gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

segunda-feira, 9 de dezembro de 2019

Crónica de fim-de-semana no Feminino – 10 – 2019 / 2020


Crónica dedicada ao Feminino, em especial aos encontros que se disputaram neste fim-de-semana, onde se realizou mais uma jornada dupla na PO.09.

Esperamos que pelo menos um jogo por semana seja transmitidos pela Andebol TV, mas continuamos com a esperança de que a continuidade seja constante.

PO09 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Femininos.

1.ª Fase – Resultados
10.ª Jornada
Dia 07-12-19
Assomada 22 - 27 SIR 1.º Maio/CJB
Madeira SAD 34 - 23 ABC
CA Leça 18 - 32 Alavarium
Benfica 32 - 21 Juventude Lis
CS Madeira 27 - 18 Maiastars
Colégio Gaia 42 - 21 ARC Alpendorada
11.ª Jornada
Dia 08-12-19
Assomada 26 – 24 Juventude Lis
CS Madeira 32 – 29 ABC
Alavarium 26 – 27 Colégio Gaia
Benfica 27 – 20 SIR 1.º Maio/CJB
Madeira SAD 33 – 25 Maiastars
ARC Alpendorada 20 – 20 CA Leça

Voltamos a ter uma nova jornada dupla, e com alguma relutância, mas não será por cansaço, que deixaremos de dizer o que sinto-mos com a história das estatísticas nesta prova, mas mais por vergonha que referimos vagamente a “história” das mesmas, que envergonham quem é adepto da modalidade, mas pelos vistos e pelos factos, não envergonham quem têm responsabilidades na mesma. Infelizmente ninguém confere nada, verifica-se que conforme nos alertou um nosso leitor, o artigo referente às mesmas no Regulamento Desportivo da PO09, é inócuo e sem validade, pois refere os seniores masculinos, e nunca os seniores femininos, e assim não/vai o Andebol Feminino. As duas jornadas que se realizaram este fim-de-semana, felizmente são uma prova da vitalidade da modalidade no género, que coincidiram com o términos da 1.ª volta desta Fase, e que em 12 encontros disputados, não se registaram ocorrências disciplinares.

Em Leça da Palmeira, realizou-se o CA Leça / Alavarium, que terminou com a vitória do Alavarium, por números expressivos, com a equipa da Região de Aveiro a encontrar facilidades não esperadas de forma que começou a ganhar vantagem cedo chegando a um parcial de 10-3, que nos diz tudo acerca da forma como decorreu o jogo, para chegar ao intervalo a vencer por uns claros 16-6, resultado cujo diferencial ainda se viria a aumentar durante o segundo tempo. Inês Oliveira com 5 golos, foi a melhor marcadora do CA Leça, com 12 jogadoras a marcarem golos no Alavarium, sendo Carolina Monteiro com 8 golos, a sua principal marcadora. A equipa do CA Leça, deslocou-se no segundo jogo da jornada dupla a Alpendorada, onde defrontou a equipa local do ARC Alpendorada, num encontro sempre bem disputado, e com a equipa visitante a demonstrar alguma superioridade nos primeiros 30 minutos, chegando ao intervalo a vencer por 11-8, depois de a equipa local também ter comandado o marcador e o jogo, quando o resultado era de 5-4, por exemplo, no segundo tempo voltou o equilíbrio ao jogo, e depois de uma igualdade a 14 golos, esta foi uma constante até final, terminando o encontro numa perfeita igualdade. Viviana Rebelo com 7 golos, foi a melhor marcadora do ARC Alpendorada, com Mariana Brito e os seus 6 golos, juntamente com Beatriz Prata, com 5 golos, a serem as melhores marcadoras do CA Leça.

No Pavilhão da Luz, tivemos na 10.ª Jornada o Benfica / Juventude Lis, que foi um encontro com duas partes distintas, uns primeiros 30 minutos de total equilíbrio, com diversas igualdades a registarem-se e com o intervalo a chegar com uma igualdade a 12 golos, mas nos segundos 30 minutos a equipa do Benfica, alterou completamente o rumo aos acontecimentos, assumiu o comando do jogo e do seu marcador e foi progressivamente aumentando o diferencial do resultado, terminando na frente do marcador por um diferencial que nada fazia prever após a disputa da primeira parte. O Benfica terminado encontro com 11 jogadoras a marcarem golos, sendo Patrícia Rodrigues com 9 golos, a sua principal marcadora. Na equipa da Juventude Lis, Carolina Justino com 6 golos, e Rita Campos com 5 golos, foram as suas melhores marcadoras.

