gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Crónica de Fim-de-semana No Feminino – 10 – 2013 / 2014

Crónica exclusivamente dedicada ao Feminino.

PO09 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Femininos.

1.ª Fase
5.ª Jornada
João Barros 24 - 24 Alavarium
11.ª Jornada
Madeira SAD 26 - 22 Juventude Lis (antecipado)
CS Madeira 20 - 32 João Barros (antecipado)
Alavarium 26 - 25 Maiastars
CA Leça 30 - 24 Assomada
Colégio Gaia 34 - 30 JAC-Alcanena
Juventude Mar 27 - 24 Vela Tavira
12.ª Jornada
Madeira SAD 29 - 21 CS Madeira

Mais uma jornada muito interessante, com jogos muito equilibrados e um campeonato que está a ser bem vivo e entusiasmante. O Madeira Sad assume-se como líder isolado, aproveitando o empate dos seus grandes rivais naquele que foi o grande jogo da jornada. E é por aí que começamos.
 
Nas Meirinhas, no Domingo, Colégio João de Barros e Alavarium reeditaram a emotiva final da época passada. E foi mais um jogo impróprio para cardíacos com enormes oscilações no marcador. O Colégio João de Barros chegou ao intervalo a perder por 2, esteve a perder por 6 a meio da segunda parte e e conseguiu dar a volta ao encontro. Mas é inadmissível que, a 30 segundos do final, em vantagem e com posse de bola, a equipa desperdice esse ataque e deixe escapar a vitória. Ludmila Soares foi a melhor jogadora do Colégio João de Barros e Ana Paula Costa foi decisiva na reviravolta, mas uma vez mais as rematadoras da equipa das Meirinhas mostraram que não se dão bem com o agressivo sistema defensivo das aveirenses e estiveram uns furos abaixo do que é normal. Depois de longos meses só com vitórias, a equipa de Paulo Félix perdeu na Madeira e empatou em casa com o Alavarium, veremos se não afeta a equipa. Já as campeãs nacionais devem estar contentes com o empate pois jogaram fora de casa e Ana Seabra continua de fora por lesão e, tal como dissemos na última crónica, quando completo o Alavarium pode tornar-se perigosíssimo. A sua defesa individual que revolucionou o campeonato na época passada continua a ser uma arma letal e há que saudar o arrojo tático de Ulisses Pereira Mas a equipa tem que aprender a gerir vantagens grandes pois, à semelhança de outros jogos, desperdiçou uma liderança de 6 golos e não perdeu o jogo por muito pouco. Com Cláudia Correia a parecer tocada, não atacando, com Soraia Fernandes com pouco tempo de jogo, devido às exclusões, brilharam Mónica Soares e Mariana Lopes com exibições de grande nível, mostrando que são das melhores atiradoras do andebol português e que ganhando entrosamento poderão ser um caso sério de parar. Além disso, na segunda parte, Diana Roque parou uma série de contra-ataques das adversárias, sendo decisiva no encontro. As campeãs nacionais recebem na segunda volta as suas adversárias diretas na luta pelo título e continuarão a ser o principal candidato ao título.
 
Mas, na véspera, o Alavarium apanhou um valente susto do Maiastars, triunfando por apenas um golo. A equipa de Aveiro pareceu sempre mais preocupada com o jogo do dia seguinte, optando inclusivamente por não fazer a sua já famosa defesa individual e as suas jogadoras mostraram muito pouca intensidade de jogo. E a equipa acabou por nunca descolar no marcador, nunca conseguiu marcar eficazmente Diana Oliveira e acabou a sofrer para preservar a bola no último ataque. Valeram os contra-ataques de Ana Marques, o excelente jogo de Viviana Rebelo e Cláudia Correia para vencer um jogo, em que a equipa de Aveiro fez provavelmente a pior exibição da época. Além disso, pela frente, encontrou um Maiastars que realizou um jogo notável. E ainda mais notável porque jogou sem uma série de jogadoras importantes (Renata Pereira, Olinda Leal e Sofia Osório), com uma série de jogadoras muito jovens a jogarem ao mais alto nível. Diana Oliveira deu um verdadeiro festival em Aveiro, apontando 15 golos e mostrando que é a grande revelação deste campeonato. Além disso, a Guarda-redes Andreia Costa esteve em excelente plano e a equipa mostrou sempre uma agressividade defensiva muito grande conseguindo neutralizar as temíveis atiradoras aveirenses. Jogasse o Maiastars sempre a este nível e a classificação seria outra, já que a exibição em casa do campeão nacional mostra que a equipa, jogando sem complexos, pode jogar muito mais do que tem jogado, deslizando em campos onde não o podia fazer. José Carlos Ribas deve estar orgulhoso do grande jogo realizado.
 
