gal vence

Fim de Semana com as Super Taças - Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

sábado, 3 de dezembro de 2016

Crónica de Fim-de-semana – 27 – 2016 / 2017 – I

Regressamos às normais crónicas de fim-de-semana, desta vez para tratarmos apenas de dois dos jogos em atraso e relativos á 14.ª Jornada, que assinala a 1.ª Jornada da 2.ª volta.

PO01 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Masculinos.

9.ª Jornada
Dia 22-12-16
Belenenses - ABC (19H00)
13.ª Jornada
Dia 18-01-17
Águas Santas - ABC (21H00)
14.ª Jornada
Dia 03-12-16
Belenenses 23 – 24 FC Porto
Ismai 36 – 33 Madeira SAD
Benfica 36 – 23 Arsenal
Águas Santas 25 – 30 Sporting
Boa Hora 27 – 36 ABC
AC Fafe 27 – 21 SC Horta
AA Avanca 21 – 20 São Mamede

Disputou-se a 1.ª Jornada da 2.ª volta, com jogos da 1.ª volta por disputar, que se poderá compreender como caso de exceção não publicitado como o Regulamento Geral o obriga, porque envolve uma equipa participante em provas europeias. Felizmente e desde á muito tempo temos uma jornada completa o que se saúda. De referir ainda a alteração do local da realização do jogo Ismai / Madeira SAD, por problemas existentes no pavilhão da Maia, o encontro foi disputado em S. Pedro Fins. Felizmente a jornada decorreu com apenas 1 jogo a ter relatório disciplinar (AA Avanca / São Mamede).

Na pavilhão da Luz, disputou-se o Benfica / Arsenal, um encontro que na 1.ª Volta tinha criado algumas dificuldades ao Benfica, mas desta feita foi um encontro de sentido único, com o Benfica a comandar o jogo e o marcador praticamente durante os 60 minutos, indo aumentando a sua vantagem progressivamente, de tal forma que ainda nos primeiros 50 minutos chegou aos 19 golos de vantagem aos 26 minutos de jogo (19-9), para o intervalo chegar com o resultado em 20-11. Nos segundos 30 minutos o Benfica limitou-se a uma completa gestão do resultado e do plantel, sendo assinável a desqualificação de A. Cavalcanti por acumulações de exclusões. O Resultado deu até para ser utilizado o guarda-redes júnior Gustavo Caddeville (36% de eficácia), enquanto Hugo Figueira tornou a vida difícil ao Arsenal com 47% de eficácia, de referir que o Arsenal se apresentou com apenas 11 jogadores inscritos no Boletim de Jogo, sendo dois deles guarda-redes. De referir os 9 golos de Fábio Vidrago (100% de eficácia), e os 6 golos (75% de eficácia), de João Ferreira que juntamente com Sérgio Caniço com os seus 5 golos (56% de eficácia), foram os melhores marcadores da equipa bracarense.

No pavilhão Acácio Rosa disputou-se o Belenenses / FC Porto, que surpreendentemente oi um dos jogos mais equilibrados da jornada, com a equipa do Belenenses a criara fortes dificuldades no jogo, chegando a comandar o marcador por diversas vezes, não parecendo a mesma equipa que foi derrotada na 1.ª volta por um diferencial de 17 golos, e Alfredo Quintana na baliza do FC Porto foi uma das grandes figuras do jogo com 43%de eficácia, contra os 33% de João Moniz ou os 31% de Miguel Espinha, com a maior diferença de golos registada a favor de uma equipa a pertencer á equipa do Belenenses 4 golos aos 6 minutos quando surpreendentemente vencia por 5-1, o que diz da forma como entrou no jogo, no entanto ao intervalo o FC Porto, pela diferença mínima (16-15), no segundo tempo o FC Porto chegou a ter três golos de vantagem por exemplo aos 51 minutos (22-19), para a equipa do Restelo recuperar mais uma vez até à diferença mínima. Na equipa do Belenenses de destacar Gonçalo Ribeiro com 9 golos (50% de eficácia), e Carlos Siqueira com 5 golos (71% de eficácia), foram os seus melhores marcadores, no FC Porto com os golos mais distribuídos Yoel Morales com 6 golos (75% de eficácia) foi o seu melhor marcador. Com esta difícil vitória a equipa do FC Porto mantem a invencibilidade nesta fase da prova.