Benfica 27 – 20 SIR 1.º Maio/CJB

Novamente no pavilhão da Luz, o Benfica, no segundo jogo desta jornada dupla defrontou mais uma equipa da Região de Leiria, o SIR 1.º Maio/CJB, num jogo em tudo similar ao anterior, pois tivemos os 30 minutos iniciais de grande equilíbrio, onde se verificaram diversas igualdades e até alternâncias no marcador, mas com o Benfica a chegar ao intervalo na frente do marcador por 13-12, resultado, para o qual muito contribuiu a jovem guarda-redes Luísa Cortes, e o acerto defensivo, pois foi a equipa que menos faltas técnicas cometeu, e soube aproveitar as superioridades numéricas, tal como a equipa da Marinha Grande, no segundo tempo a equipa visitada, muito limitada na 1.ª linha, com Patrícia Fernandes (4 golos, 2 de 7 metros), a ser marcada individualmente a maior parte do tempo, viu o Benfica, onde Patrícia Rodrigues (9 golos, 6 em 6 de 7 metros), e Joana Resende (5 golos), juntamente com Giza Marques (3 golos), a fazerem toda a diferença, pois ainda existia a Cláudia Correia (3 golos), para o que desse, e viesse a acontecer, e desta forma com uma maior agressividade defensiva, e um ataque mais planeado e menos confuso, chega aos 43 minutos a vencer por 22-14, maior diferença em todo o jogo, momento em que o técnico do SIR 1.º Maio/CJB, solicita um Time OUT, que resultou em pleno, pois aos 50 minutos de jogo o resultado era de 23-20, para a equipa da Marinha Grande parar, no tempo e com a desqualificação de Carolina Gomes (5 golos), sofreu um parcial final de 4-0. Dirigiu este encontro a dupla de Lisboa/Madeira, constituída por Nuno Santos, e Nuno Francisco, que apenas anotamos uma discrepância de opinião aos 47 minutos, pois a desqualificação de Carolina Gomes, é totalmente justa.

O Colégio de Gaia, no seu primeiro jogo da jornada dupla recebeu a equipa do ARC Alpendorada, e tivemos mais um jogo de sentido único, de tal forma, que o Colégio, conseguiu gerir o plantel, para o segundo jogo que vai disputar, nesta jornada dupla, e o seu controlo foi de tal forma que ao intervalo já vencia por uns claros 20-5, sendo de estranhar a falta de eficácia, da equipa de Alpendorada, que apenas concretizou 5 golos, no primeiro tempo, sem abrandar o seu ritmo o Colégio Gaia construiu um resultado final, que julgávamos já abolido da PO09. No Colégio Gaia com 11 jogadoras a marcarem golos, Neide Duarte, Maria Duarte, e Mariana Rocha, todas com 6 golos, foram as principais marcadoras da equipa, no ARC Alpendorada, Tânia Braga com 5 golos, foi a sua melhore marcadora.