Um jogo que se esperava bastante interessante era o Colégio de Gaia / Jac e o encontro não desiludiu. A equipa de Alcanena apresentou-se sem Neuza Valente e a quebra de rendimento foi notória. A equipa vive em demasia de Neuza e Patrícia e, quando uma delas está ausente, a equipa perde muito da sua capacidade. Como não seria de estranhar foi Patrícia Rodrigues que assumiu as despesas do jogo do Jac, rubricando mais uma excelente exibição. Rita Alves teve bons momentos mas cometeu também erros infantis e a desqualificação de Ana Henriques também complicou a vida a uma equipa que somou a sua terceira derrota consecutiva e a confiança começa a ficar abalada. Marco Santos, um dos bons treinadores do andebol feminino, nada ajuda quando as coisas correm mal com constantes protestos que intranquilizam a equipa. O Colégio de Gaia venceu justamente, rubricando uma boa exibição e confirmando os sinais que está a subir de forma. Sandra Santiago continua num ótimo nível e neste encontro apareceu Nair Pinho em destaque numa equipa que, esta época, tem muitas soluções e, como sempre temos dito, tem plantel para poder estar nos 4 primeiros lugares, posição que ocupa atualmente. Há entusiasmo em Gaia com a carreira da equipa e justifica-se pois o atual plantel mostra poder ambicionar a sonhos altos.
 
No Funchal, um jogo morno como seria de esperar, já que a superioridade do Madeira Sad foi incontestável, limpando a má imagem da primeira jornada do campeonato onde o dérbi madeirense foi bem mais equilibrado. Sara Gonçalves está completamente integrada na nova equipa e o estilo de jogo defesa/contra-ataque é perfeito para ela. Além disso, Ana Andrade começa a dar mostras de estar recuperada da sua lesão e fez uma boa exibição. O Sports Madeira foi incapaz de encontrar soluções para ultrapassar a ótima defesa da Sad, sobretudo na primeira parte onde a equipa embatia contra o muro madeirense. Anais Gouveia foi a única que esteve a um bom nível, confirmando a boa época que vem vindo a fazer numa equipa que irá lutar até à última jornada por um lugar nos playoffs. Se a Madeira conseguir aguentar as duas equipas na primeira divisão no atual contexto de crise, mostrará que valeu a pena toda a aposta na formação que foi feita no arquipélago durante a última década.
 
Na luta pela manutenção, havia dois jogos importantes. Um deles era o Cale / Assomada e a equipa de Leça lá vai levando a água ao seu moinho, ocupando um excelente 6º lugar. Daniela Mendes está numa fase de grande confiança e levou a equipa ao colo e finalmente apareceu Cristiana Morgado que fez o seu melhor jogo pela sua nova equipa. O Cale voltou a vencer baseado numa defesa de grande intensidade (é verdade que teve muitas exclusões mas faz parte deste estilo de defesas) e essa tem sido a grande arma da equipa de Vasco Ramos que voltou a ter uma guarda-redes a um bom nível. O Assomada continua com muitas dificuldades em acompanhar o ritmo da primeira divisão, sobretudo a defender onde as jogadoras não conseguem reagir aos movimentos das adversárias. Carla Mendes fez um ótimo jogo e Odete Tavares mostrou a irreverência habitual (no bom sentido) mas quando se defende tão mal é complicado vencer jogos na divisão maior do nosso andebol. Com uma cultura de trabalho neste clube, tudo seria diferente pois o potencial é enorme.
 
