gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

terça-feira, 10 de março de 2015

Crónica de Fim-de-semana No Feminino – 21 – 2014 / 2015

Crónica exclusivamente dedicada ao Feminino, para falarmos sumariamente da jornada dupla deste fim-de-semana, que correspondem aos jogos da 8.ª e 9.ª jornada da 1.ª volta, (ainda falta disputar um, Colégio Gaia / Juventude Lis, relativo á 17.ª Jornada). A prova vai sofrer um interregno devido aos diversos compromissos das equipas Nacionais, e só regressará com alguns jogos da 21.ª jornada em 04-04-15, 2 jogos em 11-04-15, e terminará esta fase em 12-04-15, com disputa da 22.ª jornada. 
 
Continuamos a aguardar por aqueles que são verdadeiros adeptos do Andebol no Feminino, reforçando o nosso pedido de colaboração para que estas crónicas melhorem dia a dia, e deste modo possamos continuar a dar o merecido valor a esta prova, aguardando que algum ou alguns dos nossos habituais leitores se disponibilizem para no mínimo nos fornecerem dados para que esta continuidade às crónicas sobre o andebol em especial no feminino, seja uma realidade, continuamos abertos às mesmas. Algumas colaborações estão a ser recebidas, o que agradecemos, mas ainda são poucas, esperamos mais e muitas mais, obrigado. 
 
PO09 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Femininos.
 
1.ª Fase – Resultados
17.ª Jornada
Dia 14-03-15
Colégio Gaia - Juventude Lis (18H00)
19.ª Jornada
Colégio Gaia 29 - 26 Juventude Mar
JAC - Alcanena 34 - 22 CA Leça
Madeira SAD 30 - 18 Juventude Lis
Maiastars 21 - 24 João Barros
Passos Manuel 22 - 34 Alavarium
CS Madeira 35 - 23 ARC Alpendorada
20.ª Jornada
Juventude Mar 15 – 31 Maiastars
Alavarium 23 - 18 JAC-Alcanena
Madeira SAD 34 - 22 ARC Alpendorada
João Barros 26 - 28 Colégio Gaia
CA Leça 24 - 24 Passos Manuel
CS Madeira 32 - 18 Juventude Lis 
 
A Jornada dupla deste fim-de-semana, definiu praticamente quem estará presente no Play OFF, e quem irá disputar o Grupo “B”, a possível igualdade pontual entre a Juventude Lis e o ARC Alpendorada, será sempre resolvida a favor da equipa de Leiria, face aos resultados verificados entre si (2 vitórias da Juventude Lis). A ordem classificativa é que poderá ainda sofrer alguns ajustamentos. De referir que nos jogos disputados nas duas jornadas, verificaram-se ocorrências disciplinares em dois, e em apenas 3 foram retificados os resultados ocorridos durante a 1.ª volta.
 
O Colégio de Gaia, defrontou no seu primeiro jogo a Juventude Mar, tendo vencido como seria de esperar, no entanto foi um jogo onde o facilitismo nunca existiu. O Colégio Gaia que no primeiro tempo chegou ao intervalo a vencer por 18-9, deu na prática o jogo por concluído, cometendo o erro de menosprezar o adversário que reagiu fortemente, chegando a igualar o marcador e até a estar na frente do mesmo, só a partir deste momento o Colégio reagiu, e voltou ao jogo. Helena Soares com 6 golos foi a melhor marcadora do Colégio, enquanto na Juventude Mar Teresa Santos com 10 golos foi a melhor marcadora da equipa e do jogo. No segundo jogo o Colégio Gaia, defrontou no pavilhão das meirinhas o João Barros, vencendo o encontro, e retificando o resultado verificado na 1.ª volta. O Colégio Gaia, comandou o marcador praticamente desde os primeiros minutos, chegando a possuir vantagens de 4 e 5 golos, como por exemplo aos 42 minutos quando vencia por 21-16, com o João Barros, sempre a reagir, mas nunca sendo capaz de igualar o marcador, por exemplo cercados 58 minutos quando o marcador estava na diferença mínima (27-26) a favor do Colégio de Gaia, que terminou com apenas 4 jogadores de campo, e mesmo assim ainda conseguiu através de Nair Pinho obter numa entrada de ponta cimentar a sua vantagem. No João Barros, onde a maioria da equipa não correspondeu á excelente prestação de Carolina Santos na Baliza, onde demonstrou qualidade, garra e determinação, mas as suas colegas pareciam demasiado “cansadas”, para responder às suas intervenções. O Colégio Gaia, apresentou-se com um jogo mais coletivo e com mais soluções, ou seja poderia fazer as substituições sem perder na maioria das vezes o seu sentido de jogo, ao contrário do João Barros, que nos deu a sensação de estar bastante limitado, apesar da excelente eficácia de Sara Torres que com 9 golos foi a sua melhor marcadora (e 100% de eficácia nos 7 metros, onde obteve 8 em 8), uma palavra para o esforçado jogo efetuado por Eduarda Pinheiro. No Colégio Gaia, Irina Vieira esteve bem na baliza, e Ana Gante quanto a nós a melhor jogadora em campo foi a sua melhor marcadora com 11 golos, sem bem acompanhada por Patrícia Lima (6 golos) e pela experiente Bebiana Sabino. (este foi um dos encontros com relatório disciplinar). 
 
