gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

sábado, 10 de fevereiro de 2018

Crónica de Fim-de-semana – 39 – 2017 / 2018 – I

Crónica de fim-de-semana, relativa aos jogos da 22.ª Jornada da prova, que se disputaram.  

PO01 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Masculinos.

22.ª Jornada
07-02-18
Boa Hora 32 – 35 Benfica (Antecipado)
Dia 10-02-18
Xico Andebol 25 – 23 AC Fafe
ABC 25 – 18 Belenenses
São Bernardo 29 – 29 Arsenal
Sporting 35 – 18 Ismai
FC Porto 32 – 25 Águas Santas
Dia 28-02-18
Madeira SAD - AA Avanca (19H00)

Disputaram cinco dos jogos relativos a 22.ª jornada, com um jogo adiado por motivos já explicados, e que teve dois resultados que foram alterados em relação ao ocorrido na 1.ª volta, e com alguns encontros que podem ter sido decisivos para o apuramento dos 6 primeiros. Ou seja de quem irá discutir o Grupo A (o do titulo). Registe-se que todos os encontros disputados sem ocorrências disciplinares.

Sporting 35 – 18 Ismai

Em jogo disputado no Pavilhão João Rocha, perante uma assistência, que reputamos de fraca, para a capacidade do pavilhão, o Sporting ao vencer novamente o Ismai, confirmou o resultado da 1.ª volta, num encontro onde a boa entrada dos maiatos apenas durou dois (2) minutos, quando resultado se encontrava numa igualdade a 2 golos, pois a partir desse momento a equipa so Sporting, assumiu o comando do jogo e do marcador, durante o restante tempo de jogo, numa atitude de grande coletivismo, tanto a defender como a atacar, com a equipa do Ismai que é uma equipa com princípios de andebol, esteve menos bem em termos defensivos, de tal maneira que aos 25 minutos de jogo o Sporting vencia por 15-6, para se chegar ao intervalo a vencer por 18-9 (9 golos de vantagem). Diga-se desde já que na equipa do Sporting, destacamos o seu guarda-redes Skok (49% de eficácia), que foi uma mais-valia da equipa, não só a defender, como na precisão do lançamento do contra ataque. O resultado ao intervalo permitiu ao Sporting, uma total gestão do plantel, e um controlo completamente positivo do marcador, permitindo por exemplo, e destacamos a forma como Carlos Carneiro (1 golo, 50% de eficácia, 1 em 1 de 7 metros) comandou o jogo em especial no segundo tempo, onde Pedro Solha (3 golos, 50% de eficácia) começa a dar mostras do seu regresso à sua forma normal, numa equipa onde 12 dos seus atletas concretizaram golos, com Cláudio Pedroso (5 golos, 63% de eficácia), a ser o seu principal marcador. No Ismai, além do guarda-redes Ricardo Castro (28% de eficácia), destacamos Leonel Fernandes (4 golos, 67% de eficácia), não só pelo que marcou mas pelo que jogou. Diga-se que no segundo tempo a diferença no marcador foi aumentando progressivamente e que aos 58minutos registava a maior diferença registada até então (18 golos), quando o resultado se situava em 34-16, a favor da equipa visitada, mas deve dizer que a mesma foi perdendo consistência e concentração nos últimos 10 minutos de jogo. Dirigiu o encontro a dupla bracarense constituída por Alberto Alves e Jorge Fernandes, que tiveram um encontro sem dificuldades para dirigir e também não as criaram, apesar de lhes assinalar, pequenas falhas na falta do atacante e na lei da vantagem.