No outro jogo entre “aflitos” a Juve Mar venceu o Vela de Tavira e vai na sua terceira vitória consecutiva! A equipa de São Bartolomeu do Mar, demorou a conseguir a primeira vitória mas agora parece que lhe tomou o gosto. O calendário mais favorável e a subida de forma de algumas jogadoras que estiveram lesionadas também ajudaram a este bom momento da Juve Mar. Teresa Santos e Sandra Peixoto estão a subir de forma e a equipa beneficia disso mas foi o coletivo que venceu este encontro importantíssimo para as aspirações da Juve mar que começa a acreditar que os playoffs ainda podem ser uma realidade. Quanto ao Vela de Tavira, a dura realidade primo divisionária começa a afetar a equipa que está a sentir muito mais dificuldades do que alguma vez imaginou. Mariana e Marta Faleiro estão a fazer um bom campeonato e o regresso de Joana Reis, nas últimas partidas, ajuda, mas é pouco e a equipa muito frágil fisicamente. Defensivamente, são muito pouco agressivas e nos jogos a doer contra equipas do “seu campeonato”, a falta dessa agressividade faz toda a diferença. Veremos como a equipa evolui até ao final da temporada mas, para já, o sabor de desilusão paira em Tavira.
 
No próximo fim-de-semana haverá apenas dois jogos, pelo que deixaremos o comentário a esses dois jogos para daqui a duas semanas. Por isso, aproveitamos para desejar um feliz natal a todos os leitores.
 
Críticos Femininos

31 comentários:

Anónimo disse...

Alavarium-MaiaStars

Ainda dizem que os arbitros não marcam golos!!!
Perguntem aos arbitros como validam um remate em golo quando a bola nem sequer entra...
O arbitro não foi jogador do Alavarium até à 2 anos atrás??
E não é "orientado" pelo Sr. Ulisses nos veteranos???
Fantástico


Para terminar, quantas arbitragens da própria Associação têm tido os principais intervenientes deste campeonato??

um adepto muito ATENTO

Anónimo disse...

JAC sem Patrícia ou Neuza é uma miséria. No dia em que uma delas sair, vai ser o descalabro e em Gaia já se começou a ver.

Esta jornada esclareceu que afinal só há 3 candidatos ao título e que o 4º e 5º lugar também já têm dono.

Já agora, alguém me sabe dizer quando é que a Seabra volta a jogar? Já lá vai muito tempo de paragem e com a idade dela não sei se voltará...

Anónimo disse...

Boa Noite, enquanto antigo atleta de andebol e actualmente enquanto grande amante da modalidade, particularmente da 1ª divisão do campeonato de seniores femininos, é com profunda tristeza que jornada após jornada vejo que querem acabar de uma vez por todas com o andebol em lisboa e principalmente no algarve. Se é o vosso objectivo enquanto federação de andebol de portugal, os meus parabéns porque estão a conseguir fazer tal proeza. É vergonhoso que uma entidade como a vossa, que deveria cativar cada vez mais praticantes, transmitir mais paixão pela modalidade, arrastar mais pessoas aos pavilhões faça um trabalho tao horrivel. Os senhores responsáveis estão a destruir a modalidade! Estão a destruir futuros brilhantes, estão a tirar a magia deste desporto a todos os atletas. Se é isto que fazem no presente, então que deus olhe por vós no futuro porque estão a matar o andebol! O que aconteceu no jogo de hoje entre a Juventude Mar e o Clube Vela de Tavira foi vergonhoso. Tirem as vossas próprias conclusões quando assistirem ao video do jogo que foi gravado. No andebol, não são apenas as duas equipas que se vão defrontar que tem que estar em forma, concentradas e serem competentes para com os seus objectivos. Existe uma terceira equipa, os árbitros, que têm que estar ha altura de cada jogo de forma competente! O conselho de arbitragem anda a fazer um bom trabalho?! Contra factos não ha argumentos!
Federação de Andebol de Portugal NÃO MATEM O ANDEBOL NO ALGARVE!!!
Cumprimentos

Anónimo disse...

