gal vence

Mundial Sub-19 Mas. Portugal nos 1/2 Final Perde com Egipto 41/36 - Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

terça-feira, 31 de julho de 2018

Planeamento Desportivo – Época 2018/2019 – VIII


Provas Nacionais Fixas - Época 2018/2019

Na continuidade de anteriores artigos sobre o tema, e conforme já referimos a Federação, com uma antecedência razoável á data de inicio da época divulgou os Regulamento Desportivos de todas as provas, que apenas pecou por não ter sido feita em simultâneo com o CO o N.º 1 (05-07-18), nem com o CO N.º 2, na mesma data, onde procedeu ainda á divulgação das equipas com direito desportivo a participar nas diversas provas Nacionais fixas, segundo o conceito estabelecido na época que agora termina.

Respeitando as datas referidas nos respectivos Comunicados Oficiais emitidos até ao momento, em que escrevemos este texto, apenas se poderá ter a confirmação das equipas, após o ultimo dia para confirmação da inscrição, 31-07-18. Veremos então, se não existem surpresas (esperamos que não, pois seria bom sinal). Sobre esta prova e em ainda em relação às datas planeadas, nada mais diremos além do que já escrevemos para não nos tornarmos repetitivos.

Felizmente esta época já surge em termos de EHF a designação correcta das equipas designadas, surgindo uma das equipas com a mesma designação com que é conhecida em Portugal, estamos certamente a referir-nos ao SIR 1.º Maio / CJB.

Iremos transcrever o que diz o CO, a fim de sermos “intelectualmente honestos”. Diz “ 31-07-2018 – Data limite para a efectivação dos procedimentos administrativos para a confirmação da inscrição (criação das equipas no sistema; inscrição na prova no sistema; homologação do pavilhão no sistema; inscrição dos atletas de acordo com os requisitos) ”. O sublinhado é da nossa autoria, pois na realidade isto significa, que apenas no dia 31-07-18, se poderá saber com toda a realidade quais as equipas que estão regulamentarmente inscritas e em condições de poder participar na prova, felizmente esta época que o sorteio se realiza depois desta data, imperou na nossa opinião o bom senso.

PO09 – Campeonato Nacional Seniores Femininos 1.º Divisão
Esta é uma prova que se mantém fiel a si, e não existe qualquer novidade na matéria publicada no Comunicado N.º 2, onde estão bem definidos as 12 equipas participantes, e será disputada no sistema de Play OFF, já deu excelentes provas neste escalão, e que na nossa opinião é emotivo e traz certamente mais gente aos pavilhões (admitimos no entanto opiniões diversas da nossa). Não existindo qualquer alteração no sistema e na forma de disputa da mesma, com todos os jogos serão disputados em sistema de Play OFF, existindo isso sim uma alteração na descrição das equipas participantes nas provas Europeias que deriva, da matéria constante no Ranking da EHF para esta época (Ver Artigo 1, do Regulamento Desportivo, a Final também continua e bem a ser disputada á melhor de cinco (5) jogos, com uma ordenação que já vêm do anterior, e que (na nossa opinião) é uma forma de permitir jornadas duplas, face a existência das equipas da Madeira, e assim a sua ordenação será (Casa, Casa, Fora, Fora e Casa).

Algumas situações no Regulamento Desportivo que merecem alguma reflexão.

O Ponto 4 do Artigo 1.º, manteve a redacção anterior, ou seja “A designação dos diferentes representantes para as competições europeias de Clubes terá de ser ratificada pela Direcção da FAP, tendo em consideração as condições económicas, desportivas, de infra estruturas desportivas e de Marketing de cada um dos Clubes, podendo ser efectuadas substituições quando os clubes não cumpram objectivamente com tais requisitos.”

A manutenção deste texto, confere em nossa opinião poder discricionário à Direcção da FAP, na indicação dos Clubes às provas Europeias com o direito desportivo adquirido, podendo até o Campeão Nacional, não ser indicado para a EHF CUP (Infelizmente na época 2019/2020, já não temos direito, à Liga dos Campeões Europeus), Texto a ter em atenção.

Pela positiva constata-se que não foram agravadas, qualquer verba mencionado no respectivo Regulamento Desportivo, o que se saúda.

No que diz respeito aos Oficiais de Mesa, e de que já fizemos referência em diversos textos (Não concordamos, é a nossa opinião).

