gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

sábado, 31 de janeiro de 2015

Crónica de Fim-de-semana – 22 – 2014 / 2015 – I

Crónica sobre a jornada que corresponde a 8.ª jornada da 2.ª volta da 1.ª Fase da Prova (19.ª Jornada).
 
PO01 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Masculinos.
 
Resultados
19.ª Jornada
FC Porto 37 – 22 GC Santo Tirso
SC Horta 26 – 22 Belenenses
Águas Santas 37 – 32 Passos Manuel
Ismai 21 – 29 Sporting
Madeira SAD 29 – 24 Xico Andebol
ABC 29 – 24 Benfica
 
Jornada toda disputada no meso dia, o que por vezes se torna uma boa novidade, para a modalidade. No Funchal, realizou-se a abertura da jornada com um Madeira SAD / Xico Andebol, que terminou com a vitória dos madeirenses, que desta forma retificaram o resultado verificado na 1.ª volta e que tinha sido uma igualdade a 24 golos, diga-se ainda que com este resultado a equipa vimaranense continua a ser a única equipa da 1.ª Divisão que ainda não venceu qualquer jogo. Foi um jogo que até cerca dos 17 minutos de jogo, quando se verificava uma igualdade a 7 golos, ninguém previa que viesse a ter o desfecho que teve, com uma total superioridade da equipa insular que depois de ter chegado ao intervalo a vencer por 16-12, e após um início do segundo tempo bem conseguido onde chegou aos oito (8) golos de vantagem aos 34 minutos, teve uma “branca”, devido a uma forte melhoria defensiva da equipa vimaranense, e esteve 7 minutos sem marcar e sofrendo um parcial de 3-0, para depois os insulares regressarem ao seu ritmo normal e recolocarem o marcador em nove (9) golos de diferença cercados 50 minutos de jogo quando venciam por 25-17, para depois o técnico madeirense entrar em gestão do plantel, e o encontro terminar uma diferença que na nossa opinião se justa muito mais ao que se passou em campo. Não pode o Xico Andebol, ter uma eficácia extremamente baixa na execução de livres de 7 metros 3 em 7, pois esta eficácia pode ainda vir a ser-lhe fatal em outros encontros. No Madeira SAD Sérgio Rola com 7 golos, foi o melhor marcador da equipa e do jogo, seguido de perto por Nuno Silva e Hugo Lima com 5 golos cada, nesta equipa continua a verificar-se a ausência de Gonçalo Vieira. Nos vimaranenses, o seu reforço de inverno Pavic marcou 5 golos apesar das duas (2) exclusões, e foi juntamente com o seu colega Pedro Correia com o mesmo número de golos, um dos melhores marcadores da equipa. No Dragão Caixa disputou-se o FC Porto / GC Santo Tirso, com uma moldura humana, condizente com a qualidade que o jogo poderia ter, e que foi uma total confirmação do resultado obtido na 1.ª volta. A equipa portista comandou o jogo e o marcador durante praticamente os 60 minutos, e com mais esta esperada vitória, continua a comandar isolada esta Fase da Prova. O domínio da equipa do FC Porto, foi de tal ordem que aos 14 minutos já vencia por um diferencial de 7 golos (11-4), para ainda no primeiro período chegar aos 8 golos de diferença quando estavam decorridos 27 minutos (17-9), e terminar a primeira parte com o resultado em 18-12. O Segundo tempo foi praticamente uma “cópia” do primeiro tempo, embora com alguma reação dos tirsenses que durou até aos 41 minutos (com o marcador em 23-19 a favor do FC Porto), mas um Time OUT, solicitado a preceito pelo técnico da equipa azul, voltou a colocar a equipa nos “eixos”, com a equipa do GC Santo Tirso a estar cerca de 11 minutos sem concretizar qualquer golo, sofrendo neste período um parcial de 9-0 com o resultado a passar de 26-20 para 35-20, até final do encontro pura gestão do plantel e total controlo do marcador pela equipa do FC Porto. Ricardo Moreira com 8 golos (eficácia de 89%) foi o melhor marcador do FC Porto, seguido de muito perto por João Ferraz 7 golos, mas apenas com uma eficácia de 54%, uma chamada de atenção especial para a eficácia dos guarda-redes do FC Porto, Alfredo Quintana (47%) e David Sousa no pouco tempo que esteve em jogo, atingiu os 67%, no entanto o número de falhas técnicas efetuadas pelo FC Porto atinge números demasiados elevados para a qualidade que a equipa globalmente apresenta (22). No GC Santo Tirso, as referencias positivas apresentam-se todas na prestação dos guarda-redes utilizados, pois a eficácia da equipa em termos atacantes foi apenas de 43%. Na cidade da Maia disputaram-se dois jogos o Águas Santas / Passos Manuel, que terminou com a vitória da equipa maiata, que desta forma retificou o resultado verificado na 1.