gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

segunda-feira, 6 de junho de 2016

PO12 – 2015 / 2016 – Fase Final

Realizou-se no Pavilhão Municipal de Leça da Palmeira de 03 a 05-06-16, a Fase Final da PO12 (Campeonato Nacional Juvenis Femininos), prova não fixa, que tal como todas as provas não fixas, teve a sua 1.ª Fase a ser disputada sob a responsabilidade das associações. Como nota de curiosidade lembra-se que a Fase de Apuramento também foi realizada no mesmo local.

COLÉGIO GAIA CAMPEÃO NACIONAL
(SUCEDE AO ALAVARIUM) 

Sagrou-se Campeão Nacional a equipa do Colégio Gaia, que termina invicta, cedendo apenas pontos numa igualdade no jogo da última jornada onde já estava com título definido. Sucedendo ao Alavarium, que nem esteve presente nesta Fase Final. A melhor marcadora nacional – segundo a contabilização publicada no sitio da Federação foi Joana Resende do CA Leça com 141 golos, seguida de Mihaela Minciuna do JAC-Alcanena com 112 golos. Gostaríamos de destacar algumas atletas como por exemplo, Mihaela Minciuna do JAC-Alcanena, Neide Duarte do Colégio Gaia, Maria Brites da Juventude Lis, e Carolina Silva do CA Leça.
foto
PO12 – Campeonato Nacional de Juvenis Femininos

Modelo Competitivo: Os clubes apurados da 1ª Fase serão agrupados na 2ª Fase em 3 zonas geográficas (TXT a 2 voltas). O 1º Classificado de cada zona fica apurado para a Fase Final. O 2º Classificado de cada zona disputa uma fase de apuramento com o representante da região Autónoma da Madeira (TXT a 1 volta – regime concentração), sendo que o 1º Classificado fica apurado para disputar a Fase Final (TXT a 1 volta – regime concentração). O 1º Classificado será Campeão Nacional.

Fase Final – Apurados (Colégio Gaia, Juventude Lis, JAC- Alcanena e CA Leça

Resultados - Fase Final

1.ª Jornada- Dia 03-06-16
Juventude Lis 26 – 30 JAC-Alcanena
CA Leça 24 – 26 Colégio Gaia
2.ª Jornada – Dia 04-06-16
JAC-Alcanena 21 – 24 Colégio Gaia
Juventude Lis 28 – 32 CA Leça
3.ª Jornada – Dia 05-06-16
CA Leça 31 – 29 JAC-Alcanena
Colégio Gaia 30 – 30 Juventude Lis

Classificação Final 1.º Colégio Gaia, 2.º CA Leça, 3.º JAC-Alcanena e 4.º Juventude Lis.

Nota Final – Para a excelente moldura humana em quase todos os encontros, para o escalão em referência, e apenas uma nota negativa, para o jogo da 1.ª jornada da prova, que foi o único encontro, onde se registaram ocorrências disciplinares, que são sempre negativas, principalmente num escalão de formação.

O Formador

12 comentários:

Anónimo disse...

Deviam era de questionar as nomeacoes dos arbitros para estes jogos. Numa fase final deviam estar presentes os melhores arbitros nacionais e nao arbitros regionais. Principalmente deviam falar que alguns deles apitaram jogos de clubes por onde eles passaram como atletas tendo influenciado claramente o resultado do jogo. Para o bem do andebol, em especial do feminino e como forma de protecao ate dos próprios arbitros, estas situacoes seriam de evitar.

Anónimo disse...

Este Luis Prata não sabe mesmo perder.. agora vem para aqui chorar-se! Num único fim de semana perdeu duas competições, campeonato nacional de Juvenis e campeonato regional de iniciadas, assuma a (ir)responsabilidade e não atire a culpa para terceiros.
Terá concerteza muito mérito nas conquistas que já teve, mas a falta de humildade e arrogância não abonam a seu favor!!

Parabéns ao colégio de gaia, que não tendo as melhores jogadoras conseguiu ser a melhor equipa.

pergunta onde andaram o Alpendorada, Alavarium e Garrett, principalmente estas duas últimas que tinham argumentos para estar a disputar o campeonato até ao fim.

Anónimo disse...

