Regresso dos jogos da Final do Play OFF - Vamos encher os Pavilhões
Calendário e Resultados na Barra Direita

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Crónica de Fim-de-semana – 30 – 2015 / 2016 - II

Crónica possível dedicada á Fase Final da PO02.

PO02 – Campeonato Nacional da 2.ª Divisão Seniores Masculinos.

Fase Final Nacional
3.ª Jornada
Dia 21-05-16
Arsenal 31 - 30 Boa Hora s/d 300
AC Sismaria 26 - 18 Vitória FC s/d 200
São Mamede 24 - 22 FC Gaia s/d 150

Nesta Fase Final desta prova que vai, em especial além de designar o Campeão Nacional da Divisão, e nos termos Regulamentares em vigor as duas equipas, com subida direta á 1.ª Divisão Nacional, ou seja ao escalão maior do Andebol Nacional, disputou-se a 3.ª Jornada, com resultados equilibrados, e com algumas surpresas, pois por exemplo o jogo Arsenal / Boa Hora foi disputado no recinto do Boa Hora, o que só valoriza a vitória dos bracarenses. Deve-se ainda registar que foi uma jornada onde não se registaram ocorrências disciplinares. E desta vez tivemos uma melhoria significativa nas assistências aos jogos. Mantemos a nossa opinião de que as três equipas que muito provavelmente irão discutir os lugares de subida de divisão são o Arsenal, o São Mamede e Boa Hora, embora esta previsão seja neste momento bastante falível, e temos plena consciência disso. Depois da realização desta jornada apenas duas equipas se mantêm invictas (Arsenal e São Mamede)

No Pavilhão Fernando Tavares, disputou-se o Arsenal / Boa Hora, em mais jogo com a inversão de pavilhão (a nova moda a nível nacional), cujo que terminou com a com a vitória da equipa bracarense pela diferença mínima. Depois da disputa de jogo de grande equilíbrio, entre as formações, que venceram as respetivas zonas na 1.ª Fase da prova, e o equilíbrio entre os dois conjuntos verifica-se até pelo resultado que se verificava ao intervalo, e que era uma igualdade a 16 golos. Com a equipa do Arsenal, a confirmar a vitória pela diferença mínima, apenas no segundo tempo, João Santos com 7 golos e André Caldas com 5 golos foram os melhores marcador do Arsenal, Luís Nunes com 12 golos foi o melhor marcador do Boa Hora. Com esta vitória a equipa bracarense mantêm-se no comando da Fase Final juntamente com o São Mamede, apenas com vitórias.

O jogo mais desequilibrado da jornada, e conforme seria de esperar, pela analise factual do que têm ocorrido até ao momento, verificou-se no Pavilhão de Gândara, onde o AC Sismaria, defrontou o Vitória FC, uma das duas únicas equipas que nesta fase, ainda não contabilizaram qualquer ponto positivo. O Vitória até começou bem o jogo, chegando a estar na frente do marcador (3-2), mas foi como se costuma dizer “sol de pouca dura”, pois rapidamente os homens da equipa visitada, passaram para a frente do marcador (4-3), com a equipa do Vitória a ainda equilibrar o encontro até um diferencial de apenas dois golos 10-8, para ao intervalo já perder por 12-8, com o segundo período de jogo a confirmar a superioridade dos locais, a alargarem a sua vantagem. Frederico Malhão com 6 golos, e Filipe Oliveira com 5 golos foram os principais marcadores do AC Sismaria que teve 10 jogadores a marcarem golos. José Machuqueiro com 6 golos foi o melhor marcador do Vitória FC.

No Pavilhão Eduardo Soares, tivemos mais um encontro de grande equilíbrio, pois apesar da vitória da equipa do São Mamede, a mesma sentiu grandes dificuldades em levar de vencida a aguerrida equipa do FC Gaia, o resultado verificado ao intervalo é um puro reflexo desse equilíbrio, pois registava uma igualdade a 12 golos. Com a equipa do São Mamede a concretizar a sua difícil vitória apenas no segundo tempo. Estamos convictos de que mais tarde ou mais cedo do que se pensa esta equipa do FC Gaia poderá causar alguma surpresa. Com esta vitória a equipa do São Mamede fica no comando da Fase Final em igualdade pontual com o Arsenal. Tiago Andrade com 8 golos e João Baltazar com 7 golos foram os melhores marcadores do São Mamede, enquanto no FC Gaia com os golos muito divididos, os seus melhores marcadores não ultrapassaram os 4 golos (Luís Carvalho e Vasco Silva).

Após esta Jornada a Classificação ficou assim estabelecida: - 1.º Arsenal Devesa, São Mamede (9 pontos), 3.º Boa Hora (7 pontos), 4.º AC Sismaria (5 pontos), FC Gaia, e Vitoria FC (3 pontos).

Nota - Não ficaria mal á Federação, efetuar algumas transmissões através da Andebol TV. Mas deve ser um desiderato difícil. 

O Banhadas Andebol

PO08 – 2015 / 2016 – Fase de Apuramento

Realizaram-se as 2 Zonas da Fase de Apuramento da PO08 (Campeonato Nacional Iniciados Masculinos), prova não fixa, que foram disputadas a Zona 1 em Estarreja, e a Zona 2 em Gândara, nos 20 a 22 de Maio de 2016

PO08 – Campeonato Nacional de Iniciados Masculinos

Fase de apuramento para a Fase Final (2 grupos – 3 clubes cada- TXT a 1 volta em regime de concentração) apurando-se o 1º Classificado de cada grupo, para a Fase Final.

Zona 1
Resultados
1.ª Jornada- Dia 20-05-16
FC Porto 37 – 35 Estarreja AC
2.ª Jornada – Dia 21-05-16
CD B. Perestrelo 25 – 30 FC Porto
3.ª Jornada – Dia 22-05-16
Estarreja AC 30 – 27 CD B. Perestrelo

Classificação Final: - 1.º FC Porto, 2.º Estarreja AC e 3.º CD B. Perestrelo.

