gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

domingo, 28 de maio de 2017

Crónica de Fim-de-semana – 65 – 2016 / 2017 – I

Crónicas de fim-de-semana dedicada somente aos jogos que se disputaram do Grupos B da PO01.

PO01 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Masculinos.

Fase Final Nacional – Grupo “B”
10.ª Jornada
Dia 27-05-17
SC Horta - AA Avanca (21H00) 24/29 SD 2#4-23
Boa Hora 34 - 32 Ismai 30/28 # SD
Belenenses 26 – 28 AC Fafe (19H00) SD # 28/27
Dia 01-06-17
Arsenal - São Mamede (21H00)

Grupo em que foi adiado, sem motivos aparentes mais um jogo, e que já têm um jogo disputado por antecipação da 11.ª jornada, voltamos a repetir até à “exaustão” que consideramos que nesta fase da prova, todo e qualquer adiamento, ou antecipação poderá ou não ter consequências ao nível desportivo. Pois podem colocar em causa a verdade desportiva. Disputou-se a 10.ª Jornada incompleta, conforme já dissemos, com um dos encontros a ser adiado para dia 01-06-17, e que têm a sua jornada homóloga, na 3.ª jornada da 1.ª volta. Nos jogos disputados, não se registaram ocorrências disciplinares. Com todos os encontros disputados a serem a rectificados em ao ocorrido na 1.ª volta.

Boa Hora 34 – 32 Ismai

Jogo disputado no Pavilhão Fernando Tavares, onde o Boa Hora rectificou o resultado verificado na jornada homóloga e curiosamente pela mesma diferença, foi um encontro com diversas fases de jogo e onde as duas equipas se apresentaram com diferentes sistemas defensivos, mas a cometerem muitas faltas técnicas. O Boa Hora com uma defesa mais aberta, mas soluções para o desempenho de Angel Zulueta (14 golos, 67% de eficácia), que foi sempre muito bem acompanhado por Reyniel Nelson na baliza durante todo o encontro com 31% de eficácia, não sendo de estranhar que o Ismai comandasse o marcador até cerca dos 23 minutos (15-11), maior diferença registada até então, momento em que o Boa Hora faz um Time-OUT, oportuno, de tal forma que até o final do 1.º tempo têm o melhor período do jogo fazendo um parcial de 6-0, e chegando ao intervalo a vencer por 17-15. No Segundo tempo o Boa Hora com a entrada do experiente Vasco Ribeiro (31% de eficácia) para a Baliza melhora substancialmente a sua prestação defensiva, embora em termos atacantes continue por vezes a ser demasiado confuso, mas nunca mais largou o comando do marcador, e a máxima diferença situou-se nos 4 golos, por diversas vezes a última das quais aos 38 minutos, quando vencia por 22-18, mas daqui até final o Ismai, foi perdendo o fulgor que vinha demonstrando, e o melhor que conseguiu foi amenizar o diferencial que chegou a ser mínimo, aos 52 minutos (28-27), por exemplo, no entanto a equipa do Boa Hora, onde Nuno Santos (7 golos, 88% de eficácia) foi uma verdadeira seta apontada à baliza do Ismai, sendo bem acompanhado por Uros Markovic (7 golos, 78% de eficácia), e com João Ferreira (6 golos, 60% de eficácia) a resolver os problemas de 1.ª linha, já que também tinha elementos em sub rendimento, um deles Pedro Sequeira, termina o encontro em inferioridade numérica por exclusão de Rui Barreto. O Ismai apenas se pode queixar de si próprio, pois além do seu melhor marcador e do homem da baliza já referidos, apenas Francisco Leitão (6 golos, 100% de eficácia) nos 6 metros, e a espaços o jovem Diogo Silva (3 golos, 100% de eficácia), deram um ar da sua graça. Dirigiu este encontro a dupla internacional de Leiria composta por Roberto Martins e Daniel Martins, que num encontro sem qualquer grau de dificuldade, tiveram falhas ao nível da sanção progressiva, e ao nível da falta do atacante.