O JAC-Alcanena, recebeu no seu primeiro jogo o CA Leça, a que venceu com relativa facilidade, confirmando a o resultado da 1.ª volta e o excelente trabalho de valorização que vem fazendo, apesar da ausência por lesão de Neuza Valente, o que permite uma maior rodagem da jovem Mihaela Almeida (6 golos). Ao intervalo já se registava um resultado a favor do JAC de 17-10. No segundo tempo foi mais do mesmo, terminando sem encontrara grandes dificuldades. Neste encontro Rita Alves com 10 golos foi a sua melhor marcadora, enquanto no CA Leça, Catarina Oliveira com 6 golos foi a melhor marcadora da equipa. No segundo jogo desta dupla jornada o JAC-Alcanena deslocou-se ao recinto do Alavarium, num dos jogos mais importantes da jornada, onde se assistiu a duas exibições fantásticas de duas das melhores guarda-redes a atuar em Portugal Diana Roque pelo JAC e Isabel Góis pelo Alavarium. Foi um encontro onde ficamos com sensação de que as equipas se apresentavam algo “cansadas”, apesar de a grande diferença das equipas ter estado no contra-ataque, e nas transições rápidas, com Diana Roque a sentir uma enorme frustração face aos movimentos lentos da equipa nestas ações. No JAC Patrícia Rodrigues (uma das melhores jogadoras da sua geração) esteve muito abaixo do que pode e sabe fazer e disso se ressentiu toda a equipa, além da ausência de Neuza Valente que retirou muito do poder de remate a esta equipa, onde desta vez a jovem Mihaela Minciuma Almeida (retificação), demonstrou toda a sua inexperiência. No Alavarium deve-se ainda referir a boa prestação de Viviana Rebelo (6 golos), e da jovem Filipa Fontes (5 golos), que estiveram quase sempre em bom plano, sendo muito bem acompanhadas por Rita Neves igualmente com 5 golos marcados. No JAC, além do já dissemos não devemos deixar sem uma referência Rita Alves com os seus 5 golos. O jogo apenas foi de grande equilíbrio durante os 30 minutos iniciais, onde se verificaram algumas igualdades no marcador como cercados 24 e dos 28 minutos, respectivamente a 10 e 11 golos, para terminar com o Alavarium na frente do marcador pela diferença mínima (12-11). No segundo tempo totalmente comandado pelo Alavarium as diferenças, variaram entre os 2 e os 6 golos, como por exemplo aos 22-16 cerca dos 52 minutos de jogo.  
 
O Madeira SAD, teve um fim-de-semana tranquilo com duas vitórias, no primeiro jogo, venceu facilmente a Juventude Lis gerindo sempre o jogo com grande tranquilidade, de tal forma que o resultado ao intervalo, já era favorável ás madeirenses por 15-8, Erica Tavares com 9 golos no seu pecúlio, foi a melhor marcadora das insulares, enquanto nas leirienses, mais uma vez Ana Silva com 8 golos foi a marcadora de serviço. No segundo jogo, venceu mais uma vez com grande tranquilidade sobre o ARC Alpendorada, novamente podendo fazê-lo em completa gestão de esforço, terminando os 30 minutos iniciais já na frente do marcador por 16-11, confirmando a sua total superioridade no segundo tempo. Erica Tavares mais uma vez com 8 golos, e Claudia Aguiar com o mesmo número de golos, foram as marcadoras de serviço do Madeira SAD, enquanto no ARC não existe uma referência individual em termos de marcadores, valendo pelo seu jovem conjunto. O Madeira SAD, teve uma dupla jornada muito positiva.  
 