ª volta. No entanto este encontro foi de um equilíbrio que o resultado final não demonstra, basta para tal verificar-se que durante os 30 minutos iniciais, a equipa dos liceais de Lisboa chegaram a estar por diversas vezes na frente do marcador, e o intervalo chegou com o Passos Manuel a vencer por 20-19. No segundo tempo o equilíbrio manteve-se, e cerca dos 48 minutos o marcador registava uma igualdade a 28 golos, mas um período de cerca de 7 minutos sem marcar em que sofreu um parcial de 5-0, permitiu que o Águas Santas obtivesse uma vantagem de 5 golos que depois soube gerir como Passos Manuel a não saber aproveitar os momentos de superioridade numérica. No Águas Santas, Pedro Cruz (62% de eficácia), Juan Couto (89% de eficácia) e Mario Oliveira (89% de eficácia), todos com 8 golos, foram as principais referências da equipa maiata, a que se poderá juntar o jovem guarda-redes João Moniz (30% de eficácia, pois Telmo Ferreira não está a atravessar um bom momento de forma. No Passos Manuel o jovem João Ferreira com 8 golos (80% de eficácia), foi o seu principal marcador, enquanto Belone Moreira 6 golos e 86% de eficácia e Hugo Fernandes igualmente com 6 golos e com 75% de eficácia, se lhe seguiram. Os seus guarda-redes estiveram co um rendimento abaixo do que costumam produzir. No outro jogo realizado na Maia o Ismai / Sporting, verificou-se uma vitória da equipa de Lisboa, que embora se apresenta-se desfalcada do pivot Bruno Moreira e do ponta Pedro Solha, soube apresentar-se em campo, de forma a retificar o resultado da 1.ª volta, onde na altura a vitória do Ismai em casa da equipa do Sporting, constituiu a grande surpresa da prova. O jogo foi comandado pela equipa lisboeta durante os 60 minutos, embora no primeiro período de jogo nunca chega-se a criar uma diferença que lhe permitisse descansar, e desta forma se atingiu o intervalo com o resultado em 13-11 a favor do Sporting. De referir que neste período os 3 primeiros golos do Ismai foram através de livres de 7 metros, e foram marcador até os 5 minutos de jogo. No segundo tempo a equipa do Sporting continuou a comandar o jogo e o marcador, chegando á vantagem de 8 golos pela 1.ª vez cerca dos 50 minutos (25-17), depois fez uma total gestão do resultado e dos jogadores, dando tempo de jogo a jovens como Nuno Pinto e Francisco Tavares, já que Sérgio Barros e Diogo Domingos, provaram que já são mais do que simples promessas na equipa. Na equipa do Ismai, servida por guarda-redes de origem cubana Yusnier Giron que foi decisivo em muitos momentos do jogo e atingiu uma eficácia de 30%., enquanto o angolano Elias António com 8 golos foi o melhor marcador da equipa mas com uma eficácia de 50%, e 6 em 7 livres de 7 metros, dizer ainda que a equipa do Ismai, apenas concretizou 8 em 12 livres de 7 metros, e Sérgio Caniço com 5 golos (63% de eficácia), mas foi ele que fez jogar toda a equipa e que assistiu por diversas vezes os colegas. No Sporting, mais uma vez Pedro Portela com 7 golos foi o seu melhor marcador mas com uma eficácia longe do esperado (58%), Pedro Spínola (63% de eficácia) e Rui Silva (71% de eficácia), ambos com 5 golos foram os marcadores que se seguiram, nunca esquecendo o trabalho desenvolvido pelo jovem Rui Silva a jogar, fazer jogar e a assistir. Uma referência especial para Ricardo Candeias que apenas jogou nos segundos 30 minutos e obteve a eficácia de 38%. Disputou-se igualmente o ABC / Benfica, que terminou com a vitória da equipa minhota. A jornada terminou com a disputa do SC Horta / Belenenses, com a equipa do Belenenses a apresentar os seus dois reforços os jovens Ivo Santos e Miguel Ferreira, cedidos pelo Benfica, e foi mais u jogo em que foi retificado o resultado verificado na 1.ª volta. O resultado final, não é o reflexo do equilíbrio verificado no jogo. Foi um jogo de total equilíbrio durante os primeiros 30 minutos, onde se verificaram diversas alternâncias no marcador, onde apenas por uma única vez uma das equipas teve uma vantagem superior á diferença mínima, foi aos 27 minutos de jogo, quando a equipa continental vencia por 13-11, tendo o Intervalo sido atingido com uma igualdade a 13 golos. Nos segundos 30 minutos voltou-se a assistir a total equilíbrio, com as defesas a sobreporem-se aos ataques, de tal forma que o primeiro golo apenas surge cerca dos 35 minutos, através de Carlos Siqueira, e o equilíbrio foi-se mantendo com a equipa continental a estar na frente do marcador várias vezes, mas normalmente pela diferença mínima, até que cerca dos 54 minutos o SC Horta passa para a frente do marcador (21-20), para não mais largar essa posição até aos 60 minutos, dilatando progressivamente o resultado nos minutos finais, verificando-se 4 golos praticamente no último minutos. O “Veteraníssimo”  Yuriy Kostetkyy com 7 golos foi o melhor marcador da sua equipa e do jogo, por sua vez João Pinto do Belenenses com 6 golos foi o melhor marcador da sua equipa, logo seguido por Carlos Siqueira e Jorge Pinto, ambos com 5 golos. De assinalar, com verdadeiro agrado o facto de nesta jornada não se terem verificado ocorrências disciplinares em nenhum dos jogos
 