Zona 2
Resultados
1.ª Jornada- Dia 20-05-16
Belenenses 24 – 27 AC Sismaria
2.ª Jornada – Dia 21-05-16
SC Horta 29 – 26 Belenenses
3.ª Jornada – Dia 22-05-16
AC Sismaria 23 – 19 SC Horta

Classificação Final: - 1.º AC Sismaria, 2.º SC Horta e 3.º Belenenses.

Uma curiosidade, que por sinal é comum às duas zonas, onde as equipas locais são as únicas que não jogam dois dias seguidos, situação que apenas se entende por motivos económicos. Na Zona um, que terminou como o esperado, sendo vencedor o FC Porto, não se verificaram quaisquer registos de ocorrências disciplinares, tendo os jogos sido realizados com razoáveis assistências para o escalão, factor comum ás duas zonas. Na Zona 2, logo no primeiro encontro que se disputou, tivemos ocorrências disciplinares, o que se lamenta, pois as mesmas até se verificaram muito provavelmente depois do encontro ter terminada (na nossa opinião), o principal facto aqui a registar e mais uma vez na nossa opinião não é o apuramento do AC Sismaria, mas sim o último lugar do Belenenses, que apenas averbou derrotas. As equipas apuradas foram-no invictas.

Modelo Competitivo:

A Fase Final será disputada por 6 clubes (1ª Fase 2 grupos – 3 clubes cada- TXT a 1 volta, 2.ª fase – Meias Finais e jogos de classificação final) em regime de concentração.

Fase Final

Constituição das Zonas

Zona 1 – Águas Santas, Benfica A e AC Sismaria
Zona 2 – Colégio Carvalhos, Sporting A, e FC Porto

Sobre esta Fase, ainda se desconhece o local da sua realização, sabendo-se que se disputa de 02 a 05-06-15.

O Formador

Andebol de Praia 2016 – EBT’s Finais - III

13.ª - EBT’S FINAIS (ANDEBOL DE PRAIA)

EM THESSALONIKI


Disputaram-se as finais dos EBT’s, que se disputaram na Grécia de 20 a 22 de Maio de 2016. Portugal tinha direito a inscrever duas equipas uma no masculino (V.Gaw - Café Rossio), e outra no feminino. Infelizmente, para Portugal, mais uma vez não foram criadas as condições para a equipa feminina se inscrever. Pelo que apenas estivemos representados pelos leirienses do Vakedo Graw – Café Rossio. Que se classificaram em 6.º lugar, na classificação final. 

A prova disputou a sua 13.ª edição, no Avant Garde Sports Club, localizado na vila de Kardia, que fica situada a cerca de 20 Km’s de Thessaloniki.

Todos os jogos foram transmitidos via Live Stream.

Masculinos

Calendário, resultados e classificações:

Grupo A – Classificação

1.º Detono Zagreb, 2.º BHC SKKM-E., 3.º BHT Auto Forum P. Olock, 4.º BHC Sesvete 5.º BHC 2areg.

Grupo B

Resultados
Dia 20-05-16
V.Gaw (Portugal) 2 – 1 Dinamit BHC (Hungria)
Paksoft Camelot (Holanda) 2 – 1 GAS Kilkis Akropolis (Grécia)
Club Balonmano P. Algeciras (Espanha) 2 – 0 Paksoft Camelot
GAS Kilkis Akropolis 2 – 0 V.Gaw
Dia 21-05-16
Club Balonmano P. Algeciras 1 – 2 GAS Kilkis Akropolis
Dinamit BHC 1 – 2 Paksoft Camelot
V.Gaw 2 – 1 Club Balonmano P. Algeciras
GAS Kilkis Akropolis 1 – 2 Dinamit BHC
Dinamit BHC 0 – 2 Club Balonmano P. Algeciras
Paksoft Camelot 2 – 1 V.Gaw

Classificação

1.º Paksoft Camelot, 2.º GAS Kilkis Akropolis, 3.º V.Gaw, 4.º Club Balonmano P. Algeciras, 5.º Dinamit BHC

Assim a equipa Portuguesa, com uma classificação bastante meritória nesta Fase Preliminar, irá disputar 5/6 Lugar da Classificação Geral.

Dia 22-05-16
1/2 Final
Detono Zagreb 0 – 2 GAS Kilkis Akropolis
Paksoft Camelot 0 – 2 BHC SKKM-E.

Lugares Classificativos
9/10 Lugar
BHC 2areg 2 – 1 Dinamit BHC
7/8 Lugar
BHC Sesvete 2 - 1Club Balonmano P. Algeciras
5/6 Lugar
BHT Auto Forum P. Olock 2 – 0 V.Gaw

3/4 Lugar
Detono Zagreb 2 – 0 Paksoft Camelot

Final
GAS Kilkis Akropolis 2 – 1 BHC SKKM-E.

Classificação Final – 1.º GAS Kilkis Akropolis, 2.º BHC SKKM-E, 3.º Detono Zagreb, 4.º Paksoft Camelot, 5.º BHT Auto Forum P. Olock, 6.º V.Gaw, 7.º BHC Sesvete, 8.º Club Balonmano P. Algeciras, 9.º BHC 2areg, 10.º Dinamit BHC

Arbitragem

No âmbito da sua formação a dupla Portuguesa (Rui Almeida / António Oliveira), dirigiu os seguintes jogos:

Ronda Preliminar
Grupo A (Masculino) – BHT Auto Forum P. Plock (Polónia) / BHC 2areg (Sérvia)
Grupo B (Feminino) – AC Spartacus Goalbet (Grécia) / Paksoft Camelot (Holanda)
Grupo A (Masculino) – BHC Sesvete (Croácia / Detono Zagreb (Croácia)
Grupo A (Feminino) – CAIPiranhas (Alemanha) – Westsite (Holanda)
1/2 Final (Masculina) - Paksoft Camelot - BHC SKKM-E.