ABC 25 – 18 Belenenses

Jogo realizado no pavilhão Flávio Sá Leite, quase despido de publico, numa situação verdadeiramente anormal, naquele pavilhão, num mau encontro de andebol (na nossa opinião), e onde apenas se verificou equilíbrio nos primeiros 10 minutos, onde o marcador assinalava uma escassa igualdade a 3 golos, face ao número de faltas técnicas cometidas por ambas as equipas, situação que melhorou um pouco em termos técnicos a partir dos cerca de 20 minutos quando o ABC atingiu uma vantagem 4 golos (9-5), com Humberto Gomes (41% de eficácia) a ser a sua principal figura, perante uma equipa sem primeira linha, e onde Diogo Domingos (4 golos, 50% de eficácia), tentava disfarçar essa lacuna, com alguns jogadores verdadeiramente displicentes, como Válter Soares (sem qualquer eficácia) na execução por exemplo de livre de 7 metros aos 28 minutos de jogo, momento que o ABC, já vinha registando algumas melhoras nos seus processos defensivos, e ofensivos, chegando ao intervalo com o resultado favorável aos bracarenses pela diferença registada até então (14-9). Nos segundos 30 minutos, o ABC continuou a fazer a sua superioridade, apesar do bom desempenho quer de João Moniz (19% de eficácia) na baliza do Belenenses, defendendo o que era possível, e Carlos Siqueira (4 golos, 100% de eficácia) nos 6 metros pelo Belenenses, mas a equipa da casa, mais uma vez e face aos diversos erros cometidos pela equipa visitante aos 44 minutos de jogo vencia por 10 golos de diferença, maior diferença e que se registou em todo o encontro (21-11), para depois passar a controlar o jogo e o resultado, com Hugo Rocha (7 golos, 78% de eficácia, 4 em 4 de 7 metros) e Carlos Martins (5 golos, 83% de eficácia), em dia sim. Com esta vitória a equipa do ABC, confirmou a vitória verificada no encontro da 1.ª volta. Com esta derrota o Belenenses vai certamente sentir grandes dificuldades, em classificar-se nos seus primeiros, enquanto o ABC, continua a manter o seu 4.º lugar. Jogo dirigido pela equipa aveirense, constituída por Nuno Marques e João Correia, que não tiveram uma arbitragem positiva, na nossa opinião, em especial, na falta do atacante, onde não tiveram qualquer critério.

No Dragão Caixa, bem composto de público, tivemos o FC Porto / Águas Santas com nova vitória do FC Porto, que confirmou a sua vitória obtida na 1.ª volta, e com esta vitória manteve-se totalmente dentro do esperado e continua sendo um dos favoritos a vencedor da prova. Encontro que foi de total equilíbrio até aos 17 minutos de jogo, quando se registava uma igualdade a 9 golos. A partir deste momento o FC Porto assume o comando do jogo e do marcador, fazendo um parcial de 4/0 em 4 minutos, obrigando a que o técnico do Águas Santas colocasse o seu primeiro Time-OUT, a equipa maiata reagiu, e praticando sempre um andebol bem estruturado, e com mobilidade na sua primeira linha, aliada à exibição do seu experiente guarda-redes António Campos (27% de eficácia), conseguiu chegar ao intervalo a perder por apenas 2 golos (15-13). O FC Porto, que também reagiu e bem ao jogo menos conseguido na última jornada, teve em Hugo Laurentino (25% de eficácia) um obstáculo que os maiatos tiveram grande dificuldade em ultrapassar, mas Iturriza (5 golos, 83% de eficácia), nos 6 metros, bem acompanhado por Rui Silva (1 golo, 33% de eficácia), mas que se cotou na nossa opinião como um dos melhores em campo, a jogar fazer jogar e a assistir, nunca nos devemos esquecer da excelente prestação do jovem ponta do Águas Santas André Rei (8 golos, 100% de eficácia, 3 em 3 de 7 metros), foi avançando no marcador chegando a dispor, pela primeira dez de 8 golos de vantagem, cerca dos 22 minutos (28-20), verificando-se a falta de soluções no bando que a equipa maiata tinha, com os minutos finais a serem disputados sempre com uma diferença que variava entre os 7 e os 8 golos, de destacar ainda o jovem Miguel Alves (5 golos, 63% de eficácia), que foi um dos melhores marcadores da sua equipa. O FC Porto termina o encontro com 11 jogadores a marcarem golos. Uma palavra final para os 7 golos de Pedro Cruz (50% de eficácia, 1 em 2 de 7 metros). Dirigiu este encontro a dupla bracarense constituída por Fernando Costa e Digo Teixeira, que tiveram uma actuação pouco feliz, confusa, e por vezes complicada com os jogadores a não facilitarem bem pelo contrário, em especial na sanção progressiva, na falta do atacante e na lei da vantagem, somos da opinião de que o CA, deveria pensar na forma de estar desta dupla que têm valor para produzir muito mais.

