gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

segunda-feira, 16 de julho de 2018

Arbitragem – Dupla Provisórias – 2018/2019 - I


DUPLAS PROVISÓRIAS

Depois de termos feito um artigo acerca da circular 016 de 2017/2018, constatámos que todo o conteúdo por nós publicado tinha a sua razão de ser, em especial quando referimos as subidas e descidas de Nível, e que não se encontravam conforme o regulamento, duplas teriam que ser criadas antes da entrada da nova época, e iríamos ter provavelmente grandes surpresas com as descidas ou não por força do não devido preenchimento dos quadro previstos. E dizíamos a esse propósito “Mais o CA, faz o que lhe apetece sem respeito pelos Regulamentos em vigor até este momento, nunca tendo dado cumprimento ao estabelecido ao Estabelecido no seu novo Artigo 45.º, ou seja composição dos quadros, pois a classificação ora divulgada, é plenamente demonstrativa da falta de preenchimento dos referidos quadros, conforme estipula o ponto 1 do Artigo 54.º do seu Regulamento de Arbitragem “.

E dizíamos ainda “A Circular agora emitida é mais um reflexo do não desenvolvimento da modalidade, pois refere Regulamento de Arbitragem, quando no Portal da FAP, e quanto a nós erradamente, é referido Regulamento do Conselho de Arbitragem.”

No final tínhamos razão pois o CA, esta época com uma diferença de uma meia dúzia de dias, divulga as duplas provisórias (Através da Circular N.º 001 – de 11-07-18.

Convém aqui esclarecer, Apesar de não possuirmos funcionários e o nosso trabalho, ser feito para a modalidade, e não da modalidade para nós, não nos coibimos, com os nossos colaboradores de fazer as analises que entendermos em tempo útil. No dia em que tivermos que ter funcionários ou prestadores de serviço sejam de onde forem, o Blog pura e simplesmente deixará de funcionar. E Agora vamos ao que interessa. Tudo isto para os profissionais dos comentários, dizerem que só agora falamos sobre as duplas provisórias

Esta circular N.º 001 de 12-07-17 sobre duplas provisórias que é um documento que é um autêntico “hino da alegria”, com o CA a informar que a constituição das duplas definitivas serão apenas conhecidas após as acções de formação. Não entendemos bem porquê, a não ser que este texto é uma acção de “charme”, que não vai resolver nada, pois o mal já está feito, com as subidas e descidas, sendo o resultado final será praticamente o mesmo.

Continua-se a não se compreende porque não foi publicada a lista provisória dos Observadores e Delegado e suas classificações, será que existem? Ou vão sofre o mesmo caminho que os Oficiais de Mesa, nesta caso como esta época é completamente obrigatório os clubes os chamados CROM, que mais uma vez, irão agora ser provavelmente “feitos de empreitado”, para “gáudio” da ANCAMP.  

Esta circular, vêm mais uma vez provar o desnorte que gravita para os lados do CA, por exemplo o número de duplas diminui de ano para ano, onde está o tão apregoado desenvolvimento? Ou será que apenas existe desenvolvimento quando se aumenta o número de lugares na EHF e na IHF?

Depois de na época 2016 / 2017, ser publicado um quadro de duplas provisórias, com 55 duplas, na época 2017 / 2018, com apenas 52 duplas, esta época o quadro apenas têm 42, e 4 árbitros sem dupla, ou seja uma autêntica, e “Pura Evolução!”, para o Abismo. Pois qualquer dia são mais os dirigentes do CA e os seus assessores, do que quadros de arbitragem.

Esta Circular N.º 001 do CA agora emitida com as Duplas provisórias, continua a demonstrar as irregularidades já por nós denunciadas, por exemplo no quantitativo dos quadros de arbitragem conforme consta do Artigo 45.º do Próprio Regulamento, A título de exemplo o quadro de nível 4 que só deveria ter 15 duplas surge agora com 14 duplas tendo feito uma subida de nível de 5 duplas, e duas descidas apesar do quadro não estar completo, Porquê? Qual a Justificação? E Agora como será aplicado conteúdo do artigo 51.º alínea a) por exemplo, que diz:

a) Nível 4:
i. São despromovidas ao Nível 3 as duas duplas com pior classificação do Nível 4.
ii. As duas duplas melhor classificadas do Nível 3 são promovidas ao Nível 4.

O mesmo se aplica às restantes categorias pois nenhum quadro foi preenchido conforme determina o Artigo 54.º do Regulamento e já referido. Qual a justificação regulamentar para a subida de 5 duplas quer no Nível 4, quer no Nível 3, por exemplo.

Isto depois de na época anterior quando o quadro deveria ter somente 14 duplas o CA ter constituído o mesmo com 15 duplas, evitando a descida de uma dupla (por respeito não referimos os nomes), sem qualquer justificação, e esta época escandalosamente, desce uma dupla internacional, que curiosamente até apresenta uma pontuação superior a uma das duplas que o CA resolveu subir, qual o critério objectivo? Será que esta dupla vai perder a categoria de internacional, conforme consta do Artigo 47.ª alínea a) ponto 2, onde obrigatoriamente os Internacionais têm de possuir o nível 4? Qual o grau de dificuldade que algumas duplas cuja classificação têm uma pontuação que provavelmente só em Portugal ou no “Céu”, que na nossa opinião são simplesmente vergonhosas.

Continuamos a afirmar que a pirâmide de desenvolvimento completamente invertida, com apenas 1 duplas aptas no nível 1 (nível de Formação), questiona-se onde para o prometido desenvolvimento, onde está a formação? Pois nesta circular N.º 001, é uma pura e plena demonstração da degradação a que a arbitragem chegou.

