gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Crónica de Fim-de-semana No Feminino – 20 – 2014 / 2015

Crónica exclusivamente dedicada ao Feminino, para falarmos de dois dos jogos da 6.ª jornada da 2.ª volta (17.ª Jornada), que estavam em atraso (ainda falta disputar um, Colégio Gaia / Juventude Lis), e dos jogos á 7.º jornada da 2.ª volta (18.ª Jornada). 
 
Continuamos a aguardar por aqueles que são verdadeiros adeptos do Andebol no Feminino, reforçando o nosso pedido de colaboração para que estas crónicas melhorem dia a dia, e deste modo possamos continuar a dar o merecido valor a esta prova, aguardando que algum ou alguns dos nossos habituais leitores se disponibilizem para no mínimo nos fornecerem dados para que esta continuidade às crónicas sobre o andebol em especial no feminino, seja uma realidade, continuamos abertos às mesmas. Algumas colaborações estão a ser recebidas, o que agradecemos, mas ainda são poucas, esperamos mais e muitas mais, obrigado. 
 
PO09 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Femininos.
 
1.ª Fase – Resultados
17.ª Jornada
CA Leça 15 – 38 Madeira SAD
Alavarium 35 – 29 CS Madeira
Dia 14-03-15
Colégio Gaia - Juventude Lis (18H00) 22/15
18.ª Jornada
JAC-Alcanena 23 - 21 João Barros
Juventude Lis 20 - 20 Maiastars
Juventude Mar 27 - 24 Passos Manuel
ARC Alpendorada 21 - 30 Colégio Gaia
CA Leça 17 - 22 CS Madeira
Alavarium 26 - 23 Madeira SAD
 
Com a disputa dos jogos adiados da 17.ª Jornada, equipa houve que disputaram jornadas duplas, desta vez face aos problemas das deslocações das equipas insulares ao continente, e outro motivado pela participação numa competição Europeia (continua outro ainda por realizar o Colégio Gaia / Juventude Lis). Nos jogos disputados este fim-de-semana, e foram 8, tiveram uma saudável característica comum, que foi a não existência de qualquer ocorrência disciplinar registada. E ainda o facto de apenas de num encontro da 18.ª jornada não ter sido retificado o resultado, em relação ao verificado na 1.ª volta, que foi no CA Leça / CS Madeira. Regista-se ainda com enorme agrado a excelente média de público que se registou nos encontros realizados. Com dois jogos de grande influência na classificação geral, e na definição dos possíveis jogos a realizar no Play OFF e com o 8.º lugar em disputa acérrima.  
 
Iremos começar pelos jogos das equipas que disputaram jornada dupla, e pelo Alavarium / Madeira SAD, que terminou com a vitória das aveirenses, que foi completamente assente na trilogia Isabel Góis, com espetacular exibição e que “fechou” por completo a sua baliza, e Mariana Lopes e Mónica Soares, que foram a s rematadoras de serviço com 10 golos cada. A equipa do Alavarium que embora tenha consentido algumas igualdades durante o encontro como por exemplo, a igualdade a 5 golos aos 8 minutos e a última das quais aos 25 minutos a 22 golos, com o Madeira SAD a não ter capacidade de aproveitamento nos minutos finais do jogo permitindo á equipa do Alavarium cimentar uma vitória, pela margem máxima que se registou durante todo o encontro. De destacar ainda na equipa aveirense o trabalho de Ana Rita Neves nas tarefas defensivas. No Madeira SAD, uma palavra para Virgínia Ganau na baliza, uma das melhores no seu posto a colocar a bola em contra-ataque, mas que não foi bem compreendida vastas vezes pelas suas colegas, (afinal o seu regresso foi em pleno e não só para treinar as outras guarda-redes), Renata Tavares com 6 golos foi a melhor marcadora das madeirenses, que tiveram em Ana Andrade (5 golos) outro elemento com uma prestação bastante positiva, durante os 60 minutos, já que a jovem Erica Tavares (5 golos), esteve longe do que se espera sempre que faça, estando bastante irregular. Na véspera as madeirenses, venceram claramente o CA Leça, como visitantes comandando o jogo durante os 60 minutos e confirmando o resultado da 1.ª volta. Com o resultado ao intervalo já a ser um precioso indicador do que seria o resultado final ao situar-se em 18-7 a favor do Madeira SAD. No CA Leça, não existem referências especiais (na nossa opinião), enquanto no Madeira SAD, Erica Tavares com 8 golos foi a melhor marcadora do jogo e da sua equipa, bem acompanhada, por Cláudia Aguiar com 7 golos e Ana Andrade do 6 golos. 
 