No seu Artigo 8.º (Homologação de Campos), continua a estar previsto a obrigatoriedade de um regulamento de segurança (de acordo). Mas ao contrário dos outros Regulamentos Desportivos continua a obrigatoriedade de serem os clubes a apresentarem ou a fazerem os mesmos, mas levantamos a questão e quando os mesmos foram pertença de outras entidades como por exemplo Camaras Municipais, como vai ser? E Ainda quais as normas para os clubes criarem os seus próprios Regulamentos?

Com este texto terminamos uma análise embora por vezes superficial ao planeamento de todas as provas Nacionais Fixas. A Seguir aguardamos mais disponibilidade, para tratarmos devidamente das chamadas provas não fixas. Ou caso se justifique voltaremos às provas Fixas.

O Analista

Europeus Sub-20 Masculino (2.ª Divisão) – 2018 – II


EUROPEUS SUB-20 MASCULINO
(2.ª Divisão)

Na sequência do divulgado em oportunidade a EHF, estabeleceu duas divisões para os escalões mais jovens, de forma a proporcionar um maior contacto internacional, com algumas das equipas que raramente teriam presença nas Fases Finas das Prova.

Assim terminaram este fim-de-semana os EHF Sub-20 Champoinship que serão disputados por 22 equipas, que foram divididas por dois locais diferentes, colocando 11 equipas na Macedónia e 11 equipas em Montenegro. Onde foram constituídos dois grupos em cada local.

EHF Sub-20 Championship 1 – Disputado em Skopje (Macedónia) (11 equipas)
MACEDÓNIA CAMPEÃ EUROPEIA
Classificação Final1.º Macedónia, 2.º Bielorrússia, 3.º Suíça. 4.º Ilhas Faroé, 5.º Ucrânia, 6.º Lituânia, 7.º Estónia, 8.º Itália, 9.º Grécia, 10.º Finlândia, 11.º Grã-Bretanha.

All Star Team
Guarda Redes -Hordyr Trygvasson (Ilhas Faroe)
Ponta Esquerda - Left wing: Deividas Jovaisas (Lituânia)
Lateral Esquerdo - Mario Tankoski (Macedónia)
Central - Yulyan Hiryk (Bielorrússia)
Lateral Direito - Mikalai Aliokhin (Bielorrússia)
Ponta Direita - Nicolo D’Antino (Itália)
Pivô - Ivan Burzak (Ucrânia)
Melhor Defensor - Philip Novak (Suíça)
MVP - Artur Rudz (Bielorrússia)
Melhor Marcador - Karolis Antanavicius (Lituânia) – 53 golos

EHF Sub-20 Championship 2 – Disputado em Podogorica (Montenegro) (11 equipas)
REPÚBLICA CHECA CAMPEÃ EUROPEIA
Classificação Final1.º Republica Checa, 2.º Áustria, 3.º Montenegro. 4.º Letónia, 5.º Holanda, 6.º Turquia, 7.º Kosovo, 8.º Eslováquia, 9.º Bulgária, 10.º Moldávia, 11.º Geórgia.

All Star Team
Guarda Redes - Yannik PELZ (Áustria)
Ponta Esquerda - Ondrej SKALICKY (Republica Checa)
Lateral Esquerdo - Doruk BEHLIVAN (Turquia)
Central - Vasilije KALUDJEROVIC (Montenegro)
Pivô - Tim CLAESSENS (Holanda)
Lateral Direito - Drenit TAHIRUKAJ (Kosovo)
Ponta Direita - Roman DODICA (Moldávia)
Melhor Marcador - Roman DODICA (Moldávia)
Melhor Defensor - Jiri DOKOUPIL (República Checa)
MVP - Ivar STAVAST (Holanda)

Após estas provas, e segundo a nossa interpretação do esquema implementado temos quatro equipas a mudarem para a 1.ª Divisão, e que serão na nossa opinião, Macedónia, Bielorrússia, Republica Checa, e Áustria.

O Noticias

EURO 2018 FEMININO – FRANÇA – XXII – DELEGADOS


EURO 2018 FEMININO – FRANÇA
(HANDBALLISSIME)
FASE FINAL

A EHF divulgou, que nomeou António Marreiros, como Delegado a esta prova, informação que estranhamente não foi divulgada no Portal da FAP. Assim Portugal estará representado neste Europeu, decorrerá de 29-11-18 a 16-12-18, em França.