A circular aplica as subidas e descidas, sem nunca as nomear, o que não se entende? Porquê? É matéria que está devidamente regulamentada, e portanto, não deverá existir qualquer problema em indicá-las.

Apenas, e a título de exemplo desta vez publicamos o quadro provisório completo do Nível 4. Com algumas situações que na nossa opinião atingem o caricato, e estamos desejosos de ver quais as nomeações que irão ser feitas para os jogos de grau de dificuldade elevada.
Desta vez o CA não coloca nenhuma nota de rodapé sobre “ Os quadros de arbitragem não constantes da presente circular”, como será?

Apenas referimos a Circular N.º 2 (Penalizações, para a época 2018 /2019) com a data da Circular N.º 1, mas metida bastante à posterior, na notícia, sobre a N.º 1, continua tudo na mesma, a querem fazer das pessoas, “parvas”, como de costume

O Regras

Europeu Sub-18 Masculino – 2018 – XIV


EHF M18 EURO – 2018

SELECÇÃO DE JUNIORES SUB-18
ESTAGIO
(Foto FAP)
Conforma tínhamos informado e na continuidade da sua preparação para o Europeu da categoria que se disputa na Croácia durante o mês de Agosto. “Lembrar que Portugal faz parte do Grupo 1 na Ronda Preliminar, juntamente com a Croácia, Sérvia, e Israel.” Portugal vai realizar um novo estágio em São Pedro do Sul de 18 a 27-07-18, antes da sua partida para o Europeu.

Esperamos que mais este estágio sirva, para o melhor entrosamento da equipa, e para uma digna presença no Europeu.

Lista dos Convocados (17 atletas) – Sem comentários
O Noticias

EURO 2018 FEMININO – FRANÇA – XXII – ARBITRAGEM


EURO 2018 FEMININO – FRANÇA
(HANDBALLISSIME)
FASE FINAL

A EHF divulgou a lista das 14 duplas de arbitragem que vão participar numa acção de formação, que decorre de 31-08-18 a 01-09-18, em Viena.

Desta 14 duplas 12 serão as escolhidas para o Euro que decorrerá de 29-11-18 a 16-12-18, em França.

Duplas Seleccionadas (14)

Ana Vranjes / Marlis Wenninger - (Ausria)
Dalibor Jurinovic / Marko Mrvica - (Croácia)
Karina Christiansen/ Line Hesseldahl Hansen - (Dinamarca)
Andreu Marin/Ignacio Garcia Serradilla - (Espanha)
Charlotte Bonaventura / Julie Bonaventura - (França)
Michalis Tzaferopoulos / Andreas Bethmann - (Grécia)
Peter Horvath / Balasz Marton - (Hungria)
Igor Covalciuc / Alexei Covalciuc - (Moldávia)
Jelena Mitrovic / Andjelina Kazanegra - (Montenegro)
Cristina Nastase / Simona Raluca Stancu - (Roménia)
Viktoria Alpaidze / Tatyana Berezkina - (Russia)
Aleksandar Pandzic / Ivan Mosorinski - (Sérvia)
Maria Bennani / Safia Bennani - (Suécia)
Boris Mandak/Mario Rudinsky - (Eslováquia)

Infelizmente, a arbitragem portuguesa estará mais uma vez ausente.

O Noticias.

domingo, 15 de julho de 2018

Mundial Sub-20 Feminino – 2018 – XXII


21.º MUNDIAL SUB-20 FEMININO – 2018
(HUNGRIA)


Terminou a Fase Final do 21.º Mundial Júnior Sub-20 Feminino que decorreu até 14 de Julho de 2018 na Hungria. Disputando-se um total de 92 jogos. Com Portugal a Classificar-se no 18.º Lugar, conforme já por nós divulgado.

HUNGRIA CAMPEÃ MUNDIAL
(SUCEDE À DINAMARCA)
(Foto IHF)
Num jogo em que se defrontaram a Noruega e a Hungria, e que determinou quem substitui a Dinamarca que discutiu o 5/6 Lugar com a Holanda, tendo vencido a Hungria, num encontro de grande equilíbrio até ao intervalo que terminou com a equipa da Noruega a vencer por 13-10, mas a partir do 42 minutos (igualdade a 17 golos), a Hungria assumiu o comando do jogo e do marcador, que teve na sua guarda-redes Sára Suba uma das suas principais figuras (35% de eficácia), que realizou um excelente segundo período de jogo. Assim a Hungria é uma digna sucessora da Dinamarca vencedora em 2016, e a Noruega uma digna vencida, pois foi na nossa opinião uma das melhores equipas da competição, com a Coreia a chegar a uma merecida medalha de bronze.

De destacar que as 1/2 Final desta vez não foram disputadas apenas por equipas por equipas do Continente Europeu, mas com a intromissão de um ex-Campeã Mundial da categoria a Coreia, que acaba por discutir a o 3/4 lugar com a equipa da Rússia.

