gal vence

Euro Masculino SUB-18, Portugal Perde com a Noruega 28-24 - Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

segunda-feira, 30 de abril de 2018

Crónica Relativa á PO09 - Play OFF – 30 – 2017 / 2018


Crónica exclusivamente dedicada ao Feminino, e dedicada desta vez já com os jogos do Grupo B, a serem igualmente realizados, e que se disputaram este fim-de-semana.

PO09 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Femininos.
Jogos Final (Play OFF, á melhor de 5, no sistema Casa, Casa, Fora, Fora, Casa) – Apuramento do 1.º e 2.º Lugar

1.º Jogo
Dia 28-04-18
Madeira SAD 27 – 16 Colégio Gaia
2.º Jogo
Dia 29-04-18
Madeira SAD 19 – 17 Colégio Gaia

Madeira SAD (2) – (0) Colégio Gaia

Mais uma vez, tivemos na Madeira, uma, entre precisamente as mesmas equipas da época anterior, (Madeira SAD / Colégio Gaia), que desta vez terminou ao contrário da época anterior, terminou com a dupla vitória do Madeira SAD, e que provavelmente poderá ter aberto o caminho, ao futuro campeão nacional, sucedendo exctamente ao Colégio Gaia, mas, estamos em crer que nada ainda está resolvido em definitivo, pois o segundo encontro foi completamente diferente do 1.º. De destacar que ambos os jogos foram realizados, sem o registo de ocorrências disciplinares, com transmissão na Andebol TV, e com boas assistências. No primeiro encontro tivemos uma guarda-redes do Madeira SAD de seu nome Isabel Góis que na prática resolveu o encontro, provocando o desacerto total de uma equipa que costuma ser organizada na sua forma de jogar, e neste encontro cometeu demasiados erros ou falhas técnicas, como se queira chamar, e que não soube nem defender nem atacar, embora tivesse na baliza uma Jéssica Ferreira, que provou todo o seu valor senão o resultado teria sido certamente bem pior, por seu lado o Madeira SAD, esteve muito bem em termos defensivos, provocando sérios problemas ao ataque do Colégio Gaia, que nunca encontrou soluções para o ultrapassar, temos a noção de que as ausências que a equipa continental apresenta foram fundamentais, para o seu ataque em especial, que neste encontro, ainda teve uma Joana Resende muito limitada. O diferença entre as equipas foi de tal forma, que aos 22 minutos a diferença já era de 6 golos (10-4), para o intervalo chegar com o Madeira SAD a vencer por 11-7. No segundo tempo apesar da ligeira reacção do Colégio Gaia nos primeiros momentos, em especial através de Ana Gante (3 golos), nada se podia fazer contra uma equipa que possuiu Mónica Soares (8 golos) em grande forma, juntamente com a jovem Beatriz Sousa (6 golos) e que já é um caso muito sério no panorama do Andebol Feminino a nível Nacional, e com a experiencia de Renata Tavares (3 golos), que conseguiu “sacar” uma série de livre de 7 metros, todos bem assinalados, contra uma Carolina Monteiro (4 golos) que das jogadoras de campo do Colégio Gaia, assim como a Helena Soares (3 golos). foram as únicas que se aproximaram do seu normal. Dizer que o diferencial de 11 golos, foi o maior diferencial registado durante o encontro, mas que em nossa opinião não reflete a real diferença entre as duas equipas. A dupla de arbitragem que dirigiu este encontro, constituída por André Gameiro e Renato Marques de Lisboa, apenas pecaram numa ou outra lei da vantagem, e no jogo passivo no resto comportamento meritório. No segundo jogo, e conforme já dissemos a figura do encontro foi mais uma vez Isabel Góis, pois não fosse a mesma e o resultado poderia ter sido completamente diferente, com Jéssica Ferreira, na baliza do Colégio Gaia, a dizer presente nos momentos de dificuldade da sua equipa, e desta vez o Colégio Gaia, mostrou maior solidez na sua defesa e mais paciência no ataque, onde voltou a estar muito limitada, e apesar do bom início de jogo por parte do Colégio Gaia (vencia por 4-2 aos 8 minutos), um dos principais motivos para o escasso número de golos, além do comportamento das duas guarda-redes já referido, destaca-se co comportamento defensivo de ambas as equipas, com substanciais melhorias do colégio Gaia, onde Helena Soares (3 golos), demonstrou toda a sua qualidade, garra e determinação, apesar da pouca produtividade de Carolina Monteiro (4 golos), teve desta vez uma Ana Gante (6 golos) muito mais assertiva. O resultado ao intervalo de 12-9 a favor do Madeira SAD, reflete a melhoria que se verificou na defesa madeirense a partir dos 12 minutos, quando o marcador registava uma igualdade a 5 golos. No segundo tempo, mais uma vez um bom reinicio de jogo por parte do colégio leva a uma nova igualdade aos 33 minutos de jogo desta vez a 12 golos, para imediatamente o Madeira SAD voltar ao comando do jogo até final do tempo regulamentar, que voltou a terminar com a vitória das madeirenses, mas agora por um resultado que traduz mais fielmente a diferença existente entre os dois conjuntos (na nossa opinião), de destacar ainda Mónica Sores (4 golos), que sofreu uma marcação individual a maior parte do tempo, a jovem Beatriz Sousa (6 golos), e a veloz Sara Gonçalves (6 golos) a aproveitar e bem as suas acções de contra-ataque. Dirigiu este encontro a dupla mista de Lisboa / Leria, constituída por Miguel Ventura e João Mendes, que sentiram mais dificuldades, que os seus parceiros na véspera, e não estiveram bem na falta do acatante, e no jogo passivo, parecendo que a partir dos 55 minutos de jogo a dupla começou a perder o controlo do jogo, em especial em termos de violações da área.

