gal vence

Euro Masculino SUB-18, Portugal Perde com a Noruega 28-24 - Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

sábado, 19 de maio de 2018

PO23 - Taças de Portugal Seniores Femininos - 2017 / 2018 – X - Final Four


Iniciou-se a disputa da Final Four, da Taça de Portugal em Femininos (1/2 Finais e Final), no Pavilhão Municipal de Vila Pouca de Aguiar. Lamenta-se que esta época, ao contrário do que já foi feito e bem em épocas anteriores o sítio da Federação, não tenha disponibilizado as estatísticas dos jogos, em directo.

Infelizmente esta época se deu continuidade ao processo de disputa das Finais Four dos dois géneros serem disputadas em simultâneo.
PO 23 – Taça de Portugal Seniores Femininos

Recordamos as equipas presentes na Final Four: Maiastars, SIR 1.º Maio/CJB, Madeira SAD, e Colégio Gaia, com o Madeira SAD a ser o detentor e o grande “colecionador” do troféu.

Resultados e Calendário

1/2 Final
Dia 19-05-18
Maiastars 24 – 26 SIR 1.º Maio/CJB
Madeira SAD 23 – 22 Colégio Gaia
Final
Dia 20-05-18
SIR 1.º Maio/CJB – Madeira SAD (15H00) Porto Canal

O sorteio que caprichosamente colocou numa das 1/2 Final, as duas equipas finalistas do Campeonato Nacional, e tudo aconteceu conforme o previsto, pelo menos da nossa parte. Com o Madeira SAD a voltar a vencer com grande dificuldade. Numas 1/2 Finais, disputadas sem ocorrências disciplinares.

Nos jogos da 1/2 Final, felizmente com transmissão pela Andebol TV.

No primeiro jogo disputado encontram-se frente a frente o Maiastars / SIR 1.º Maio/CJB, com um pavilhão bem composto de publico, num jogo onde o natural favoritismo da equipa da Marinha Grande, que foi extraordinariamente contrariado pela equipa maiata, acabou por prevalecer num encontro de grande equilíbrio e que foi decidido nos últimos 10 minutos do encontro. A equipa do Maiastars, que baseou o seu jogo, nas transições rápidas, e no jogo para os 6 metros, face a diferença de envergadura entre as duas equipas, com natural vantagem da equipa da Marinha Grande, por sua vez a equipa da Marinha grande optou, por um ataque mais pausado, mais pensado e a “apostar” em especial na sua 1.ª linha, e jogando em diversos momentos do jogo, quando se encontrava ao ataque utilizando 7 jogadoras de campo. Aos 12 minutos de jogo a equipa do SIR 1.º Maio/CJB vencia por 6-4, sofrendo de seguida um parcial de 5-1, que colocou o Maiastars na frente do marcador por 9-7, devido em especial acção de Maria Cerqueira (9 golos) e de Sofia Gomes (7 golos), chegando a ter uma vantagem de 3 golos, aos 24 minutos de jogo (11-8), para a equipa da Marinha Grande reagir e chegar ao intervalo com uma igualdade a 12 golos. No segundo tempo, uma excelente entrada da equipa da Marinha Grande, que aos 38 minutos de jogo já vencia por 15-12, (concluindo um parcial de 5-0), com a equipa maiata a marcar o seu primeiro golo neste segundo tempo apenas aos 39 minutos., mas com uma excelente reacção em especial em termos atacantes, iguala novamente a 15 golos, aos 40 minutos, para o encontro se manter equilibrado até cercados 50 minutos (igualdade a 20 golos), com a 1.ª linha da equipa Marinha Grande, onde Miriam Almeida (7 golos), e Adriana Lage (5 golos) que apesar de não ser uma 1.ª linha de raiz, aproveitava bem todas as situações, em especial a maior agressividade no bom sentido da defensiva da sua equipa, e ainda com Carolina Gomes (6 golos) a fazer um excelente jogo, chegam aos 56 minutos de jogo, a vencer por 24-21, para aos 57 minutos atingirem a maior diferença que qualquer equipa possuiu durante o encontro (4 golos), colocando o resultado em 25-21, sendo os minutos finais jogados mais com o coração do que com a razão, terminando o encontro com vitória da equipa da Marinha Grande, encontrando-se assim o primeiro finalista da prova. Dirigiu o encontro a dupla de Setúbal, constituída por Pedro Sousa e Jorge Barradas, que na nossa opinião realizaram uma meritória arbitragem.