Resultados Finais

1/2 Final
Dia 13-07-18
Rússia 23 – 30 Noruega
Hungria 30 – 25 Coreia

Jogos Classificativos (5/8 Lugar)
Dia 13-07-18
Holanda 29 – 23 França
Roménia 20 – 29 Dinamarca

Dia 14-07-18
7/8 Lugar
França 30 – 24 Roménia  
5/6 Lugar
Holanda 32 – 28 Dinamarca
3/4 Lugar
Rússia 27 – 29 Coreia
Final
Noruega 22 – 28 Hungria

De salientar pela negativa as baixas médias de espectadores presentes por encontro com as raras mas normais excepções dos jogos onde participava a equipa da “casa” e foram muito poucos os outros encontros onde se ultrapassou os 1000 espectadores (3), sendo um delas o jogo do 3/4 Lugar com 2300, chegando a registrar-se encontros com apenas 40 espectadores, no entanto e como já referimos os jogos onde participava a equipa da Hungria, tiveram sempre espectadores acima dos 2500, chegando aos 5500 na 1/2 Final, e aos 6500 na final   

Classificação Final 1.º Hungria, 2.º Noruega, 3.º Coreia, 4.º Rússia, 4.º 5.º Holanda, 6.º Dinamarca, 7.º França, 8.º Roménia, 9.º Croácia, 10.º Islândia, 11.º Brasil, 12.º Suécia, 13.º Alemanha, 14.º Japão, 15.º Eslovénia, 16.º Montenegro, 17.º Espanha, 18.º Portugal, 19.º Angola, 20.º Chile, 21.º China, 22.º Paraguai, 23.º Egipto, e 24.º Costa Marfim (Não Participou)

O Próximo Mundial de Sub-20 Feminino será disputado na Roménia (2020)

All Star Team

Guarda Redes – Polina Kaplina (Rússia)
Ponta Esquerda – Emma Friis (Dinamarca)
Pivot – Noemi Pasztor (Hungria)
Ponta Direita – Dorottya Faluvegi (Hungria)
Lateral Esquerda – Noemi Hafra (Hungria)
Central – Henny Reistad (Noruega)
Lateral Direita – Line Ellertsen (Noruega)

Melhor Marcadora – Helena Paulo (Angola) – 73 golos

MVP – Hyesoo Song (Coreia) 

Todos os jogos puderam ser vistos em Live Stream, através do site da IHF.

Portugal conforme já informamos, está representado neste Mundial, também pelo Delegado António Goulão, que além dos jogos já por nós divulgado num total de 16, teve ainda funções, nos seguintes encontros, tendo sido nomeado para os jogos do último dia nomeadamente o encontro que decidia o 3/4 Lugar, o que é demonstrativo da qualidade das suas prestações.

Dia 13-07-18
Rússia – Noruega (1/2 Final)
Dia 14-07-18
Rússia – Coreia (3/4 Lugar)

O Noticias

Europeu Sub-18 Masculino – 2018 – XIII


EHF M18 EURO – 2018
SELECÇÃO DE JUNIORES SUB-18
REALIZOU ESTAGIO
E
JOGOU COM REINO UNIDO
(Foto FAP)
Dando continuidade à sua preparação para o Europeu da categoria que se disputa na Croácia durante o mês de Agosto. “Lembrar que Portugal faz parte do Grupo 1 na Ronda Preliminar, juntamente com a Croácia, Sérvia, e Israel.” Portugal realizou, um estágio am S. Pedro Sul, de 9 a 15 de Julho, que englobava a disputa de dois encontros treino com a Selecção de Sub-20 do Reino Unido, e que além de prepara cuidada da equipa, serviu ainda como para avaliação dos seleccionados.

Resultados dos jogos treino
Dia 11-07-18
Portugal 32 – 22 Reino Unido
Dia 14-07-18
Portugal 31 – 13 Reino Unido

Estágio proveitoso e com competição serve sempre para uma avaliação mais cuidada dos seleccionados. Portugal venceu os dois jogos treino, tendo no primeiro encontro, realizado um encontro com maior equilíbrio, com o seleccionado português a chegar ao intervalo a vencer pela diferença mínima (15-14). Nos segundos 30 minutos Portugal apresentou-se com outra disposição e começou a dilatar o marcador, terminando o jogo com um diferencial de 10 golos, sendo Filipe Morais, o melhor marcador da equipa portuguesa com 9 golos. No segundo encontro a Selecção Nacional dominou o jogo durante os 60 minutos, não permitindo qualquer veleidade à equipa do Reino Unido, de tal forma foi a sua superioridade que ao intervalo vencia por 17-5, sendo um excelente indicador em especial do trabalho defensivo, o ter apenas sofrido cinco golos (5). Nos segundos 30 minutos Portugal acaba por ter um maior número de golos sofrido o que é natural, terminado o encontro com um diferencial de 18 golos, que reflecte a diferença entre as duas equipas. Destacamos aqui, as palavras do técnico João Varejão, publicadas no Portal da FAP, pois as mesmas reflectem sensatez e um perfeito conhecimento do trabalho que está a realizar, disse nomeadamente “Hoje voltamos a defrontar a Equipa do Reino Unido depois de uma semana com oito sessões de treino e dois jogos realizados. Queríamos ver hoje, em situação de competição conteúdos que fomos introduzindo ao longo da semana, e estamos satisfeitos com a forma como foram interpretados durante o o jogo. Em termos defensivos cumprimos os objectivos que tínhamos definido, e em termos ofensivos procuramos e encontramos soluções para decidir. Toda a equipa se entregou e empenhou durante esta semana de preparação….”

Esta Selecção irá realizar um novo estágio em S. Pedro do Sul de 18 a 27 de Julho, ainda antes da sua partida para o Europeu.

Apenas questionamos o facto da FAP, não ter divulgado os Boletins de jogo destes encontros. Embora também possamos compreender o facto de os mesmos não serem divulgados devido ao facto de se tratarem de jogos treino.