As madeirenses do CS Madeira, também fizeram jornada dupla, (tal como as continentais Alavarium e CA Leça), no seu primeiro jogo defrontaram o Alavarium, que mais uma vez venceram e confirmaram o resultado da 1.ª volta, confirmando o natural favoritismo que lhe era atribuído. Também comandaram o encontro e o marcador durante os 60 minutos, chegando ao fim do primeiro período de jogo, já na frente do marcador por 19-12. No seguido período do jogo, apesar da forte melhoria verificada no jogo das madeirenses, e com o técnico aveirense já a pensar no jogo do dia seguinte, verificou-se um total equilíbrio no marcador. Mariana Lopes e Ana Rita Neves com 6 golos cada foram as mercadoras de serviço do Alavarium, enquanto Maria Rodrigues com 10 golos foi a melhor marcadora do CS Madeira com 10 golos, bem acompanhada por Claudia Vieira com 6 golos. No jogo do dia seguinte o CS Madeira confirmou o seu total favoritismo ao vencer em Leça da Palmeira o CA Leça, num encontro onde os primeiros 30 minutos foi de grande equilíbrio, com o resultado ao intervalo a marcar uma vitória das madeirenses pela diferença mínima 8-7, para no segundo período d jogo apesar do CA Leça ainda ter conseguido empatar logo no inicio deste período, o CS Madeira assumiu o comando do jogo e do marcador, para terminar como vencedor. Nas madeirenses a “veterana” Sara Gonçalves com 9 golos foi não só a melhor marcadora da sua equipa como do jogo, diga-se que neste momento comanda a lista das melhores marcadoras da prova com 154 golos. Pelo CA Leça Nádia Lemos com 6 golos foi a sua melhor marcadora. 
 
Num dos jogos surpresa ou talvez não da jornada o Maiastars foi a Leiria obter uma igualdade diante a Juventude Lis, num encontro disputado sempre com grande equilíbrio, com o intervalo a chegar igualmente com uma igualdade a 8 golos. No segundo período do jogo a as leirienses chegaram a ter 4 golos de ventagem (máxima vantagem durante o jogo), permitindo no entanto após uma excelente reação das maiatas nova igualdade, para seguir um período de total equilíbrio como golo cá golo lá, como se costuma dizer, nos instantes finais do encontro e com o Maiastars na frente do marcador por 20-19, além de desperdiçar oportunidades para consolidar a vitória, permitiu a igualdade das leirienses, que na generalidade fizeram por merecer. Ana Silva com 10 golos, voltou mais uma vez, a ser a melhor marcadora da Juventude Lis e do Jogo, enquanto pelas maiatas as melhores marcadoras não foram além dos 5 golos (Maria Cerqueira e Diana Oliveira). Com esta igualdade, apesar da luta pelo 8.º lugar estar “acesa” a equipa de Leiria, poderá ter dado um grande direita ao Play OFF, as próximas jornadas, confirmarão ou não está previsão.
 
O Colégio Gaia, deslocou-se ao recinto do ARC Alpendorada, com a forte disposição de retificar a resultado verificado ma 1.ª volta, e que então constitui uma das grandes surpresas da prova (uma igualdade a 35 golos). E cumpriu vencendo sem grandes dificuldades, após uns minutos iniciais de pleno equilíbrio, rapidamente a equipa de Gaia, colocou o marcador a seu favor para não mais largar o comando mesmo, com o intervalo a chegar já com uma confortável vantagem (15-9). Os segundos 30 minutos, foram uma autêntica continuidade dos primeiros, com o Colégio a continuar a distanciar-se no marcador, apesar de algumas melhorias verificadas na equipa da visitada, permitidas (na nossa opinião), pela gestão do plantel do Colégio de Gaia com 10 atletas a marcarem golos, sendo Patrícia Lima com 10 golos a sua melhor marcadora e igualmente do jogo, enquanto pelo ARC Alpendorada. Ângela Monteiro com 7 golos foi a sua melhor marcadora. 
 