ABC 29 – 24 Benfica
 
O principal jogo da jornada foi disputado no pavilhão Flávio Sá Leite, que apresentou uma moldura humana a fazer pensar que se está de regresso aos grandes momentos que se viveram na quele pavilhão. Este encontro que é um clássico do andebol português, foi dos poucos em que foi confirmado o resultado verificado na 1.ª volta, quando o ABC foi vencer á Luz por 33-27. Este encontro foi disputado com grande velocidade por ambas as equipas e os espectadores presentes, bem como todos aqueles que assistiram pela internet via Andebol TV, deram o seu tempo por bem entregue, pois na realidade assistiu-se a um grande jogo de andebol, com emoção “quanto baste”, e com grande qualidade (esta é a nossa opinião). O equilíbrio foi a dominante durante os primeiros 20 minutos de jogo, onde o Benfica chegou a comandar algumas vezes o marcador, alternando com o ABC, mas após se atingir este tempo de jogo com uma igualdade a 12 golos, o ABC passou para o comando do jogo, chegando a obter ainda neste período 4 golos de vantagem (16-12 cerca dos 27 minutos), para atingir o intervalo a vencer por 17-14. Foram 30 minutos de “alta rotação” com os técnicos das duas equipas a rodarem constantemente o seus jogadores, para o ritmo de jogo se mantivesse equilibrado, e sempre na procura de soluções, Pedro Seabra Marques (4 golos e 80% d eficácia), que não se compara em nada estrutura física que o Benfica apresenta quando defende, foi um autêntico “quebra-cabeças” para a equipa encarnada. De estacar neste período como no resto do encontro a eficácia de David Tavares na marcação dos livres de 7 metros, embora na baliza do ABC, estivesse um guarda-redes chamado Humberto Gomes e que na nossa opinião foi a grande figura do encontro com 39% de eficácia. No Benfica Carlos Carneiro não esteve bem e mais uma vez tenta arranjar “conflitos” onde nada existe. Nos segundos 30 minutos nada se alterou, e apesar de todas as tentativas do técnico encarnado, que solicita um Time OUT, cerca dos 38 minutos, quando resultado registava um diferencial de 5 golos a favor do ABC (21-16), nada se alterou, com o ABC a atingir a diferença máxima de 6 golos aos 41 e aos 55 minutos. Dario Andrade que foi a grande figura do Benfica com 7 golos marcados (88% de eficácia) a sua maior parte do seu posto especifica de ponta, enquanto do lado contrário Humberto Gomes, “secava” Davide Carvalho, mas depois já sentiu mais dificuldades diante António Areia, que terminou com 5 golos (71% de eficácia), e foi o segundo marcador da equipa. Na Baliza na primeira parte esteve Hugo Figueira, com apenas 19% de eficácia e nos segundos 30 minutos, esteve Vicente Alamo com 33% de eficácia, mas que em determinados momentos demonstrou (pelo menos pareceu-nos), que não se encontrava nas melhores condições físicas. No ABC. Além dos elementos que já referimos, não se deve omitir a prestação de Nuno Grilo com 7 golos (58% de eficácia), mas com uma grande atitude durante todo o tempo que esteve em campo. Uma última referência para João Paulo Pinto que marcou 4 golos com uma eficácia de 80%. Mas não gostaríamos de terminar sem voltar a referir o grande jogo de Pedro Seabra Marques, que continua a entrar sempre que a sua equipa sofre uma exclusão como guarda-redes avançado. Com este resultado o ABC mantêm-se na discussão do 2.º lugar desta fase a 1 ponto do Sporting e afasta-se do seu adversário de hoje. Dirigiu o encontro a dupla bracarense Daniel Freitas / Cesar Carvalho, que estiveram muito bem na nossa opinião em especial no critério disciplinar, e nos livres de 7 metros, inclusive nas vezes em utilizaram a exclusão simultânea, e no cartão amarelo ao banco do ABC aos 28 minutos e posteriormente na exclusão aplicado por atitudes do mesmo elemento
 
