gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

terça-feira, 25 de julho de 2017

Custos de Arbitragem - Época 2017/2018 - IV

CUSTOS DE ARBITRAGEM
Época 2017 / 2018

Depois de termos referido, os aumentos dos custos de arbitragem, que se encontram reflectidos no CO N.º 1 desta época, com o texto que voltamos a transcrever:

A alteração de alguns formatos competitivos, reflectem-se agora nos custos de arbitragem nas respectivas provas, com a PO01, volta a sofrer um agravamento de cerca de 24% (passou de 11.700, para 14.500€), enquanto a PO02 sofreu um aumento de 19% (passou de 4.200, para 5.000€), cabe aqui perguntar, está ou não incluída a Fase Final? Pois desapareceu essa nota da tabela, será que vão todos pagar o mesmo? E na PO09 que passou de 2.700€ para 3.300€, o que significa um aumento de cerca de 11%.

No mesmo texto termos alertado para o conteúdo do ponto 4.1 do mesmo CO, “Por fim teremos de referir o terminus da função de Oficial de Mesa, (é assim que se faz o desenvolvimento da modalidade?), ver notas no ponto 4-1 do CO.” Agora a modalidade é brindada com o CO N.º 10 de 24-07-2017, onde se diz claramente que os clubes têm até dia 11-08-17, de comunicar à Federação, se não pretendem efectuar a inscrição de Oficiais de Mesa, de acordo com o n.º 8 do Artigo 3.º do Regulamento CROM.

Esta não inscrição terá como consequência uma taxa adicional do custo das arbitragens por prova, de 50% ao valor indicado para cada prova, ou seja em termos de PO01, isto significa que um clube poderá só de arbitragem ter de pagar cerca de 21.750 €, um absurdo total, e chamam a isto desenvolvimento da arbitragem. Nós voltamos a perguntar, e se os clubes não apresentar Oficiais de Mesa, quem os fará? Terá a Federação quadro próprio? Responda quem souber, pois até ao momento o que se ouve é um “ruído” de silêncio absoluto.

O Analista

9 comentários:

Anónimo disse...

Eis a fórmula correta de acabar com os clubes, e perguntar para que serve a Federação.

Anónimo disse...

Tudo isto é uma vergonha.
Os oportunistas que ocupam a FAP e o CA devem urgentemente ser corridos, sob o risco de vermos a nossa modalidade definhar ainda mais.
Bem sei que algo vai passar pelas barras dos tribunais mas oxalá não seja demasiado tarde.

Anónimo disse...

Haja alguém que informe se o sr. Bruno de cascalho reberá os assobiadores, nos famosos pequenos almoços em sua casa! Desde já aproveito para desconfiar de serem longos pois, se terminam ao meio dia, pode ser que haja almoço. Gostava de saber se o Sporting tem direito a uma oferta de pontos pois, foram montados campeões depois dum jejum, de pelo menos doze anos. Digo montados porque foi tudo uma montagem...

Anónimo disse...

Os presidentes dos clubes deviam reunir e combinarem todos em nao pagar este absurdo, isto e uma vergonha , ainda por cima os pagamentos aos arbitros estao em atraso ha um ano pelo menos

Anónimo disse...

Acertem as contas com todos os árbitros e Dirigentes da Mesa inscritos na FPA/CA sem isso nada resistirá a fraude e trafico de influencia nos grandes jogos!

Anónimo disse...

Eu vejo as coisas desta maneira:

Para quem tem orçamentos de 2,5 Milhões/Ano, os 3.000,00 €/Ano de aumento das arbitragens representa apenas 0,12% do orçamento, repito 0,12%!
Se orçamento for de 1,5 Milhões/Ano, o aumento das arbitragens é de 0,2%! Um orçamento de 1 Milhão/Ano corresponde a 0,3%! Se for de 500.000,00 €/Ano representa 0,6%! Se for de 100.000,00 €/ representa apenas 3%!

Mais, existem vários jogadores na PO1 que auferem salários superiores a 15.000,00 €/mensais. Ou seja, um único ordenado mensal dá para o clube pagar toda a arbitragem de toda a época.

Defendo que a FAP devia fazer um aumento superior na PO1, pois na principal competição os clubes têm de ter condições para participar (ou então que prescindam desse direito como muito bem fez o Passos Manuel), desde que com esse aumento se assegure que os árbitros passam a ter os valores integralmente pagos.

Seguramente que isso ajudaria a que houvesse mais qualidade na arbitragem e assim melhor competição.

Anónimo disse...

O anónimo das 14:27 pretende certamente um campeonato a 3 equipas. Está no seu direito.
Até porque deve ser daqueles que está a arder com vários meses em atraso.
Mas fique ciente que no dia em que tivermos um campeonato a 3 equipas, não serão necessários tantos parasitas a mamarem da teta da FAP.
Depois não se queixem que acabaram com a modalidade.
O último feche a porta.

Anónimo disse...

Ao se reconhecer falta de pagamentos, estamos a clarificar imenso várias situações. Assim tem de haver aluguer de árbitros e resta saber se eles, neste desespero aceitam ora apitar por uns, ora por outros! Como foram decididos os últimos campeonatos? Mas, não notaram em nada?
Curioso que, no último campeonato houve um clube a fazer a maior aposta de sempre no andebol tuga. mais curioso foi campeã e, este ano volta a apostar de forma avantajada. Sabendo-se o que ganham os jogadores em algumas paragens desta Europa, como pode o clube "campeão" na última jornada, tornar a investir tanto, com os seus pavilhões desertos? Bem, e ainda construíu um pavilhão, o que costuma originar problemas financeiros nos clubes. È impossível não haver aqui grande mistério!

Anónimo disse...

A modalidade está a dar as últimas.