gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Planeamento Desportivo – Época 2012/2013 - II

Conforme já afirmámos, facilmente se passa do 80 ao 8 e vice versa, pois passamos das normas com nítidos e condenáveis excessos, para normas por defeito, com facilitismos absurdos.

Ao analisarmos o documento anexo ao CO N.º 1 da Época 2012 / 2013, relativo aos requisitos de participação, deparamo-nos, com medidas que eram absolutamente necessárias e já por nós criticadas diversas vezes que as classificamos como uma aberração absurdas, tais como:

  • O Fim da obrigatoriedade dos Escalões secundários serem sequenciados;
  • O Fim da obrigatoriedade de participarem em Campeonatos Nacionais.
Nas medidas agora divulgadas, verificam-se algumas de que discordamos completamente:

Como por exemplo, nas equipas da 3.ª Divisão Nacional, apenas a obrigatoriedade de um (1) escalão. Consideramos um autêntico retrocesso, e representa na nossa opinião um facilitismo que não se coaduna com o pretendido desenvolvimento da modalidade.

Discordamos ainda, da forma como um Clube que não tenha Seniores na 1.ª /2.ª Divisão, tem de ter um escalão de formação (que pode ser infantis), quando pretender inscrever uma equipa de Juniores / Juvenis / Iniciados.

Então como será quando P. Ex – Uma equipa da 3.ª Divisão Masculinos ou da 2.ª Divisão Feminina, inscrever Juniores / Juvenis / Iniciados. Bastará uma só equipa de Infantis? Ou será mais uma equipa por escalão?

Falta ainda no nosso entender, esclarecimentos claros sobre por exemplo:

Conta como escalão de formação ou não, acordos de cooperação com outros clubes? Continuando-se a conceder benefícios a alguns…

Vai manter o N.4 do artigo 28.º do Titulo 11 do regulamento Geral?
Os Clubes ou Sociedades Desportivas que possuam um ou mais escalões de Seniores, Juniores e Juvenis só podem participar nos respectivos Campeonatos Nacionais caso procedam á indicação de uma dupla de Árbitros, por clube, para a respectiva época desportiva.”

Face ao quadro apresentado como requisitos para participação em provas do Calendário Nacional, outra pergunta se impões, e Como ficará o texto do Artigo 29.º (Participação dos clubes em competições oficiais nacionais de Seniores) do Titulo 11 do regulamento Geral? Pois será de capital importância, conhecer o novo texto (certamente que vai existir), para se ficar a conhecer claramente o alcance destas alterações.

Lamenta-se que até ao momento não sejam conhecidos os Regulamentos Específicos de cada Prova, pois ficamos com sensação de que por exemplo nas provas consideradas não fixas, ainda não se sabe bem como vai ser…

O Analista

7 comentários:

Anónimo disse...

Banhadas: estes são os aspetos negativos que o Banhadas detetou, tal como já o fez em outros três artigos opinião, sobe a mesma temática. Nem vou perder tempo a concordar ou discordar sobre tudo o que escreveram. Pergunto apenas: para quando três artigos de opinião a focar os aspetos positivos? E apenas um nem que seja pequenino? Será possivel?

Anónimo disse...

Oh esperto, como fazes uma estrutura de prova (não fixa), sem saber quantas equipas vão participar? Por acaso o teu Clube já informou a Federação ou Associação com que equipas e escalões vai participar? Dizer mal só por dizer. Por favor, pensa!!!

Anónimo disse...

Ao comentador das 18:19. não deve ter lido bem o artigo, pois o mesmo não fala só pela negativa, e olhe que nem gosto na maioria das vezes dos textos dos pequenos no banhadas, mas este tem o meu total apoio, diz o que foi bem feito e o que foi mal feito, na minha opinião até se esqueceu de dizer que o número de praticantes vai descer e muito.

O Padre

Anónimo disse...

Já há censura?

Anónimo disse...

Complicado ser prior nesta freguesia, pois é com preocupação que se vê sempre a criticar tudo e todos, o BANHADAS é pena que não tenha outra postura de critica construtiva e tambem de opinião sobre os vários assuntos que vão surgindo sobre a modalidade.

Não se pode elaborar um texto com um único sentido, ou seja, o do destruir um tipo de projeto que ainda está a nascer, temos que dar tempo ao tempo para testar as ideias das pessoas que entraram para a FAP. Não é com critica barata que se vai a lado algum, porque não falar das coisas ou temas antes de eles sairem e não esperar pelos mesmos para depois criticar sem dó nem piedade.

Já agora será que o problema do ANDEBOL ESTÁ NESTA OU NAQUELA PROVA? julgo que não, a FAP e a sua direção tem pela frente um problema gravissimo de Gestão e Financeiro, aliás de dificil resolução, tal é a conjuntura que se vive atualmente na sociedade portuguesa que o DESPORTO talvez, ou melhor,é de segunda ou terceira prioridade!!!

Porque não debater temas interessantes e objetivos, deixar estes problemas estruturais de provas nacionais para as estruturas competentes, como são a Direção da FAP, Associações e Clubes.

Nunca esquecer que o que está a limitar muito toda esta organica é o DINHEIRO, ou seja a parte económica/financeira e não a vontade de um ou outro como se faz passar em certos artigos.

Snake disse...

O Banhadas está-se nas tintas para os considerandos.

Quer é fazer fogo. Mesmo sem lenha.

Anónimo disse...

O FUTEBOL CLUBE DO PORTO NÂO TEM REQUESITOS PARA A 1Divisão só para a 3