gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Planeamento Desportivo – Época 2017/2018 - I

Está época a divulgação do Comunicado N.º 1 e seus anexos, foram acompanhados pela divulgação dos Regulamento Especifico das provas, o que se saúda, que ainda não vão merecer da nossa parte uma análise cuidada a fim de se verificar se existe diferenças em relação á época que está a terminar.  

Esta época, com a elaboração do CO N.º 1 (04-07-17), e com a indicação da abertura das inscrições a 5 de Julho de 2017, que é na prática a mesma data da época anterior.

A primeira conclusão a que chegamos, depois de uma leitura atenta deste CO, é que nos valores a liquidar se verifica um aumento generalizado das verbas a liquidar pelos clubes, e que foi abolido o celebre ponto acerca das transferências, e que obrigou a uma rectificação do CO em 26-10-2916, verificando-se por vezes alterações de custos significativos.

A alteração de alguns formatos competitivos, refletem-se agora nos custos de arbitragem nas respetivas provas, com a PO01, volta a sofrer um agravamento de cerca de 24% (passou de 11.700, para 14.500€), enquanto a PO02 sofreu um aumento de 19% (passou de 4.200, para 5.000€), cabe aqui perguntar, está ou não incluída a Fase Final? Pois desapareceu essa nota da tabela, será que vão todos pagar o mesmo? E na PO09 que passou de 2.700€ para 3.300€, o que significa um aumento de cerca de 11%.

Verifica-se igualmente um aumento mais ou menos significativo diminuição o valor das taxas de inscrição dos atletas, enquanto se mantêm os valores para Treinadores e Dirigentes, mas surge uma novidade, um valor de inscrição de Quadros de Arbitragem Regionais, nós perguntamos, Quem irá pagar? Ou será assim que se vai fomentar ainda mais a arbitragem?

Gostaríamos que a Federação desse conhecimento do cumprimento da matéria que se encontra estabelecida no ponto 3.5.2 (só serão aceites inscrições de clubes com a situação financeira referente à época 2016/2017, junto da Federação de Andebol de Portugal, se encontre devidamente regularizada) do CO, apenas como uma questão de transparência de forma do tratamento equitativo que todos os clubes irão ter.

Nos seguros, foi a única matéria que não sofreu qualquer alteração financeira em relação à Época anterior, mas mantêm-se a novidade da época anterior, o valor do seguro para os Quadros de Arbitragem (50€), nos voltamos a perguntar quem irá pagar? Ou será para descontar na conta corrente de cada um? Ou ainda será assim que se irá fomentar a carenciada arbitragem. E uma questão se levanta neste ponto, em especial quando são os clubes a apresentar a sua própria apólice de seguro, pergunta-se quem obrigatoriamente deve abranger?

Por fim teremos de referir o términus da função de Oficial de Mesa, (é assim que se faz o desenvolvimento da modalidade?), ver notas no ponto 4-1 do CO.

Neste texto e para terminar lamentar profundamente o ponto 10 do CO (Alterações Regulamentares para a Época desportiva de 2017/2018), pois o seu texto leva-nos a concluir, que não serão divulgadas as diversas alterações aos diversos Regulamentos, e quem quiser saber terá de os ler, pois as referidas alterações serão publicadas até ao dia 31 de Julho de 2017.

Existem outras matérias nos Anexos ao CO N.º 1, que serão comentados em próximos textos, pois são indicadores preciosos, do planeamento que se seguirá.

O Banhadas Andebol

9 comentários:

Anónimo disse...

E continua a festa.
Então os clubes são agora obrigados a fazer mesa e os valores em vez de descerem ou no máximo de se manterem sobem 19% na PO 02?
Será que os oficiais de mesa eram beneméritos e não recebiam, ou era uma borla para os clubes?
São então os clubes que têm de pagar as mordomias de alguns artistas que de vez em quando passam na calçada da Ajuda!
Ou os clubes começam a reclamar ou isto só tem fim quando os mesmos fecharem as portas.
Tristeza

Anónimo disse...

Quer dizer os clubes vao ter que dar os oficiais de mesa e ainda vao pagar mais hahahahahahahahahaha .
opa os clubes deviam de se unir e ninguem pagar , pois isto e a maior vergonha do desporto nacional ainda por cima os quadros de arbitragem tem um ano de atraso tenham vergonha

Anónimo disse...

Os Quadros de Arbitragem não tem 1 anos em atraso, mas sim 2 épocas, visto que a Época 2015/16 está paga até ao fim-de-semana de 9 e 10 de Janeiro 2016 e a actual época 2016/17 está paga até 31 Dezembro 2016. Portanto os QA correm o risco de irem começar 2017/18 com 2 épocas em atraso.

VERGONHOSO

Anónimo disse...

E os clubes que já davam os oficiais de mesa? Continuam a dar e vão pagar mais. É que assim deviam descontar das épocas anteriores por terem sido responsáveis pelos oficiais de mesa sem terem nenhuma benesse por isso em relação aos clubes a quem a FPA mandava oficiais.

O andebol está a tornar-se um desporto caríssimo. Começa a ser incomportável para muitos clubes estes custos, principalmente aqueles que pouca ajuda têm dos seus municípios. Isto desmotiva os dirigentes que fazem das tripas coração por este desporto. Não se admirem que haja clubes a desinvestir.

A federação deveria era cortar em custos e mordomias em vez de sobrecarregar os clubes. Vão matar isto aos poucos.

Anónimo disse...

Por exemplo controlar as despesas do conselho de arbitragem

Anónimo disse...

Vergonhoso o aumento de quase 3000€ de arbitragens da PO01, com a ameaça de agravarem o valor da mesma em 50% caso os Clubes não inscrevam Oficiais de Mesa.
Com os jogadores todos a quererem fugir para o estrangeiro, com os jogadores que ficaram no país a aproveitarem essa situação para inflacionarem os subsídios, e com os clubes a terem cada vez mais dificuldades para suportar os custos da modalidade perante a ausência de patrocinadores dispostos a apostarem na modalidade, isto está a ficar bonito.
Se juntarmos a isto as benesses financeiras que outras modalidades recebem das respectivas Federações, está o cenário traçado para o futuro da modalidade em Portugal.
Mas desde que o ordenado dos funcionários da FAP continue a aparecer no final do mês, está tudo bem. Até um dia.

Anónimo disse...

Preocupante o futuro dos clubes no PLANO DAS OBRIGAÇÕES FINANCEIRAS COM A FPA!.
A situação dos enormes aumentos no campo da arbitragem e nomeações fora do contexto geográfico e competência das duplas é lamentável!
Relativamente ao plano desportivo o P001 com um modelo de competição sem interesse para os clubes e adeptos e vai voltar se a repetir os erros de nº de clubes na Fase Final Grupo "A" e os famigerados 50% dos pontos que ficam na secretaria!
A não mudar o modelo deveria passar para a 2ª FASE o Grupo "A" com 8 equipas visto que a diferença de valores entre as equipas vai ser maior..
Devido a anormal saída de dezenas de atletas seniores para a Europa face aos níveis de subsídios praticados entre nós pior vai ficar a qualidade do jogo da maioria das equipas!
Abraço

Anónimo disse...

Não estou muito motivado a deslocar-m a pavilhões e nada me admira, quanto ao que se diz de arbitragens... este ano na ponta final houve muito mistério... não admira que se vendam! Afinal no futebol são profissionais e não se fala senão de encomendas! Vamos continuar a ver rapazes e raparigas desta corrompida nação a emigrar...

Anónimo disse...

A FAP está a acabar com a modalidade. Desporto mais caro do país