O Noticias

sábado, 14 de julho de 2018

Jogos Europeus Universitários - 2018 - I


JOGOS EUROPEUS UNIVERSITÁRIOS
COIMBRA 2018
ANDEBOL

Disputam-se em Coimbra, os Jogos Universitários 2018, com a modalidade Andebol a ser, em termos de competição efetiva, disputada de 14 a 16 de Julho os Grupos e com as eliminatórias a serem realizadas de 17 a 19 de Julho de 2018.

Os jogos serão disputados, nos Pavilhões Mário Mexia (2239 espectadores), União de Coimbra (400 espectadores) e São João (700 espectadores).

Portugal estará representado, pelos Campeões Nacionais, que saíram dos Nacionais disputados em Aveiro, e ainda pela Universidade Coimbra como organizadora, em ambos os géneros. Tendo o sorteio dos Grupos sido realizado (13-07-18)

Representantes Portugueses

Masculinos - Universidade do Porto
Femininos - Associação Académica da Universidade do Minho
Organizadora – Universidade de Coimbra (nos dois géneros)

Constituição dos Grupos

Masculinos

Grupo A - Universidade de Coimbra (Portugal), Stefan Cel Mare University of Suceava (Roménia), University of Barcelona (Espanha).
Grupo B - University of Bochum (Alemanha), University of Belgrade (Sérvia) University of Basel (Suiça), Radboud University Nijmegen (Holanda)
Grupo C - Yeditepe University (Turquia), University of Oslo (Noruega) Universidade do Minho (Portugal), Aix-Marseille University (França)

Calendário das Equipas Portuguesas

Grupo A
Dia 14-07-18
Universidade de Coimbra 19 - 28 Stefan Cel Mare University of Suceava 
Dia 15-07-18
Universidade de Coimbra - University of Barcelona (09H00)
Grupo C
Dia 14-07-18
Universidade do Minho 24 - 33 Aix-Marseille University 
Dia 15-07-18
Universidade do Minho - University of Oslo (13H00)
Dia 16-07-18
Universidade do Minho - Yeditepe University
 
Femininos

Grupo A - Universidade de Coimbra (Portugal), Lithuanian Sports University (Lituânia),
University of Belgrade (Sérvia).
Grupo B - Universidade do Porto (Portugal), Aix-Marseille University (França) ,University of Applied Sciences for Police and Public Administration (Alemanha).
Grupo C – University of Rijeka (Croácia), Akdeniz University (Turquia), University of Pitesti (Roménia)
Grupo D – German Sport University Cologne (Alemanha), Radboud University Nijmegen (Holanda), (NED), University of Oslo (Noruega).
 
Calendário das Equipas Portuguesas

Grupo A
Dia 14-07-18
Universidade de Coimbra 9 - 49 Lithuanian Sports University
Dia 16-07-18
Universidade de Coimbra - University of Belgrade (18H00)
Grupo B
Dia 14-07-18
Universidade do Porto 21 - 29 Aix-Marseille University
Dia 16-07-18
Universidade do Porto - University of Applied Sciences for Police and Public Administration (10H00)

Arbitragem

Como é normal neste tipo de realizações que têm o apoio da EHF e são aproveitadas para se inserirem em trabalhos dos chamados (Young Referee Programme) para os jovens árbitros, a EHF, Portugal está representado por uma jovem dupla que faz parte do programa (Fernando Costa / Diogo Teixeira, da AA Braga). E ainda pelo preletor Carlos Garcia.

Duplas Nomeadas pela EHF
(Foto EHF)
Fernando Costa / Diogo TeixeiraPortugal
Alejandro Hoz / Axel Riloba – Espanha
Ioannis Fotakidis / Charalampos Kinatzidis – Grécia
Lejla Jashar / Mihaela Kapsareva – Macedónia
Ivan Drobnjak / Nemanja Rovcanin – Montenegro
Erik Abrahamsen / Mads Myhrstad – Noruega
Anja Paher / Anja Zgajner – Eslovénia
Stefan Berdic / Filip Sorak – Sérvia
Gokhan Adiguzel / Ildeniz Kaygusuz – Turquia
Anastasiia Kuruch / Hanna Silvestrova – Ucrânia

Delegados da EHF, que vão avaliar o seu desempenho

Jiri Konecny / EHF Referee Lecturer
Cesar Castillo / EHF Referee Lecturer
Carlos Garcia / EHF Coaching Lecturer
Marcos Bestilleiro / EHF Office Member

O Programa dos árbitros começou na passada sexta-feira com uma conferência de árbitros, e incluindo testes físicos e teóricos.

O Noticias

sexta-feira, 13 de julho de 2018

Planeamento Desportivo – Época 2018/2019 - V


Conforme já referimos a Federação, com uma antecedência razoável (o que nos apraz) á data de início da época foi publicado o CO o N.º 1 (05-07-18), e o CO N.º 2, no dia seguinte, procedeu à divulgação das equipas com direito desportivo a participar nas diversas provas Nacionais fixas, segundo o conceito estabelecido na época transacta, finalmente foram disponibilizados os Regulamentos Desportivos das Provas (11-07-18), facilitando uma analise das mesmas, e depois de termos analisado a PO01 (Campeonato Andebol 1 Seniores Masculino 1.ª Divisão, ou Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Masculina, não sabemos qual a designação correcta, pois a FAP, usa as duas nos documentos publicados), hoje dedicar-mos-emos a uma analise da PO02 (Campeonato Nacional da 2.ª Divisão Masculina), embora todas as outras mereçam o natural destaque, e serão igualmente analisadas por nós, e daremos sempre a nossa opinião.

Contrariando o que escrevemos no artigo anterior, Felizmente imperou algum bom sendo e desta vez não se verificou qualquer aumento de participantes nas provas, e pelo que nos foi dado observar no CO N.º 2, embora tenha sido alterado significativamente o modelo competitivo.