No pavilhão Acácio Rosa disputou-se o Belenenses / AC Fafe, perante uma assistência, cujos números deixam muito a desejar, e foi mais um dos resultados que se alterou em relação ao ocorrido na jornada homóloga da 1.ª volta, pois desta vez terminou com a vitória do AC Fafe. Começou bem a equipa do Belenenses, que chegou a ter vantagens de 6 golos, ainda durante os primeiros 30 minutos, quando aos 20 minutos de jogo vencia por 13-7, para ir permitindo ao seu adversário uma diminuição consistente do diferencial e chagar ao intervalo a vencer por apenas 3 golos (16-13). No reinício do jogo, a equipa da casa voltou a estar bem e aos 34 minutos de jogo, vencia por 19-13, mas o AC Fafe nunca se deu por vencido, e faz um parcial de 9-1 entre o minuto 35 e o minuto 48, colocando-se na frente do marcador por 22-20. E estava criada a surpresa da jornada, com a equipa do Belenenses, a claudicar completamente, pois o AC Fafe nunca mais perdeu o comando do jogo e do marcador. Em especial na baliza das duas equipas esteve uma das reais diferenças, pois no AC Fafe, quer Bruno Dias com 34% de eficácia, quer Miguel Marinho com 30% de eficácia, estiveram bem enquanto na equipa visitada, estiveram abaixo do desejado, quer João Moniz (27% de eficácia), quer Miguel Espinha (20% de eficácia). Mais uma vez Gonçalo Ribeiro com 12 golos (71% de eficácia), foi o melhor marcador do Belenenses, por sua vez Vladimiro Pires (8 golos, 73% de eficácia), Nuno Pimenta (70% de eficácia), e Vasco Santos (58% de eficácia), ambos com 7 golos cada, foram os melhores marcadores do AC Fafe, que com esta vitória, estamos convictos, se afastaram do espectro de descida de divisão.

Na Horta, disputou-se o SC Horta / AA Avanca, que surpreendentemente após AA Avanca comandar o jogo e o marcador durante cerca de 48 minutos, onde chegou ainda no primeiro tempo a ter vantagens de 7 golos, como por exemplo aos 23 minutos quando vencia por 13-7, e chegou ao intervalo a vencer por 16-10, dando a sensação de que tinha o jogo controlado, mas puro engano, o SC Horta foi diminuído o diferencial e equilibrando o jogo, de tal forma que iguala o marcador a 19 golos aos 49 minutos. De depois de repetir a igualdade a 20 e a 21 golos, assume em definitivo o comando do marcador, chegando a ter 2 golos de vantagem, para terminar por vencer o encontro pela diferença mínima, provocando a terceira derrota consecutiva, da equipa da AA Avanca, e com esta vitória aumenta a confusão quanto às possíveis decidas de divisão. Não foi pela baliza que a AA Avanca perdeu o encontro pois Alejandro Carreras com 33% de eficácia, foi o elemento em maior destaque nas balizas. No SC Horta Edgar Landim (60% de eficácia), e Noelvis Reve (50% de eficácia), ambos com 6 golos cada, e Angel Noris com 5 golos e (56% de eficácia, foram os seus melhores marcadores, Na AA Avanca, o melhor marcador não passou dos 4 golos e foi Pedro Valdez (50% de eficácia).

A Classificação Fase Final Grupo “B” - 1.º AA Avanca (54 pontos, +1 jogo), 2.º Boa Hora (48 pontos), 3.º Ismai (44 pontos), 4.º Belenenses (43 pontos), 5.º AC Fafe (40 pontos), 6.º SC Horta (36 pontos), 7.º Arsenal (34 pontos, -1 jogo), 8.º São Mamede (30 pontos). 

O Banhadas Andebol

8 comentários:

Anónimo disse...

Não ouvi um queixume ou um protesto. Parabéns Boa-Hora peloexcelente campeonato! Os outros é que vão falando mal de nós.

Anónimo disse...

Face a realidade do Grupo "B" e aos Clubes que pretendem subir por mérito desportivo, está se mesmo a ver que era melhor na próxima época 16 equipas e não 14 e na época 18/19 fechar com 18 equipas.
O ANDEBOL SÓ TINHA A GANHAR!
ADC

Anónimo disse...