No segundo encontro das 1/2 Final, encontraram-se frente a frente o Campeão Nacional, com o outro finalista da PO09, o Madeira SAD / Colégio Gaia, que foi mais um emotivo jogo, com uma razoável moldura humana, disputado quase sempre com grande equilíbrio, mas onde mais uma vez foi preponderante e na nossa opinião a figura do jogo guarda-redes do Madeira SAD Isabel Góis, que desta vez foi bem acompanhado por Jessica Ferreira na baliza do Colégio Gaia. O Madeira SAD com uma forte 1.ª linha, onde sobressaem Mónica Soares (7 golos), e Beatriz Sousa (5 golos), rapidamente chega aos 6-3, quando estavam decorridos cerca de 10 minutos, para o Colégio Gaia, através de Carolina Monteiro (7 golos), e igualmente de Ana Gante (5 golos) que esteve uns furos acima dos últimos jogos, permitiu que aos 25 minutos de jogo o resultado fosse uma igualdade a 11 golos, ainda tivemos uma igualdade a 12 golos, para o intervalo chegar com o Madeira SAD na frente do marcador por 13-12, No segundo tempo aos 46 minutos o Madeira SAD vencia por 3 golos de diferença (17-14), e até final do tempo regulamentar, nunca mais deixou o comando do encontro, chegando por algumas vezes a ter 4 golos de vantagem, (19-15, e 21-17, por exemplo), para o Colégio Gaia, ter uns minutos finais de elevada qualidade e chegaram á diferença mínima. Deve-se destacar ainda a prestação da jovem Mónica Gomes, na Madeira SAD e como de costume a Helena Sores no Colégio Gaia. E assim teremos mais uma vez o Madeira SAD a disputar uma final da Taça de Portugal, num encontro onde a réplica oferecida pelo Colégio Gaia foi excelente. Jogo dirigido pela dupla mista de Leiria e Coimbra, constituída por Francisco Remígio, e Miguel Mendes, que não estiveram tão bem como os seus colegas no jogo anterior, em especial na sanção progressiva, e na falta do atacante.

Arbitragem – Não entendemos, e é a nossa opinião a prova merecia mais respeito por parte dos responsáveis da arbitragem, pois consideramos que é um erro grave de avaliação, pois estas estas provas não podem servir para “premiar”, pois a modalidade é que pode eventualmente sair prejudicada. E não se entende a não divulgação como é normal das duplas de arbitragem e dos delegados aos jogos. O que se lamenta, pois é mais uma demonstração de falta de transparência, e de uma forma de estar que julgávamos abolida na modalidade.

Noticias

3 comentários:

Anónimo disse...

Não entendo a atitude da dupla de arbitragem na análise do jogo passivo no encontro Madeira SAD - Colégio de Gaia. Com o resultado em 23-22, a 45 segundos do final, a reposição de bola em jogo é feita com a bola a rolar lentamente pelo solo e com o alheamento total das jogadoras da SAD relativamente à mesma. São 5/6 segundos que configuram jogo passivo direto! (O jogo foi transmitido, pelo que esta situação é verificável) Depois temos a seguir ao time-out (inteligentemente pedido pela SAD) mais 30 segundos de basquete... enfim... Também não entendo como não houve protesto do jogo! enquanto assim for estas situações vão continuar a existir.

Anónimo disse...

FINAL FOUR DA TAÇA
Comentario técnico:

3 JOGOS em prespectiva mas de facto só houve um jogo competititvo face as equipas em presença entre o MADEIRA SAD e COLEGIO DE GAIA!
O que ganha o andebol com isso e as transmissões TV!

MELHOR SERIA SORTEIO CONDICIONADO E A DEFENDER A PRESPECTIVA DA COMPETIÇÃO E A FINAL SER EFECTIVAMENTE COMPETITIVA E DE RESULTADO A ATRAIR PUBLICO.
Tambem se vai veriificar na FINAL FOUR MASCULINA , esperar para ver só um jogo em 3. Porto-Sporting.
Lá estaremos para confirmar os meus pontos de vista!
E como vendo sendo habitual o CA faz umas nomeações curiosas e nada viradas para a competencia das Duplas ou seja as melhores !.. no feminino foi ridiculo 2 arbitros amadores em todos so sentidos até na apresentação fisica puro amadorismo, o Bruno de carvalho não existe só no Sporting tambem os à no Andebol federado!
Já o ano passado na Finasl Four Masculino houve barraca e muitso protestos das equipas técnicas e continua a repetir-se!

Ai Farreiros não tens ponta que se lhe pegue!
juvelino Sousa

Anónimo disse...

A dupla que arbitrou o MaiaStars - Sir 1º Maio/Colégio J. Barros era sem duvida a mais fraca a todos os niveis. Tiveram imensas falhas principalmente na sanção progressiva, jogo passivo e 7 metros.
No Colégio de Gaia - Madeira Sad esteve uma dupla com mais qualidade, que pecou e muito na aplicação do jogo passivo, com claro prejuízo da equipa do Colégio de Gaia. Disciplinarmente estiveram relativamente bem,não se entendendo os 2' diretos á treinadora do Maistars.
Na final que se previa sem grande história, tivemos um dupla bastante experiente, com a capacidade de ser bem aceite por todos os intervenientes, tendo realizado um arbitragem globalmente positiva. Apesar que num contexto normal, esta dupla jamais deveria arbitrar a final da taça de Portugal, devo dizer que considero ter sido um prémio justo por tudo o que deram ao andebol e à arbitragem. Apesar de alguma dificuldade em acompanhar o jogo rápido, foram respeitados e todos concordam que foi uma boa arbitragem.