Igualmente no âmbito da sua formação O Delegado Português (Francisco Remígio), esteve presente nos seguintes:
Ronda Preliminar
Grupo A (Masculino) – Detono Zagreb (Croácia) / BHT Auto Forum P. Plock (Polónia)
Grupo B (Masculino) – Dinamit BHC (Hungria / Club Balonmano P. Algeciras (Espanha)
Grupo A (Masculino) – NHC SKKM E. / BHT Auto Forum P- PLock (Polónia)
Grupo A (Feminino) – Detono Zagreb (Croácia) / Westsite (Holanda)
Grupo B (Feminino) – CBP Algecira (Espanha) / Reflex AZS V. Poznan (Polónia)
Grupo A (Feminino) – Agenta Girls (Hungria) / CAIPiranhas (Alemanha)
Grupo A (Feminino) – Detono Zagreb (Croácia) / Agenta Girls (Hungria)
Grupo B (Feminino) – CBP Algeciras (Espanha) /AC Spartacus Goalbet (Grécia)
Grupo B (Feminino) – OVB Beach Girls (Hungria) / CBP Algeciras (Espanha)
1/2 Final (Feminina) – AC Spartacus Goalbet / Westsite
Jogo 9/ 10 Lugar (Masculino) - BHC 2areg - Dinamit BHC

O Noticias

domingo, 22 de maio de 2016

Crónica Relativa á PO09 Play OFF e Grupo B – 31 – 2015 / 2016 – Atualizado

Crónica exclusivamente dedicada ao Feminino, jogos do Play OFF (Grupo “A”), e do Grupo “B”. 

PO09 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Femininos.

MADEIRA SAD NOVA CAMPEÃ NACIONAL 

Jogos Final (Play OFF, á melhor de 5, no sistema Casa, Casa, Fora, Fora, Casa) – Apuramento do 1.º e 2.º Lugar

1.º Jogo
Dia 14-05-16
Madeira SAD 21 – 20 Alavarium
2.º Jogo
Madeira SAD 24 – 22 Alavarium
3.º Jogo
Dia 21-05-16
Alavarium 20 – 28 Madeira SAD

Resultado
Madeira SAD (3) – (0) Alavarium 

O Titulo ficou decidido ao 3.º jogo, com nova vitória do Madeira SAD, agora de forma mais clara, naquele que foi provavelmente o seu jogo mais fácil dos 3 que disputou com o Alavarium. Num jogo disputado em Aveiro, e com o pavilhão completamente cheio, a equipa local desiludiu os seus adeptos, com uma exibição bem longe do que pode sabe e deve fazer., de tal forma que aos 21 minutos de jogo, já a diferença no marcador se situava nuns inesperados 8 golos (12-4) a favor do Madeira SAD, para ainda durante o primeiro tempo atingir os 10 golos de diferença aos 27 minutos quando o marcador assinalava 17-7, o intervalo chegou com 17-8, E se no segundo tempo se esperava uma reação mais positiva da equipa do Alavarium, a sua reação foi extemporânea, e foi mais o Madeira SAD que passou a gerir resultado e a controlar o jogo, do que positivismo na reação da equipa da Região de Aveiro, que desta forma inglória, perdeu o titulo de campeã Nacional. Na equipa do Alavarium apenas Mónica Soares (11 golos) esteve no seu nível normal, na equipa do Madeira SAD, a experiente Renata Tavares com 9 golos, esteve ao seu nível, assim como a jovem Erica Tavares, e ainda a sua guarda-redes Diana Roque. Mais uma vez se lamenta e não se compreende que para um jogo da final de um Play Off, não exista delegado e apenas esteja presente um Oficial de Mesa. Felizmente que o jogo que decorreu sem incidências disciplinares.

Jogos 3.º / 4.º Lugar (Play OFF, á melhor de 3, no sistema, Fora, Casa, Casa)

1.º Jogo
João Barros 25 – 28 Colégio Gaia
2.º Jogo
Dia 21-05-16
Colégio Gaia 29 – 28 João Barros

Resultado
João Barros (0) – (2) Colégio Gaia

Mais uma definição de classificação onde não foi necessário a realização dos 3 jogos possíveis, pois tudo ficou decidido após o segundo jogo, com nova e difícil vitória do Colégio Gaia que na nossa opinião termina a época em forma descendente, e que foi disputado em Gaia, perante uma assistência que julgávamos já não ser possível existir nestas provas (40 espectadores). O Colégio Gaia, iniciou bem o encontro e comando o jogo e o marcador durante os primeiros 30 minutos, depois de um equilíbrio aos 6-5, rapidamente fizeram o 9-6 para chegar ao intervalo a vencer por 17-14. Mas o segundo tempo foi de enorme sofrimento, após a excelente reação do João Barros, que equilibrou totalmente o encontro, acabando derrotado pela diferença mínima. Assim o Colégio Gaia classifica-se em 3 lugar e o João Barros em 4.º lugar. Patrícia Lima com 8 golos e Bebiana Sabino com 5 golos, foram as melhores marcadoras do Colégio Gaia, Manuel Martins e Inês Pires, ambas com 5 golos cada foram as melhores marcadoras do joão Barros. Jogo que decorreu sem incidências disciplinares.