Jogos 3.º / 4.º Lugar (Play OFF, á melhor de 3, no sistema, Fora, Casa, Casa)

1.º Jogo
Dia 28-04-18
Alavarium 29 – 22 Maiastars
2.º Jogo
Dia 05-05-18
Maiastars – Alavarium (21H00)

Alavarium (1) – (0) Maiastars

Jogo disputado no Pavilhão do Alavarium, onde a equipa visitada nunca sentiu grandes dificuldade, apesar da equipa maiata, ainda chegar á diferença mínima (10-9), para o intervalo ser atingido com o resultado já favorável ao Alavarium por 14-9, no segundo tempo nada se alterou com a equipa local a continuar demonstrando a sua superioridade neste encontro, aumentando progressivamente a sua vantagem, recordar que não foi uma semana fácil para as maiatas, segundos as noticias que correram (apresentando-se bastante desfalcada, em relação ao que têm apresentado ao longo da época). Nádia Gonçalves e Soraia Fernandes, ambas com 7 golos cada, foram as melhores marcadoras do Alavarium, com Maria Cerqueira com 7 golos e Mariana Almeida com 6 golos, a serem as melhores marcadoras do Maiastars. Aguardemos elo 2.ª jogo, pois (na nossa opinião), este lugar poderá ficar já definido no próximo encontro.

Jogos 5.º / 6.º Lugar (Play OFF, á melhor de 3, no sistema, Fora, Casa, Casa)

1.º Jogo
Dia 28-04-18
SIR 1.º Maio/CJB 28 – 26 Assomada (C/prolongamento)
2.º Jogo
Dia 05-05-18
Assomada - SIR 1.º Maio/CJB (19H00)

Assomada (0) – SIR 1.º Maio/CJB (1)