Em Esposende disputou-se o Juventude Mar / Passos Manuel, as duas últimas classificadas desta Fase da Prova, sem hipóteses de chagar aos lugares do Play OFF, e portanto irão disputar o chamado Grupo “B”, deste modo o grande interesse deste jogo, residia, no amealhar o máximo de pontos para a 2.ª Fase da prova, que será disputada, com 50% dos pontos adquiridos na 1.ª Fase. Foi um disputado com grande equilíbrio, apesar da vitória das minhotas por um diferencial de 3 golos, o resultado ao intervalo era favorável á equipa do Passos Manuel pela diferença mínima (12-11). No segundo tempo a equipa da Juventude Mar, entrou decidida a resolver o jogo a seu favor, e rapidamente consegue a igualdade e a posterior passagem para a frente do marcador, chegando a ter uma vantagem de 5 golos (22-17), o Passos ainda reduziu para 26-24, mas o vencedor estava encontrado. Com este resultado a equipa de Esposende ultrapassa o seu adversário e passa a estar agora em 11.º lugar. Na Juventude Mar, destaque especial para os 9 golos de Andreia Barros, que deste modo foi não a melhor marcadora da equipa como do jogo, sendo bem acompanhada por Teresa Santos com 7 golos e Ana Couto com 6 golos. No Passos Manuel mais uma vez Cátia Santos com 6 golos foi a sua melhor marcadora. 
 
Em Alcanena, disputou um dos encontros mais importantes da jornada, entre a equipa local do JAC-Alcanena e o Colégio João Barros, num pavilhão muito bem composto (poderia e deveria ter mais publico), e que terminou com a vitória da equipa visitada, após um jogo cheio de emoção e de equilíbrio, por vezes mais emocionante do que bem jogado. Com esta derrota a equipa das meirinhas, abandonou a liderança da prova e a equipa local, provou que quando, se aplica a fundo com o plantel que possui, pode fazer frente a muitas das equipas nacionais. Duas grandes equipas em confronto direto e duas grandes guarda-redes estiveram presentes em grandes momentos do encontro do lado JAC Diana Roque, do lado do João Barros Carolina Costa, numa plena demonstração de que Portugal está bem servida neste posto. Começou melhor o João Barros, que esteve sempre na frente do marcador até cerca dos 16 minutos, quando se verificou uma igualdade a 6 golos, dizer que o João Barros esteve cerca de 10 minutos sem marcar sofrendo um parcial de 4-0, o que permitiu que aos 19 minutos de jogo o JAC passasse pela primeira vez para o comando do marcador por 7-6. No entanto a toada de equilíbrio manteve-se após os 9-7 (maior diferença a favor do JAC registada nos 30 minutos iniciais), tento o primeiro tempo terminado com uma igualdade a 12 golos. Foi um encontro com muitas percas de bola por maus passes e más receções, no nosso entender mais por nervosismo do que por falta de técnica. Com o ataque do JAC a demonstrar alguma insegurança perante a defensiva do João Barros, onde no na nossa opinião Helena Corro defendia de uma forma bastante dura. No segundo período de jogo, forte entrada das meirinhas, apesar da excelente réplica do JAC, permitiu-lhes comandar o jogo até cerca dos 55 minutos, quando vencia por 21-20, parando aqui, com o JAC-Alcanena, a fazer os seus dois últimos golos durante este período de tempo, um deles num contra-ataque muito bem delineado, e a vencer um jogo, em que neste período chegou a estar a perder por 3 golos (21-18), máxima diferença registada em todo o encontro. Um facto curioso e que merece uma citação, por ser raro acontecer existir um período entre os 40 e os cerca de 48 minutos em que nenhuma equipa concretizou qualquer ocasião de golo. O João Barros nos últimos 7 minutos de jogo, não marcou em nenhuma das ocasiões golo de dispôs. Na equipa do JAC, uma citação especial para Patrícia Rodrigues que foi a melhor marcadora do encontro com 9 golos, sabendo aproveitar e muito bem a marcação de foi alvo Neuza Valente (5 golos), pois Adriana Lage (4 golos) não teve propriamente nos seus dias, ao contrario de Ana Rita Henriques (4 golos) mas um belo jogo, de referir ainda a jovem Soraia Almeida (retificação) Ana Sarmento que apesar de rematar por diversas vezes nos parece que efetua os remates de forma pouco expedita. O João Barros que teve em Eduarda Pinheiro um dos seus pilares apesar de só ter marcado 4 golos, fez um excelente jogo quer a defender quer a atacar, e teve na jovem Francisca Marques (2 golos), uma excelente promessa, Maria Suaré (3 golos) muito abaixo do que pode e deve fazer. 
 