Mas, haverá sempre um mas, teremos de esperar pelas datas limite das inscrições e da sua confirmação, para então termos uma verdadeira e consistente ideia de quem participa, e de quem abandona (esperamos que ninguém,) nas chamadas Provas Fixas.
Hoje apenas iremos abordar a PO02 – Campeonato Nacional da 2.ª Divisão Masculina

A PO02, no seu formato competitivo, sofreu fortes alterações, depois do aumento de participantes, que no nosso entender não significou, nem mais qualidade nem mais competitividade. Aqui existiu uma tentativa de a grande maioria dos clubes da PO01, ou pelo menos uma quantidade apreciável dos mesmos, apresentar-se com equipas “B” (o que não aconteceu). Apesar e ter mantido o número de equipas, dividindo a prova em 3 zonas de 10 equipas (1.ª Fase, TxT a 2 voltas), a Fase Final (Grupo A) passou de 6 para 9 equipa (apuradas 3 por zona), e de 8 para 7 equipas (Fase Final Nacional Grupo B,), com as zonas a serem mais uma vez, certamente ajustadas, com o regresso muito possível à chamada Zona 3, do Benfica B, e com a inclusão do CD Mafra na Zona 2, com a Zona 3 a ir de Lisboa ao Algarve, em termos de formato teremos de dizer que não estamos de acordo, pois este novo formato vai permitir o regresso das equipas B, á Fase Final, o que consideramos um autêntico retrocesso, e antidesportivo. Quanto á constituição das Zonas, não temos grandes dúvidas de que o Ílhavo AC e o São Bernardo serão incluídos na Zona 2, assim como o CD Feirense irá fazer parte da Zona 1, onde muito provavelmente se manterá o Marítimo, continuando a existir adiamento de jogos e jornadas duplas por parte desta equipa, resultante, especialmente dos problemas financeiros.

Uma outra novidade, em relação ao á Fase Final (Grupo A), será de que as equipas apuradas, transportarão, para esta Fase, os resultados e os pontos obtidos nos jogos disputados entre si, (nada temos a opor), não voltando a jogar entre si, pois é uma forma expedita de diminuir o número de jogos nesta Fase. Mas já as equipas presentes na Fase Final (Grupo B), verão diminuído o número de jogos a realizar, o que também provavelmente até para eles será uma vantagem.

Em termos de equipas B, existem alterações que na nossa opinião umas são “aberrantes” e absurdas” e outras que apenas beneficiarão alguns dos intervenientes, pois todos sabemos quem possui equipas B nesta divisão, e que serão altamente beneficiados.

Uma das normas completamente absurda, é a prevista na alínea c) do ponto 2, do Artigo 2.º que diz o seguinte:
“ Em caso de a equipa A descer de divisão, a equipa B será automaticamente despromovida à divisão imediatamente inferior.”

Em 1.º Lugar na situação actual, dificilmente este texto terá aplicação pelo que poderá ser inócuo.
Em 2.º Lugar, estamos a criar uma dupla penalização, pois se a equipa A já desce, porque obrigatoriamente se aplica a mesma situação à equipa B.
Em 3.º Lugar, se as equipas B podem ir à Fase Final (Grupo A), e a sua equipa A, estiver para descer de divisão para que serve a sua inclusão na Fase Final (Grupo A)

São alterações são duvida nenhuma só ao alcance de iluminados na modalidade.  

Verifica-se ainda alterações que apenas irão beneficiar alguns, pois ao aumentar que os jogadores com mais 23 anos, passam a poder fazer em vez de 10, 12 jogos na equipa A, e que os atletas com mais de 23 anos pertencentes à equipa A, passam a poder fazer, em vez de 4, 5 jogos pela B, e inclui-se desta fez uma norma compensatória, que diz respeito aos atletas com mais de 26 anos, apenas poderão jogar 5 jogos pela equipa B.

Estas normas, podem permitir que equipas com poucos atletas realizem 3 provas em simultâneo, por exemplo PO01, PO02 e PO04.

Inclui-se ainda a novidade de o sorteio para esta prova incluir tabelas especiais, que ainda não são do conhecimento de ninguém.

Na Fase Final (Grupo A), transitarão os pontos já por nós referidos anteriormente, enquanto as equipas da Fase Final (Grupo B), iniciarão o mesmo, situados na mesma zona, com 50% dos pontos acumulados na 1.ª Fase, que será novamente disputada no sistema de TxT a duas (2) voltas. Se as equipas se queixavam da longevidade e do excesso de jogos, que esta prova tinha, teremos que mais uma vez, para as equipas que irão disputar o Grupo B, 18 jogos na 1.ª Fase, mais 12 jogos na 2.ª Fase, num total de 30 jornadas (-2, que ma época anterior), com as equipas que disputam a Fase Final (Grupo A) a terem exactamente o mesmo número de jogos, 18 jogos na primeira Fase e mais doze (12), na Fase Final num total igualmente de 30 jogos. Quando o modelo com apenas uma volta na 2.ª Fase para o Grupo B, teria sido o ideal até em termos de custos (esta é a nossa opinião, nunca repudiaremos outras). 

Nesta prova, no capítulo dos horários registou-se o bom senso de não criar situações de excepção para a última jornada de cada Fase, o que se saúda.

Quanto aos CROM, que já estavam regulamentados, agora remete para um Regulamento próprio o que não altera nada de substância ao Regulamento Desportivo.

