gal vence

Euro Sub-19 Feminino, Portugal derrotada pela Dinamarca 32/16 - Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

domingo, 15 de janeiro de 2017

Crónica de Fim-de-semana No Feminino – 12 – 2016 / 2017

Mais um regresso às normais crónicas de fim-de-semana desta prova do calendário nacional.

Mantemos o texto sobre as estatísticas, pode ser que alguém de bom senso nos leia  e pense, “Continuamos a aguardar pela existência das tão preciosas estatísticas, pois enquanto na FAP, se desviarem os gastos para outros fins, provavelmente com visões diferentes da nossa e da maioria dos adeptos da modalidade, o feminino bem pode continuar à espera de que elas existam. E Até segundo nos parece teremos uma diminuição das transmissões na Andebol TV, aguardemos.”

PO09 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Femininos.

1.ª Fase – Resultados
12.ª Jornada
Dia 14-01-17
CS Madeira 15 – 30 Madeira SAD
Dia 25-02-17
Juventude Mar - CA Leça (20H00)
13.ª Jornada
Dia 14-01-17
Maiastars 28 – 28 CA Leça
Colégio Gaia 28 – 21 Alavarium
Juventude Mar 23 – 20 Santa Joana
Académico FC 23 – 25 Juventude Lis
Dia 22-01-17
SIR 1.º Maio/CJB - Madeira SAD (17H00)
Passos Manuel - CS Madeira (16H00)

Neste fim-de-semana, disputou-se um jogo em atraso da 12.ª jornada, que tinha correspondência com a 1.ª jornada da 1.ª volta e mais 4 jogos relativos à 13.ª jornada (2.º da 2.ª volta), e apesar destes acertos como se verificou o adiamento de dois encontros neste fim-de-semana nenhuma equipa realizou jornada dupla, o que já não acontecerá certamente no próximo fim-de-semana. Este fim-de-semana nos jogos disputados, verificou-se uma total inversão de resultados em relação às jornadas homólogas da 1ª volta. Deve-se destacar que em todos os encontros realizados não se registaram ocorrências disciplinares, o que mais uma vez se saúda.

Colégio Gaia 28 – 21 Alavarium

Jogo disputado em Gaia, num pavilhão onde deveriam ser revistas as condições para a sua prática, pois os bancos e a mesa, quase que não possuem espaço para atuar com eficácia, sendo ao mesmo tempo considerado por muita gente (incluindo nós), um dos mais importantes encontros da jornada, pois colocava em confronto desportivo duas das principais equipas da divisão e do género. Com o Colégio Gaia a ser mais uma vez dirigido em termos técnicos por Jorge Tormenta (3.º grau, é a sua habilitação, será que têm alguma autorização especial para estar presente no banco como o único técnico inscrito, pois os requisitos da prova, obrigam ao nível IV / Master Coach). Este foi um encontro onde o equilíbrio se verificou até cerca dos 15 minutos com sucessivas igualdades, para posteriormente o Colégio de Gaia assumir o comando do marcador até final do tempo regulamentar, e aos 20 minutos já vencia por 11-9, chegando a ter 4 golos de vantagem aos 25 minutos (13-9), mas sempre com uma animosa réplica do Alavarium, chegando o intervalo com 14-11 a favor da equipa de Gaia. No segundo tempo com uma boa exibição de Jéssica Ferreira na Baliza do Colégio de Gaia, e com a veloz Helena Soares (3 golos), em bom plano, o Colégio foi-se adiantando no marcador, com a diferença a acentuar-se a partir dos 45 minutos, no Alavarium com muitas falhas técnicas, neste aspeto o jogo não foi um “primor”, pois exige-se mais destas duas equipas, sobressaia Ana Carolina Silva (5 golos), já que Mónica Soares (4 golos), dava a sensação de não estar nos seus dias, e a equipa ressentiu-se, no Colégio Gaia destaca-se ainda Sandra Santiago (9 golos) e a sua melhor marcadora, e a marcadora de serviço dos livres de 7 metros, que juntamente com Ana Gante (5 golos) foram as melhores marcadoras da equipa. Com este resultado a equipa do Colégio Gaia, iguala o Madeira SAD no topo da classificação á condição pois têm menos um jogo, Dirigiu o encontro a dupla internacional feminina constituída por Marta Sá e Vânia Sá que realizaram trabalho positivo.

No dérbi madeirense, tivemos desta feita uma clara vitória do Madeira SAD, que rapidamente chegou aos 8-1, com a CS Madeira a não conseguir dar uma réplica condigna, mais pelo que o Madeira SAD jogava do que por falta de empenho ou qualidade da equipa, com a SAD a chegar ao intervalo na frente do marcador por uns claros 17-6. Nos segundos 30 minutos com a equipa do Madeira SAD a gerir e a controlar o jogo e o resultado, e o CS Madeira incapaz de responder dignamente a superioridade demonstrada pela SAD neste encontro. Com esta vitória e apesar de ter menos um (1) jogo o Madeira SAD comanda a classificação desta fase em parceria com o Colégio Gaia. Sara Gonçalves com 5 golos foi a melhor marcadora do CS Madeira, enquanto no Madeira SAD tivemos um trio com 6 seis (6) golos cada (Márcia Abreu, Erica Tavares, e Soraia Lopes), como melhores marcadoras da equipa.

No Municipal da Maia, tivemos um encontro entre duas equipas que têm até ao momento realizado uma prova digna de registo, o Maiastars / CA Leça, que terminou numa igualdade, num jogo de grande equilíbrio, com cada uma das equipas a vencer um período de jogo e precisamente pela mesma diferença, ou seja a equipa maiata, terminou os primeiros 30 minutos na frente do marcador por 16-14, para depois ter de suportar a excelente reação da equipa do CA Leça, que venceu no parcial dos segundos 30 minutos por 14-12. Com esta igualdade as equipas em confronto, mantêm os mesmos lugares na tabela classificativa, nesta Fase. Diana Oliveira com 12 golos e Maria Cerqueira com 7 golos, foram as melhores marcadoras do Maiastars, enquanto Cristiana Morgado com 11 golos foi a marcadora de serviço do CA Leça.

