gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Jogos Olímpicos (2016) – Andebol - Masculino - Preliminares

RIO 2016 NO MASCULINO

Terminou a Fase Preliminar do Andebol Masculino, com os apuramentos para os 1/4 Final, dizer que durante a disputa desta fase se verificaram alguns resultados inesperados, uns pelos números que envolvem, outros pela surpresa que os mesmos provocaram.

A 1.ª Jornada, terminou com alguns factos dignos de registo (no nosso entender) a assinalar a difícil vitória do actual Campeão Europeu a Alemanha sobre a Suécia (32-29), e ainda a sensacional vitória do Qatar sobre a Croácia por 30-23, na sua primeira participação nos Jogos Olímpicos, que mais uma vez se apresentou com uma equipa maioritariamente de naturalizados (é pena), não nos devemos esquecer que mais uma vez a lusofonia esteve bem representada pelo Brasil que venceu dificlmente a Polónia (34-32).Nos restantes encontros nada de especial assinalar pois os resultados registados são considerados absolutamente normais. Na 2.ª Jornada no Grupo A de assinalar a difícil vitória da Croácia sobre a Argentina (27-26), que vencia igualmente pela diferença mínima ao intervalo (15-14). No Grupo com todos os encontros a registarem um forte equilíbrio, a grande sensação da jornada foi a vitória do Egipto dobre a Suécia pela diferença mínima (26-25), com esta derrota a Suécia colocou seriamente em perigo o seu possível apuramento para os 1 /4 Final, e com a Alemanha e a Eslovénia a registarem a sua segunda vitória. A 3.ª Jornada da prova Masculina, registou um resultado inesperado no Tunísia / Qatar, onde se verificou uma igualdade a 25 golos, e a Croácia que tinha vindo a decepcionar, venceu com toda a justiça a Dinamarca por 27-24, no outro jogo do Grupo nada existe que merece qualquer destaque. No Grupo B, de assinalar a primeira vitória da Polónia (33-25), que venceu o Egipto e por números não esperados face às prestações de ambas as equipas até ao momento, e o Brasil venceu sensacionalmente a Alemanha (33-30), e com este resultado, aumentaram exponencialmente as suas possibilidades de apuramento para os 1/4 Final, com a Suécia sofrer nova derrota agora diante a Eslovénia (29-24), e agravar substancialmente as suas possibilidades de apuramento para os 1/4 Final. Na 4.ª Jornada, no grupo A, A Croácia em crescendo venceu a França (29-28) e praticamente juntamente com a equipa Francesa, garantiram a sua presença nos 1/4 Final, e a Dinamarca ao vencer o Qatar (26-25) (uma nota especial aqui, que o resultado divulgado no Portal da IHF “igualdade a 25 golos” não coincide com o resultado do Boletim de jogo) igualmente pela diferença mínima, praticamente que garantiu também a sua presença nos 1/4 Final, no Argentina / Tunísia, tivemos talvez uma das maiores surpresas até ao momento com a sensacional vitória da Argentina por 23-21, e com esta derrota a Tunísia encontra-se afastada de qualquer hipótese de apuramento-. No Grupo B, a Alemanha ao vencer a Eslovénia (28-25), garantiu já um lugar nos 1/4 Final da prova. O Brasil que defrontou o Egipto, uma das agradáveis surpresas (na nossa opinião), e obteve uma igualdade a 27 golo, com esta igualdade, o Brasil têm quase garantido o seu apuramento para os 1/4 Final, tivemos a vitória da Polónia pela diferença mínima sobre a Vice Campeã Olímpica em título e a grande decepção destes jogos a Suécia (23-21), e já afastada de qualquer hipótese de apuramento. Ficando adiado para a última jornada a decisão de alguns apuramentos em especial no Grupo B, onde a Eslovénia vence a Polónia por 25-20, qualificando as duas equipas para os 1/4 Final, e como se esperava a Alemanha, venceu o Egipto (31-25), garantindo assim o 1.º lugar do Grupo, o Suécia / Brasil, cujo resultado em nada veio alterar o que já estava definido. Mas que terminou com a vitória da Suécia por 30-19, números completamente inesperados, com o resultado a constituir a 1.ª vitória da Suécia, registe-se a curiosidade deste encontro ter sido dirigido pela dupla portuguesa Duarte Santos / Ricardo Vieira. No Grupo A o principal interesse residia na classificação final do Grupo, e tivemos a vitória da bicampeã olímpica a França sobre a Dinamarca por 33-30, a previsível vitória da Croácia sobre a Tunísia (41-26), garantiu aos croatas o 1.º lugar no grupo, enquanto a vitória do Qatar sobre a Argentina (22-18), garantiu-lhe o apuramento para os 1/4 Final.