Atualização

Jogos 5.º / 6.º Lugar (Play OFF, á melhor de 3, no sistema, Fora, Casa, Casa)

1.º Jogo
CS Madeira 31 – 27 Maiastars
2.º Jogo
Dia 21-05-16
Maiastars 33 – 27 CS Madeira 
3.º Jogo
Dia 22-05-16
Maiastars 29 – 25 CS Madeira

Resultado
CS Madeira (1) - Maiastars (1)

Jogo disputado no Pavilhão Municipal da Maia, com a equipa do Maiastars a comandar o jogo e o marcador durante os 60 minutos de jogo, depois de rapidamente ter chegado aos 3-0, ainda durante o primeiro tempo e fazendo uma excelente prestação, depressa chegou 11-3, para chegar ao maior diferencial registado durante o encontro quando ainda no primeiro tempo colocou o marcador a seu favor em 19-7, para chegar ao intervalo a vencer por 20-11. No segundo tempo as madeirenses tiveram uma reação bem positiva, e chegaram a apenas 3 golos de diferença 29-26, que foi a menor diferença registada neste período. Com esta resultado o 5/6 Lugar só será definido com o terceiro encontro. Maria Cerqueira e Diana Oliveira, ambas com 8 golos cada, foram as melhores marcadoras da equipa maiata, Sara Gonçalves com 10 golos e Cláudia Vieira com 8 golos, foram as melhores marcadoras da equipa do CS Madeira. Jogo que decorreu sem incidências disciplinares.

No jogo que decidia o 5/6 Lugar, disputado hoje (22-05-16), o terceiro encontro entre estas duas equipas, e diga-se desde já que se saúda o facto de não existirem registo disciplinares. Foi um encontro, que começou da melhor maneira para o CS Madeira, que rapidamente chegou a 3-0, para de pois se ter a ver com a extraordinária reação da equipa maiata, que iguala o marcador a 7 golos, para a partir deste, momento a equipa do Maiastars assumir o comando do marcador, até final dos 60 minutos, com o intervalo a chegar com a equipa maiata na frente pela diferença mínima (12-11), nos segundos 30 minutos, o diferencial foi sempre em crescendo, chegando aos 7 golos de vantagem para o Maiastars (27-20), com uma reação final, acompanhada por nítido abrandamento da sua forma de jogar, da equipa maiata, que permitiu, o seu términus com apenas 4 golos de diferença, e com esta vitória, alcançou o 5.º lugar da classificação. A grande figura do encontro foi a jovem Diana Oliveira do Maiastars com 14 golos, por seu lado Ana Castro e Cláudia Vieira, mabas com 5 golos cada foram as melhores marcadoras do CS Madeira.

Jogos 7.º / 8.º Lugar (Play OFF, á melhor de 3, no sistema, Fora, Casa, Casa)

1.º Jogo
Santa Joana 23 – 26 CA Leça
2.º Jogo
Dia 21-05-16
CA Leça 33 – 29 Santa Joana (C/prolongamento)

Resultado
Santas Joana (0) – (2) CA Leça

Jogo disputa no Municipal de Leça de Palmeira, com a equipa local a vencer o encontro após prolongamento, depois de uma igualdade a 27 golos no tempo regulamentar. O CA Leça vencia ao intervalo por 17-11, mas um segundo período de reação plena, da equipa maiata do Santa Joana, levou a que o resultado no final do tempo regulamentar fosse uma igualdade, transformando o encontro num jogo com duas partes completamente distintas, no prolongamento a equipa do CA Leça concretizou a sua vitória, ao vencer por 6-2, e com este resultado alcançar o 7.º Lugar da Classificação, não havendo a necessidade da disputa do 3.º jogo, para definir a classificação final. Jogo que decorreu sem incidências disciplinares. Cristiana Morgado com 14 golos foi a melhor marcadora do CA Leça, Ana Sampaio com 5 golos foi a melhor marcadora numa equipa que teve 10 atletas a marcar golos.

Grupo B

6.ª Jornada (Última Jornada)
Dia 21-05-16
Juventude Lis 32 – 37 Assomada
Passos Manuel 20 – 19 ARC Alpendorada

Permanecem na 1.ª Divisão – Juventude Lis e Passos Manuel
Descem de Divisão – Assomada e ARC Alpendorada

Grupo onde nesta jornada (última desta fase) ficavam definidas as equipas que desciam de divisão e as equipas que permaneciam na 1.ª Divisão, curiosamente defrontavam-se as duas equipas que já tinham as suas posições definidas (Juventude Lis / Assomada) e as duas equipas que discutiam um lugar de permanência (Passos Manuel / ARC Alpendorada). Jogos realizados sem se registarem ocorrências disciplinares o que é sempre salutar.

O Passos Manuel, venceu pela diferença mínima, o ARC Alpendorada, num jogo, sempre disputado com grande equilíbrio, durante os 60 minutos, o que é demonstrativo do equilíbrio existente entre estas duas equipas, basta recordar a igualdade a 30 golos registada na 1.ª volta. Este encontro entre o Passos Manuel e o ARC Alpendorada, foi disputado com uma assistência bem acima do que é normal registar-se no Pavilhão da Quinta Marrocos, nestes encontros. O Passos Manuel chegou ao intervalo a vencer por 12-10, mas a forte reação do ARC Alpendorada, levou a sucessivas igualdades, a 16, a 17 e a 18 golos, para terminar pela diferença mínima. Com esta vitória a equipa do Passos Manuel, mantêm-se na 1.ª Divisão, sendo a única Portuguesa que disputa os principais Campeonatos Nacionais de Seniores nos dois géneros. No Outro encontro e surpreendentemente a Assomada foi a Leiria vencer a Juventude Lis, num encontro em que comandou o marcador praticamente durante os 60 minutos, passando do 10-6maior diferencial no primeiro tempo para o 18-15 ao intervalo, no segundo tempo chegou a ter 7 golos de diferença quando o marcador registava 34-27. Apesar de ter vencido este encontro, a sua descida de divisão já estava confirmada.

Classificação do Grupo “B”, após esta Jornada: 1.º Juventude Lis (30 pontos), 2.º Passos Manuel (29 pontos), 3.º Assomada (27 pontos), 4.º ARC Alpendorada (26 pontos).