Em Esposende tivemos um Juventude Mar / Santa Joana, com a equipa da Juventude do Mar a obter a sua segunda vitória nesta fase da prova, num encontro cujo resultado não demonstra a superioridade quase sempre da equipa visitada, que comandou praticamente o marcador durante a maior parte do tempo de jogo, chegando ao intervalo a vencer já por uma diferença de 5 golos (14-9), para posteriormente e apesar da digna réplica do Santa Joana, esta equipa nunca foi capaz de alterar o rumo dos acontecimentos, e apenas conseguiu reduzir o diferencial final, que se cifrou em apenas três (3) golos. Com estes resultados as equipas não alteram as classificações em que se encontram nesta Fase da prova. Andreia Escrivães com 11 golos e Teresa Santos com 6 golos, foram as melhores marcadoras da Juventude Mar, com Ana Carvalho e os seus 6 golos a ser a melhor marcadora do Santa Joana.

No Pavilhão do Lagarteiro, o Académico FC defrontou a equipa da Juventude Lis, equipa que tem estado em recuperação e a surpreender muita gente, e desta vez retificou o resultado ocorrido na 1.ª volta, vencendo o Académico FC, num encontro disputadíssimo, e de grande equilíbrio, com o resultado final a refletir a mesma diferença que que já se registava ao intervalo onde a equipa da Juventude Lis já vencia por 15-13. Nos segundos 30 minutos a equipa visitada ainda equilibrou mais o encontro chegando a comandar o marcador, mas na parte final do encontro a equipa de Leiria, voltou ao seu ritmo normal, e assume em definitivo o comando do marcador. Ana Abreu com 9 golos, e Cristiana Alves com 5 golos, foram as melhores marcadoras do Académico FC, por sua vez Ana Fonseca e Francisca Marques com 8 golos cada foram as melhores marcadoras da Juventude Lis. Mais uma vez este resultado não alterou as classificações desta Fase, mas aproximou as equipas.

Classificação após estes jogos: - 1.º Madeira SAD (-1 jogo), e Colégio Gaia (35 pontos), 3.º Alavarium (31 pontos), 4.º Maiastars (29 pontos), 5.º Juventude Lis, e SIR 1.ª Maio/CJB (-1 jogo) (26 pontos), 7.º CS Madeira (23 pontos, -1 jogo), 8.º Passos Manuel (-1 jogo), e CA Leça (-1 jogo) (21 pontos), 10.º Santa Joana (19 pontos), 11.º Académico FC (18 pontos), 12.º Juventude Mar (16 pontos, - 1 jogo).

O Noticias

7 comentários:

Anónimo disse...

Há vários treinadores que não têm o Masters Coach para dirigir as equipas segundo o vice-Presidente Pedro Sequeira e nada se passa!
Importante é ter jeito e capacidade para valorizar e dirigir as equipas nos treinos e jogos e com resultados!
Têm ideia quantos Masters Coach estão em licença sabática por falta de clubes!
A situação do Jorge Tormenta não ter e estar no banco quem ganha é a equipa e o treinador filho do ex treinador do FAFE também não tem o Master Coach e dirigir bem ou mal no banco! mas há mais...
Altino Dias

Anónimo disse...

Bom dia. Ora aqui esta um tema que se deve discutir.As leis são para se cumprir ou não, continua a haver filhos e enteados, mas o maior culpado é a federação que vai deixando alimentar esta situação.Vejam quantos treinadores não tem o grau IV, e continuam a não serem penalizados os seus clubes.

Anónimo disse...

O prof. Jorge tormenta não é o treinador do colégio, apenas substitui a professora Paula Castro que por motivos de saúde não pode temporariamente estar no banco... Espero que vos tenha esclarecido.

Anónimo disse...

Onde já se viu o isto??? O Professor Jorge Tormenta no banco? Isto é uma vergonha!!! Este homem por acaso sabe alguma coisa de andebol, ou tem alguma ligação ao Colégio? Vamos já acabar com isto! Sábado manifestação em frente à câmara de Gaia para acabar com isto! A CGTP e a UGT vão aderir a esta manif!
Malandros da FAP! Malandros!

Anónimo disse...

A questão é sobre a legalidade. Então vejamos se for o prof.Tormenta pode se for o zé da esquina -paga e não pode. Para quê o investimento dos treinadores em formação,para quê a obrigatoriedade prevista até na regulamentação do IPDJ e nas instâncias europeias. Temos o andebol que temos e por tudo isto andamos a perguntar uns aos outros onde podemos ver o mundial.
Senhores da FAP se não são capazes de mostrar e exercer isenção(como fazem por exemplo com a disciplina) saiam e façam um favor ao andebol.

Anónimo disse...

Portanto... se um técnico estiver doente a equipa não pode jogar... cuidado com a gripe!!!... ou se calhar estas equipas profissionais que movimentam milhões devem ter 2 ou 3 treinadores Master Coach para estas eventualidades... espera e se adoecerem os 3? é melhor contratarem 4 ou 5... nunca se sabe...

Anónimo disse...

é uma vergonha tanto barulho por tao pouco, se não vejamos como faz um clube se o seu treinador for castigado? leva vermelho, castigo no jogo seguinte que impede de ir ao banco. a equipa nao joga, ou sera que o que incomodada foi o facto de terem ganho no sábado a equipa de Aveiro.....tanto ruido fora e dentro do pavilhão.