Alavarium 26 – 27 Colégio Gaia

No Pavilhão do Alavarium disputou-se um, senão o mais importante jogo da jornada, com ambas as equipas a realizarem o seu segundo encontro do fim-de-semana, tivemos na pratica dois jogos distintos num só, pois o Colégio Gaia, onde as suas guarda-redes, quer Isabel Cardoso, quer Ana Ferreira no segundo tempo, realizaram exibições bem positivas, o que conjugado com o número de faltas técnicas cometidas pela equipa do Alavarium, e ainda com a consistência defensiva do Colégio Gaia, que estava a atacar com mais solidez, rapidamente assume do jogo e do marcador, e chega aos 5-1 aos 9 minutos de jogo, para aos 11 minutos estar na frente do marcador por 7-2, momento de Time OUT para o Alavarium, que resulta em pleno, chegando aos 18 minutos com o resultado em 8-7, a favor do Colégio Gaia, onde quer Maria Duarte (7 golos), e Helena Soares (6 golos), aproveitavam qualquer desatenção defensiva, do Alavarium, onde na nossa opinião apenas Daniela Mendes (1 golo), e Diana Oliveira (7 golos), se mostravam a um nível superior, e mais tarde foram bem acompanhadas por Bruna Dias (5 golos) e Carolina Monteiro (4 golos), e aos 29 minutos de jogo já registavam um diferencial de 6 golos, favorável ao Colégio Gaia (15-9), para se atingir o intervalo com o resultado em 16-10. O Colégio Gaia continuou a atacar com assertividade e aos 39 minutos, registava-se o maior diferencial de todo o encontro (20-11), onde a equipa do Alavarium momentos depois muda radicalmente a sua forma de jogar, subindo a sua defesa, passando na pratica a defender em 3:3, e aos 50 minutos está a perder apenas por 4 golos (24-20), quando solicita novo Time OUT, que mais uma vez resulta em pleno passando a atacar com 7 jogadoras de campo, e consegue, levar o resultado até à igualdade a 26 golos aos 59, 45 minutos de jogo, permitindo no entanto que o Lançamento de Saída do Colégio de Gaia, seja feito de forma directa, com inteligência Helena Soares ainda sem guarda-redes na baliza obtendo em cima da hora a vitória pela diferença mínima, uma referencia final para Nair Pinho (4 golos) e para Bebiana Sabino (2 golos) que foram enormes na entrega ao jogo. Com esta vitória a equipa do Colégio Gaia, termina a 1.ª volta desta Fase da Prova, no Comando da Classificação. Dirigiu sem grandes problemas este encontro a dupla de Braga constituída por Rui Oliveira e Célio Pereira, anotando apenas na nossa opinião de que devem ser um pouco mais equilibrados no julgamento do contacto físico.

No pavilhão Bartolomeu Perestrelo, realizou-se o CS Madeira / Maiastars, que na nossa opinião e face ao que as duas equipas têm vindo a realizar, constitui, o resultado mais surpreendente da jornada, ao terminar com a vitória clara do CS Madeira, que ao intervalo depois de um primeiro tempo de relativo equilíbrio, já vencia por 13-11, consolidando a sua vitória no segundo tempo, onde construiu um diferencial não esperado por muitos certamente, Cláudia Aguiar com 8 golos, Sara Sousa, e Maria Rodrigues, ambas com 5 golos, foram as melhores marcadoras do CS Madeira, com Ana Silva a ser a melhor marcadora da equipa maiata com 6 golos. No segundo jogo da jornada dupla, tivemos o CS Madeira / ABC, jogo de grande equilíbrio e que terminou com a difícil vitória das madeirenses, num encontro que ao intervalo registava uma igualdade a 18 golos, que é o puro reflexo do equilíbrio com que o encontro foi disputado. Mais uma vez Cláudia Aguiar fez toda a diferença com 11 golos marcados, sendo bem acompanhada por Sara Sousa com 8 golos, por sua vez na equipa do ABC, sem surpresas Nádia Gonçalves com 12 golos, e Inês Laranjeira com 7 golos, foram as suas melhores marcadoras.

Na Madeira, outra equipa da Região, jogou, foi o Madeira SAD / ABC, onde os argumentos do Madeira SAD, cuja equipa é mais uma vez uma das principais candidatas ao título venceu o ABC, num encontro praticamente de sentido único, com as insulares a comandarem o marcador e o jogo praticamente desde o inicio do mesmo, chegando ao intervalo a vencer confortavelmente por 20-12, margem que lhe permitia gerir o plantel e controlar o jogo, terminado o mesmo com uma margem bastante acentuada. Mariana Azevedo com 8 golos, e Ana Carolina Silva com 7 golos, foram as melhores marcadoras do Madeira SAD, com o ABC a ter 10 jogadoras a marcarem golos, com Nádia Gonçalves e os seus 5 golos a ser a sua principal marcadora. No outro encontro da jornada dupla o Madeira SAD, defrontou a equipa do Maiastars, fez um encontro de sentido único, chegando com alguma facilidade ao 6-1, para ao intervalo estar a vencer por uns claros, e esclarecedores 18-10, no segundo tempo, foi a altura de gerir plantel, controlar o jogo, e facilmente, mesmo assim chega a 29-18, para terminar com um diferencial final de 8 golos, com uma boa reacção da equipa maiata, nos últimos momentos do encontro, Ana Carolina Silva com 9 golos, e Odete Tavares com 6 golos, foram as melhores marcadoras do Madeira SAD, por sua vez no Maiastars onde 10 atletas marcaram golos, a sua melhor marcadora foi Carolina Saldanha com 4 golos, com estas duas vitórias mantêm na discussão pelos primeiros lugares desta Fase da Prova.