O Noticias

segunda-feira, 30 de julho de 2018

Planeamento Desportivo – Época 2018/2019 - VII

Provas Nacionais Fixas - Época 2018/2019

Na continuidade de anteriores artigos sobre o tema, e conforme já referimos a Federação, com uma antecedência razoável (o que nos apraz) á data de inicio da época divulgou primeiro o CO N.1 (05-07-18) e posteriormente os chamados Regulamento Desportivos de todas as provas, esta época não foram feitas em simultâneo com o CO o N.º 1, e o CO N.º 2, na mesma data, procedeu a divulgação das equipas com direito desportivo a participar nas diversas provas Nacionais fixas, segundo o conceito estabelecido na época que agora vai terminar. Não iremos repetir o já foi dito em relação às principais provas de Seniores Masculinos, embora todas as outras mereçam o natural destaque, e estão a ser igualmente analisadas por nós, dando sempre a nossa opinião, e aceitando todas as outras opiniões que contribuam para o melhor andebol.

Felizmente imperou algum bom sendo e desta vez não se verificou qualquer aumento de participantes nas provas, e pelo que nos foi dado observar no CO N.º 2, manteve-se tudo o estava definido em termos competitivos.

No entanto, e respeitando as datas referidas nos respectivos Comunicados Oficiais emitidos até ao momento, em que escrevemos este texto, apenas se poderá ter a confirmação das equipas, após o ultimo dia para confirmação da inscrição, 31-07-18. Veremos então, se não existem desagradáveis surpresas (esperamos que não, pois seria bom sinal).

Hoje apenas iremos abordar a PO06 – Campeonato Nacional de Juvenis Masculinos 1.ª Divisão.
A não existência no Regulamento Desportivo da fase intermédia, a chamada de Fase de Apuramento, que apurava duas equipas para a fase final, eliminou pura e simplesmente toda e qualquer possibilidade de participação nesta prova de equipas das Regiões Autónomas, o que na nossa opinião representa um factor extremamente negativo (embora estivesse previsto, no Regulamento da última época), sendo apenas concedido a estas equipas o direito de participarem na PO07, e apenas ingressarão na PO06, caso vençam a PO07.

Mantem a sua forma de disputa e pensamos que bem, ao ser disputada em quatro (4) zonas geográficas, será uma prova certamente muito mais económica não só para os clubes como certamente para a Federação. Felizmente que o número par de clubes 40, vai permitir uma 1:ª fase com todas as zonas equilibradas (10 equipas em 4 Zonas). Embora nos parece que face às equipas que subiram de divisão, o rearranjo das zonas poderá provocar algumas surpresas, não muito agradáveis (em especial nas zonas 1 e 2), quer do ponto de vista económico, quer do ponto de vista desportivo, pois o mais que provável que o FC Infesta seja enquadrado na Zona 2, com o enquadramento do CP Natação, a poder criar ainda alguma alteração na própria zona 1, nas Zonas 3 e 4, parece-nos tudo completamente definido, com o regresso do Benfica à zona 4, que no entanto nos parece que será a zona com maiores custos, pois vai de Lisboa a Lagos, e engloba Beja e Tavira. Apesar de a Zona 2, também não ser fácil em termos financeiros. Partindo do princípio que inscrevem todas as equipas com direito desportivo, conforme CO N.º 2.

Com a eliminação da Fase de Apuramento a Prova sofreu ligeiras alterações no seu formato competitivo, assim teremos uma 2.ª Fase com 2 Grupos A e B.

Embora mantenhamos a opinião de que a fórmula de disputa, “representa um profundo retrocesso, para o escalão, pelo desequilíbrio existente entre as diversas equipas participantes”.

Assim a 2.ª Fase Grupo A – será disputada em 2 zonas geográficas de 6 equipas, a ser disputada no sistema de TXT, com 6 equipas, 3 de cada Zona, apurando-se para a Fase final os dois (2) primeiros classificados de cada zona da 2.ª Fase.

2.ª Fase Grupo B – Será disputada pelas restantes equipas não apuradas para o Grupo A (número ímpar, o que na nossa opinião não é positivo), que se manterão na mesma zona, e que será disputada a 1.ª volta no sistema de TxT, após sorteio, sendo os recintos neutralizados, para o efeito, e transportarão 50 % dos pontos obtidos na 1.ª Fase. O último classificado de cada zona desce de divisão.

Fase Final – É disputada pelos dois (2) primeiros classificados de cada zona da 2.ª Fase, no sistema de TxT a duas voltas.

Quanto aos CROM, agora Oficiais de Mesa dos Clubes, opção de que continuamos a discordar, assim como se se vier a verificar (e é o mais provável) a decisão de na 1.ª Fase desta prova as nomeações das duplas de arbitragem ficarem a carga das Associações, é mais uma fuga para a frente demonstrativa da falta de trabalho por parte do CA. No entanto o Regulamento Desportivo da prova é completamente omisso sobre esta matéria.