A classificação, ficou assim Ordenada: 1.º FC Porto (55 Pontos), 2.º Sporting (51 pontos), 3.º ABC (50 pontos), 4.º Benfica (48 pontos), 5.º Madeira SAD (39 pontos), 6.º Águas Santas (37 pontos), 7.º SC Horta (36 pontos), 8.º Belenenses (34 pontos), 9.º Passos Manuel (32 pontos), 10.º Ismai (31 pontos), 11.º Santo Tirso (23 pontos), 12.º Xico Andebol (20 pontos). 
 
O Banhadas Andebol

18 comentários:

Anónimo disse...

bom jogo ABC-Benfica disputa ombro a ombro mas estava dificil jogar 7x7,15 exclusões num jogo duro e bem jogado mas incomoda á famosa dupla internacional!

Benfica deve refletir sobre o valor do jogadores epanhois! então a ultima o Eduardo Ferreira é muito melhor para defender...

sedas disse...

O comentário ao ABC- Benfica faltou referir-se ao bom trabalho realizado pelos jogadores que jogaram nas pontas do ABC (especialmente na esquerda) que fizeram um jogão. Fábio Vidrago enquanto esteve em campo ao nível do que vem fazendo e o levou a ser considerado o melhor atleta Português a nível de Desporto Universitário sendo implacável quer a atacar quer a defender, Diogo Branquinho esteve ao nível do colega o que é muito difícil dada a qualidade do número 4.

sedas disse...

A análise à arbitragem peca por alguma imparcialidade.

As exclusões foram sendo quase sempre para o mesmo lado tendo José Costa, Asier Marcos e Semedo sido bastante perdoados.

O 54 do Benfica então começou o jogo com uma placagem que até no rugby seria penalizada (que ficou sem admoestação) e por aí continuou sempre que atacava ou defendia. No pavilhão ficou ainda a ideia de dupla admoestação com o cartão amarelo sem suspensão para José Costa.
No primeiro momento vê o amarelo juntamente com o Grilo quando o SLB atacava (pelo menos foi esse o sinal dado pelo árbitro), e pouco depois vê novo amarelo em posição defensiva.

Com igualdade de critérios a diferença nas suspensões não seria 11-4 pois ambas as equipas defenderam com a mesma agressividade.

Anónimo disse...

O resultado era o esperado.

O Benfica deve reflectir sobre muito. A começar pelo senhor professor Carlos Cruz.

Anónimo disse...

ABC-BENFICA
comentario sobre a dupla de arbitragem!
Dirigiu o encontro a dupla bracarense Daniel Freitas / Cesar Carvalho, que estiveram muito bem na nossa opinião em especial no critério disciplinar, e nos livres de 7 metros, inclusive nas vezes em utilizaram a exclusão simultânea, e no cartão amarelo ao banco do ABC aos 28 minutos e posteriormente na exclusão aplicado por atitudes do mesmo elemento.
ESTIVEMOS LÁ MAS NOUTRO JOGO! E OUTRA ARBITRAGEM.
15 EXCLUSÕES!!
AOS PARES DE MENINOS CHATOS...
os jogadores lutaram mas jogando andebol puro e duro..