Em S. Pedro Fins, pavilhão que foi utilizado á última da hora para a realização do Ismai / Madeira SAD, que foi um jogo de sentido único, com a equipa do Ismai a comandar o marcador durante praticamente os 60 minutos, retificando o resultado da 1.ª volta. A equipa do Madeira SAD, entrou mal no jogo e aos 5 minutos de jogo já perdia por 6-1, situação de que nunca mais se refez, e apenas conseguiu atenuar, chegando ao intervalo a perder por 19-6, depois de ter estado a perder por um diferencial de 7 golos, aos 16 minutos (14-7), no segundo tempo equilibrou o jogo mas nunca conseguiu diminuir a diferença que foi sempre bem controlada pela equipa do Ismai. De destacar na equipa maiata, que teve 11 jogadores a marcarem golos, sendo Yoan Blanco com 7 golos, e Angel Zulueta com 6 golos os seus melhores marcadores, uma justa referencia ainda a Manuel Borges na baliza do Ismai, que esteve e bem acima dos seus colegas no Madeira SAD com 31% de eficácia. No Madeira SAD, Fábio Magalhães (58% de eficácia) e Bruno Moreira (70% de eficácia) ambos 7 golos foram os seus melhores marcadores.

Um dos jogos mais importantes da jornada (na nossa opinião), disputou-se em Águas Santas, e foi o Águas Santas / Sporting, que terminou com a vitória da equipa do Sporting, que assim conformou o resultado da 1.ª volta, e foi um encontro totalmente controlado quer em termos de jogo quer em termos de marcador pela equipa do Sporting, que comandou o marcador durante os 60 minutos, chegando ainda no primeiro tempo a ter uma vantagem de 7 golos (12-5), quando estavam decorridos cerca de 23 minutos de jogo, no entanto uma boa reacção dos maiatos acompanhados por um “relaxamento” da equipa do Sporting, permitiu que o intervalo apenas registasse um diferencial de 3 golos a favor do Sporting (14-11). No segundo tempo os maiatos procuram equilibrar o resultado chegando ao diferencial mínimo aos 48 minutos (22-21), para ao pressentir o perigo o Sporting voltou a acelerar e começou a aumentar novamente a diferença até os valores finais, tendo neste período Janko Bozovic (5 golos, 50% de eficácia) contribuição decisiva, juntamente com Carlos Ruesga (3 golos, 75% de eficácia), o jovem João Pinto com 8 golos (62% de eficácia) e 4 assistências foi um dos principais jogadores do Sporting, juntamente com Pedro Solha e os seus 7 golos (70% de eficácia), a que se junta Cudic (32% de eficácia). No Águas Santas, uma referência especial para o guarda-redes António Campos com 35% de eficácia, e como de costume Pedro Cruz com 9 golos (60% de eficácia), e Mário Oliveira com 6 golos (75% de eficácia), foram os seus melhores marcadores.

No Pavilhão Fernando Tavares, tivemos mais uma confirmação do resultado ocorrido na 1.ª volta, e com o resultado mais desnivelado da jornada, o Boa Hora / ABC, com o ABC a viajar directamente da Roménia para Lisboa para efectuar este encontro, e a utilizar os mesmos 13 jogadores, e a vencer claramente o neo divisionário do Boa Hora num jogo que é um espelho puro das diferenças existentes no campeonato, e que prova a ineficácia do aumento do número de clubes. O ABC chegou ao intervalo já a vencer por 18-12, continuando a acentuar-se a diferença no segundo período de jogo. Nuno Santos no Boa Hora foi o seu melhor marcador com 8 golos, enquanto no ABC, Nuno Grilo com 8 golos, e um trio (Pedro Seabra Marques, Diogo Branquinho, e André Gomes) todos com 5 golos cada foram os melhores marcadores do ABC.