Existem outras provas no CO N.º 2, que serão comentadas em próximos textos, pois são indicadores preciosos, do planeamento que se seguirá.

Assim no próximo texto iremos tratar da PO09 – Campeonato Nacional Seniores Femininos 1.º Divisão.

O Banhadas Andebol

Mundial de Andebol Praia – IHF – 2017 / 2018


VIII MUNDIAL DE ANDEBOL PRAIA
(MASCULINOS E FEMININOS)
KAZAN - RÚSSIA

Disputou-se em Kazan (Rússia) de 24 a 29-07-18, com 16 em equipas em cada género, o Campeonato Mundial de Andebol de Praia, na categoria de seniores.

Masculinos

VIII MUNDIAL MASCULINO
BRASIL CAMPEÃO MUNDIAL
(Sucede à Croácia)
O Titulo foi decido entre o Qatar e o Brasil, com a equipa do Brasil a vencer o encontro, e a tornar-se campeã Mundial de Seniores Masculinos

Classificação final – 1.º Brasil, 2.º Croácia, 3.º Hungria, 4.º Suécia, 5.º Espanha, 6.º Rússia, 7.º Dinamarca, 8.º Irão, 9.º Qatar, 10.º Omã, 11.º Argentina, 12.º Estados Unidos, 13.º Austrália, 14.º Vietname. 15.º Uruguaia, 16.º Nova Zelândia.

Nota – Os cinco primeiro Classificados, estão apurados para ANOC World Beach Games in San Diego, em 2019

All Star Team
Guarda – Redes - #13 Mohamed ABIDI (Qatar)
Ponta Esquerda - #5 Ivan JURIC (Croácia)
Pivô - #24 Attila KUN (Hungria)
Ponta Direita - #9 Lucijan BURAN (Croácia)
Especialista - #1 Bruno OLIVEIRA (Brasil)
Melhor Marcador - #7 Martin Vilstrup ANDERSEN (Dinamarca) – 149 Pontos
Defesa - #2 Thiago BARCELLOS (Brasil)
Fair Play – Austrália

MVP - #1 Bruno OLIVEIRA (Brasil)

Femininos

VIII MUNDIAL FEMININO
GRÉCIA CAMPEÃ MUNDIAL
(Sucede à Espanha)
O Titulo foi decido entre a Grécia e a Noruega, com a equipa da Grécia a vencer o encontro a tornar-se campeã Mundial de Seniores Femininos

Classificação final – 1.º Grécia, 2.º Noruega, 3.º Brasil, 4.º Espanha, 5.º Dinamarca, 6.º Polónia, 7.º Rússia, 8.º Paraguai, 9.º Vietname, 10.º Uruguai, 11.º França, 12.º México, 13.º Taipé, 14.º Estados Unidos, 15.º Tailândia, 16.º Austrália.

Nota – Os cinco primeiro Classificados, estão apurados para ANOC World Beach Games in San Diego, em 2019

All Star Team
Guarda – Redes - #12 Magdalini KEPESIDOU (Grécia)
Ponta Esquerda - #6 Maren AARDAHL (Noruega)
Pivô - #3 Maria Asuncion BATISTA PORTERO (Espanha)
Ponta Direita - #5 Patricia SCHEPPA (Brasil)
Especialista - #10 Vasiliki SKARA (Grécia)
Melhor Marcadora - #12 Edna Viridiana URESTI VALENCIA (México) – 123 Pontos
Defesa - #3 Elisabeth HAMMERSTAD (Noruega)
Fair Play – Noruega

MVP - #7 Juliana OLIVEIRA (Brasil)

Arbitragem

Portugal esteve representado e bem pela dupla feminina constituída por Ana Barbosa, e Nádia Lemos, que dirigiram os seguintes jogos, com destaque para a 1/2 final Feminina entre a Espanha e a Grécia:
(Foto FAP)
Femininos
Tailândia – Estados Unidos (Grupo C – Fase Preliminar)
Vietname – Dinamarca (Grupo D – Fase Preliminar)
Taipé – Polónia (Grupo B – Fase Preliminar)
Grécia – Paraguai (Grupo A – Fase Preliminar)
Espanha – Uruguai (Grupo 1 – Main Round)
Tailândia – Noruega (Grupo 2 – Main Round)
Estados Unidos – França (Ronda de Consolação)
Paraguai – Taipé (Grupo 1 – Main Round)
Espanha – Dinamarca (Ronda Final – 1/4 Final)
Rússia – Paraguai (Ronda Final, 7/ 8 Lugar)
Estados Unidos – Taipé (Ronda Final, 13/14 Lugar)
Espanha – Grécia (1/2 Final)
Masculinos
Nova Zelândia – Espanha (Grupo B – Fase Preliminar)
Estados Unidos – Argentina (Ronda de Consolação)
Argentina – Nova Zelândia (Ronda de Consolação)
Qatar – Nova Zelândia (Ronda Final 9/16 Lugar)
Argentina – Omã (Ronda Final 9/12 Lugar)

