gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Gala do Desporto - Ano - 2016

Gala Desportiva - 2016

A Confederação do Desporto de Portugal, organiza a 21.ª Gala do Desporto, no próximo dia 16 de Novembro, é uma iniciativa que vai distinguir os desportistas que mais se evidenciaram na época desportiva finda.

A edição deste ano é subordinada ao tema “A Internacionalização do Desporto Português”, pretendendo desta forma a Confederação do Desporto de Portugal, apoiar o esforço de afirmação Internacional a que se tem vindo a assistir por parte do desporto nacional, segundo as suas próprias palavras.

Nas informações disponibilizadas pela Confederação do Desporto de Portugal, informa que entre outras distinções e homenagens, serão entregues os prémios aos melhores desportistas do ano, nas seguintes Categorias, tendo a FAP, indicado para as diferentes categorias os seguintes elementos e equipa.

Jovem Promessa – André Gomes
Atleta Masculino – Pedro Seabra Marques
Atleta Feminino – Ana Andrade
Treinador – Carlos Resende
EquipaSelecção Nacional Sub-16 Masculina de Andebol de Praia

Após estas indicações a CDP, divulgou a lista dos cinco finalistas em cada categoria que irão ser sujeitos a votação, com a o Andebol a ter apenas um Finalista sujeito a votação e na categoria Treinador do Ano, cuja honra coube a Carlos Resende. Para a votação online que decorrerá até às 17H00 do dia 15-11-16, que será feito através de um registo prévio nestelink, e só depois haverá acesso á votação.

Normalmente, na gala, além do Prémio relativo á Personalidade do ano, será entregue o Prémio Alto Prestígio da CDP, que serão atribuído de acordos com o tema. No entanto até ao momento nada se sabe acerca do assunto.

O Banhadas Andebol

2 comentários:

Anónimo disse...

Ao menos o Gomes joga e não andam a criar jogadas para ele marcar... Em tempos houve um tal de Relvas que, foi posto no Porto e foi campeão nacional. Não lhe vimos mais nada, senão marcar livres de sete metros...

Anónimo disse...

Cá está um comentário construtivo como este que cita o Relvas. Estamos a falar de distinção, de momento importante, mas dada a nossa natureza transformamos o melhor que a noticia tem, viramos-lhe o sentido e passa a escárnio e mal dizer.
Nao há nada a fazer, somos mesmo assim!