Caro Banhadas,sou adepto do JAC e costumo ler as vossas análises semanalmente. Tentem ter um pouco mais de respeito e serem imparciais quando falam desta fabulosa equipa de uma pequena vila como Alcanena que se sagrou CAMPEÃ NACIONAL 7 vezes nos últimos 8 anos desde as Infantis até às juniores com o tal "um dos bons treinadores do andebol feminino" marco santos (imagino se ele fosse muito bom e um santo caladinho)! Lembrem-se das idades das atletas que jogam no jac e das mais de 90% que são formadas em Alcanena!!!!Lembrem-se que metade delas estuda no ensino superior em Lisboa.Como é na Madeira, no João de Barros, no Alavarium ou em Gaia?Como custa admitir as verdades...e imagine-se se o JAC calha a entrar nas contas do título...que vergonha para o trabalho desenvolvido nos outros clubes...

Anónimo disse...

Esta gente do Maiastars constantemente se queixa dos árbitros. Ou nos comentários ou no site da sua associação. É uma tristeza.

Dizer que foi prejudicado em Aveiro é o maior escândalo do mundo. Foram beneficiados o jogo inteiro! O público de Aveiro já se estava a passar com os árbitros que, por serem de Aveiro, já é costume prejudicarem a equipa da casa para não terem posts deste género.

O Maiastars foi beneficiado o jogo inteiro e ainda vem chorar dos árbitros? Felizmente que os clubes têm acesso aos jogos todos para verem o ridículo do que aqui foi dito. No final ainda se queixam de uma atacante quando os árbitros cometem o desplante de não marcarem um livre de sete metros que no vídeo vê-se a jogadora do Maiastars completamente dentro dos 6 metros?

E foram prejudicados? Haja paciência. E é por essa postura que as boas atletas que vão formando acabam por sair...

Anónimo disse...

Continua a vergonha nacional ,estas nomeações são um ultraje.

Anónimo disse...

Uns são vencedores, outros são derrotados.

Ulisses Pereira, Paulo Félix e Duarte Freitas têm duas coisas em comum: Estão no topo do andebol feminino e nunca os ouvem a queixar-se dos árbitros mesmo que, em algumas situações, tenham evidente razões de queixa. Protestam algumas situações durante o jogo, mas depois não justificam as derrotas com os árbitros.

Ainda bem que o andebol feminino em Portugal tem no seu topo treinadores com este fair play. Porque a maior parte a seguir (salvando-se um ou outro, como a Paula Castro) sistematicamente queixa-se dos árbitros, justificando sempre as derrotas com isso.

Por isso, uns são vencedores e os outros derrotados.

Anónimo disse...

As vezes, muitas vezes ou quase sempre, quem aqui vem dar a sua opinião, tende a defender as suas cores, porém tudo aquilo que por aqui se vai dizendo/escrevendo, não passam apenas de comentários apaixonados pelo jogo ou seus clubes (à exeção de alguns COMENTÁRIOS CIRUGICOS).

Se tivessem acesso ao que se vai passando nos bastidores com os ditos Clubes de "topo e de pergaminhos", nunca mais se deslocavam a um recinto de Andebol para verem o que quer que fosse.

Só da época passada, dava para escrever UM LIVRO com 20 volumes.
As edições é que se calhar seriam limitadas, muito limitadas.

Deixem-se de comentários hipocritas, sem sentido, pporque tudo o que vai acontecendo tem base e suporte para tal .... e lembrem-se as aguas de um rio nunca passam pelo mesmo sitio, duas vezes....

Anónimo disse...