No Pavilhão do São Bernardo, disputou-se o São Bernardo / Arsenal, que terminou com uma igualdade, sendo um dois jogos em que se alterou o resultado ocorrido na 1.ª volta. O São Bernardo que com esta igualdade continua a ser o último classificado nesta Fase da Prova, quando faltam apenas 4 jornadas para o términus da mesma, com actuação bem positiva durante grande parte do tempo, depois de nos minutos iniciais, se ter verificado algum equilíbrio, aos 14 minutos de jogo passou para a frente do marcador, chegando ao intervalo a vencer por 15-13. No segundo tempo chegou a ter seis (6) golos de vantagem, quando estavam decorridos cerca de 48 minutos de jogo, para permitir uma total recuperação da equipa bracarense que foi progressivamente diminuindo a diferença, terminando em superioridade numérica, e marcando o golo da igualdade nos últimos momentos do encontro. Na baliza do São Bernardo Emanuel Ribeiro com 28% de eficácia, foi um dos seus principais elementos, com o seu melhor marcador a ser Ulisses Ribeiro com 9 golos (90% de eficácia). No Arsenal deve-se, assinalar os 6 golos de Vasco Areias (75% de eficácia), a equipa do Arsenal, é neste momento uma das equipas que procra amealhar pontos para a disputa do Grupo na próxima Fase da Prova.

Em Guimarães tivemos um dérbi minhoto com a disputa do Xico Andebol / AC Fafe, que terminou com a vitória dos locais, que desta forma, rectificaram o resultado ocorrido na 1.ª volta, e colocaram a equipa de Fafe numa situação pouco agradável, pois foram igualadas em termos classificativos pelo Arsenal de Braga, e deixaram que os seus adversários nesta jornada, se aproximassem da sua pontuação, na nossa opinião estas equipas que estão à procura de amealhar pontos para a Fase seguinte que na prática, vai decidir quem desce de divisão. Este encontro um de sentido único pois os homens do Xico Andebol, comandaram o jogo e o marcador durante os 60 minutos de duração do encontro, chegando ao intervalo já na frente do marcador por 13-9, depois de aos 23 minutos de jogo estarem a vencer por 6 golos de vantagem (11-5). No segundo tempo permitiram a aproximação do AC Fafe até a diferença mínima, aos 34 minutos de jogo quando venciam por apenas 14-13, para voltarem a reagir, e adquirirem novamente uma margem de segurança de 4 golos como por exemplo aos 55 minutos quando venciam por 25-21. De destacar os 11 golos de Bruno Landim (73% de eficácia, 1 em 1 de 7 metros, por parte do Xico Andebol, e do seu guarda-redes Luís Castro com 35% de eficácia. No AC Fafe Paulo Cândido com 6 golos (50% de eficácia) foi o seu melhor marcador com o seu guarda-redes Nelson Reyniel a ser um dos seus melhores elementos com 38% de eficácia,

Após a realização destes jogos a classificação é a seguinte – 1.º Sporting (-1 jogo, 60 pontos), 2.º FC Porto (59 pontos, 3.º Benfica (-1 jogo, 58 pontos), 4.º ABC (55 pontos), 5.º AA Avanca (-1 jogo, 49 pontos), 6.º Belenenses (47 pontos), 7.º Madeira SAD (- 1 jogo, 44 pontos), 8.º Águas Santas (43 pontos), 9.º Boa Hora (37 pontos), 10.º Ismai (35 pontos), 11.º AC Fafe, e Arsenal (32 pontos), 13.º Xico Andebol (30 pontos), 14.º São Bernardo (27 pontos).

O Banhadas Andebol

4 comentários:

Anónimo disse...

O Xico ganhar ao fafe é um feito que so quem conhece a realidade dos 2 clubes entende.

Parabens Xico.

Anónimo disse...

O Fafe nao acertam nos Treinadores , foi a Família dos Silva e agora! vão buscar o grande impulsionador do andebol em Fafe Kamen Tzanev! adjunto o Martins que foi afastado por interesse do ZéTó!

Anónimo disse...

Mais um grande jogo do Porto....assim vamos ter um rico enterro. O Águas Santas com mais 2 ou 3 jogadores e o resultado seria outro. O Rei a marcar livres de 7 metros ? deve ser a primeira vez no Águas.Grande jogo Rei.

Anónimo disse...

AC Fafe vai buscar novo treinador e novo treinador adjunto, ambos sem master coach, aguarda-se novas jogadas de bastidores. Será que a promessa que um dia se irão inscrever num curso lhes dará o direito a estarem como Estagiários Master Coach e assim taparem os olhos aos outros clubes. É que houve quem se inscreveu esta época no curso e ir ao curso está quieto. No Minho muitos pontos ainda se vão perder na secretaria.