gal vence

Euro Masculino SUB-18, Portugal Perde com a Noruega 28-24 - Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Crónica intermédia de Fim-de-semana – 41 – 2017 / 2018 – I

Desta vez dedicada apenas ao jogo que faltava da 23.ª jornada, e que tinha sido adiado por motivo da participação do Madeira SAD nas provas Europeias.  

PO01 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Masculinos.

22.ª Jornada
Dia 28-02-18
Madeira SAD - AA Avanca (19H00)
23.ª Jornada
Dia 21-02-18
Belenenses 23 – 23 Madeira SAD

Jogo que completa a 23.ª Jornada, ficando ainda em atraso o encontro Madeira SAD / AA Avanca. Jogo que poderá ser decisivo para o enquadramento das equipas nesta 1.ª Fase da Prova. Felizmente desta vez tivemos uma transmissão pela Andebol TV. Nesta jornada até ao momento apenas um encontro não foi rectificado em relação à jornada homóloga da 1.ª volta, temos apenas de chamar a atenção de que uma hora depois de o jogo ter terminado, o boletim de jogo, ainda não estava devidamente concluído, e por conseguinte o jogo, ainda não estava incluído tabela classificativa. Encontros disputado sem ocorrências disciplinares.

Apurados Fase Final Grupo A – Sporting, FC Porto, Benfica, ABC.
Apurados Fase Final Grupo B – Ismai, Boa Hora, AC Fafe, Arsenal, Xico Andebol e São Bernardo

Belenenses 23 – 23 Madeira SAD

Jogo disputado no Pavilhão Acácio Rosa, com uma razoável assistência, para a hora a que o encontro foi disputado, e que terminou numa igualdade no marcador, que em caso de desempate em termos classificativos, ficará favorável à equipa do Belenenses, pois conta uma vitória no jogo da 1.ª Volta. Foi um encontro totalmente táctico, pois enquanto o Madeira SAD, jogava ao ataque de uma forma pausada, sem cometer demasiados erros técnicos, e defendia tal como o Belenenses com uma defesa aberta, mas agressiva em termos desportivos, tentava uma ligação entre a 1.ª linha e a 2.ª linha, que poucas vezes conseguiu, e quando conseguiu teve nos experiente Carlos Siqueira (5 golos, 63% de eficácia) um dos seus melhores interpretes, mas que encontrou pela frente um guarda-redes em dia sim, o jovem Gustavo Capdeville (38% de eficácia). O Belenenses usou sempre uma das suas principais armas, ou seja os lançamentos de saída rápidos, as interceptações, os contra-ataques e os ataque rápidos, tendo noutro experiente jogador Nelson Pina o seu maior interprete (6 golos, 86% de eficácia), e durante o primeiro tempo andou quase sempre atrás no marcador, chegando a ter 4 golos de desvantagem, quando perdia por 9-5, mas soube sempre reagir a propósito, e aos 26 minutos igualava o marcador a 10 golos, para chegar ao intervalo a perder por 12-10. O Madeira SAD, que se apresentou sem Tiago Ferro, que regressou ao Benfica, teve em João Miranda (4 golos, 80% de eficácia) um substituto à altura. No segundo tempo O Belenenses, soube aproveitar da melhor maneira a apatia madeirense e aos 39 minutos iguala o marcador a 13 golos, para de seguida chegar aos 15-14 quando estavam decorridos cerca de 42 minutos, e pela primeira vez se colocou na frente do marcador, com a equipa madeirense a estar demasiado lenta com precipitação no momento de atacar a baliza do Belenenses, conde estava João Moniz (38% de eficácia) um dos responsáveis pela obtenção da igualdade da sua equipa, depois de o Belenenses comandar o marcador até aos 49 minutos, momento em que se volta a registar nova igualdade agora a 19 golos, o Madeira SAD com uma 1.ª linha mais forte onde se destacavam, Elledy Semedo (8 golos, 67% de eficácia, 3 em 3 de 7 metros), e João Paulo Pinto (6 golos, 50% de eficácia, 1 em 2 de 7 metros), manteve-se na frente do Marcador até aos 28 minutos e 24 segundos, com o Belenenses, a igualar aos 59 minutos, e com João Moniz com extraordinária defesa nos momentos finais do encontro foi o garante da igualdade final, num encontro onde as equipas nunca baixaram os braços, uma referencia final para o número de 7 metros não concretizados pela equipa do Belenenses (4), contra (1) apenas do Madeira SAD. Uma referência para o reaparecimento da dupla de Lisboa constituída por António Trinca / Tiago Monteiro, que teve uma arbitragem com alguns erros em especial na sanção progressiva, e nas violações da área de baliza, mas mesmo assim produziram uma arbitragem que não foi negativa,

Após a realização deste jogo a classificação é a seguinte – 1.º Sporting (66 pontos), 2.º FC Porto, e Benfica (62 pontos), 4.º ABC (58 pontos), 5.º AA Avanca (-1 jogo, 50 pontos), 6.º Belenenses (49 pontos), 7.º Águas Santas, e Madeira SAD (- 1 jogo, 46 pontos), 9.º Ismai, e Boa Hora (38 pontos), 11.º AC Fafe, e Arsenal (33 pontos), 13.º Xico Andebol (31 pontos), 14.º São Bernardo (28 pontos). 

O Banhadas Andebol

5 comentários:

Anónimo disse...

só por curiosidade o delegado serve para quê, estive agora a ver classificação e está tudo na mesma

Anónimo disse...

Arbitragem nao foi negativa nao viram mesmo jogo de certeza pois foi a pior equipa em campo, pois so arrogancia de tiago monteiro ja e negativa , pois um jogo desta importancia mandar uma dupla que esta parada ha um ano tb nao se podia esperar mais.
Quanto ao delegado esta a treinar ja que vai ser o futuro delegado portugues a ir para internacional .

Anónimo disse...

JOGO
Belenenses-Madeira SAD
Bem disputado e nao fossem os erros do Madeira SAD na parte final do jogo teria arrancado os 3 pontos. Mas os jogadores e com experiência tem os seus momentos menos positivos.
O treinador Paulo Fidalgo deveria ter ficado aborrecido com o empenho ou sem ele de jogadores cheios de experiência e falharem no ataque e defesa.
Quem ficou a ganhar o Avanca quase garantido a Fase Final.
Sobre arbitragem depois de serem esquecidos quase durante a época este jogo não era o mais indicado para retomar as funções..
Quem perde é o Andebol!
Próximos capítulos

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...

O regresso de Trinca e Monteiro só pode ser motivo de tristeza e não de regozijo.
Definitivamente, andam a mais no andebol em geral e na arbitragem em particular.