gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Assembleias Gerais Extraordinárias – Junho 2012

HIPOTECAS A SOLUÇÃO!!!
Eis a Questão
Hoje (29-06-2012) fomos todos surpreendidos, com um anúncio no Portal da FAP, da realização de duas Assembleias Gerais Extraordinárias, para o dia 30-06-2012.

Lamentavelmente a confusão está instalada, a falta de transparência é gritante, e pela primeira vez desde a sua existência, a Federação não divulga a tempo e horas as suas Assembleias Gerais, bem como o conteúdo das suas convocatórias, conforme se encontra estabelecido nos seus estatutos nomeadamente nos artigos:

“Artigo 52º (Das alterações estatutárias e casos especiais)
1. Os estatutos da Federação só poderão ser alterados com a maioria de 3/4 dos votos dos delegados presentes da Federação, em Assembleia-Geral expressamente convocada para o efeito com pelo menos 30 dias de antecedência.”
E do
“Artigo 54º (Competência do Presidente da Mesa)
1. Compete ao Presidente da Mesa:
a) Convocar as sessões ordinárias com 15 dias de antecedência;
b) Convocar as sessões extraordinárias sendo possível com igual antecedência e, em caso de impossibilidade, devidamente fundamentada, em prazo menor mas não inferior a 8 dias.”

Toda esta omissão de dados, mais o conteúdo do texto que se encontra no Portal da FAP, leva-nos a crer que está instalado o caos financeiro na Federação, pois é “revoltante” que a FAP, faça ou alineação de património da Sede ou outro, ou hipotecas sobre esses bens, porquê? Quem levou a modalidade a este estado? Que fez o Conselho Fiscal? Que andaram lá a fazer todos os elementos dos Órgãos Sociais que ainda lá continuam? COMO è POSSIVEL, NÃO HÁ RESPONSAVEIS?

Sobre esta matéria transcrevemos o que diz o Portal da FAP, em ralação a uma 2.ª Assembleia Geral Extraordinária:

Ponto Um: Apreciar a situação económico-financeira da Federação de Andebol de Portugal até ao dia 31 de Março de 2012;

Ponto Dois: Autorizar, nos termos e para os efeitos do disposto no artigo 57º , n.º 1, alínea i) dos Estatutos da Federação, a alienação ou a constituição de ónus e encargos, através da constituição de hipoteca , sobre o moradia económica, nº 246, classe B, tipo 1, sita no Bairro das Casas económicas do Alto da Ajuda, Rua 2, nº 7, freguesia da Ajuda, descrita na Conservatória do Registo Predial de Lisboa, sob o nº 1947, daquela Freguesia e inscrita na respectiva matriz sob o artigo 1485; a constituição de ónus e encargos, através da constituição de hipoteca , sobre o prédio urbano sito na Calçada da Ajuda, n.º 63, 65, 67 e 69, Freguesia da Ajuda, descrito na Conservatória do Registo Predial de Lisboa, sob o nº 607, daquela Freguesia e inscrita na respectiva matriz sob o artigo n.º 3 ; e autorizar e mandatar o Presidente da Federação, Dr.Ulisses Manuel Brandão Pereira e um dos membros designados da Direcção para , conjuntamente, celebrarem contratos de financiamento e /ou outras operações financeiras, oferecendo aquelas garantias reais ,junto do Banco Millennium BCP - Banco Comercial Português, S.A (Sociedade Aberta, com sede na Praça D. João I, 28, Porto, com o capital social de 6.064.999.986 EUR,matriculada na C.R.C do Porto, com o Número único de matrícula e identificação fiscal 501 525 882), junto do Banco BPI, S.A.(Sociedade Aberta, com sede na Rua Tenente Valadim, 284, 4100-476 Porto, Pessoa Colectiva n.º 501.214.534 , matriculada na CRCP sob o número 501.214.534, com o Capital Social de 760.000.000 Euro), ou junto do Banco Popular Portugal, SA (com sede na Rua Ramalho Ortigão, 51, 1099-090 Lisboa, Matriculado na Conservatória do Registo Comercial de Lisboa, com o Número único de matrícula e de identificação fiscal (NIPC)502 607 084 e o Capital Social Registado de 451.000.000 Eur),até ao limite máximo de €500.000,00( quinhentos mil euros), bem como outorgar as respectivas escrituras públicas e intervirem em todos os actos necessários para o efeito, com a faculdade de substabelecer.”