O Regras

domingo, 29 de julho de 2018

Andebol de Praia – 2018 – VII


CIRCUITO NACIONAL FASE FINAL
ANDEBOL PRAIA
ACTIVOBANK 2018
(RESULTADOS FINAIS)

Terminou este fim-de-semana na Praia da Nazaré (Estádio dos Viveiros), a época Oficial do Andebol e Praia, com a realização das Fases Finais das Provas de Andebol e Praia 2017 / 2018. Onde marcaram presença 54 equipas, e se realizaram 112 jogos, de 27 a 29-07-18,l de destacar as transmissões da Andebol TV, e da Final de Seniores Masculinos pela TVI24, com a curiosidade negativa (na nossa opinião), de ser sensivelmente à mesma hora do jogo de Sub-20 para o Campeonato da Europa.

Resultados Finais

Seniores Femininos (10 equipas)

VencedorGRD Leça – Apostaganha.com, que venceram na final a equipa do BE ONE / TECLUR 2-0.

Melhor Guarda-RedesRosa Ribeiro (GRD Leça – Apostaganha.com)
Melhor JogadoraSara Pinho (BE ONE / TECLUR)
Fair Play – Qualcroqui / Imosonho Team BH

Seniores Masculinos (24 equipas)

VencedorOs Repetidos, que venceram na final a equipa do Raccoons D’Areia/Activo Bank, por 2-1.

Melhor Guarda-RedesEmanuel Ribeiro (Raccoons D’Areia/Activo Bank)
Melhor JogadorRuben Serrano (“Cinco Mais Um”)
Fair Play – (Amigos do Gnomo)

Fase Final Nacional Sub-18

Femininos (8 equipas)

VencedorEscola Formação Espinho – Os Tigres, que venceram na final a equipa Raccoons D’Areia, por 2-0.

Melhor Guarda-RedesMaria Cálix (EFE Os Tigres)
Melhor JogadoraMargarida Oliveira (ACD “O Sótão / TIT Záas)
Fair Play - ACD “O Sótão / TIT Záas

Masculinos (12 equipas)

VencedorRaccoons D’Areia/ ILC, que venceram na final a equipa do Porto Masters BHT, por 2-0.

Melhor Guarda-RedesDiogo Roma (EFE Os Tigres)
Melhor JogadorRafael Paulo (Raccoons D’Areia/ ILC)
Fair Play - ACD “O Sótão / This is Team

Arbitragem

É impossível confirmar a presença dos elementos nomeados, ou seja quem esteve em cada jogo, pois a Federação, não divulgou em nenhum Boletim de jogo, qualquer nomeação, o que se estranha, apesar de deste CA já nada do que acontece ser estranho, pelo menos para nós.

Existe no entanto uma informação sobre uma merecida homenagem ao Árbitro Joaquim Machado, que realizou o seu último jogo na modalidade. Pela nossa parte endereçamos-lhe os nossos votos de agradecimento, pelo que fez pela modalidade.

O Noticias

Euro Sub-20 Masculino (1.ª Divisão) – 2018 – X


EURO SUB-20 MASCULINO
 (1.ª Divisão)
ESLOVÉNIA CAMPEÃ
(SUCEDE À ESPANHA)
Portugal realizou hoje o seu último encontro neste Europeu, depois da disputa do 3/4 Lugar, onde chegou, com grande mérito, no EHF Sub-20 Masculino que foi disputado por 16 equipas, de 19 até 30 de Julho de 2018 em Celje na Eslovénia. Com Portugal a ser representado e com muita dignidade pela sua equipa de Juniores A.

Além da Espanha como País Organizador do próximo Mundial de Sub-21 em 2019, serão apuradas mais 10 equipas Europeias, significando que a Alemanha, Eslovénia, Islândia, Sérvia, Portugal, Croácia, França, Noruega, Suécia e Hungria, já se encontram qualificadas.