Jogo disputado na Marinha Grande, num pavilhão razoavelmente composto, e onde a equipa surpresa nesta prova (na nossa opinião), dificultou ao máximo a vitória da equipa visitada, tendo o encontro que ser decidido em prolongamento. Ao intervalo encontrava-se na frente do marcador por 13-11, o SIR 1.º Maio/CJB, para a equipa da Assomada no segundo tempo igualar a 17 golos, e chegar a estar na frente do marcador, por exemplo aos 21-20, para se chagar ao fim dos 60 minutos, com uma igualdade a 24 golos. Sendo necessário recorrer ao prolongamento conforme prevê o Regulamento Desportivo da prova, onde o SIR 1.ª Maio/CJB venceu. Miriam almeida com 8 golos, Adriana Lage, e Barbara Ferreira, ambas com 6 golos, foram as melhores marcadoras do SIR 1.º Maio/CJB, Odete Tavares com 8 golos foi a melhor marcadora da equipa da Assomada. Pensamos que este lugar poderá muito provavelmente ser decidido em terceiro jogo.

Jogos 7.º / 8.º Lugar (Play OFF, á melhor de 3, no sistema, Fora, Casa, Casa)

1.º Jogo
Dia 28-04-18
CS Madeira 18 – 22 Juventude Lis
2.º Jogo
Dia 05-05-18
Juventude Lis – CS Madeira (17H00)

Juventude Lis (1) – (0) CS Madeira

No Funchal, disputou-se o CS Madeira / Juventude Lis, onde curiosamente a Juventude Lis repetia a discussão do 7/8 lugar tal como na época anterior. Foi um encontro de grande superioridade da equipa continental, diante uma equipa do CS Madeira desfalcada de algumas das suas principais atletas, com a equipa do Continente a chegar ao intervalo já na frente do marcador por 10-8, no segundo tempo nunca deixou de estar no comando do marcador mas permitiu a aproximação em termos de marcador do CS Madeira que chegou á diferença mínima por exemplo aos 14-13, para a equipa continental terminar com uma vantagem mais confortável. A melhor marcadora do CS Madeira foi Maria Kourdoulos (4 golos), enquanto Francisca Marques e Kelly Rodrigues, ambas com 8 golos cada, foram as melhores marcadoras da Juventude Lis, lugar que em nossa opinião será muito provavelmente decidido em apenas dois jogos.

Grupo B – Apuramento do 9.º ao 12.º Lugar
4.ª Jornada
Dia 28-04-18
ND Santa Joana 21 – 26 Académico FC
JAC-Alcanena 21 – 23 CA Leça

Grupo onde como se sabe, o grande interesse, está na definição de quem irá descer de divisão, e está a ser disputado com grande equilíbrio, esta jornada marca o início da 2.ª volta deste Grupo, que está a ser disputado com forte equilíbrio pontual, e onde um resultado foi diferente do ocorrido na 1.ª volta, pois desta vez o CA Leça foi vencer a Alcanena, quando na 1.ª volta se tinha registado uma igualdade. Nesta jornada tivemos um encontro com ocorrências disciplinares (ND Santa Joana / Académico FC). Com uma descida de divisão já confirmada, sejam quais foram os resultados a verificarem-se nas duas jornadas que faltam (ND Santa Joana), teremos o outro lugar a ser disputado até ao fim da prova pelas 3 restantes equipas, com o CA Leça a dar um grande passo em frente com a sua vitória diante o JAC-Alcanena.

Classificação deste Grupo após estes jogos – 1.º CA Leça (28 pontos), 2.º JAC-Alcanena (27 pontos), 3.º Académico FC (25 pontos), 4.º ND Santa Joana (16 pontos).

O Banhadas Andebol

2 comentários:

Anónimo disse...

O maia esta desfalcada? Não so dispensou 7 das suas melhores atletas por elas saberem interpretar na integra a palavra SOLIDÁRIEDADE palavra que o maiastar so sabe escrever sem saber o seu significado.....pena...

Anónimo disse...

As transmissões do andebol TV nos jogos da Madeira parecem os marretas a comentar. Só dá encalhados do nosso andebol a tentar aparecer novamente.