No Municipal de Fafe disputou-se o AC Fafe / SC Horta, foi um mais um jogo onde o resultado foi rectificado, em relação ao verificado ma 1.ª volta desta fase da prova. Foi um encontro completamente repartido com o SC Horta a comandar o jogo e o marcador durante a maior parte dos primeiros 30 minutos, chegando a ter 4 golos de vantagem aos 24 minutos de jogo (11-7), para depois permitir uma excelente reação dos homens da equipa da casa que chegaram ao intervalo já com o marcador numa igualdade a 12 golos. Segundo tempo completamente diferente do primeiro, com a equipa do AC Fafe a dominar o jogo, chegando por diversas vezes a ter 6 golos de vantagem, dominando por completo o encontro. Miguel Marinho na baliza com 50% de eficácia, foi um dos baluartes da equipa de Fafe, onde os seus melhores marcadores foram Belmiro Alves com 9 golos (64% de eficácia), e Vasco Santos com 8 golos (100% de eficácia). No SC Horta com 7 golos (78% de eficácia), e Noelvis Reve com 5 golos (56% de eficácia), foram os seus melhores marcadores.

Em Avanca, realizou-se um dos jogos equilibrados da jornada o AA Avanca / São Mamede (jogo com ocorrências disciplinares registadas), que foi um encontro de grande equilíbrio durante os 60 minutos, com o São Mamede surpreendentemente para muita gente a comandar o jogo e o marcador praticamente durante os primeiros 30 minutos, com a equipa de São Mamede a tentar retificar o resultado da 1.ª Volta e a tentar obter a sua primeira vitória, estando na frente do marcador pela diferença mínima aos 27 minutos (11-10), para ao intervalo o resultado se situar numa igualdade a 11 golos. No segundo tempo a AA Avanca, apesar do grande equilíbrio no marcador, comandou mais vezes o marcador, mas o São Mamede nunca baixou os braços, e iguala a 20 golos nos últimos momentos do encontro, no entanto ainda se registou tempo suficiente para duas exclusões e sofrer o golo que deu a vitória a AA Avanca, Luis Silva na baliza do Avanca, com 48% de eficácia foi um dos homens do jogo, com Rui Ferreira na baliza do São Mamede a ter somente 27% de eficácia. Na AA Avanca Miguel Batista com 7 golos (64% de eficácia), e Jenilson Monteiro com 5 golos (63% de eficácia), foram os seus melhores marcadores. No São Mamede com 6 golos (60% de eficácia) Ricardo Ávila foi o seu melhor marcador acompanha pelo duo Filipe Lopes e Diogo Rodrigues com 5 golos cada foram os seus melhores marcadores, uma referência para a não presença de João Baltazar na equipa do São Mamede.

A Classificação ficou assim ordenada: - 1.º FC Porto (42 pontos), 2.º Sporting (40 Pontos), 3.º Benfica (38 pontos), 4.º ABC (-2 jogo), e Madeira SAD (30 pontos), 6.º AA Avanca (29 pontos), 7.º Boa Hora (27 pontos.+ 1 jogo), 8.º Águas Santas (25 pontos, -1 jogo), 9.º Ismai, e AC Fafe (24 pontos), 11.º Arsenal, e SC Horta (21 pontos), 13.º Belenenses (20 pontos, - 1 jogo), 14.º São Mamede (17 pontos, +1 jogo). 

O Banhadas Andebol

1 comentário:

Anónimo disse...

Nota-se que o Sporting é o mais falado nestas bandas. Não sendo o meu clube do peito e reconhecendo ter dado grandes equipas ao andebol nacional, tenho que pensar em muitas contradições. Não é só com o andebol mas de resto, com as chamadas modalidaes. Se o clube não é campeão nacional á mais de dez anos no futebol que, é quem impulsiona tudo, ficamos espantados! Perplexos quando das três grandes modalidades de pavilhão suas, Futsal, Hóquei em patins e Andebol, só uma tem público regular e equipa para ganhar. O Hóquei andou pela segundas divisão e nada deve ganhar este ano. O andebol foi uma modalidade cheia de troféus. Mas á quantos anos foi o último campeonato? Percebe-se haver obsessão e desespero em mostrar serviço e pensar de adepto de claque, lógico! agora o que dói a todos é que, donde vem tanto dinheiro? È que aí é o habitual... nem são os sócios do clube a pagar! Somos todos os contribuintes! Pagamos centros de estágio estádios pavilhões via Caixa G Depósitos etc... etc... alguém investiga done virão os milhões? Eu só queria tostões pois, o meu clube anda em divisões inferiores. Não pertence aos pretendentes ao andebol de alta competição. Pelo que sei a Câmara do sitio, nada ajuda pois há outros problemas mais urgentes. Ou será Portugal uma nação com boa saude, educação etc... etc...