Após a realização destes jogos, a classificação é a seguinte: 1.º Alavarium (49 pontos), 2.º Madeira SAD e João Barros (48 pontos), 4.º JAC-Alcanena (44pontos), 5.º Colégio Gaia (38 pontos, - 1 jogo), 6.º Maiastars (36 pontos), 7.º CS Madeira (35 pontos), 8.º Juventude Lis (31 pontos, -1 jogo), 9.º ARC Alpendorada (28 pontos), 10.º CA Leça (26 pontos), 11.º Juventude Mar (23 pontos), 12.º Passos Manuel (22 pontos). 
 
O Noticias

8 comentários:

Anónimo disse...

A Soraia Almeida do JAC é a guarda redes. Não estarão a confundir com a Raquel Sarmento (nº 18)? E mesmo assim com boa casa em Alcanena, apesar de haver futebol à hora do jogo, muita gente se manteve fiel à equipa e nunca deixou de incentivar, sendo um verdadeiro 8º jogador.

O Banhadas Andebol disse...

Tem toda a razão obrigado pelo alerta. Já foi corrigido.

Anónimo disse...

Ainda bem que as gentes do Madeira Sad trataram mal a Isa para ela vir para o Ala. Com Isa na nossa baliza, ninguém nos pára...

Anónimo disse...

O regresso da Virginia Ganau foi forçado devido a lesao das outras duas guarda redes. Se fosse em pleno, ela estaria a treinar e nao esta. Informem-se. Estar na bancada e voltar a vê-la, para mim foi um orgulho. Realmente, mortifera nos contra ataques.

Anónimo disse...

Informem-se? O Madeira Sad que tenha um departamento de comunicação em condições como já teve antes...

Anónimo disse...

Resultados quase normais. Surpresa face ao que as equipas andavam fazendo, a vitória mais ou menos folgada do Alavarium sobre o Madeira Sad. Em Leiria não houve surpresa, face ao grande reforço do Maia( Josie ). Também não foi surpresa a vitória do JAC sobre o João de Barros que já na última jornada, só não perdeu segundo o que consta, face à influência da equipa de arbitragem mas onde se nota a ausência de Maria Pereira. Desta vez em Alcanena e quando ainda há tanto em jogo teria sido evitável esta nomeação(Pombal-João de Barros)
De resto resultados normais,vitória justa do Gaia ,CS MAdeira e Juve Mar. Leça que demora a aparecer e Gaia com exibições com altos e baixos, mesmo com bons reforços. Alpendurada mais frágil pela saída da jogadora reforço do Maiastars.

Anónimo disse...

O Alpendorada teve duas baixas de peso: a central e capitã Carla Silva e agora a Jassie que foi para o Maia. Além destas outras seniores deixaram o clube ou estão cada vez mais indisponíveis devido à vida profissional. Ultimamente a juventude da equipa é cada vez mais notória, pois jogam cada vez mais juniores. Ainda agora com o gaia lhes faltou a Maria Coelho por lesão. O que vale é que avançam as jovens o que acaba por ser bom para o andebol feminino a longo prazo se estas jovens continuarem a jogar. vamos ver se se aguentam na 1ª com tantas adversidades.

Anónimo disse...

é Jassie não Josie.