gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

quinta-feira, 21 de abril de 2016

Planeamento Desportivo – II – 2016/2017

REGRESSÃO NO PLANEAMENTO NACIONAL

Depois de termos feito um artigo sobre o planeamento de provas para 2016/2017, onde se levantava a questão da forma de disputa das provas e das datas disponíveis, e onde se dizia “… que havia Têm sido muitos os comentários, sobre o planeamento desportivo, “uns a favor e outros contra”…). E dizíamos ainda:

“Alguns dos comentários contêm críticas implícitas, e outros, talvez até demasiado tendenciosas, mas não iremos tratar disso neste momento, em que diversas notícias têm sido publicadas sobre o modelo da PO0, pois não sendo detentores da verdade única, somos favoráveis por exemplo ao atual modelo da PO01 (Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Masculinos). No entanto, não excluímos toadas as ideias, e até aceitamos, que outras ideias surgem desde que construtivas, e sirvam somente os reais interesses da modalidade, e não interesses pontuais de alguns”

Poderemos agora concluir após uma leitura atenta do comunicado n.º 74 da Federação, de que na nossa opinião, os interesses pontuais de alguns, prevaleceram sobre os interesses da modalidade, e esta é a nossa opinião.

As justificações contidas no documento referido, levam nos a questionar, não o modelo, porque isso têm várias opiniões e respeitamo-las todas, assim como esperamos que respeitem as nossas, são inócuas de conteúdo, e pelo o que, o próprio documento diz, pelo menos não foram consensuais, ver imagem com extrato do referido documento:
Depois questiona-se:

  • Realizando-se eleições para a Federação a 4 de Junho de 2016, porquê da pressa em fazer esta profunda Alteração;
  • A quem vão servir as mesmas;
  • Porquê o aumento do número de Clubes, em especial na PO01;
  • Quais os levantamentos técnicos feitos para justificar esta alteração;
  • O Problema estava no modelo competitivo, ou no planeamento das datas de realização dos jogos;
  • Existia clubes com jogos muitos espaçados e o pretendiam era não estar tanto tempo parados, ou era evitar que se registassem descidas de divisão;
  • Existia um levantamento estatístico do número de espectadores por clube e por jogo como visitado;
  • Existe alguma obrigatoriedade de clubes apresentarem os seus orçamentos, para se poderem enquadrar numa prova desta natureza;
  • Será que a modalidade, poderá sentir evolução qualitativa, como aumento do número de clubes. 
E muito mais poderia ser perguntado, mas ficamos por aqui.

Em relação aos modelos propostos, e face ao conteúdo do Regime Jurídico das Federações e aos próprios estatutos da Federação, foi arranjado um artifício jurídico, para validar estas decisões, conforme é explicado para cada prova, ver nomeadamente, o texto sobre os Estatutos da Federação e sobre o Dec-Lei 93/2014, ou ainda quando se refere o modelo Europeu, e assim criam uma prova de acesso antes de começar a verdadeira PO01, que será regulamentada esta época, e disputada na próxima, e assim está tudo legal, mas será desportivamente válido…

Será que, conforme já dissemos “Deste modo, solicitamos a alguns dos nossos colaboradores, que nos expusessem as suas ideias, em termos de calendarização, e planeamento futuro, para que os nossos clubes quando participassem em provas europeias, estivessem sempre que possível defendidos, com o máximo de dias de descanso possível, …”

Mais algumas questões, se levantam:

  • Com que jogadores, serão disputadas estas provas;
  • Qual o prazo de inscrição dos mesmos;
  • E depois os que não se qualificarem, o que fazem aos jogadores contratados. 
Por hoje ficaremos por aqui, em próximo texto abordaremos os modelos competitivos, tanto da PO01, como da PO02, como publicaremos os resultados finais dos inquéritos que promovemos.

Nota – Deixou de ser notícia importante no sítio da Federação

O Administrador Delegado

5 comentários:

Anónimo disse...