Classificação Final

1.º Madeira SAD, 2.º Alavarium, 3.º Colégio Gaia, 4.º João Barros, 5.º Maiastars, 6.º CS Madeira, 7.º CA Leça, 8.º Santa Joana, 9.º Juventude Lis, 10.º Passos Manuel, 11.º Assomada, 12.º ARC Alpendorada.

O Banhadas Andebol

Crónica de Fim-de-semana – 46 – 2015 / 2016 – I

Crónica de fim-de-semana, apenas dedicada aos jogos do grupo A, que se disputaram, pois o 3/4 Lugar já estão definidos, e o Grupo B já terminou, fica apenas por concluir a definição do Campeão Nacional, pois os seus intervenientes encontram-se a disputar a Final da Challeng Cup.

PO01 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Masculinos.
Jogos da Final (Play OFF, á melhor de 5, no sistema Casa, Fora, Casa, Fora Casa) – Apuramento do 1.º e 2.º Lugar

1.º Jogo
ABC 40 – 38 Benfica (C/ 2 prolongamentos)
2.º Jogo
Benfica 28 – 25 ABC
3.º Jogo
Dia 25-05-16
ABC – Benfica (21H00)
4.º Jogo
Dia 28-05-16
Benfica – ABC (17H00)

Resultado
ABC (1) – (1) Benfica

Jogos 3.º / 4.º Lugar (Play OFF, á melhor de 3, no sistema, Fora, Casa, Casa)

Já definidos - 3.º Lugar FC Porto, 4.º Lugar Sporting

Jogos 5.º / 6.º Lugar (Play OFF, á melhor de 3, no sistema, Fora, Casa, Casa)

1.º Jogo
Águas Santas 29 – 28 Madeira SAD (C/Prolongamento)
2.º Jogo
Madeira SAD 32 – 28 Águas Santas
3.º Jogo
Dia 21-05-16
Madeira SAD 28 – 25 Águas Santas (C/Prolongamento)

Resultado Final
Águas Santas (1) – (2) Madeira SAD

Na disputa do 5/6 Lugar, onde estava em causa mais um lugar Europeu, em virtude de o vencedor da Challenge CUP, ser um clube português, sendo esse lugar conquistado pelo Madeira SAD, que venceu o Águas Santas, no encontro decisivo, e apenas após prolongamento, num encontro disputado no Funchal, com um pavilhão cheio, e que teve uma curiosidade no facto de existirem 16 livres de 7 metros no tal, durante os 70 minutos de jogo (prolongamento incluído). Neste terceiro jogo as alternâncias, que por vezes se registaram e outras o equilíbrio verificado, foram algumas das situações relevantes do encontro, que aos 11 minutos registava uma igualdade a 4 golos, para aos 20 minutos de jogo o marcador se situar em 10-5, a favor do Madeira SAD, maior diferencial registado durante todo o encontro, mas neste momento a equipa madeirense teve uma “branca” e parou, e esteve 12 minutos sem marcar qualquer golo, de tal forma que o intervalo chegou com o Madeira SAD ainda na frente mas pela diferença mínima (10-9), mas sou voltou a marcador quando igualou o marcador a 11 golos aos 32 minutos de jogo. Por sua vez a equipa do Águas Santas, que tinha em Pedro Peneda (10 golos e 77% de eficácia) o seu mais produtivo jogador, teve em Pedro Cruz (7 golos, e 54% de eficácia) que praticamente apenas marcou no segundo tempo, o seu principal motor, comandou várias vezes o marcador, no entanto nunca obteve margens superiores a 2 golos (14-12, 16-14, 17-15, e 20,18, como exemplo), para aos 58 minutos de jogo, o marcador se encontrar numa igualdade a 23 golos, sendo o resultado ao fim dos 60 minutos nova igualdade a 24 golos, conseguida através da conversão de livres de 7 metros, um para cada lado. No Prolongamento total superioridade do Madeira SAD que fez um parcial de 4-1, com Cláudio Pedroso (11 golos, e 65% de eficácia), a ser um dos seus jogadores mais influentes, sendo bem acompanhado ao longo de todo o encontro por Elias António (7 golos, e 54% de eficácia). Uma referência final para o bom trabalho dos guarda-redes de ambas as equipas (Luís Carvalho, 31% de eficácia) pelo Madeira SAD, e para Telmo Ferreira (38% de eficácia), e João Moniz (30% de eficácia), pelo Águas Santas. Jogo sem incidências disciplinares registadas.

Jogos 7.º / 8.º Lugar (Play OFF, á melhor de 3, no sistema, Fora, Casa, Casa)

1.º Jogo
AA Avanca 28 – 26 Passos Manuel
2.º Jogo
Passos Manuel 30 – 29 AA Avanca
3.º Jogo
Dia 21-05-16
Passos Manuel 27 – 28 AA Avanca

Resultado
AA Avanca (1) – (2) Passos Manuel

Mais um lugar que foi definido através do 3.º jogo, disputado mais uma vez na Quinta Marrocos, onde decorreu um jogo de grande equilíbrio, com alternâncias no marcador e diversas igualdades, com o maior diferencial a ser de 3 golos a favor dos locais, quando aos 34 minutos o resultado era de 19-16 a favor do Passos Manuel, depois de o intervalo ter chegado com a equipa da AA Avanca na frente do marcador pela diferença mínima (16-15), temos na sua opinião que a principal diferença esteve no rendimento dos guarda-redes de ambas as equipas, onde a média no Passos Manuel foi de 12% de eficácia, enquanto na AA Avanca a mesma foi de 29%, o equilíbrio manteve-se durante todo o resto do encontro, e atingiu-se o último minutos com uma igualdade a 28 golos, com o golos da vitória a ser obtido por Miguel Batista (8 golos, 80% de eficácia) nos últimos instantes do encontro, tem do sido bem acompanhado pelo jovem Diogo Oliveira (5 golos, e 71% de eficácia), por sua vez no Passos Manuel, de assinalar os 8 golos de Ricardo Barrão (73% de eficácia), e os 7 golos de Pedro Sequeira (70% de eficácia). Infelizmente foi um encontro com incidências disciplinares.

