gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Arbitragem – Funções no Conselho de Arbitragem

O CONSELHO DE ARBITRAGEM

Eis um texto que nunca esperávamos fazer, mas a realidade actual a isso nos obriga.

Assim começamos pela designação dos delegados portugueses na EHF, sabemos que o Presidente do CA ou o CA, afastaram compulsivamente João Costa dos quadros Nacionais. Pois foi um nome nunca referido em qualquer circular quer sobre formação, quer sobre a constituição dos quadros de arbitragem. Este afastamento foi certamente devido a este elemento ter feito parte de uma possível candidatura ao CA, que nunca chegou a existir, pelo que consideramos este afastamento de uma baixa lisura, mas ao mesmo tempo demonstrativo das pessoas que gerem um dos mais sensíveis Órgãos da Modalidade.

Mas esta atitude chegou à EHF, conforme o quadro que abaixo apresentamos, e que o afastamento de João Costa, não é certamente uma coincidência.
Não sabemos o que pretende o CA com esta atitude, ou quem poderá substituir o João Costa a nível das provas da EHF.

Agora para culminar esta situação dos delegados, vemos o Presidente do CA a exercer funções de Delegado num jogo da PO01, Porquê? Será que esta figura não deveria manter-se equidistante destas posições? Será que não existe o sentido de responsabilidade e da equidistância nas funções que se desempenha? Ou será que são preparativos para uma possível substituição de João Costa na EHF?
Não queríamos acreditar…Como é possível!!! 

O Regras 

12 comentários:

Anónimo disse...

O João Costa foi afastado? Eu pensei mesmo que ele tivesse desistido por ser tão fraquinho, tão fraquinho, que nem na EHF o queriam!

Anónimo disse...

Delegados?????
Preocupem-se é com o que se passa na arbitragem!
Isto está de tal maneira, que num jogo de juniores masculinos decorrido na Marinha Grande, um árbitro correu atrás de um atleta em direção aos balneários,após o ter desqualificado, . Não contente com isso e depois do jogo quase chegou a vias de facto com o mesmo atleta. Inacreditável nos nossos dias. Tudo à frente de toda a gente. Disseram no local que este senhor é observador nacional. Portanto se temos este nível e protegido pela FAP, esperamos o quê?

Anónimo disse...

O Alentejano dos telefones não brinca em serviço prepara-te Mula estás na mira ....

Anónimo disse...

ao anónimo das 22:57, e já participaram oficialmente desse pseudo árbitro.

Anónimo disse...

deve ser para completar o vencimento

Anónimo disse...

O afastamento de João Costa deu-se por vingança de António Marreiros.
Podemos questionar a capacidade do João para eventos internacionais mas, se o fizermos, temos que incluir outros nomes, principalmente o de Manuel da Conceição.

Marreiros quer a todo o custo chegar à EHF. Nunca lá irá chegar porque não tem valor para isso. Nem valor nem perfil. Gente como Marreiros nem para dirigir uma tasca no Alentejo profundo serve. E a EHF conhece bem o Alentejo.

E como não houvesse mais nada para nos surpreender, surge o ainda presidente do CA a exercer as funções de delegado. Marreiros quer ser protagonista do que quer que seja. Tal como era quando fazia dupla com o Jorge Gil, chamando a si as atenções muitas das vezes de forma negativa.

Ao anónimo de 7 de Dezembro de 2016 às 19:42 direi que quem não quis o João Costa foi o CA da FAP. A intenção era o chamado dois em um. 'Matar' João Costa para reforçar a posição de Manuel Conceição, esse sim mal visto pela EHF tendo já estado por um fio para saltar borda fora.

Ao anónimo de 7 de Dezembro de 2016 às 22:57 apenas digo que a figura de delegado faz parte da modalidade e podia, se todos os que compõem o quadro no CA estivessem aptos, ser mesmo uma peça importante nos jogos. A maioria dos delegados não prestam, isso é verdade, o que torna a sua utilidade duvidosa.




Anónimo disse...

Que pseudo jogo de juniores masculinos é esse que decorreu na marinha grande que um pseudo árbitro que também é pseudo delegado da FAP correu atrás de 1 pseudo jogador? Cá para mim está a pseudo dizer a verdade

Revoltado disse...

Enquanto o C.A for liderado por autoritários e prepotentes. . Deviam era ter vergonha... Pagar os árbitros por exemplo....

Anónimo disse...

Caro anónimo de 9 de Dezembro de 2016 às 00:15
Pagar aos árbitros é uma tarefa para gente séria que no CA não existe.
A APAOMA, associação da classe, nada faz. Porquê? Porque não quer entrar em conflito com o CA, porque tem que não fazer nada como terá ficado acordado na campanha eleitoral e porque os dois árbitros que compõem os órgãos sociais da APAOMA - um deles presidente da direcção - recebem atempadamente.

Isto é tudo uma embrulhada, tudo gente sem coluna vertebral que se vende a troco de conversa.

Para o CA e para a FAP só há uma solução: demissão conjunta.
Só que o tacho sabe bem e servirem-se da modalidade é ouro sobre azul.

Anónimo disse...

SEMPRE TIVE UMA CERTEZA! QUANDO UM SECTOR QUE MUITO PODE DECIDIR TEM OS SEUS ELEMENTOS COM DIVÍDAS DE MESES... ELE É FRACO E DESNIDO! TORNA-SE VULNERÁVEL Á CORRUPÇÃO! QUANDO NUM PAÍS TANTAS E TANTAS VEZES EM MOMENTOS CAPITAIS, DECIDEM ÁRBITROS ALGO SE PASSA... QUEM VAI DE APITO NA BOCA PARA UM JOGO, EM CONDIÇÕES DE TANTA VULNERABILIDADE NÃO TEM CONDIÇÕES PARA ARBITRAR. NÃO TEM CONDIÇÕES PARA QUE, O PÚBLICO ACREDITE NAS SUAS DECISÕES, PORQUE A HISTÓRIA DA PAIXÃO NÃO PEGA! ELE ANDARÁ NESTA VIDA PORQUE "ALGO" O COMPENSA OU ALGUÉM!!!

QUEM VIAJA COM O SR. MARREIROS? QUEM ACOMPANHA E QUEM PARTICIPA EM BEBERETES COM O MESMO? QUEM É SEMPRE MUITO APOIADO MESMO TENDO SIDO UM ÁRBITRO SEM DOTES PARA TAL, NEM TECNICAMENTE NEM MENTALMENTE?

Anónimo disse...

Um dos árbitros na nossa praça esteve á pouco envolvido, numa decisão que deu um dos troféus do nosso andebol. È sabido ser presidente duma associação que só ele conhece, assim como alguns que usam peugas da APAOMA. Há um jogador que garante ele tre dito certas coisas e o mesmo, é tido como respeitável. Adivinhem quem é! Em quem acreditar?

Revoltado disse...

Sou árbitro a 16 anos e hoje digo ter vergonha da atual situação a nossa arbitragem... Pagamentos em dia! Era o mínimo exigido.... Não há condições psicológicas e financeiras para uns... Para outros. .. Nem qualificações para exercer tal função...