Ai se o Banhadas manda-se nisto tudo! Era tudo ao estalo! Será que o Luís Santos é o administrador disto?
Nove clubes em 12 decidem que querem mudar o modelo; nove clubes que investem no andebol decidem...; alguns desses clubes que sao as verdadeiras escolas de andebol do país e decidiram alterar...; a maioria dos atletas das diversas seleções nacionais estão nestes clubes que decidiram...; Será que os clubes estão assim tão errados e o Banhadas tão certo? Quanto investe o Banhadas no andebol? É que nós os nove que querem mudar investimos muito! NO conjunto investimos mais que os três grandes. Quais as consequências para o Banhadas se oito clubes emblemáticos da nossa modalidade se apagam completamente em Fevereiro/Março porque passam para uma competição sem visibilidade para regressar em Setembro? O Banhadas sabe por acaso o que é ter um grupo de atletas remunerados a fazer de conta que jogam, a fazer de conta que treinam durante 6 meses?
É play-off que todos queremos? Então para quê o meu clube investir no andebol de estamos todos a trabalhar para bater palmas a dois ricaços que chegam à final? Então 8 dos 12 clubes deixam de investir no andebol, porque para bater palmas no fim da época a dois clubes nao é preciso investimento nos outros!
Falam dos modelos americanos etc etc. Mas por acaso essas almas que fazem comparação sabem que esses campeonatos quando começam já têm a situação financeira resolvida porque vendem o produto antes da época começar? Será que é o que se passa aqui? Nem no futebol quanto mais nós!
Venham gerir um clube médio do andebol com digam-me como pagam aos atletas a partir de março. Vamos pedir o dinheiro aos finalistas do play-off por termos andada a participar numa prova onde eles ganham a glória?
Sejam sérios na análise pois é muito giro ver a competição no auge, mas para isso temos que ignorar que esse pico deixou muitas vítimas pelo caminho.

Anónimo disse...

tenho a impressão de que o anonimo?? das 19:04, não leu bem o texto, pois eu que agora o estive a ler com atenção diz é que é contra o aumento de clubes, que eu por exemplo não sabia que se pagava a jogadores, pois então numa modalidade amadora ou dita como tal há profissionalismo, ou estamos a encapotar, fala em paragens de marco até setembro isso não é verdadeiro, veja lá bem, pois parece que afinal o seu problema é outro, e talvez aqui se o banhadas deixar eu um dia lhe diga qual é.

Um abraço aos verdadeiros adeptos do andebol

Anónimo disse...

Para o anónimo das 21.58: possivelmente quem nao leu bem o texto foi você. Em alguma parte do texto eu falo em "paragem a partir de Março"? Escrevi "apagam" porque passam para uma competição sem visibilidade, mas dou-lhe alguma razão porque este apagão e quase equivalente a uma paragem!
Essa coisa de "nao sabia que pagavam a jogadores" cheira-me a conversa de padre sem formação teológica" e portanto para esse santo nao dou nada.faço-lhe uma chamada de atenção para a parte final do meu escrito: "sejamos sérios na análise", portanto veja se consegue juntar duas frases com conteúdo à discussão, porque é esse o apelo do Banhadas.
E tem razão, o meu problema é outro: em conjunto com os meus colegas temos que gerir um clube procurando soluções financeiras todos os dias, porque todos os dias temos problemas, que se agravaram fortemente desde que passamos para o modelo de play-off. Tenho ainda outro problema: é que de uma maneira ou outra procuro soluções para o meu clube, portanto soluções para o andebol.
Espero que estes problemas o consumam também porque é sinal que trabalha para o andebol. Será que consomem?

Anónimo disse...

21 de abril de 2016 às 19:04
anónimo

Conversa de contabilista e só quer saber o que tem de pagar todos os meses os incríveis subsídios aos atletas!
Planear uma competição ao longo de 10 meses de actividade é coisa séria!
O ano tem 12 meses, 1 para férias e outra mês para preparação da época desportiva.
Dos 10 meses está estabelecido que a FPA para competições das Selecções e estágios tem 2 meses, ficam para as competições federados onde entram os Clubes 8 meses igual a 32 fins de semana!
Para jogar as seguintes competições:
-Competições europeias de clubes
-competições Universitárias europeias e Mundiais recordando que a grande maioria dos andebolistas são alunos universitários nos escalões Juniores Seniores FELIZMENTE!
-Campeonatos Nacionais 1ª e 2ª fase e ou Playoff
-TAÇA DE PORTUGAL E FINAL fOUR
-SUPER TAÇA
-TORNEIOS INTERNACIONAIS DE CLUBES IN E OUT
FACE AO EXPOSTO SÓ PRECISAM OS DTN E REGIONAIS ORGANIZAREM BEM O calendário DE PROVAS E NÃO O QUE ESTA A ACONTECER .. SALADA DE FRUTAS E PROVAS DIFERENTES SIMULTÂNEAS!
Abraço
Viva o Andebol

Anónimo disse...

A lista do Artur Monteiro com muita qualidade vai resolver este e outros problemas que o andebol precisa e uma limpeza de balneário... e alguns dos actuais dirigentes com contratos definitivos de prestação de serviço vou solicitar e tem direito ao subsidio e ou reforma como fez o Henrique Torrinha!
Só esperar porque o presidente da lista do Augusto Silva ele próprio diz que vai ser um "verbo de encher"! mas que não contem com o dinheiro dos Panamá papers!