PORTUGAL
EM
4 LUGAR
Portugal que têm tido um comportamento meritório ao longo da prova, disputou este encontro com o seu modelo de jogo na prática esgotado, perante uma equipa que faz da eficácia da sua 1.ª linha a sua mais-valia, e perdeu o jogo, na nossa opinião mais uma vez por cometer demasiados erros no ataque com maus passes, permitindo intercepções, e grande dificuldade nas recepções, e por perder demasiadas vezes o controlo do tempo de ataque, onde foi perdulário, e não tivesse na baliza em especial no segundo tempo Diogo Valério, já que Manuel Gaspar, que esteve no primeiro tempo, também esteve igualmente bem, não sabemos a que números poderia ter chegado o marcador. A Alemanha que cerca dos 5 minutos de jogo passou para a frente do marcador (3-2), nunca mais perdeu quer o comando do marcador quer o controlo do jogo, contando com o desacerto da equipa portuguesa em especial no ataque conforme já referimos, e aos 27 minutos de jogo chegou à maior diferença ocorrido no primeiro tempo, quando vencia por 14-10, para o intervalo chegar em 14-11, a seu favor. No segundo tempo uma má entrada da equipa portuguesa, que sofre um parcial de 4-1 em cerca de 5 minutos, e aos 35 minutos de jogo a Alemanha vence pela maior diferença verificada durante o encontro, 18-12 (6 golos), diferença que se viria a repetir mais algumas vezes, sendo a última delas aos 41 minutos quando vencia por 21-15, Portugal de seguida, começa a certar no jogo , e consegue reduzir ate aos 2 golos de diferença (27-25), quando estavam decorridos cerca de 57 minutos e jogava, praticamente num sistema de HxH que não resultou pois uns maus passes e novas precipitações no remate, ditaram o resultado final, com Luís Frade a jogar praticamente os 60 minutos e a ser um dos melhores marcadores da equipa com 5 golos, tantos quantos marcou Gonçalo Vieira, que só atacava, com Diogo Silva e os seus  6 golos. Enquanto na equipa Alemã Jannek Klein com 6 golos, foi o seu melhor marcador. E desta forma Portugal termina este Campeonato em 4.º lugar, realizando no entanto na nossa opinião uma competição positiva.

Últimos Resultados
Dia 28- 07-18
15/16 Lugar
Rússia 28 – 26 Polónia
13/14 Lugar
Israel 30 – 28 Roménia
11/12 Lugar
Hungria 31 – 29 Dinamarca
9/10 Lugar
Noruega 24 – 20 Suécia
Dia 29-07-18
7/8 Lugar
Islândia 30 – 27 Sérvia
5/6 Lugar
Croácia 26 – 27 Espanha
3/4 Lugar
Alemanha 29 – 26 Portugal

Final
França 30 – 31 Eslovénia

Jogo onde tudo foi permitido, com uma assinalável passividade quer dos árbitros quer dos Delegados da EHF, desta forma não admira, a entrega do título, à equipa que organiza a prova, apesar do valos demonstrado

Classificação Final1.º Eslovénia, 2.º França, 3.º Alemanha, 4.º Portugal, 5.º Espanha, 6.º Croácia, 7.º Islândia, 8.º Sérvia, 9.º Noruega, 10.º Suécia, 11.º Hungria, 12.º Dinamarca, 13.º Israel, 14.º Roménia, 15.º Rússia, 16.º Polónia.

Com estas Classificações, e segundo as normas divulgadas em tempo pela EHF para os Campeonatos dos Jovens, pensamos que as quatro últimas equipas, disputarão os próximos Campeonatos M18 Euro Championship.

Outros Prémios
Melhor Marcador – Grega Ocvirk (Eslovénia) – 57 Golos

MVP – Diogo Silva

All Star Team

Melhor defesa – Joshua Thiele (Alemanha)
Pivô – Luís Frade (Portugal)
Lateral Direito – Diogo Silva (Portugal)
Melhor Guarda Redes – Robin Haug (Noruega)
Melhor Ponta Esquerda – Dylan Nahi (França)
Melhor Lateral Esquerdo – Grega Ocvirk (Eslovénia)
Melhor Central – Kylian Villeminot (França)
Melhor Ponta Direita – Domen Novak (Eslovénia)

Todos os jogos foram transmitidos pela EHF TV

Arbitragem

Portugal está igualmente representado pela dupla EHF de Braga, constituída por Daniel Freitas e César Carvalho, que depois de dirigirem 5 encontros até ao momento, voltaram a estar presentes no seguinte jogo. As nomeações da dupla portuguesa, foram nitidamente influenciadas, pelo comportamento e pelos resultados da equipa portuguesa.