As contas fazem-se é no fim do campeonato. E não fosse o jac prejudicado como foi nas meirinhas e em aveiro e não havia tantas bocas. Mas tenham calma que ainda não acabou o campeonato. Parabéns ao gaia por ter aproveitado os erros do jac.

Jorge Almeida disse...

Críticos Femininos, não vi o jogo, pelo que não posso dizer o que é que aconteceu no Juve Mar vs Vela de Tavira, mas quando se faz cerca de 630 Km só de ida (indo quase sempre em Auto Estrada, descontando os tempos de paragem, são 5:30 para lá e 5:30 para cá; fora das Auto Estradas, é melhor nem pensar ...), mais cerca de 2 horas entre equipar, aquecer, jogar e tomar banho, é perfeitamente natural haver cansaço nas visitantes, a não ser que tenham pernoitado a meio do caminho. Mas dado que só tinham agendado um jogo para este fim-de-semana, provavelmente vieram e foram no mesmo dia. Estamos a falar de 13 horas (fora os tempos de descanso a meio da viagem) só para disputar um jogo. Com isto não quero tirar mérito à vitória da Juve Mar; só acho natural a "debilidade física" que falaram nestas condições.

Arrisco mesmo a dizer que trata-se, simplesmente, da maior deslocação em horas da actual edição da PO09. Mesmo quando se vai à Madeira não se demora tanto tempo em deslocação, e, na maior parte das vezes, é para jogar 2 jogos num só fim-de-semana.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...

companheiros da modalidade, falem de andebol, cmentem puxem pelas vossas equipas, mas façam-no sem ofensas, assim o andebol vai mais longe, mas deixem-me dizer aqui no feminino com todo o respeito que a prosissão merece mais parecem umas varinas.

Um dos que gosta de andebol em especial do feminino

Anónimo disse...

É triste as jogadoras serem destacadas apenas pelos golos que marcam. É pena as assistências, o empenho, a luta e a acção defensiva não valer nada neste site!

Anónimo disse...

Juve Mar de volta as vitórias! Para mim é fenomenal, para outros preocupante!! ;)

Anónimo disse...

Já por aqui li que já há faixas encomendadas e começo a achar isso também. Há alguns clubes que não conseguem jogar só com 7

Anónimo disse...

JAC e Maiastars têm uma coisa em comum - Quando perdem a culpa é sempre dos árbitros. Assim nunca vão ser campeãs, com esse espírito...

Anónimo disse...

Sim, quem vos ler até acha que o Madeira Sad, o Alavarium e o João de Barros vão na frente do campeonato por causa dos árbitros e não porque são melhores que os outros...

Que coisa ridícula...

Anónimo disse...

Eu vi foi o jac a vencer na madeira, coisa que mais ninguem fez este ano. e sim posso dizer que 2 das 4 derrotas do jac foram tambem por culpa de 3ºs e nao inteiramente por merito das adversarias. e vamos a ver se o jac nao faz uma gracinha ainda este ano.

Anónimo disse...

Deixem-me rir, a única coisa que o JAC e o Maia têm comum é que nos últimos 5 anos foram mais vezes campeões nacionais que todas as equipas da PO09 juntas. Essa é que é uma verdade que custa. Eu até ouvi no Alavarium-JAC a gritarem "campeões campeões". É essa a vitória do Alavarium? Ganharem a miúdas que andam nisto por gosto? E o CJB que precisou de árbitros "caseiros" para vencer o JAC? Vejam estes 2 jogos e tirem as vossas conclusões.

Anónimo disse...

fora de tópico:

Banhadas como assíduo leitor do vosso blogue para quando uma apreciação igual a PO10, é que estando quase na recta final da primeira fase numa vi uma apreciação vossa aos jogos da P010 apenas colocam os resultados e as classificação e apenas quando se lembram...
Será que as equipas da Po10 as jogadoras os treinadores e toda a gente ligada não merece igual destaque???
Fica a dica para pensarem e mudarem um pouco a mentalidade que só a Po9 merece destaque e apreciação

Anónimo disse...