Quando e que a direcçao do belenenses chega a conclusao que a familia florencio ja esta a mais no clube sera que ninguem ve isso.
O pai florencio fique la a treinar as meninas da assomada pois para equipas de 1ª divisao masculina ja esta ultrapassado, quanto ao filho o tal que trabalhou com Jose Mourinho e zero de andebol é Zero.
por isso ja chega basta desta gente o andebol do Belenenses nao merece este tratamento pois e uma modalidade historica

Anónimo disse...

29 de maio de 2017 às 13:12
Estou de acordo com o comentário sobre o futuro do Belém e seus treinadores:
Há duas Famílias no nosso Andebol que mesmo não tenho nada para dar ao Andebol precisam Dele do dinheiro seu vem ao final de mês por serem hipotéticos treinadores!
São familias que se arrastam no andebol e o insucesso viva a volta deles mas precisam mesmo do dinheiro ao final do Mês!
A família dos "Silvas" em Fafe
A família dos "Florêncio" no Belém
Já não chegava o titular para depois meterem a mulher e filhos para serem treinadores à força!

Depois temos famílias pela positiva:
A Família "Magalhães" no Porto com vários nichos de equipas com a mesma filosofia 9 equipas e para o ano mais surgirão!
A Família "Cruz" do SLbenfica com varios dirigentes, treinadores e amigos do Passos Manuel tudo a "mamar" à conta!
Quando termina este aspecto negativo no nosso Andebol!

Anónimo disse...

Alguém me explica o que é a direcção do belenenses? Direcção?!

Anónimo disse...

Opa aquilo em Belem anda um Maluquinho que ainda vai fraturar os ossos de tanto rematar. Ensinem o miudo a passar a bola. O Fafe é muito fraco, mas consegue ganhar em Belem.

Anónimo disse...

Quem de direito, e não falo em direcção, pois duvido que tal exista de forma efectiva, deve repensar o andebol do Belenenses. O pai Florêncio vai fazendo o que pode pelos seniores, apesar da sua dedicação à equipa do Assomada. O grande problema está no filho Florêncio que, para além do fantástico trabalho que fez no início da época a treinar os seniores, continua a contaminar o balneário e os jogadores com as suas provocações e atitudes. Isto para não falar do seu trabalho à frente da equipa de juniores, onde seria difícil fazer pior. Conseguiu afastar praticamente todos os atletas recém chegados ao clube e manter a aposta nos jogadores que transitaram da época passada e alguns juvenis a quem vai vendendo as suas ilusões delirantes, egocêntricas, pedantes, inúteis e aberrantes! Tudo o que vai contra as suas ideias e forma de estar é um alvo a abater. O que importa sãos os mexericos e as suas histórias de fantástico treinador da treta!!! Pedro Domingos abre os olhos e corre com este sujeito ou então para o ano dificilmente terás alguém que queira fazer parte da equipa de juniores do Belenenses... excepto os jogadores que já estão por lá... alguns deles abnegados e trabalhadores, mas outros verdadeiros "gémeos" do brilhante treinador! E, se alguém dúvida, basta assistir a um treino... onde se morre de tédio ou se fica na "mama" para marcar golos (que é o que importa!) ou fazer uma leitura das jornadas onde se constata como uma equipa, que apesar de limitada e que podia lutar pelo apuramento para a fase final, passou a ser derrotada e até goleada pelo último classificado. Está na hora de se ir buscar gente com ambição e não gente acomodada, que passeia a vaidade no seu manto de ignorância e para quem todos os que têm opinião diferente são para excluir. Talvez convenha saber que este treinador, para além de mal educado e provocador para árbitros e jogadores das outras equipas, nunca fez a mínima ideia da qualidade e tipo dos jogadores e sistemas de jogo das equipas contra quem jogou. É um texto longo mas dá que pensar!
O RESINA

Anónimo disse...

Gostava de saber quem é esse maluquinho de quem fala , que não passa a bola e remata muito.
Falar sem perceber pouco ou nada de andebol e comentar algo sem sequer ter visto o jogo em questão é feio e de mau tino.
Afirma que o fafe é muito fraco mas tem um bom colectivo e um treinador novo e dinâmico.
O meu Porto teve dificuldades para ganhar ao fafe e dificuldades para ganhar ao belenenses , o Porto também é fraco ?
Não fale do que não conhece.
Marques