Igualmente tranquilo foi o fim-de-semana da outra equipa da madeira o CS Madeira, que no primeiro jogo da jornada dupla, venceu de forma clara o ARC Alpendorada, retificando assim o resultado ocorrido na 1.ª volta desta 1.ª Fase da prova. O Resultado que se verificava ao intervalo de 14-7 a favor das insulares, era um perfeito indicador do andamento do jogo, e da manifesta superioridade do CS Madeira. Mais uma vez Sara Gonçalves foi a melhor marcadora da sua equipa o CS Madeira com 9 golos, bem acompanhada por Maria Rodrigues com 6 golos. Desta feita no ARC Alpendorada, destacou-se Zélia Pereira com 6 golos como a sua melhor marcadora. No outro jogo da dupla jornada, o CS Madeira defrontou a Juventude Lis e voltou a vencer confortavelmente, embora se esperasse que a equipa continental efetuasse um jogo que proporciona-se uma maior equilíbrio. No entanto as madeirenses comandaram sempre o marcador com maior ou menor dificuldade e ao intervalo já venciam por 14-10, para as diferenças se acentuarem no segundo tempo. Mais uma vez Sara Gonçalves agora com 10 golos foi a melhor marcadora da equipa madeirense, seguida por Odete Freitas com 7 golos, na Juventude Lis novamente Ana Silva em destaque com os seus 8 golos e a ser a melhor marcadora da equipa. 
 
O Maiastars, nos seus dois jogos, obteve resultados diferenciados, no primeiro jogo, foi derrotado como visitado pelo João Barros, num jogo em que começou bem, mas cedo, deixou que a equipa das meirinhas tomasse conta do jogo, e apesar de algum equilíbrio, o João Barros chegou ao intervalo já a vencer por 10-8. No segundo tempo o João Barros com uma excelente entrada em jogo, rapidamente colocou um diferencial favorável de 6 golos, para depois fazer uma gestão do marcador, e ter se a ver com a esperada reação da aguerrida equipa maiata. A inevitável Diana Oliveira com 8 golos foi a melhor marcadora do Maiastars, por sua vez no João Barros, que funcionou mais como equipa neste jogo, teve em Maria Suaré com 6 golos a sua melhor marcadora. No segundo jogo tivemos um encontro duas equipas com diferentes objetivos, com a equipa maiata a deslocar-se a Esposende para defrontar a Juventude Mar, onde confirmou o seu amplo favoritismo, de tal forma que ao intervalo já vencia por 17-5, embora abrandando um pouco o andamento o segundo tempo foi quase uma cópia dos primeiros 30 minutos. Num encontro desta natureza e com este diferencial, merece um especial destaque os 9 golos de Teresa Santos da Juventude Mar, enquanto pelo lado do Maiastars a “suspeita” do costume Diana Oliveira igualmente com 9 golos foi a sua melhor marcadora, desta vez acompanhada por Maria Cerqueira com 7 golos. 
 
Por fim a equipa do Passos Manuel que no primeiro jogo recebeu e perdeu com uma das equipas favoritas ao título o Alavarium, que confirmou o resultado verificado na primeira volta. A história deste encontro resume-se aos números do mesmo, pois ao intervalo já as aveirenses que possuem um dos melhores planteis nacionais, venciam por 15-10. No segundo tempo com uma pequena aceleração no jogo, ampliaram a vantagem e terminaram o jogo completamente por cima. Basta dizer que a melhor marcadora do Passos Manuel apenas marcou 5 golos, embora tenha tido 8 jogadoras a marcar, enquanto pelo lado do Alavarium Filipa Fontes com 12 golos foi não só a melhor marcadora da sua equipa como do jogo. No seu segundo jogo do fim-de-semana em Leça da Palmeira, a equipa das liceais obteve uma excelente igualdade diante o CA Leça (jogo com ocorrências disciplinares), com a equipa local desta forma a retificar o resultado obtido na 1.ª volta. O Jogou, conforme demonstra o resultado, foi de pleno equilíbrio, ao intervalo o CA Leça vencia por 14-12. Em determinados momentos do mesmo registaram-se vantagens de uma ou outra equipa, mas que nunca foram determinantes para o desfecho final. De referir que a equipa do Passos Manuel obteve o empate nos últimos segundos do encontro. Andreia Cibrão com 6 golos foi a melhor marcadora do CA Leça, enquanto Cátia Santos com os seus 9 golos foi a melhor marcadora do jogo e do Passos Manuel. 
 
Após a realização destes jogos, a classificação é a seguinte: 1.º Alavarium (55 pontos), 2.º Madeira SAD (54 pontos), 3.º João Barros (52 pontos), 4.º JAC-Alcanena (48pontos), 5.º Colégio Gaia (44 pontos, - 1 jogo), 6.º CS Madeira (41 pontos), 7.º Maiastars (40 pontos), 8.º Juventude Lis (33 pontos, -1 jogo), 9.º ARC Alpendorada (30 pontos), 10.º CA Leça (29 pontos), 11.º Juventude Mar e Passos Manuel (25 pontos). 
 
O Noticias

10 comentários:

Anónimo disse...