Caro anónimo das 15:28 o que realmente é mau é vermos constantemente no facebook um dos responsáveis do colégio a gabar-se constantemente que o Colégio de Gaia é a maior escola de andebol do país!!
Ora..para mim uma escola de andebol a sério é aquela que forma atletas desde tenra idade, as ensina a jogar andebol e as potencia..O colégio a meu ver não tem os melhores professores a ensinar a jogar andebol(caso tivesse não necessitaria de andar constantemente a "pescar" atletas noutros clubes, nas captações de talentos,como a selecção regional, e no andebol de praia) já os vais buscar "potenciados"..arrisco-me a dizer que os atletas chegam a regredir.....As equipas do colégio que estão neste momento nas fases finais têm mais de 50% dos seus plantéis jogadoras formadas(no verdadeiro sentido da palavra) noutros clubes.
Mais refiro o seguinte: O colégio de gaia juvenis era mais uma das boas equipas da AAP este ano..mas não a melhor..Veja os resultados na fase regional e irá entender o que lhe digo..Agora..com a chegada da Neide e Maria Duarte o colégio cresceu e muito!
Não tente lançar poeira para os olhos das pessoas..muito menos daquelas que andam no meio..
As equipas como o Garrett, Alpendorada e Alavarium não estiveram lá é verdade...Continuam a FORMAR para os outros irem pescar..Acredito que se o Alavarium não tivesse perdido estas atletas teria estado na fase final certamente.
Em suma o colégio é uma excelente equipa de competição sem dúvidas!
Errado será dizer que esta equipa é de formação desportiva..

Anónimo disse...

Caro anonimo das 22:19h, a pior coisa que pode acontecer a alguem é falar do que não sabe....o caro anonimo pode andar no meio, só não sei é de quem.
Mas vamos a factos, o Colegio de Gaia até pode ter crescido um pouco com a chegada das atletas que refere, mas , tem que ser dado o merito ás treinadoras que com elas têm trabalhado que conseguiram rentabilizar a mais valia que elas podem representar, mais, quanto a clubes formadores vou dizer-lhe o seguinte, no que a estas duas atletas diz respeito o Alavarium muito pouco contribuiu para a sua formação e acima de tudo a sua evolução desportiva, pois as duas iniciaram a pratica do andebol no CD Pateira, jogaram na CPVV onde a Neide foi campeã de minis, pasaaram pelo S Bernaddo onde disputaram a subida á 1@ divisão e só depois foram para o Alavarium, onde em termos de formação deram mais do que receberam. As atletas em causa admitiram recentemente, que evoluiram mais nestes poucos meses no Colegio de Gaia do que nas epocas anteriores no Alavarium. Recordo-lhe que a formação de atletas não tem só a ver com a parte desportiva, mas tambem com os valores que se defendem e se transmitem, e quer num caso quer noutro o Colegio dá 10 a 0 ao Alavarium. Quanto aos outros dois clubes que referiu, desconheço quais as atletas que jogam no Colegio, mas para um ilustre entendido no meio como o caro anonimo, concerteza que irá desfazer estas duvidas....
Para terminar, digo-lhe que o problema do Alavarium não ter ido ás fases finais deve-se a culpa propria e ás escolhas que fez, e nem com Marias e nem com Neides lá chegaria, pois elas até podem ser boas atletas mas concerteza não fazem milagres, e nunca conseguiriam disfarçar a incompetencia e as pessoas de muito baixo nivel que invadiram o clube este ano.

Anónimo disse...

Em resposta ao comentario de 8 de junho de 2016 às 22:19 com um breve estudo ás fichas de jogo da fase final é possível fazer a seguinte análise rápida.

Juvelis - todas as atletas fizeram toda a formação no clube
Col. Gaia - 8 atletas fizeram toda a formação no clube, e outras 8 não.
CALE - 7 atletas fizeram toda a formação no clube, e outras 9 não.
JAC - apenas 2 atletas não fizeram toda a formação no clube.

Sem dúvida que o colégio de Gaia se gaba de que são sempre os melhores mesmo quando não o são, e que têm a vantagem de ter um "serviço" integrado na sua instituição o que lhes permite captar as atletas que lhes interessa dentro de portas, e depois têm todas as condições para as exponenciar, mas depois vem a outra parte, em que concordo consigo, não tem nem de perto nem de longe, professores competentes para ensinar o Andebol, e, salvo raras excepções, nas suas equipas as atletas que fazem a diferença têm a base da formação noutros clubes. Não são bons a formar, mas conseguem atrair boas atletas para a formação.

O CALE que tanto fala da sua formação, em 16 atletas tem um maior número de atletas "estrangeiras" do que da casa. Aqui o caso é diferente, e se formos a falar de competência, ensinam melhor o andebol, é gente do Andebol e que sabe como chegar a um fim (não vou falar da ética e do saber estar de algumas pessoas deste clube), e consegue colmatar as lacunas atraindo atletas de outros clube, está no seu direito, sem dúvida, agora não andem com a bandeira de que são uma escola de formação por excelência.

