gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Ranking Europeu para a Época 2018 / 2019 – Masculinos

PORTUGAL MANTÉM-SE NO TOP 10
E SOBE 1 LUGAR

EHF informou (05-07-17) a tabela de Ranking Masculino para a Época 2018 / 2019. (Sobre o Feminino a informação também é publicada, embora sem grandes comentários, sobre este Ranking, faremos como de costume Texto próprio).

Tabela Masculina
Analisando, muito sumariamente a mesma diremos:

Portugal sobe um lugar (na época passada tinha subido 3 lugar) (passando de 10.º lugar, para 9.º), infelizmente esta subida voltou a não ter consequências práticas esta subida, pois voltou a não ter como consequência imediata a confirmação da entrada direta do nosso representante na Fase de Grupos da Liga dos Campeões que na época 2017 / 2018, e muito provavelmente assim continuará a ser em 2018/2019. Continuamos em termos de Masculinos num “patamar” aceitável e que muito se deve á participação das equipas portuguesas nas provas Europeias, nomeadamente o Sporting, o ABC, o Benfica e do FC Porto. No entanto com esta subida, ultrapassamos a Eslovénia que passou de 7.º para 10.º. a Roménia que passou de 12.º para 11.º, no entanto esta subida no Ranking divulgado, não provoca qualquer alteração, nos direitos e nos números equipas nas diversas provas Europeias, que se mantem, num total de 4 equipas, (1 na Liga dos Campeões, 2 na EHF CUP, e 1 na Challenge CUP).

Nos primeiros lugares do Ranking, verificou-se uma troca (previsível) entre a Espanha que passa para 2.º lugar e a Hungria que passa para 3.º Lugar, mantendo a liderança inalterável na Alemanha. Assim, a Alemanha e a Espanha, passam a ser os únicos com 5 equipas nas competições Europeias (2 na Liga dos Campeões), em detrimento da Hungria, que passa a ter direito a apenas a uma equipa na Liga dos Campeões.

Registamos ainda uma das maiores descidas, que foi a do Suécia com 4 lugares (passou de 11.º para 15.º), no entanto a Rússia voltou a descer um lugar e manteve o mesmo número de equipas com que ficou na última época, onde passou de 2 equipas na EHF CUP, para apenas 1 equipa, enquanto na Challenge CUP, passou de 1 para 2 equipas, ficando na época em causa com a mesma representação (4 equipas).

A maior subida, é registada foi da Islândia (7 lugares), passando de 27.ª para 20.ª, mas uma das mais significativas subidas foi a de Israel com 5 lugares, passando de 31.º para 25.º lugar, garantindo desde já um lugar na Liga dos Campeões. No entanto é igualmente de salientar a subida da Holanda (5 lugares de 23.º para 18.º).
 
Temos a esperança de que os resultados que a as equipas Portuguesas, tem alcançado esta época, e continuem a alcançar, possam contribuir, para que no próximo Ranking Masculino, possamos voltar a subir na tabela, o que seria benéfico para todo o andebol Nacional.

Nota – Este Ranking, foi elaborado com base nos resultados obtidos nas épocas 2014/2015, 2015/2016, e 2016/2017.

O Analista

4 comentários:

Anónimo disse...

É tudo uma tristeza, pois não se compreende como estando em 9 ou 10 lugar se tenha de disputar jogos de qualificação, então para que servem estas tabelas, para nada

Anónimo disse...

Quando se fala aqui de entrada directa ou indirecta parece que estamos dependentes de Ranking quando isso não é verdade. Portugal podia estar no 4º lugar que não entrava directo na fase de grupos. Capacidade do clube gerar receitas nacionais e internacionais,mais um canal de televisão que compre direitos e tenha capacidade de atingir um mercado alvo de milhoes de espectadores é condição principal. Em Portugal nao existe canal privado ou publico (com excepção dos canais dos clubes)que compre o andebol com capacidade de atingir um publico alvo de milhoes. Ainda por cima a Sportv compra o produto em mercado secundário (sem equipas Portuguesas) e coloca no canal 4 onde apenas meia dúzia de pessoas acompanham a prova.
A EHF coloca as equipas Portuguesas na fase de grupos e começa a rezar para não passarem à fase seguinte.
Porquê os mercados de leste? Porque estes colocam o andebol em canal aberto e atingem milhões de espectadores.

Anónimo disse...

6 de julho de 2017 às 19:29
anónimo

A ignorância tem sempre um preço alto e negativo para a modalidade. A melhor Taça dos Campeões Europeus de todas as modalidades incluindo o futebol é sem duvida o HANDBALL.
Mas podemos fazer melhor o maior problema é no Feminino os clubes não entrarem na Taça dos Campeões Femininos!

Anónimo disse...

Quantos espectadores há nos pavilhões PAGANTES?
Que patrocínios têm por exemplo os três maiores clubes em titulos, Porto, Sporting e ABC?
Que condições têm os nossos pavilhões?
Quando acabam as "touradas" na arbitragem com fragilizados árbitros que, não recebem á mais de um ano?
JÁ NOTARAM QUE A ATRIBUIÇÃO DE CAMPEÃO NACIONAL DE ANDEBOL NESTE POBRE PAÍS, TÊM NOS ÚLTIMOS DOIS ANOS IMENSA INFLUÊNCIA DE ARBITRAGENS SUSPEITAS? EXISTEM IMAGENS! HAJAM! OU NÃO QUEREM?