Do lado do JAC não existe "a jovem Mihaela Almeida", existe sim a jovem Mihaela Minciuna. Esteve bem no 1º jogo, mas contra o Ala, o medo apoderou-se dela. Mas ainda é jovem.

Obrigado.

O Banhadas Andebol disse...

agradecemos a informação, foi retificado

Anónimo disse...

A selecionadora Nacional já viu os jogos do Alavarium por acaso ou só os jogos do Alavarium com equipas da Madeira??? Mesmo nesses a melhor ponta esquerda dos jogos é a num 10 do ALAVARIUM LOVE TILES!!! Deixe de trabalhar para a sua Ilha e seja coerente... Não faça da NOSSA seleção um grupo de amigos...

Anónimo disse...

Oh Génio ganha juízo, cresce e aparece. Mal sabes o que é andebol e vens para aqui fazer pedidos à Seleccionadora.


Sara Gonçalves é só a melhor jogadora do campeonato, Cláudia Aguiar está lá perto.

Anónimo disse...

caro banhadas, vocês poupavam tempo, e neurónios, copiavam do portal da federação e publicavam, ou então pediam ao pinheirinho, e eles fazia o trabalhinho. pois o que le dpublica dois dias de pois é uma cópia do qu está no portal, assim é fácil. Um abraço e obrigado por divulgarem o lado bom do andebol feminino.

Anónimo disse...

A Sara Gonçalves melhor jogadora do campeonato??? Muito mal andaria o nosso andebol se isso fosse verdade...
A Cláudia Aguiar dá-he 20 a 0, a defender e a atacar!! Concordo que ela não deveria ir à seleção, não tem qualidade para isso. A Fontes poderia ter uma hipotese, concordo.

Anónimo disse...

Devem andar a brincar ao andebol... a filipa fontes na seleção A? tenham decoro meus amigos. Temos uma ponta esquerda de nível - cláudia aguiar, que vá-se lá saber porquê desta vez não quis ir á seleção e a seleccionadora leva uma das amigas, que marca muitos golos. Por um lado, diz que trabalha para o futuro e depois, por outro lado, tem estas convocatórias: incluindo a lima (esta sim, uma verdadeira aberração) e rita alves. Já não há paciência para sandras e seabras. O das juniores A se não se fizer homem e acabar com as cotas e pressões sobre ele, vai pelo mesmo caminho...

Anónimo disse...

A nomeação da dupla de arbitragem no jogo JAC-CALE é uma aberração e uma falta de respeito ao Andebol Feminino, aos clubes, aos amantes da modalidade e, em última instância, aos próprios árbitros, que estavam completamente perdidos e ultrapassados pelo que se passava em campo.
Já agora uma pergunta: Desde quando é que um oficial de mesa pode dar um amarelo ao banco de um dos clubes?
Pergunto isto porque o personagem em causa ergueu o cartão e apontou para o treinador do CALE, e depois parou o jogo para chamar o árbitro.
Não, o CALE não perdeu por causa dos árbitros, mas no fim do jogo havia consenso por parte das equipas e dos adeptos nas bancadas: os piores em campo foram, de forma muito evidente, os árbitros.
Pede-se a quem faz as nomeações um pouco mais de respeito.

Anónimo disse...

Essa da Cláudia Aguiar dar 20-0 à Sara Gonçalves, deve vir de alguém que de andebol pouco deve perceber, optando por considerar as suas preferências pessoais.
A Cláudia Aguiar é uma grande ponta esquerda, em termos nacionais, mas não podem desconsiderar o valor da Sara Gonçalves, muito menos desrespeitá-la!
A Selecionadora tem que ter em conta sempre um leque alargado de opções, porque num determinado momento algumas atletas podem não poder dar o seu contributo à seleção e outras têm que ser chamadas.
Quanto às considerações sobre as competências da Selecionadora, seja a Sandra Fernandes, ou outro(a) qualquer, é recorrente ler aqui comentários menos respeitadores sobre todos eles, há anos a esta parte, o que atesta do caráter de quem os escreve!
Apoiem o andebol feminino!

Anónimo disse...

Se o anónimo de 13 de março de 2015 às 15:17 quer falar de arbitragens entao veja a nomeação do jogo da taça jac-alavarium. nada mais nada menos que a dupla que apitou o cs madeira-jac e que foi uma verdadeira vergonha. espero que desta vez sejam imparciais e que não inclinem o campo pois quem merece o destaque sao as jogadoras e nao os arbitros, e nem uma equipa nem outra precisam de ser ajudadas. se o jac tiver que perder, perde e se tiver que ganhar, ganha. e vice-versa. mas desta vez sera tudo filmado e quem vir o jogo pode tirar depois as suas conclusoes