéricas de que dispôs, e com esta vitória ganha novo alento em termos de manutenção. Na equipa de São Mamede, Vasco Marques (100% de eficácia) e Miguel Vieira (63% de eficácia) com 5 golos cada foram os seus melhores marcadores, por sua vez Vasco Santos com 8 golos (73% de eficácia), e João Fernandes com 6 golos (100% de eficácia) foram os melhores marcadores do AC Fafe, de referir ainda a eficácia de Miguel Marinho na baliza do AC Fafe com 36% de eficácia, contra os 29% de eficácia de Rui Pereira na baliza do São Mamede.

No Flavio Sá Leite disputava-se um dos mais importantes (na nossa opinião), encontros da jornada deste grupo, o Arsenal / Boa Hora, pois uma das equipas poderia em caso de vitória encara o resto da disputa do Grupo com mais tranquilidade e com a manutenção quase garantida. A Equipa do Boa Hora começo bem o encontro e cerca dor 8 minutos vencia por 5-1, para permitir uma excelente reacção dos bracarenses que igualaram a 8 golos aos 16 minutos e voltaram a igualar desta vez a 11 golos cerca dos 24 minutos, e com um parcial de 4-0 passam para 14-11 a seu favor visto que obtiveram o seu 11.º golo no mento da igualdade, e chegaram ter uma vantagem de 4 golos, quando estavam decorridos cerca de 28 minutos (16-12), para o intervalo chegar com o resultado em 16-12 a favor do Arsenal. De referir que os bracarenses souberam sempre aproveitar as superioridades numéricas, e ainda conseguiram marcar golos quando á passagem do minuto 23 estavam a jogar com apenas 4 jogadores de campo. No segundo tempo forte reacção da equipa do Boa Hora que iguala o marcador a 22 golos, para posteriormente passar para a frente do marcador a 23-22, cerca dos 38 minutos, situação que não mais deixaram, chegando a ter por diversas vezes 5 golos de vantagem (30-25, 31-26, e 36-31, por exemplo), para terminarem por vencer com um diferencial de 4 golos. João Santos e André Caldas com 7 golos, cada, e o jovem Oleksandr Nekrushets com 5 golos, foram os melhores marcadores do Arsenal, No Boa Hora, Ricardo Barrão e Pedro Pinto, ambos igualmente com 7 golos, e o experiente Luís Nunes com 6 golos, foram os melhores marcadores do Boa Hora.

A Classificação Fase Final Grupo “B” - 1.º AA Avanca (45 pontos), 2.º Boa Hora (38 pontos), 3.º Ismai (37 Pontos), 4.º AC Fafe (34 pontos), 5.º Belenenses (32 pontos, -1 jogo), 6.º SC Horta (26 pontos, -1 jogo), 7.º Arsenal (25 pontos, -1 jogo), 8.º São Mamede (23 pontos, -1 jogo). 

O Banhadas Andebol

9 comentários:

Anónimo disse...

Fonte segura: Luis Santana no Águas Santas , e leva com ele Tiago Prata e o seu adjunto Filipe.

Anónimo disse...

Os meus parabéns a Boa-hora e AVANCA. O trabalho engrandece ao contrário dos que muito falam. O meu clube? Sou do Braga e Benfica.

Anónimo disse...

jogo adiado, porquê, condições atmosféricas, mas realizaram-se todos os voos para Ponta Delgada e para a Horta, merece uma investigação séria da Federação

Anónimo disse...

Caro anónimo de 26 de Abril de 2017 às 12:12
Merece uma investigação séria da Federação ou uma investigação séria À Federação?

Anónimo disse...

Para o ano isto já não se vai passar. Voar para ilhas é um sarilho.

Anónimo disse...

Parabéns Boa Hora, a permanência está quase garantida, é uma surpresa para muita gente, para mais com técnico que teem

Anónimo disse...

Já ouvi chamar quase tudo a este Boa-hora, assim como a jogadores e dirigentes ou treinador. A verdade é que vindos de outra divisão, continuam estáveis e unidos e ao que parece os sponsrs são os mesmos ou até já há mais. O que mais dá que pensar é que, a próxima época vai sendo tratada. E não é que, até há uma guerrinha com o Belenenses mas, os jogadores desejam ir para lá, apesar de em tempos os do Restelo terem elan?

Anónimo disse...

Anda por aí um iluminada, que já fala noutra crónica em passar a prova de 16 para 18 clubes, se não temos andebol que valha provavelmente mais de 10 a 12 equipas, o provável é o pequeno, pertencer a um daqueles que já está com pé na descida de divisão. porque não pensam no desenvolvimento da modalidade e se deixam de poesias e de ideias d a idade da pedra.

Anónimo disse...

27 de abril de 2017 às 20:02
anónimo como convém!

caro amigo uma pequena ideia se transforma logo no acto de cuspir na prato onde já comeu!
Espera para ver também não se passou de 12 para 14 para reforçar o nosso melhor andebol perguntas as 4 equipas de baixo da P001 se preferem jogar em cima em na P002.
quem nasce pequeno mesmo que cresça sai torto da cabeça!
José Silva