Existem outras provas no CO N.º 2, que serão comentadas em próximos textos, pois são indicadores preciosos, do planeamento que se seguirá. No entanto apenas a partir de 31-07-18, data limite para confirmação da inscrição, poderemos confirmar todos os dados.

O Banhadas Andebol

Novas Interpretações sobre as Regras – IHF - 2018

A IHF PUBLICOU NOVAS INTERPRETAÇÕES
(ENTRARAM EM VIGOR EM 01-07-2018)
A IHF em colaboração com a sua Comissão de Regras de Jogo e Arbitragem (PRC), publicou uma nova versão sobre as Diretrizes e Interpretações das Regras de Jogo, com a intenção de clarificar as decisões correctas que se devem tomar em certas situações.

Como de costume, e já vamos estando habituados, na FAP, em especial através do seu Conselho de Arbitragem, com um “barulho intenso”, já todos temos conhecimento destas novas situações, ou por outra já deveríamos ter.

Existem alugumas directrizses que são novas e outra que são uma versão actualizada das mesmas, e que tinham sido publicadas em 1 de Julho de 2016.

Esta Nova versão das Directrizes e Interpetações, entra em vigor em 1 de Julho de 2018, assim já estão em vigor.

É pena que nada se saiba, pode ser que depois deste nosso primeiro texto, surjam novidades do CA, conforme é habitual, pois teremos de dividir estas novas Directrizes e Interpretações por vários textos.

Esta acrualização em especial sobre a Regra 8:10c, vai dar como resultado, novos e importantes indicações não só para os jogadores como para os seus treinadores. Por este motivo a Comissão de Treinadores e Métodos da IHF (CCM) também preparou alguns comentários importantes sobresestas novas indicações em especial nos últimos 30 segundos, para ajudar a explicar as consequências desta actualização.

Regra dos últimos 30 segundos

As regras 8:10c e 8:10d, foram modificadas em 2016, com o objectivo de prevenir certos comportamenros antidesportivos dos jogadores nos últimos instantes dos encontros puderem dar alguma vantagem à equipa do jogador infractor a oportunidade de vencer o encontro. Ao mesmo tempo estas regras facilitam a oportunidade da equipa que se encontra em desvantagem puder marcar um ou mais golos, mantendo a atençao dos espectadores até ao último segundo do encontro.

Segundo a Regra 8:10c, um jogador ou um oficial de equipa que impeça ou atrase a execução de um lançamento nos últimos momentos será punido com um livre de 7 metros, e através da Regra 8:10d, a equipa que sofre o laçamento de 7 metros, terá o jogador ou o Oficial de equipa infractor desqualificado, por uma acção com abola em jogo nos últimos segundos. Este último caso não apresentou grandes dificuldades de interptação.

A Regra 8:10c, era aplicavél somente quando a bola não estava em jogo, e um defensor impedia ou atrasava a execução de lançamento. Porém estaa Regra levou a interptações erradas, pelos árbitros jogadores e outros participantes no Andebol, assim como identificar certor comportamentos como muito antidesportivos, que não poderiam ser punidos adequadamente de acordo com esta regra, permitindo que a equipa do infractor, vencesse o encontro, dando uma péssima imagem ao Andebol.

Por estas razões, a IHF, através do seu Grupo de Trabalho sobre as Novas Regras (NRWG) e da Comissão de Regras de Jogo e Arbitragem (PRC), e da Comissão de Treinadores e Métodos da IHF (CCM), tomou a decisão de realizar uma ligeira mudança na intrepatação desta Regra, actualizando as directrizes existentes de “não respeitar a distância” (Regra 8:10c), incluindo uma interpretação adicional, decidindo que o 7 metros e a desqualificação, também se aplicam, durante uma execução se uma acçoa ilegitma de um defensor ocorre durante a execução de um lançamento da seguinte forma:

Como já dissemos o texto total é grande, e portanto será dividido por diversos artigos a publicar, assim próximamente iremos falar:

Actualização da Directriz existente – Não respeitando a distância (Regra 8:10c)
Actualização da Directriz existente – Assistência a Jogadores lesionados (Regra 4:11)
Novas Directrizes.

O Regras

Andebol de Praia – 2018 - III


CIRCUITO NACIONAL FASE FINAL
ANDEBOL PRAIA
(ACTIVOBANK 2018)
Apesar de nada ter ainda noticiado, estamos em condições de afirmar que as provas serão disputadas na Praia da Nazaré, de 27 a 29 Julho de 2018, existindo já uma banner para o efeito, e divulgada no Facebook da FAP.

Também sabemos que os sorteios estão marcados para o dia 24 de Julho de 2018, pelas 11H00, com transmissão na Andebol TV.

Infelizmente é completamente desconhecido, quais as equipas participantes, no pseudo campeonato aberto conforme foi noticiado em tempo pela FAP.

O Noticias

quinta-feira, 12 de julho de 2018

Movimentações de Atletas – 2018 – I – No Feminino


Neste texto sobre os movimentos de atletas, agora no Feminino, continua-se com o mesmo critério, ou seja só se dará informação dos movimentos de atletas que são praticamente certos, e daqueles em que a possibilidade de se concretizarem é quase garantida. Informa-se ainda de que apenas falaremos naqueles em que a garantia das fontes nos dê alguma credibilidade, embora por vezes falhe.

No Feminino o mercado de transferências, é difícil de descrever porque os clubes continuam muito fechados, sem grandes novidades e não tem sido possível apurar muita informação. Assim tudo o que aqui divulgaremos, teremos algumas certezas, e outras serão os rumores credíveis que conseguimos recolher.