Anónimo disse...

Parabéns Sporting por mais um record! Vinte e dois livres de sete metros em dois jogos!!! O nosso treinador nada vale... As jogadores nada valem... NÃO TEMOS PAVILHÃO CERTO... Mas há quem tenha medo de nós! Afinal não é só no Qatar...

Anónimo disse...

O José Costa está sempre em queda e a pisar os outros, o Semedo ameaça, Grilo provoca. Isto vê-se e é só agir! De que teem medo os pretensos árbitros? Para quê tanta rectidão com o banco do ABC? O treinador do FCPorto o Obradovicio faz muito pior! O Paulo Faria do Àguas é só carvalhadas. Actuem! Os jogadores que finguem a toda a hora, RUA!

Anónimo disse...

Achei o jogo ABC - Benfica muito quezilento o que não facilitou nada a tarefa dos árbitros. Viu-se claramente que os atletas de um lado e outro estavam demasiado excitados e que essa excitação ia estragar o jogo.
Feita a soma final dos erros e virtudes, penso que os árbitros estiveram à altura do jogo e que no computo geral, entre treinadores e atletas eles foram das três equipas os que menos erraram.
Confesso que esta dupla nunca me despertou grande simpatia pois sempre os vi como um protetorado do AS, que obrigou o Torrinha a leva-los a internacionais. Hoje, com o evoluir das coisas reconheço que cresceram muito e que o andebol ganhou uma dupla de qualidade.

Anónimo disse...

Meu pobre Belenenses-andebol o único desporto onde granjeamos algum respeito é hoje a vergonha e anarquia. Saiem jogadores que dão noutro lado mas aqui chega-se a meio da época e começam os problemas de dirigentes que parecem os políticos da nação. Nelson Pina-Sp. Horta, Moniz-Porto,Davide e A. Areia- Benfica ou Bruno Moreira, Sérgio Barros e Diogo- Sporting, são só alguns casos de quem fugiu á palhaçada e anarquia constantes. Como vai ser para o ano?

Anónimo disse...

È triste o que continua a acontecer no Benfica, onde tudo muda menos a direção do sr. Filipe Gomes!!
Na entrevista ao programa Andebola na Bola Tv, deu pena ver o máximo dirigente do maior clube nacional, nunca ter argumentos lógicos para responder! Os anos passam e nada de palpável se sente a mudar! O andebol tornou-se numa ferida que ganhou gangrena e, se calhar só a amputação resolve, começando tudo de novo! E nisto gastou-se rios de dinheiro para se ganhar... pasme-se! Um campeonato de juniores que foi o mais fraco dos últimos dez anos! Pobre do presidente do clube que, tudo faz em todas as modalidades e, de facto, algumas nascem outra vez...

Anónimo disse...

Nem quero acreditar que depois de tanta javardice em nomeações de apitos, com o trinca e outros no próximo jogo com o Madeira Sad temos os obesos Nuno Santos 1 e Nuno Santos! Pelos vistos não chega provocar! E è de arrepiar que, ninguém mecha uma palha, protestando estes escândalos! Será que para apitar o Sporting basta roubar ou rir para o público? Ainda somos o clube com mais títulos no andebol nacional e, não fazemos pressões como outros que, gastam o que não possuem!

Anónimo disse...

está o anónimo das 12:30h a queixar-se das arbitragens do Trinca e do Monteiro em relação ao SCP?
Só pode estar a gozar... E não é preciso ir além do ultimo jogo em Odivelas!!!!

Anónimo disse...