Classificação Final – 3.º FC Porto, 4.º Sporting, 5.º Madeira SAD, 6.º Águas Santas, 7.º AA Avanca, 8.º Passos Manuel, 9.º Ismai, 10.º Belenenses, 11.º SC Horta, 12.º AC Fafe
.
Competições Europeias – Nos termos definidos no Regulamento da PO01 e da PO20.

Liga dos Campeões
EHF 1
EHF 2 – FC Porto
Challenge CUP 1 – Sporting
Challenge CUP 2 - Madeira SAD

Descem de Divisão – SC Horta e AC Fafe

O Banhadas Andebol

PO12 – 2015 / 2016 – Fase de Apuramento

Realizou-se a Fase de Apuramento da PO12 (Campeonato Nacional Juvenis Femininos), prova não fixa, que foi disputada no Pavilhão Municipal de Leça da Palmeira nos dias 20 a 22 de Maio de 2016.

PO12 – Campeonato Nacional de Juvenis Femininos

Fase de apuramento para a Fase Final (TXT a 1 volta em regime de concentração) apurando-se o 1º Classificado, para a Fase Final.

Resultados - Fase de Apuramento

1.ª Jornada- Dia 20-05-16
1.º Maio 28 – 34 Alavarium AC
CS Madeira 37 – 39 CA Leça
2.ª Jornada – Dia 21-05-16
Alavarium AC 29 – 34 CA Leça
1.º Maio 19 – 26 CS Madeira
3.ª Jornada – Dia 22-05-16
CS Madeira 34 – 28 Alavarium AC
CA Leça 33 – 26 1.º Maio

Classificação Final: - 1.º CA Leça, 2.º CS Madeira,3.º Alavarium e 4.º 1,º Maio.

Uma curiosidade, que por sinal é comum em todas as Fases de apuramento, onde as equipas locais são as únicas que não jogam dois dias seguidos, situação que apenas se entende por motivos económicos. De referir, que em nenhum jogo se registou qualquer ocorrência disciplinar, e que o número de espectadores, foi em número considerado bom para o escalão e fase em disputa. A equipa apurada, CA Leça, foi apurada invicta, não havendo qualquer necessidade de recorrer a formas de desempate. Destacaremos algumas atletas pelos golos que concretizaram, Maria Rebeca pelo Alavarium, Joana Resende pelo CA Leça, Beatriz Sousa do CS Madeira, bem como Madalena Pires pelo 1.º Maio.

Fase Final – Apurados (Colégio Gaia, Juventude Lis, JAC- Alcanena e CA Leça

Calendário - Fase Final

1.ª Jornada- Dia 03-06-16
Juventude Lis – JAC Alcanena
CA Leça – Colégio Gaia
2.ª Jornada – Dia 04-06-16
JAC Alcanena – Colégio Gaia
Juventude Lis – CA Leça
3.ª Jornada – Dia 05-06-16
CA Leça – JAC Alcanena
Colégio Gaia – Juventude Lis

Disputa-se em regime de concentração de 03-06-16 a 05-06-16, em local a definir.

O Formador

sábado, 21 de maio de 2016

Competições Europeias 2015 / 2016 – LXXV

ABC VENCE CHALLENGE CUP MASCULINA
(Perde jogo da 2.ª Mão) 

Disputou-se este fim-de-semana, a 2.ºMão da final da Challenge CUP Masculina, e que foi decisiva para a entrega do troféu, numa final que se disputou pela primeira vez entre duas equipas portuguesas.
No mítico Pavilhão Flávio Sá Leite, completamente cheio, sendo talvez o pronuncio de o regresso aos “bons velhos tempos”, com uma assistência que nunca regateou esforços no apoiou á equipa do ABC, que embora perdendo o jogo, nunca perdeu a noção da final que estava a disputar, pois sabedora das limitações do seu plantel, onde as ausências são de “peso” em especial de Nuno Grilo, pois limita a sua 1.ª linha, contou um Guarda-redes, de seu nome Humberto Gomes, que fez uma exibição do “outro Mundo”, nunca permitindo demasiado veleidades aos seus adversários. O Benfica que entrou bem no jogo, chegou a criar a sensação de que poderia dar a volta ao resultado, quando aos 10 minutos de jogo vencia por quatro golos de diferença (6-2), com ataques bem delineados e com uma defesa mais arguta. Time-out oportuno do técnico bracarense e aos 25 minutos de jogo, o resultado era uma igualdade a 9 golos, com o Benfica a falar ataques sucessivos uns por mérito do guarda-redes do ABC, outros por completa ineficácia do seus atletas. Destaque-se neste período para a inteligência com que o ABC geria o jogo, onde Pedro Seabra Marques (2 golos), se distinguia pela qualidade e inteligência que colocava em campo. O intervalo chegou com uma igualdade a 11 golos, que era nem mais nem menos do que o reflexo do que se tinha passado em campo, Se por um lado havia Pedro Marques do Outro Lado deve-se igualmente distinguir a inteligência e a eficácia de Belone Moreira (5 golos), onde U. Silva, demonstrava não estar nos seus dias, até aos 56 minutos de jogo (24-24), o ABC, começou sempre a equilibrar o jogo, nunca deixando de comandar o marcador por diversas vezes, onde Fábio Vidrago (2 golos), surpreendia ao ser um rematador eficaz de 1.ª linha face ao seu enorme poder de impulsão, e Diogo Branquinho e Miguel Sarmento, ambos com (5 golos) demonstravam uma grande eficácia em especial,nas ações de contra ataque Entretanto Ales Silva (3 golos) tinha sido desqualificado (37 minutos), Sentindo que a vitória no troféu já não lhe fugia, O ABC, substitui o Guarda-redes, entrando Cláudio Silva aos 55 minutos de jogo. O Benfica nos últimos minutos e face ao “relaxamento” do adversário soube aproveitar e bem o espaço que lhe era concedido, para vencer o encontro, e infligir a primeira derrota na prova esta época ao ABC.Dirigiu o encontro a dupla sueca constituída por Mirza Kurtagic e Mattias Wetterwik, que apesar de terem realizado uma tarefa arbitral, sem grandes problemas, nunca se entendeu a sua forma de assinalar o jogo passivo.

