gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Arbitragem – Orientações da EHF - II

CARTÃO AZUL
ORIENTAÇÕES DA EHF
E AS REGRAS

Conforme escrevemos em artigo anterior, onde dizíamos “Depois de nos terem sido “vendidas”, algumas orientações sobre as novas Regras como sendo orientações da EHF, eis finalmente e já com as provas europeias bem adiantadas, a EHF, publica em 07-12-16, as suas linhas de Orientação….”

E dizíamos mais:

“…Os Clipes de Video focam em especial seis áreas principais:

Jogo do Pivot
Sanção Progressiva
Livres de 7 metros
Faltas do Atacante
Entradas de Ponto
Situações Especiais

Cada clipe de vídeo mostra uma única acção em tempo real, bem como em camara lenta, oferecendo ainda a plataforma onde estão instalados a possibilidade de interrupção e o avanço chamado “frame a frame”, usando as teclas de direcção e ao premir a tecla de espaço o mesmo continuará na sua velocidade normal.

Mas nesta apresentação algo chamou a nossa atenção, que é quando se diz: o material didático dá uma visão global sobre as regras de jogo, mas não foca especificamente as novas regras válidas desde o dia 1 de Julho de 2016.

Nos perguntamos então onde estão as celebres orientações da EHF para esta época que inclui uma sobre o cartão azul?”

Agora que tivemos um representante na Fase Final do Mundial, onde nada disto foi cumprido, pois o que aplicado foi textualmente o que as Regras indicam, esperamos que seja retificado a aplicação do Cartão Azul.

Pois e tal como é dito num excelente artigo publicado no site Mundo Handball, sob o Titulo na Europa, todos os Cartões Vermelhos são Azuis (Como violar uma Regra da IHF)

Consta-se em vários comentários a respeito de uma instrução que se estaria aplicando na Europa, e que não é mais do que uma forma de dar a volta a uma velha discussão entre a EHF e a IHF (nós podemos acrescentar que nas orientações divulgadas pela EHF o assunto nem focado)

Sucede que antigamente (Regras de 2010), a EHF se arrogava no direito de revisar todos os cartões vermelhos mostrados pelos árbitros nas sus competições e (possivelmente) aplicar uma sanção aos atletas desqualificados mesmo quando não existia informação escrita dos árbitros. Este procedimento era claramente contrário ao espirito da Regra de Jogo (IHF), que assumia claramente que eram os árbitros que decidiam se a situação em que tinham mostrado o cartão vermelho, era ou não passível de relatório para posterior aplicação ou não de uma suspensão, por quem de direito (Ver por exemplo a antiga Regra 8:5 e 8:10).

Certamente um pouco cansados com a situação, e para corrigir algo que não esta de acordo com o espirito nem com a redação das regras, a IHF decidiu, pôr as coisas mais claras e assumiu claramente a alteração. Através de uma redação com novas diretrizes (uma espécie de clarificação das mesmas) e, entre outros temas criou o novo Cartão Azul, da seguinte forma:

… devem enviar, uma informação escrita, depois do jogo, de maneira a  que as autoridades responsáveis estejam em posição de tomar uma decisão posteriormente

Disposição adicional, constitui o princípio sobre a autoridade responsável, poder decidir ações futuras, Não diz de modo nenhum a norma, que pode ser interpretado como uma opção de critérios da autoridade responsável tomar sempre medidas adicionais. Isto signifocaria uma alteração substancial, nas responsabilidades daquilo que cabe aos árbitros.”

Agora está tudo muito mais claro, nas Regras: Se os árbitros não mostram um cartão azul a um atleta, a um atleta sancionado com cartão vermelho, as autoridades responsáveis, NÃO podem aplicar qualquer sanção á posterior. Claríssimo.

O que a EHF pratica neste momento é ilegal!

Que solução encontrou a EHF, para continuar praticando o mesmo que já fazia? Simplesmente, indicou a todas as duplas que quando mostrem cartão vermelho, mostrem também o cartão Azul!!!
Cartões juntos e na mão.

Desta forma e como sempre é mostrado o cartão azul, as autoridades podem sempre revisar as jogadas e aplicar (ou não), uma sanção á posterior, continuando a violar o espirito da Regra.
(Fonte Mindo Handball)

E se em Portugal houver protestos de jogo, sob a adulteração das Regras da IHF, como irá decidiria o Conselho Técnico da Federação?

Com esta forma de aplicação do cartão azul, como se sabe que o Conselho de Disciplina aplica ou não um castigo á posterior, aqui haverá sempre a questão que se poderá levantar de que poderá “haver filhos e enteados”.

O Regras 

6 comentários:

Anónimo disse...

Uma vergonha

Anónimo disse...

Por falar em regras, as idades dos escalões sempre vão mudar na próxima época? Alguém tem conhecimento disso ou sabe clarificar o mesmo?

Obrigado.

Anónimo disse...

Depois querem que as estações televisivas transmitam jogos de uma modalidade onde tudo se trata a pontapé.
O que a EHF fez é uma vergonha, um ultrage.

Anónimo disse...

Por falar em regras, treinador do Gondomar é ao mesmo tempo treinador dos carvalhos.
Fafe sem treinador qualificado no banco há 3 semanas (obrigatório Master Coach)

Anónimo disse...

"treinador do Gondomar é ao mesmo tempo treinador dos carvalhos."

Se os clubes concordam, permitem e não exigem exclusividade, qual o problema disto?

"Fafe sem treinador qualificado no banco há 3 semanas (obrigatório Master Coach)"

Sabe se o mesmo está inscrito em alguma acção do género o que lhe permitirá estar no banco automaticamente? Diria que se não, alguém já estaria ou deveria estar no banco do Horta há já algum tempo não? E não está. Algum fundamento deve existir para que o treinador do Fafe lá esteja.

Anónimo disse...

Para esclarecimento geral o que se pratica em Portugal a partir de 01 de Janeiro de 2017 e também por indicação da EHF, que recuou na interpretação que fazia, é que só será mostrado o cartão azul depois de uma desqualificação sempre que haja relatório escrito.
Terminando assim a norma que obrigava à amostragem do cartão azul sempre que houvesse uma desqualificação directa (excepto 3 x 2 m.)