Toda a gente anda nisto por gosto. A altura em que se ganhava dinheiro no andebol feminino acabou.

Por isso, escusa-se de dizer que o Jac são coitadinhas porque não ganham e no CJB ou Alavarium Ou Sad ganham, porque essa história acabou.

Agora umas mesmo estudando fora fazem esforços para treinarem e outras não... isso é que não convém falar pois não, Jac?



Anónimo disse...

Ninguém está a fazer as miúdas de coitadínhas. Não convém é admitir as ajudas nos jogos. E só não vê quem não quer.

Anónimo disse...

Esforço para treinar? Em Aveiro pagam às atletas para irem treinar, nós aqui em Alcanena, como podemos trazer as atletas de Lisboa para treinar ? O Ulisses paga ? A FAP paga?

Quantas da formação tem o alavarium no seu plantel ? Se não pagassem a Seabras, Monicas, Marques, Dianas, Vivianas etc etc, estavam como há 2 anos, a lutar para não descer.

Anónimo disse...

Essa de na Sad não se ganhar deve ser alguma piada de carnaval. Podem não receber a tempo e horas, mas que são todas renumeradas é uma verdade inquestionável

Anónimo disse...

Ó Alcanena Man, recebem zero aqui no Ala. Zero. Recebem os passes do comboio e a gasolina para poderem vir pagar. E sabes como arranjam o dinheiro? As atletas vendem rifas, percorrem a cidade para arranjar patrocínios.

Percebes porque são campeãs? Porque lutam dentro e fora do campo. E porque saem das universidades às 18h30 para chegarem a casa à meia noite. Custa? Ah pois custa. Por isso, é que umas são campeãs, outras não.

Mas eu percebo que aches que há dinheiro, porque assim é mais fácil justificar que outras não façam estes sacrifícios...

P.S. O Ala tem 4 jogadoras que não são do Distrito de Aveiro. Mas só aceita quem treina...

Anónimo disse...

O Ala incomoda mesmo muita gente...

E na formação, qual é a justificação para o sucesso?

O ano passado: 4º lugar infantis, 3º lugar iniciadas, vice-campeãs nacionais juvenis, (juniores optaram por não fazer) e campeãs nacionais de seniores.

O melhor conjunto de resultados de cima abaixo...

Trabalha-se bem e o resto é conversa.

Anónimo disse...

tanta mentira para nada: no dia que se acabar o dinheiro do poquer e das apostas lá se vai o alavarium...sim, porque o dinheiro do papá só dá para pagar à seabra: cláudia correia e mónica de borla? ha!ha! elas iam recusar mil euros de espanha por mês, para andar a vender rifas em aveiro!! vocês são uns verdadeiros comediantes...de vez em quando enfiam é uns barretes, como a rita alves, mas já tinham pago e bem (se calhar também andou a vender rifas - que idiotas!)...

Anónimo disse...

Sim claroo... Porque toda a gente iria para o Alavarium se eles nao pagassem. Claro que sim. Boa piada!
E coitadinhas das meninas que saem da universidade as 18h30 e chegam a casa lá para a meia noite. Isso nao acontece so no Ala.
Pelo menos no meu clube tambem se chega bem tarde a casa e ninguem nos paga. Isso sim, é esforço.

Viva ao poker claro...

Anónimo disse...

Sim claroo... Porque toda a gente iria para o Alavarium se eles nao pagassem. Claro que sim. Boa piada!
E coitadinhas das meninas que saem da universidade as 18h30 e chegam a casa lá para a meia noite. Isso nao acontece so no Ala.
Pelo menos no meu clube tambem se chega bem tarde a casa e ninguem nos paga. Isso sim, é esforço e amor ao clube.

Viva ao poker claro...

Anónimo disse...

O cale está a precisar de fazer uma ligação à refinaria. Acabou-se a gasolina...
Ou então foi porque faltou a madeirense para andar com a equipa ás costas!!!
É só qualidade, lol

Anónimo disse...

Antes de falares, vê o jogo oh anormal.