Dia 29-07-18
Islândia – Sérvia (7/8 Lugar)

O Noticias

sábado, 28 de julho de 2018

Europeu 2022 Seniores Masculino – Informação


EHF EURO 2022
Seniores Masculinos
A EHF, publicou um texto, explicando a forma de se chegar à Fase Final deste EURO, que será pela primeira vez disputado por 24 equipas, informando ainda de que esta alteração vai influenciar o trajecto que as equipas terão de fazer para chegar ao Mundial da Categoria em 2021, que como já informamos será disputado no Egipto.

Ao Campeão do EHF EURO 2020 (podendo ainda ser apurado o 2.º Classificado, está dependente de uma decisão co Comité Executivo da EHF), qualificam-se directamente para o EURO 2022, que será disputado na Hungria e na Eslováquia.

A Primeira fase de qualificação, será disputada em formato de torneio, de 4 a 6 de Janeiro, ou de 11 a 13 do mesmo mês, ao contrário do que se fazia anteriormente, esta fase é obrigatoriamente disputada no formato de torneio.

De 10 a 16 de Junho de 2019, realiza-se o Torneio das Nações Emergentes, onde existe uma segunda possibilidade de apuramento para a Fase de Qualificação para o EHF EURO 2022. No entanto não é permitido uma única inscrição, as Federações que desejem participar, devem inscrever-se igualmente para a primeira Fase de qualificação.

A Estritura básica das Qualificações para o EURO 2022, e a necessidade de atribuir vagas para os vencedores da Fase 1 de qualificação e ao vencedor do Torneio das Nações Emergente, exigem que desçam um máximo de quatro (4) equipas, ou seja as equipas classificadas nos últimos 4 lugares do Ranking, após as qualificações para o EHF EURO 2020.

Estas quatro (4) equipas, terão uma segunda oportunidade de chegarem às qualificações do EHF EURO 2022, através da implementação de prova denominada “Ronda de despromoção”, na qual irá defrontar os vencedores da primeira Fase de qualificação, e do Torneio das Nações Emergentes.

Esta “Ronda de despromoção”, será disputada em Outubro de 2019, ou Janeiro de 2020, dependendo das equipas envolvidas na qualificação para o Campeonato do Mundo de Seniores Masculinos de 2021.

As Qualificações para o EHF EURO 2022 em Seniores Masculinos, iniciam-se em Outubro / Novembro de 2020.

O Noticias

sexta-feira, 27 de julho de 2018

Euro Sub-20 Masculino (1.ª Divisão) – 2018 – IX


EURO SUB-20 MASCULINO
 (1.ª Divisão)
1/2 FINAL

Portugal que chegou às 1/2 Final da Prova com grande mérito, no EHF Sub-20 Masculino que está a ser disputado por 16 equipas, desde 19 até 30 de Julho de 2018 em Celje na Eslovénia. Com Portugal a ser representado e bem, através da sua equipa de Juniores A.

Os 12 primeiros classificados neste Europeu, ficam classificados para o Mundial de Sub-21 que se disputará em Espanha.

PORTUGAL NA MAIN ROUND
(DISPUTA 3/4 LUGAR)
 
Portugal que têm tido um comportamento meritório ao longo da prova, disputou a ½ final da mesma defrontando a difícil equipa da Eslovénia, não só pelo seu valor, mas principalmente por ser a equipa do País que organiza a competição. Foi um encontro entre duas equipas que já garantiram o apuramento para o próximo Mundial de Sub-21 em Espanha, além de que garantiram de imediato que face ao novo esquema de disputa das provas, continuaram a disputar o próximo Europeu de Sub-20. Portugal inicio o encontro, contar a equipa da casa, sabendo de antemão das grandes dificuldade por que iria passar, começando pelo valor da equipa adversária que teve no seu guarda-redes Mark Ferjan (MVP do jogo), um do seus principais elementos, defendendo tudo e mais alguma coisa, Portugal que comandou inicialmente o jogo e o marcador, até chegar a ter 3 golos de vantagem (6-3), aos 9 minutos de jogo, para depois sofrer um parcial de 4-0, entre os 14 minutos e os 19 minutos permitindo que a equipa da Eslovénia, passasse para a frente do marcador por 11-9, para mantendo-se sempre fiel aos seus princípios de jogo e atuando como equipa, recuperar e chegar ao intervalo a vencer por 15-14. No Segundo tempo voltou a permitir que a equipa da Eslovénia, bem ajudado pelo seu público e não só, chegasse a ter 4 golos de vantagem 22-18, quando estavam decorridos cerca de 47 minutos de jogo, e ter de voltar a recuperar para cerca dos 56 minutos de jogo, se registar uma igualdade a 25 golos, quando sofremos uma exclusão ao banco (saiu Bruno Gaspar), e equipa da casa com tudo a seu favor, incluindo dias falhas no ataque de Portugal, termina vencendo o encontro, e apurando para a final. Destacamos a trabalho defensivo e atacante de Luís Frade (6 golos), que juntamente com Diogo Silva (6 golos) foram os melhores marcadores de Portugal, enquanto na equipa da Eslovénia, os seus melhores marcadores, foram Domen Novak (7 golos), e Grega Ocvirk (6 golos). Teremos de escrever pela negativa, que Portugal até teve de jogar contra os Delegados? Da EHF, pois ao banco de Portugal a atença era “suprema”, e ao banco da Eslovénia tudo era permitido. Até hoje nunca escrevemos sobre a dupla de arbitragem mas a dupla de Montenegro constituída por Milijan Vesovic e Novica Mitrovic, realizaram uma arbitragem “inteligente$, mas muito negativa, pois princípios de equidade nunca existiram, faltas do atacante “inventadas”, foram mais que muitas, lei da vantagem para Portugal nunca existiu, e vamos para por aqui, pois Portugal exige mais respeito, Esta é a nossa opinião.