Sobre a primeira Assembleia Geral, mais uma vez a total opacidade, pergunta-se foram cumpridos os 30 dias para se convocar uma AG para alterar Estatutos, não foram certamente…

“Assembleia Geral Extraordinária está marcada para as 10h00 a ordem de trabalhos é composta por um ponto único, que consiste na "Proposta de Alteração Parcial dos Estatutos da Federação de Andebol de Portugal".”

Quais as alterações que se pretendem ver aprovar e quais os fundamentos…

Terminamos esperando que melhores dias venham para a modalidade, e que esta pressa e esta falta de transparência, acabe de uma vez por todas, tínhamos a esperança de que tivesse terminado, mas pelos vistos ela está bem enraizada. E depois dizem, que nunca criticamos positivamente, como é possível!

O Banhadas Andebol

14 comentários:

Snake disse...

"Hoje (29-06-2012) fomos todos surpreendidos, com um anúncio no Portal da FAP, da realização de duas Assembleias Gerais Extraordinárias, para o dia 30-06-2012".

Uma pergunta, senhores do Banhadas. Onde foi que vos foi dado a conhecer estas assembleias?

Pensem bem antes de responder: acham mesmo que a Federação se ia expôr a uma situação ilegal, ou seja, não prevista pela lei?

Até ver, mais não digo.

Anónimo disse...

é simples basta consultar o site da fap, e ver o que lá está, alguem sabia, disto, se sabiam digam, o banhadas tem toda a razão, e cá para mim está armado baile, e só economistas,ninguem disse que era ilegal disseram e eu estou de acordo que é estranho e pouco credivel, mas tambem já cho que não vale a pena comentar aqui no blog, pois o que alguns querem é que se estaja sempre de acordo com o fazem . Vivam com isso que eu estou calmo e confiante, e vou trabalahndo e recendo o meu, e o meu querido andebol passa bem eu até gisto também de futsal.

Anónimo disse...

Olha do que se safou o outro candidato, ainda bem que perdi diz ele agora, safa.

Anónimo disse...

dei uma volta pelos sites da associações e nenhuma fala nisto, será que é segredo, eu pergunto como falaram com os clubes da sua zona para decidirem, era giro de saber, ou se era

Snake disse...

Quem não fala deste assunto tem o mérito de não dizer asneira.
Senhores comentadores da treta (alguns), não apanhem muito sol.
Faz mal à pele e ao cérebro.

Jorge Almeida disse...

O problema da eventual ilegalidade do prazo da convocatória é interessante, mas para mim era mais interessante perceber qual é o plano para onde gastar o dinheiro deste empréstimo de 500.000 € para o qual vai ser dada a sede da FAP como garantia, ou seja, para que é que precisam do dinheiro? Onde vão gastá-lo?

Outro pormenor: BCP, BPI e Banco Popular? Porque não CGD, CCAM, Montepio, Deutsche Bank, por exemplo? Parece que já andaram a investigar as condições que cada banco pratica. Se assim for, porque não divulgar na AG as condições que obtiveram nessas consultas?

Anónimo disse...

Efetivamente a FAP está em falta:convocou em tempo devido todas as associações de classe e associaçoes regionais, mas, mais uma vez, nao convocou o Banhadas e isto mostra claramente que a FAP tem algo contra o Banhadas!Eu penso que a adminstração do banhadas devia fazer duas coisas imediatamente: queixar-se ao Presidente da Mesa da AG da FAP, inpugnando as assembleias e, obrigar o direção da FAP a cumprir um conjunto de normas establecidas pela administração do Banhadas!

Anónimo disse...

Jorge Almeida, o plano é a FAP ir pagar o que deve, nomeadamente a árbitros, seguradoras, agências de viagens, Associações... E mesmo assim não chega.

Anónimo disse...

Já ninguém liga ao Banhadas, agora o que está a dar é o Facebook.