Não temos qualquer problema em afirmar que usamos por vezes informação que foi publicada noutros locais, a quem desejamos longa vida, e que contribuam para o conhecimento e divulgação da nossa modalidade, em especial na vertente Feminina, não faremos cópia de artigos, mas recolha de informação, que por vezes até foi publicada em Jornais Regionais, ou em páginas de Facebook. Apenas desejamos longa vida a todos. E o nosso profundo agradecimento pela coragem no aparecimento.

Acreditamos que ainda muitas movimentações estejam para acontecer, ou até já aconteceram, mas é pena que os clubes continuem a comunicar tão mal para o exterior, e bem precisavam de melhorar a sua forma de comunicação. E depois queixam-se que se dá pouco destaque ao feminino…

Técnicos

Nuno Batista – NA Santa Joana (Renovação)
Ana Sobral – Benfica (Nova)
Miguel Durães – ARC Alpendorada (Renovação)
André Marques – ABC (Novo)

Renovações

Patrícia Rodrigues – HSG Blomberg-Lippe (Alemanha) (Renovação)
Maria Pereira – Haukar (Islândia) (Renovação)
Cristiana Alves – Académico FC (Renovação)

Movimentos Conhecidos

Mariana Lopes – Boden (Suécia) / SV Union Halle (Alemanha)
Filipa Parada – Porto Salvo / Benfica
Beatriz Barradas – Vela Tavira / Ílhavo AC
Isabel Góis – Madeira SAD / SV Union Halle (Alemanha)
Jéssica Ferreira – Colégio Gaia / Handball Clermont Auvergne Métrople (França)
Bárbara Moreira – Juventude Mar / ABC
Helena Pereira – Juventude Mar / ABC
Sara Faria – Juventude Mar / ABC
Sandra Peixoto – Juventude Mar / ABC
Teresa Santos – Juventude Mar / ABC
Beatriz Sousa – Madeira SAD / HC Auverghe Métropole (França)
Cristiana Morgado – Madeira SAD / HC Auverghe Métropole (França)
Diana Oliveira – Maiastars / Madeira SAD
Mihaela Minciuma – Maiastars / Madeira SAD
Adriana Corrêa – JAC-Alcanena / Benfica
Vera Costa – JAC-Alcanena / Benfica
Beatriz Constantino – JAC-Alcanena / Benfica
Madalena Pereira – JAC-Alcanena / Benfica
Liya MIngaleeva – Maiastars / Madeira SAD
Filipa Correia – Madeira SAD / Benfica

Saídas Confirmadas com Destino Desconhecido

Mariana Azevedo – Maiastars
Ana Ursu – Maiastars
Maria Duarte – Maiastars
Neide Duarte – Maiastars
Francisca Araújo – Maiastars

Indefinido

Sara Sousa – Maiastars
Débora Moreno - Maiastars

Abandonos

Filipa Fontes – Termina Carreira

O Administrador

Super Taças – Masculina e Feminina – 2018 - I


SUPER TAÇAS MASCULINA E FEMININA
(BRAGA CAPITAL EUROPEIA DO DESPORTO 2018)

Esta noticia têm por finalidade dar a conhecer a notícia, publicada no portal da Federação (11-07-18), através dos CO N.º’s 6 e 7 da época 2018/2019, onde se divulga os locais da realização das Super Taças, no entanto os horários não foram divulgados, não sendo ainda esclarecido se haverá qualquer Transmissão das mesmas e quem as fará? Aguardemos com serenidade. Recordamos que estas provas estão inseridas nas comemorações de BRAGA CAPITAL EUROPEIA DO DESPORTO, e que segundo a programação de eventos, divulgada pela entidade organizadora, no mesmo fim-de-semana se realiza igualmente a VIII Gala de Andebol organizada pela Federação. Pois finalmente as provas foram criadas no sistema de informação da Federação.

Calendário das Provas

PO22 – Super Taça Seniores Masculinos – Fórum de Braga
Dia 26-08-18
Entre o Sporting, e o Benfica, ainda não existe indicação de horário.

PO24 – Super Taça Seniores Femininos – Fórum de Braga
Dia 26-08-18
Entre o Madeira SAD, e o SIR 1.º Maio/CJB, ainda não existe indicação de horário.

Temos a esperança que no mínimo, as mesmas sejam igualmente transmitidas na Andebol TV.

O Noticias

Mundial Sub-20 Feminino – 2018 – XXI


MUNDIAL SUB-20 FEMININO – 2018
(HUNGRIA)
PORTUGAL EM 18.º
(Foto FAP)
Portugal encontra-se a disputar O Mundial Sub-20 Feminino, que está a decorrer até dia 14 de Julho de 2018 na Hungria, com 24 equipas, na cidade de Debrecen. Onde Portugal marca presença. Na Fase Preliminar Portugal, não se qualificou para os 1/8 final, por diferença de golos, pois terminou a Fase Preliminar em igualdade pontual com o Brasil e Montenegro.