ABC-BENFICA
COMENTARIOS DO SITE DA AAB, SOBRE A DUPLA DE ARBITROS DE AABRAGA!
A equipa de arbitragem constituída pelos árbitros internacionais bracarenses Daniel Freitas e César Carvalho, não tiveram tarefa fácil, pois foi um jogo de grau elevado de dificuldade, no entanto, no cômputo geral conseguiram atingir um bom nível.
COEMNTARIO SOBRE A DUPLA NO BLOG HB:
Dirigiu o encontro a dupla bracarense Daniel Freitas / Cesar Carvalho, que estiveram muito bem na nossa opinião em especial no critério disciplinar, e nos livres de 7 metros, inclusive nas vezes em utilizaram a exclusão simultânea, e no cartão amarelo ao banco do ABC aos 28 minutos e posteriormente na exclusão aplicado por atitudes do mesmo elemento.
3ª VERSÃO:
-O QUE EU VI, JOGO DIFICL DE DIRIGIR DEVIDO AO COMBATE DESPORTIVO ENTRE JOGADORES DE FORTE CORPOLENCIA E DISPONIVEIS PARA A LUTA, O ANDEBOL E UM JOGO DE LUTA!
15 exclusões, portante a maioria de tempo util 6x6 e não 7x7
-Cartão amarelo ao Direcotr do SLB Carlos Cruz
-2' ao 2º treinadores do ABC Carlos Ferreira
-2 pares de exclusões de 2' por conversa normal entre jogadores rivais
Insegurança da dupla na analise aos lances duvidosos e na duvida 2' a quem levantasse criticas.
-Publico excelente e desportivo
Não ha melhor dupla deppois de varais tentativas em jogso complicados e sempre com complicações por parte desta dupla.
Existe alguma promessa a Fatima que estes arbitros são os melhores!
Bom senso e os coemntariso feitos demonstram que algo vai mal no reino da arbitragem...
Eurico


Anónimo disse...

O SLBenfica precisa de mudar e muito. Tem boas condições de trabalho e mais meios financeiros, que a falta maioria.

A direcção é a mesma desde longa data. O coordenador, não se comenta. Com 2-3 treinadores muito bons. Qual a estratégia ? Qual é a visão para a formação ? contratações de estrangeiros ?

Dos problemas mais simples é pensar-se que corre bem ou os resultados aparecerão um dia.

Anónimo disse...

Não digam mal do Frederico Santos quando andamos pelo segundo lugar e outrora eramos terceiros e quartos gastando mais. È perfeito? Não! Se calhar está demasiado contraído pois sofreu cortes na estrutura financeira e pior de tudo joga em pavilhão emprestado todos os jogos. Só foi campeão em juniores? calma! Já ganhou troféus como taça de Portugal! E por acaso não são todas equipas que lançam três juniores sem dar barraca. O ex-campeão de juniores vai lançando nomes como Sérgio Barros e Luís Oliveira e este ano o Diogo Domingos. Querem o quê? Que todos resultem? Podiam jogar mais? Talvez. Mas, o homem está nos chifres do touro e se falhar, comem-no vivo! reforços? Só veio o Spínola que era o que, fazia mais falta pois, não havia lateral direito. Foi á vida nas competições Europeias? Mas, quem é que em Portugal venceria o Granollers de Barcelona? Digam-me!
Agora notem que ainda por cima há esquemas e ele e jogadores não são apoiados pela direção! È possível melhor? Chamem a rainha Isabel que, ela é que fazia dos pães flores! Gostavam de sermos campeões? Apoiem! Eu queria o mesmo! Juro!

Anónimo disse...

Porque será que desde que o grande ABC venceu no pavilhão do Porto dos futebóis que os Portugueses ofereceram através da caixa geral de depósitos anda tudo mais nervoso?
Este fim de semana foram os passarinhos a baixar o vôo sendo derrotados. È normal que os que gastam muito tenham de dar contas. Se no futebol o Lorpatego já sentiu que é preciso pressionar onde se tem mais poder no andebol é o mesmo! Curioso que os passarinhos já gastam á anos e até ficam atrás de nós! Hihihih! Agora até foram buscar um Español, hihihih! Fiquem calmos que depois na fase final agora com o nome de play-off vamos dar cartas! Afinal o único pavilhão que percebe e vive andebol é o Flávio Sá leite.

Anónimo disse...

Eu também penso que o Professor Frederico. E grande treinador pois com poucos ovos lá vai fazendo a omelete ou vcs pensam que ele tem cheque em branco como o treinador do Porto ???
Ganhem lá juízo este homem e só a melhor aquisição do Sporting dos últimos anos e mais não digo

Anónimo disse...

Qual é o clube qual é que já não paga há vários meses, apregoa ao exemplo diretivo que exerce, apregoa ao brio dos atletas,que já obrigou atletas a desistir ppor falta de pagamento....qual é qual é? E que agora não quer deixar atletas sairem para outros clubes com ameaças!! Adivinham onde se passa esta pouca vergonha? ASS: pastel de nata.