Resultados

1.ª Mão
Benfica 22 – 28 ABC  
2.ª Mão
ABC 25 – 29 Benfica

O Banhadas Andebol

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Novas regras – Julho – 2016 - VI

IHF IMPLEMENTA
ALTERAÇÕES ÀS REGRAS
(JULHO DE 2016) 

A Federação de Andebol, publica, através do seu CO N.º 65 de 02-03-16, de que a IHF, implementa a partir de 1 de Julho de 2016, alterações às Regras de Jogo.

No entanto após esta publicação parece que o assunto caiu no esquecimento, ou então fica no segredo dos “deuses”, torna-se necessário uma ampla divulgação das mesmas da sua forma de aplicação das decisões a serem tomadas, pois vão iniciar-se em breve provas referentes a uma nova época, onde os técnicos os jogadores, os árbitros, os dirigentes, e até o público deveria estar devidamente elucidado, para se evitarem conflitos absolutamente desnecessários.

Hoje e conforme pesquisa efetuada, presta-se alguns esclarecimentos acerca da aplicação do Jogo Passivo, segundo as novas regras, retirados de um excelente artigo publicado no “Mundo Handball”, que nos coloca alguns questões que mereciam uma resposta de quem de direito.

Jogo Passivo

As numerosas alterações regulamentares que se verificam no Andebol, merecem alguns esclarecimentos técnicos, hoje iremos falar acerca do Jogo Passivo.

Os motivos que levaram a que se verificasse uma alteração nesta regra, são claros, a maioria dos especialistas consultados, são coincidentes, de que após os árbitros levantarem o braço, para sinalizar o “gesto de Advertência de Jogo Passivo”, por vezes no momento certo, mas falham (ou não têm um critério uniforme), no momento de tomar a decisão de marcação do respetivo livre contra a equipa atacante.

Para solucionar o problema a IHF, implementa uma forma “objetiva” de medir a duração permitida ao ataque, após o gesto de advertência: “6 passes”. Se a equipa “advertida pelos árbitros”, não remata antes dos 6 passes, perderá a posse de bola.

O documento explicativo, divulgado pela IHF, é somente uma introdução a um trabalho muito mais profundo que deverá aparecer nos próximos dias (não só a Regra de Jogo Passivo, mas todas as alterações que se verificaram), e com alguns temas sobre os quais ainda não foram especificados.

A Nova Regra indica que:

  • É claramente possível apitar um lançamento livre contra a equipa atacante ANTES de os 6 passes serem executados (se a equipa está claramente a jogar para trás, um jogador fica parado batendo a bola, no centro do campo, etc.)
  • Se depois de um máximo de 6 passes não se realizou nenhum remate, um dos árbitros apitará jogo passivo (Lançamento Livres a favor da outra equipa).
  • Se há uma falta e os árbitros decidem por um lançamento livre a favor da equipa atacante, a contagem do número de passes não é interrompida (Não volta a zero).
  • Se um remate é bloqueado pela equipa defensora, a contagem do número de passes não é interrompida (Não volta a zero).
  • Se a equipa defensora comete uma falta depois do sexto passe, mas antes de os árbitros terem apitado para jogo passivo, esta infração, dará lugar a um lançamento livres a favor da equipa atacante. Nesta caso a equipa atacante tem direito a um passe adicional para completar o ataque, e tem a possibilidade de executar o lançamento livre de forma direta.
  • Até aqui está tudo claro.

“Mas o que acontece se o jogador que recebe a bola atinge o sexto passe e a bola é bloqueada (Bloqueio), por jogadores da equipa que defende?”

Possibilidade A – A bola bloqueada pela defesa sai pela linha lateral ou pela linha de saída de baliza.

  • Neste caso? Será que o jogador atacante que executa a reposição deveria lançar diretamente á baliza da equipa defensora, por já ter realizado os 6 passes permitidos?
  • Numa entrevista concedida á Handball-World, Manfred Prause, presidente da Comissãi de Regras e Arbitragem da IHF, explicou o assunto:
  • A reposição será sempre favorável á equipa atacante, que laçou após o sexto passe, depois de os árbitros mostrarem o sinal de advertência para jogo passivo, e será tratado de igual maneira, que no caso de um lançamento livre. Neste caso a equipa poderá realizar sempre UM PASSE adicional.

Se permite ao ataque realizar sempre um passe adicional, nas condições em que existam reposição em jogo, pela lateral ou pela linha de saída de baliza, ou um lançamento livre assinalado logo após o 6 passe.

  • Assim um jogador que executa um lançamento lateral, poderá lançar diretamente á baliza ou poderá passar a bola a um companheiro, neste caso o jogador que recebe a bola deverá executar imediatamente um remate á baliza, sem possibilidade de realizar um novo passe.
  • Esta norma refere-se apenas a reposições ordenadas pelos árbitros, após o sexto passe, e um ressalto num jogador de campo adversário. Pois como é conhecido, se a reposição para o ataque resulta de uma defesa do guarda-redes da equipa adversária, o gesto de advertência de jogo passivo é cancelado e se inicia um novo ataque.
Possibilidade B - A bola bloqueada pela defesa adversária, vai para o meio campo e é agarrada pela equipa atacante, sem sair de campo. Esta situação não é aclarada no document nem na entrevista de Prause. Ficamos na expectativa de um esclarecimento que deve surgir antes do inicio dos próximos Jogos Olímpicos. 