Resultados das 1/2 Final

Dia 27-07-18
Alemanha 26 – 28 França
Portugal 25 – 27 Eslovénia

Outros Resultados

Dia 27-07-18
Jogos Cruzados
13/16 Lugar
Israel 26 – 19 Rússia
Polónia 31 – 32 Roménia (C/Prolongamento)
9/12 Lugar
Noruega 29 – 23 Hungria
Dinamarca 30 – 33 Suécia
5/8 Lugar
Islândia 27 – 31 Croácia
Espanha 27 – 24 Sérvia

Calendário Final
Dia 28- 07-18
15/16 Lugar
Rússia – Polónia (12H00)
13/14 Lugar
Israel – Roménia (14H30)
11/12 Lugar
Hungria – Dinamarca (17H00)
9/10 Lugar
Noruega – Suécia (19H30)
Dia 29-07-18
7/8 Lugar
Islândia – Sérvia (10H00)
5/6 Lugar
Croácia – Espanha (12H30)
3/4 Lugar
Alemanha – Portugal (15H00)

Final
França – Eslovénia (17H30)

Horas Locais

Todos os jogos serão transmitidos em Live Stream, através da EHF TV

Arbitragem

Portugal está igualmente representado pela dupla EHF de Braga, constituída por Daniel Freitas e César Carvalho, que depois de dirigirem quatro encontros até ao momento, voltaram a estar presentes no seguinte jogo. As nomeações da dupla portuguesa, têm sido nitidamente influenciadas, pelo comportamento e pelos resultados da equipa portuguesa.

Dia 27-07-18
Islândia – Croácia (Jogos cruzados 5/8 lugar)
Dia 28-07-18
Ainda desconhecido

O Noticias

Clubes com mais de uma equipa no mesmo Escalão – 2018 / 2019


PARTICIPAÇÃO DE CLUBES COM MAIS DE UMA EQUIPA

Publicou a federação um CO, o N.º 11 (24-07-18), época 2018 72019, onde pretende esclarecer procedimentos (pensamos nós) sobre inscrições de equipas A, B, C, e por aí diante, no entanto, fê-lo de uma forma totalmente incompreensível, conforme se verifica, pela imagem abaixo, de parte do Referido CO.
Pergunta-se qual é o Regulamento em epígrafe?
Não existe nenhum Regulamento referenciado no Assunto, esse sim é que está em epígrafe, nunca o Regulamento, será que se pretendem referir ao Artigo 4.º, do Subtítulo 4, do Titulo 8 do Regulamento Geral da FAP, já rectificado e entretanto publicado? Porque na realidade é este subtítulo que têm como designação (Participação de Clubes com mais de uma equipa).

Onde a alínea a) do referido CO, é um oportuno esclarecimento sobre as equipas B, na PO02, obrigando os clubes a entregarem uma lista com so atletas que dela fazem parte, aqui só não entendemos por se fala em Regulamento Especifico, quando na realidade desde a última época, se passou a designar por Regulamento Desportivo, nítida falta de atenção, ou de clareza.

Colocando datas limite quer para as equipas da PO02 quer da PO03.

Nos restantes escalões esclarece igualmente que deve ser igualmente preenchida uma lista, e enviada para a FAP, anexando ao CO os Anexos necessários e limitando as datas para os respectivos procedimentos.

O Analista