Diz um:
Ontem de manhã, em Lisboa, realizaram-se duas Assembleias Gerais Extraordinárias da Federação de Andebol de Portugal, nas quais as propostas apresentadas pela minha Direção foram aprovadas por esmagadora maioria.
Quer a revisão dos estatutos, quer as propostas sobre a difícil situação financeira vivida, mereceram largo consenso (houve uma única abstenção).
Gostei da forma aberta e transparente com que todas as matérias foram discutidas.
Penso que os Delegados apreciaram muito positivamente a forma como as questões foram colocadas e abordadas.
À tarde, no Parque da Cidade de Loures, associei-me às atividades do Dia Paralímpico, nas quais se incluiu o Andebol.
É um projeto a que dedicamos especial carinho, seja no que respeita ao Andebol para cidadãos portadores de deficiência, seja na vertente do Andebol para os cidadãos privados de liberdade.
Queria deixar uma palavra de muito apreço ao Prof. Joaquim Escada e a toda a sua equipa pelo excelente trabalho que têm vindo a desenvolver.

Responde o outro:
Depois de um conjunto de intervenções que conseguiram esbater o clima de conflitualidade do Andebol português (integração de ex-Atletas de referência, melhoria das condições dos Atletas da Selecção Nacional, decisão de substituir o anterior Seleccionador Nacional, envolvimento dos Clubes e Associações Regionais na definição de modelos competitivos, fim da Formand, ...), esta é a questão que vai definir o futuro da actual Direcção da FAP. Nenhum projecto desportivo tem sucesso no médio prazo se não estiver ancorado num modelo de financiamento sustentável - se a proposta de hoje visar ganhar algum fôlego de curto prazo e o próximo orçamento apresentar de forma clara novas fontes de receita, estamos no bom caminho; se esta for apenas uma tentativa isolada de empurrar o problema para a frente, voltaremos certamente a precisar de repensar o nosso futuro.

Anónimo disse...

banhadas um conselho o que está adar é ser colaborador mesmo sem receber da federação, existem alguns bem camuflados, e vocês nem dão por isso, e sempre que fazem textos em que não estiverem de acordo a campnha vai ser enorme, pois é para isso que têm sido contratados, têm de ter muito poder de encaixe, pois os comentários para vos calarem não irão parar, em campanha até dezembro, mas tenham cuidado que antigos elementos da chamada ouytra lista já estão de malas feitas e todos os dias são contactados. quem vos avisa bom amigo é. Força não parem. Até se pedem emprestimos pois a credebilidade dos dirigentes só não chega.

Anónimo disse...

Vamos parar e pensar, julgam possivel realizar AG sem que os pressupostos de convocação dentro das normas estatutaria fossem cumpridos??? Só de loucos seriam capazes de fazerem afirmações como se fazem aqui no BANHADAS !!!

As AG foram convocadas dentro dos prazos e os Delegados que são os únicos que podem votar e ser convocados lá estiveram, e o que viram e ouviram? Sim isso é que interessa, pois o que diz o Jorge Almeida ou até o articulista não conta para nada...

Então ouçam, já assisti a muitas AG, mas como esta nunca tinha acontecido, tal a transparencia e conteudo que fez dela um exemplo que devia ser dado como modelo a seguir nos vários organismos, pois a transparencia da Direção no que diz respeito a CONTAS e situação económica e financeira da FAP, deu um toque de bem estar a todos os Delegados de todas as Associações Regionais e de Classe.

Ouviu-se com objetividade que falta muito dinheiro para se conseguir apagar fogos explosivos como são a ARBITRAGEM, as ASSOCIAÇÔES REGIONAIS e despesas correntes de funcionamento da modalidade como as viagens às Regiões Autónomas que tudo se cifra no MILHÂO E OITOCENTOS MILEUROS DE DÉBITO, com uma a FAP a ser credora de UM MILHÃO DE EUROS aproximadamente, sendo os clubes os seus maiores devedores e a LPA ainda lá deve os celebres 21.000 euros.

Mas o que interessa é resolver os problemas e os Delegados como são pessoas de bem, disseram SIM às propostas em causa, só uma abstenção para este problema que se relacionava com as Finanças.

Os Estatutos tem todo o sentido a proposta em causa, pois a Direção deve ser eleita no todo e não de forma Unipessoal, não se pode esquecer os problemas que isso já trouxe à modalidadde, tambem foi aprovado com um único voto de abstenção, mas neste caso até estava de acordo a pessoa em causa com o conteúdo, mas levantou algumas duvidas na forma de aplicação.