Hoje ficaremos por aqui. Proximamente voltaremos ao tema das novas regras.

O Formador

All Star Team – Liga dos Campeões Europeus – Feminino – Época 2015/2016 – II

ALL-STAR TEAM FEMININO
DA LIGA DOS CAMPEÕES

A EHF, pelo 3.ª ano consecutivo levou a efeito uma votação online, para o chamado All-Star Team da Liga dos Campeões Femininos.

Participaram na votação cerca de 28.000 pessoas, ou seja aproximadamente mais 6.000 votantes que na época anterior, depois da apresentação dos cerca de 50 jogadores e treinadores, selecionados, os resultados foram os seguintes:

Guarda-Redes
Kari Grimsbo (Noruega) – Gyori Audi ETO KC (Hungria) 52,1%
Ponta Esquerda
Aniko Kovacsics (Hungria) - Gyori Audi ETO KC (Hungria) 42,9%
Lateral Esquerda
Cristina Neagu (Roménia) - Buducnost (Montenegro) 38,3%
Central
Nycke Groot (Holanda) - Gyori Audi ETO KC (Hungria) 46,7%
Pivot
Heidi Loke (Noruega) - Gyori Audi ETO KC (Hungria) 62,2%
Lateral Direita
Nora Mork (Noruega) - Larvik (Noruega) 45,1%
Ponta Direita
Jovanka Radicevic (Montenegro) - HC Vardar (Macedónia) 32,2%
Defensora
Eduarda Amorim (Brasil) - Gyori Audi ETO KC (Hungria) 54,6%
Jovem Jogadora
Luca Szekerczes (Hungria) - FTC Rali Cargo Hungaria (Hungria) 31.8%
Treinador
Ambros Martin (Espanha) - Gyori Audi ETO KC (Hungria) 45,1%

O Historiador

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Competições Europeias 2015 / 2016 – LXXIIII

CHALLENGE CUP MASCULINA
FINAL 

Prossegue este fim-de-semana, a disputa da final da Challenge CUP Masculina, com a realização do jogo da 2.ª Mão, em Braga. Final se disputa pela primeira vez entre duas equipas portuguesas.

Resultados e Calendário da Final

1.ª Mão
Dia 14-05-16
Benfica 22 – 28 ABC  

2.ª Mão
Dia 21-05-16
ABC – Benfica (18H00) Sport TV5

O Banhadas Andebol

EHF CUP – Masculina – 2015 / 2016

FRISCH AUF GOPPINGEN (ALEMANHA) VENCE FINAL FOUR
DA
EHF CUP MASCULINA 2015 / 2016

Realizou-se este fim de fim de semana a Final Four da EHF CUP Masculina, que se disputa em Nantes (França), nos dias 14 e 15-05-16. E que contou com a presença do Delegado Português António Goulão na Final.

Resultados
1/2 Final
Dia 14-05-16
Chambery S. Handball (França) 25 – 28 Frisch Auf Goppingen (Alemanha)
Fraikin BM Granollers (Espanha) 26 – 27 HBC Nantes (França)
Dia 15-05-16
3/4 Lugar
Chambery S. Handball 21 – 25 Fraikin BM Granollers
Final
Frisch Auf Goppingen 32 – 26 HBC Nantes

Frisch Auf Goppingen (Alemanha), vence os anfitriões da Final Four, após uma sensacional reviravolta no marcador no jogo das 1/2 Final, frente aos também franceses do Chambery, consumando assim a sua terceira vitória na EHF CUP. Depois de 2011 e 2012.

O Jogo da final foi presenciado por cerca de 4500 espectadores, que esgotaram a capacidade do pavilhão.

Melhor Marcador – Ferran Sole Sala (Granollers) 70 golos
MVP – Zarko Sesum (Goppingen)

O Noticias

Arbitragem – Andebol de Praia - 2015 /2016 - I

ÁRBITROS PORTUGUESES
EM
CURSO INTERNACIONAL

Mais um texto, que provavelmente irá provocar polémica e reações adversas, e quem sabe, mais ameaças, mas não poderemos deixar de o fazer

Em primeiro lugar congratular-nos pela presença de uma dupla de arbitragem portuguesa num curso da EHF, para futuros árbitros Internacionais de Andebol de Praia, conforme noticia o sítio da Federação (Rui Almeida e António Oliveira, dupla de Aveiro), bem como a presença de Francisco Remígio (árbitro de Leiria na ação para delegados, que se realizam em simultâneo com as Finais do EBT na Grécia nos dias 20 a 22-05-16.

Mas além de se questionar, como um árbitro, vai poder desempenhar funções de delegado, pois questiona-se o exercício de funções incompatíveis em termos de regime jurídico das Federações, o mais espetacular, desta notícia é a seguinte informação:

A dupla de árbitros e o delegado vão ser acompanhados por Manuel Conceição, um dos responsáveis da formação do Conselho de Arbitragem”.

  • Em primeiro lugar questiona-se a necessidade da presença deste elemento e qual vai ser o seu “papel”?
  • Depois pergunta-se a Federação deve andar a “nadar” em dinheiro?
  • E seguidamente, desde quando este dirigente do CA é o ou um dos responsáveis da formação?
Fomos ler o regimento do CA, que está disponível no sítio da Federação, na sua versão n.º… e eis o que encontramos:

A Formação de árbitros está atribuída ao Vice-presidente Jorge Gil
E as funções atribuídas ao vogal Manuel da Conceição, nada têm a ver com a formação.
Hoje ficaremos por aqui, voltaremos ao tema se entretanto se verificar necessário.

O Analista