Quando a Juve e ao JAC sem dúvida que o mérito por estarem presentes nesta fase é maior, só com prata da casa conseguem ombrear com um conjunto de atletas formado para vencer.

Agora um aparte, tanto o Alpendorada como o Garrett, relativamente à ultima época não perderam nenhum atleta para nenhum outro clube, e quer um quer outro têm atletas de excepção, e se o Alpendorada lutou até ao fim para se qualificar o Garrett cedo ficou de fora da luta. o Alavarium é excepção, mas mesmo assim com as atletas que tem ao dispor, tinha obrigação de fazer muito mais.

Anónimo disse...

Estive nos três jogos do Cale a apoiar a equipa.
Fiquei triste por vêr que muitos só estão presentes se fôr para ganhar alguma coisa e aparecer na fotografia.
Ao que parece, as miúdas só precisavam de apoio enquanto tinham hipótese de ser campeãs.
Como perderam o primeiro jogo, já não precisavam de apoio.
Alguns pais (e mães) já não apareceram e outros estavam completamente desinteressados do se passava.
É pena! Que belo exemplo dão as suas filhas.

Anónimo disse...

esta fase final foi o espelho da incompetência.
da incompetência de quem dirige o andebol.
da incompetência de quem organiza federativamente estas fases.
da incompetência dos arbitos
da incompetência dos treinadores ou pseudo treinadores
da incompetência dos clubes intervenientes que não se opuseram a certas cenas previsiveis

Anónimo disse...

Caro anonimo de 9 de junho de 2016 às 00:03..Rentabilizar???
Ainda este ano houve uma atleta do escalão de juvenis do colégio que regressou à casa mãe..de certeza que não foi pela sua rentabilização..não acha?
No que toca às atletas do Alavarium desconhecia o seu percurso..Considero e aceito o seu reparo..
As juvenis do Colégio têm neste momento por exemplo jogadoras que vieram do Almeida Garrett, do Cale, do Baltar, etc.
Veja uma a uma o histórico das jogadoras presentes na fase final e diga-me alguma coisa..
Não ponho em causa a transmissão dos valores que o colégio tem..ponho em causa é o facto de desportivamente, no que ao andebol diz respeito, não conseguir formar tão bem como os outros e ter que ir pescar a diferentes clubes enfraquecendo-os.
Faz-me lembrar um clube no masculino que trabalha a formação a meio gás e depois vai buscar todos os miúdos com qualidade que lhes possam aparecer..
Lamento, não me revejo neste tipo de "formação". A meu ver tira um pouco daquilo que seria a verdade desportiva no que à formação diz respeito.

Anónimo disse...

Ao incompetente de 9 de junho de 2016 às 19:20:
Incompetente é o seu post, porque não fundamenta as acusações e também não apresenta alternativas válidas. Mas há sempre quem diga mal só porque não sabe estar calado.

Anónimo disse...

quando falo em incompetencia , falo porque não posso estar calado e continuar a ser conivente com certas cenas a que chamo previsiveis.
quem precenciou esta fase final e seja algo imparcial,inteligente , com dois dedos de testa , sem qualquer tipo de palas nos olhos, notou certamente que:
alem de certas equipas jogarem mal a arbitragem foi sempre tendenciosa e a meu ver teleguiada.
a equipa vencedora, colegio de gaia sem tirar mérito a sua pretaçao foi a meu ver previsivelmente favorecida ou as outras equipas CALE e JAC deliberadamente prejudicadas directamente ou indirectamente .

provas,fundamentações, não tenho que apresentar a ninguém , ninguem me disse e foi isso que eu presenciei
graças a deus sou uma pessoa que não sou burra , tendenciosa, além de considerar que tenho alguma dignidade e moral para chamar incompetentes a quem me apetecer entre outras coisas.
nao gostam,temos pena.
quanto as alternativas essas se as quiserem ver dirigam-se a uma praca de touros,porque eu nao sou a pessoa mais competente para as apresentar alem de não ganhar nada com isso .

Anónimo disse...

incompetente nao é quem nao apresenta alternativas validas.
incompetente é quem deixa a coisa rolar para depois atirar a pedra e esconder a mao

Anónimo disse...

No ano passado o cale deoxa fugir o campeonato nacional de iniciadas para o alavarium, este ano deixa fugir para l colegio, e a culpa e sempre dos mesmos " Arbitros " aprendam a saber perder, faz parte da formacao e da educacao