Por tudo isto pensamos que a Direção da FAP pela 1ª vez fez o trabalho de casa e apresentou-se superiormente com dados e transparencia mais que suficientes e correctos para passar com destinção junto de quem de direiro, ou seja a AG e seus Delegados e não por RATOS exteriores que estão sempre atentos para roer um bom pano.

Senhores tenham calma convosco e eu julgo que neste momento a FAP não pode ser apetecivel para ninguem, alias só com um espirito de missão é que eu compreendo quem quer trabalhar com estas condições de dificuldades extremas no campo financeiro.

Uma ultima palavra para quem diz que os clubes são uns coitadinhos e massacrados pela FAP em taxas e outras, esqueçam isso e desçam à terra, pois a divida destes para a FAP asfixiam-na, a modalidade tem que ser seria com quem trabalha em prol dela e se há falta de dinheiro, então ajudem a resolver os problemas e deixem-se de ser liricos com problemas menores, NÂO ACHA QUE EU TENHO RAZÂO SR JORGE ALMEIDA, ou melhor será um pseudónimo de...!!!! passem bem, um abraço e vamos jogar Andebol.

Anónimo disse...

Podem ser contactados todos os dias, de manhã à tarde e à noite. Quem tem principios e estatuto profissional não se vende por uma mão cheia de nada. Os mais velhos podem ir porque não têm outra oportunidade, os mais novos nunca!

Jorge Almeida disse...

Sr. Anónimo 1 de Julho de 2012 22:50,

posso ter sido muita coisa na vida, mas nunca recorri a pesudónimos nem a anonimatos, para além de que sempre disse o que sou: Um adepto da modalidade que já foi praticante, e dirigente de clube, e que o deixou de ser na época 1999/2000 (1º, Esposende Andebol Clube, depois Centro Social da Juventude de Mar).

Quem segue o Banhadas, e quem me conhece pessoalmente sempre soube isso ...

Daí que nunca na vida fui dirigente das associações distritais, muito menos fui a alguma AG da FAP; dessas reuniões, só sei o que leio aqui, noutros blogues e no sítio da FAP na net.

Lembro-lhe que nem sequer o Orçamento e o Plano de Actividades da FAP sei, coisas que, por lei, até deveriam estar publicadas no sítio na net.

Já que acha que há muita transparência no funcionamento da FAP, lanço-lhe algumas perguntas:

1ª) Onde está o Plano de Actividades e o Orçamento publicados no sítio da FAP na net?

2º) Se você os têm, ou se sabe os números (pelo menos, por alto), porque não os divulga?

3º) Porque é que o mesmo sítio da FAP na net quase nunca divulga as conclusões das AG?

4º) Porque é que o mesmo sítio da FAP na net só publicou a convocatória um dia antes da realização da AG?

Sempre soube que havia dívidas aos árbitros e aos oficiais de mesa. Dantes, até ouvia dizer que a FAP demorava a pagar aos locais de estágio das selecções e aos seus treinadores. No entanto, só com a sua intervenção é que soube, pela 1ª vez, de números, excepção feita a uma referência uma entrevista dada pelo actual Presidente da Direcção a falar do 1.000.000 € de Passivo, mas sem especificar em quê, para além de nem sequer ter referenciado quanto é que é o Activo. E como eu, devem estar a maioria dos dirigentes dos clubes de Andebol, assim como a totalidade dos Adeptos de Andebol.

Daí que tenha perguntado o que perguntei. Mais, faltou ainda uma pergunta: Como é que pensam pagar o empréstimo?

Refere que há clubes que devem dinheiro à FAP. Quem são eles? Que medidas tomou a FAP para reaver esse dinheiro? Se as tomou, porque nunca as publicitou pelo menos no seu sítio na net? Será que a FAP fez tudo o que poderia para evitar que se chegasse a esta situação?
Claro que sempre li rumores acerca deste e daquele clube, mas nunca vi nada oficialmente confirmado pela FAP.

Anónimo, antes de se atirar a quem criticou, não se esqueça do historial da FAP em termos de opacidade. Espero que este Presidente consiga fazer melhor que os anteriores em termos de divulgação, mas, já agora, que comece por divulgar o que é de lei ...

Anónimo disse...

Já agora também gostava de saber quanto gastou a FPA em despesas de taxi como o anterior presidente uma vez que este tinha um á sua disposição permanentemente.