Na President’s CUP, Portugal defrontou no seu primeiro encontro o Chile equipa classificada em 5.º lugar no grupo B, e venceu com toda a justiça um encontro que definia qual o lugar final que iria disputar, começou mal o encontro, pois cerca dos 6 minutos de jogo, Portugal perdia por 3-0, e até aos 21 minutos de jogo o Chile manteve o comando do jogo com o marcador a assinalar 10-9 a seu favor, com Portugal apenas aos 29 minutos a passar para a frente do marcador, e chegar ao intervalo no comando do jogo e do marcador por 13-11. No segundo tempo com forte melhoria de processos, quer defensivos, quer atacantes e cometendo menos faltas técnicas (19 nos 60 minutos), chega aos 49 minutos a vencer por 5 golos de diferença (21-16), para aos 58 minutos registar a maior diferença (8 golos), quando vencia por 28-20. Destaque-se a prestação na baliza de Isabel Cardoso com 47% de eficácia, com Diana Oliveira a marcar 8 golos (80% de eficácia), e Joana Resende a marcar 5 golos (71% de eficácia), foram as melhores marcadoras de Portugal. Com esta vitória, Portugal vai disputar o Titulo da President’s CUP, com a equipa de Espanha, vencedora da equipa lusófona de Angola por um golo de diferença, num encontro em que as angolanas, estiveram quase sempre na frente e chegaram ao fim do tempo regulamenta com uma igualdade a 27 golos obtida pela Espanha ao soar do apito, para depois serem batidas nos livres de 7 metros. No jogo que decidia o vencedor para President’s CUP (17.º Lugar), Portugal defrontou a Espanha num encontro, em que equilibrou o jogo durante os primeiros 30 minutos com alternâncias no marcador, e diversas igualdades em especial a partir dos 15 minutos, quando o marcador registava uma igualdade a 8 golos, mas o intervalo chegou já com a Espanha a vencer pro 14-13. Portugal inicia bem o segundo tempo e aos 36 minutos de jogo iguala o marcador a 17 golos, mas a partir deste momento a equipa nacional, quebrou e a Espanha assume em definitivo o comando do jogo e do marcador, aproveitando e bem as diversas superioridades numéricas, bem como o facto de Portugal numa derradeira tentativa de recuperação jogar diversos períodos com 7 jogadores de campo, o que permitiu alguns golos de Espanha, sem guarda-redes, e cercados 48 minutos e jogo a Espanha vencia com a maior diferença registada durante todo o encontro (27-20), Portugal inicia uma excelente recuperação cometendo menos falhas técnicas, (13 em todo o encontro, contra apenas 7 da Espanha) e estando melhor defensivamente e recupera para apenas um diferencial de 2 golos (29-27), aos 57 minutos, quando a Espanha oportunamente solicita um Time OUT, resultou em pleno, e termina o encontro, com a Espanha a vencer, por uma margem não esperada de 4 golos. Portugal que utilizou as suas 3 guarda-redes, teve em Isabel Cardoso com 29% de eficácia, a mais produtiva no lugar. Joana Resende (67% de eficácia) e Beatriz Sousa (67% de eficácia), ambas com 6 golos cada, foram as suas melhores marcadoras, por sua vez a Espanha que teve 11 jogadoras a marcarem golos, teve em Seynabou Mbengue com 8 golos (89% de eficácia) a sua principal marcadora, com a sua guarda-redes Haizea Amilibia a chegar aos 33% de eficácia. Portugal termina assim em 18.º lugar, aquém do desejado e esperado por todos nós.

1/ 8 Final
Dia 10-07-18
Rússia 32 – 20 Brasil
Suécia 22 – 30 Holanda
Islândia 30 – 35 Noruega
França 29 – 25 Japão
Roménia 28 – 25 Croácia
Hungria 31 – 27 Eslovénia
Montenegro 23 – 28 Coreia
Dinamarca 25 – 24 Alemanha

1/4 Final
Dia 11-07-18
Rússia 28 – 26 Holanda
Noruega 27 – 26 França
Roménia 26 – 31 Hungria
Coreia 24 – 16 Dinamarca (20H45)

Jogos Classificativos
Dia 11-07-18
9/10 Lugar
Croácia 36 – 23 Islândia
11/12 Lugar
Brasil 21 – 18 Suécia
13/14 Lugar
Japão 22 – 23 Alemanha
15/16 Lugar
Eslovénia 25 – 18 Montenegro

1/2 Final
Dia 13-07-18
Rússia – Noruega (17H30)
Hungria – Coreia (20H00)

Jogos Classificativos (5/8 Lugar)
Dia 13-07-18
Holanda – França (12H00)
Roménia – Dinamarca (15H00)

Horas Locais

ESPANHA
VENCEDORA DA PRESIDENTE’S CUP
(Sucede a Montenegro)
President’s CUP – Dia 10-07-18

Costa Marfim – China (N/se realizou)
Portugal 28 – 22 Chile
Paraguai 31 – 23 Egipto
Angola 31 – 32 Espanha (C/ 7 Metros)

Dia 11-7-18
19/20 Lugar
Chile 22 – 27 Angola
17/18 Lugar
Portugal 28 – 32 Espanha
Lugar 23/24
Costa Marfim – Egipto (N/Se realizou)
Lugar 21/22
China 38 – 35 Paraguai

Final, 7/8 Lugar e 5/6 Lugar – Dia 14-07-18

Classificação Final 9.º Croácia, 10.º Islândia, 11.º Brasil, 12.º Suécia, 13.º Alemanha, 14.º Japão, 15.º Eslovénia, 16.º Montenegro, 17.º Espanha, 18.º Portugal, 19.º Angola, 20.º Chile, 21.º China, 22.º Paraguai, 23.º Egipto, e 24.º Costa Marfim (Não Participou)

Os jogos poderão ser vistos em Live Stream, através do site da IHF.

Portugal conforme já informamos, está representado neste Mundial, também pelo Delegado António Goulão, que além dos jogos já por nós divulgado num total de 12, teve ainda funções, nos seguintes encontros:

Dia 10-07-18
Roménia – Croácia (1/8 Final)
Montenegro – Coreia (1/8 Final)
Dia 11-07-18
China – Paraguai (21/22 lugar)
Croácia – Islândia (9/10 lugar)

O Noticias