Grupo A - Classificação
Grupo B - Classificação

1/4 Final - Calendário
Dia 17-08-16
QF1 - Croácia – Polónia (14H00)
QF2 – Eslovénia – Dinamarca (21H00)
QF3 – França – Brasil (17H30)
Dia 18-08-16
QF4 – Alemanha – Qatar (00H30)

Hora Locais

Notas

  • Apenas desde Sydney 2000 que são disputados 1/4 Final, pois anteriormente passava-se directamente da Fase Preliminar às 1/2 Final. 
  • Apenas a França, têm participado em todos os 1/4 Final incluindo Rio 2016. 
  • Croácia participou três vezes (2004, 2008, e 2013), a Dinamarca duas vezes (2008 e 2012). 
  • O Brasil alem de (2004), é a equipa não Europeia que participa pela segunda vez na disputa dos 1/4 Final, enquanto o Qatar que participa pela primeira vez, foi apurado para os 1/4 final. 
1/2 Final – Calendário
Dia 19-08-16
QF1 – QF2 (19H30)
Dia 20-08-16
QF3 – QF4 (00H30)

Arbitragem PortuguesaPortugal esteve e ainda bem representado pela dupla Internacional madeirense Duarte Santos / Ricardo Vieira. No entanto após as infelizes declarações de responsáveis do CA, acerca do tempo de que já tinham conhecimento da Noticia, e da influência da magistratura da chamada “Diplomacia Desportiva”, teremos de dizer que ainda hoje o Portal da IHF, nas sua nomeações para 2016, omite nas 16 duplas o nome da dupla portuguesa, como, na listagem saída mais recentemente e por nós referida, apenas consta o nome de 15 duplas, e mais uma vez é omisso o nome da dupla portuguesa. No entanto se comparáramos as duas listas de nomeações facilmente concluímos, que a dupla Portuguesa substitui a dupla Romena (Nicole Strah / Romeo Stefan) inicialmente nomeada. Esta é que é a verdade dos factos. Nestes jogos a dupla Portuguesa encontra-se entre as que têm menos Jogos Dirigidos (3), com tristeza da nossa parte, a Saber (Rússia / Coreia do Sul – Grupo B Feminino, Polónia / Egipto – Grupo B Masculino, e Suécia / Brasil – Grupo B Masculino), sendo ainda nomeado como suplente para 4 jogos, no entanto existem duplas com 6 jogos dirigidos (Dinamarca) com 5 (França, Eslovénia, e Egipto), com 4 (República Checa, Espanha, Alemanha, Noruega e Rússia), com número inferior ao dos Portugueses apenas (Islândia e Irão com 2), esperemos agora pelos próximos jogos para ver o que acontece, tendo sempre esperanças positivas.

O Noticias 

1 comentário:

Anónimo disse...

A primeira vez que uma dupla arbitrou a meia-final da antiga Taça dos Campeões Europeus, também foi em substituição da melhor dupla europeia na altura ( Polacos IaborskixJaruzelvski )e foi em boa altura porque foram inaugurar o Pav. de Paris Bercy. Daí para cá tem sido cada ano melhor.
Queira Deus que a tendência continue.
Saude Manuel Mendes
Fernando Silva
Ex-árbitro e ex pau para toda a colher no Andebol