Em Lisboa, no Pavilhão Carlos Queiroz, tivemos em primeiro lugar o Assomada / SIR 1.º Maio/CJB, onde a equipa visitante confirmou todo o seu favoritismo, embora a equipa da Assomada, com a garra e determinação que lhe é reconhecida, não se tenha dado por vencida facilmente, mas permitiu que a equipa da Marinha Grande chegasse ao intervalo já na frente do marcador por 13-9. No segundo período, a equipa da Assomada equilibrou ainda mais o jogo e não permitiu que o SIR 1.º Maio/CJB, dilatasse muito mais o resultado. Edna Oliveira com 7 golos, e Maura Galheta com 6 golos, foram as melhores marcadoras da Assomada, enquanto no SIR 1.º Maio / CJB, Luana Periquito com 7 golos, e Carolina Gomes com 5 golos, foram as suas melhores marcadoras. No segundo jogo da Jornada dupla a equipa da Assomada, voltou a defrontar uma equipa da Região de Leiria, desta vez a Juventude Lis, num encontro disputado com grande equilíbrio, mas com a equipa da Assomada a comandar a maior parte do tempo o marcador, e chegou ao intervalo a vencer por 13-10. No segundo tempo a equipa visitada, suportou e bem a boa reacção da equipa visitante, que chegou a igualar (23 golos), para na parte final voltar a ceder, e assim sair derrotada nesta sua deslocação. Maura Galheta com 6 golos, Luísa Jaguite, e Edna Oliveira, ambas com 5 golos, foram as melhores marcadoras da Assomada, Carolina Justino com 8 golos, e Rita Campos com 6 golos, foram as melhores marcadoras da Juventude Lis. Com esta vitória a equipa da Assomada distancia-se em termos pontuais do último lugar da classificação.

Classificação após estes encontros – 1.º Colégio Gaia (31 pontos), 2.º Madeira SAD (30 pontos), 3.º Benfica (29 pontos, 4.º Maiastars, e Alavarium (23 pontos), 6.º CS Madeira (22 pontos), 7.º ABC (21 pontos), 8.º SIR 1.º Maio/CJB (20 pontos), 9.º Juventude Lis, e CA Leça (17 pontos), 11.º Assomada (16 pontos), 12.º ARC Alpendorada (15 pontos).

O Noticias

18 comentários:

Anónimo disse...

Tirando a desqualificação da atleta da equipa de Leiria, Carolina Gomes ter sido muito bem aplicada, o Benfica continua a ter muitos benefícios pois o mesmo tipo de faltas que para umas equipas dão exclusão e 7m, para o Benfica já não são ajuizadas e sancionadas da mesma forma.

O jogo com o Alpendorada é exemplo disso. Uma falta da Patrícia Rodrigues que devia dar vermelho e apenas dá direito 2 minutos (no contra ataque da atleta do Alpendorada e que por trás comete falta); ate ao lançamento que atleta da equipa adversária quis fazer para baliza vazia e a Resende em frente dela não deixa.... que dava direito a exclusão e livre de sete metros....

São estas diferenças que há, só espero que quando a minha equipa ai vá jogar estas coisas não aconteçam.

Anónimo disse...

Oh meu querido Benfica, aquelas bancadas são de uma pobreza Franciscana .... quase ninguém a ver jogos.

As miúdas até estão bem encaminhadas, bem que podiam ter lá mais um apoiozinho, tirando as famílias não há ninguém, parece que ninguém quer saber daquilo... que pena que me dá

Anónimo disse...

O anónimo das 17:13 deve ser lagarto ou morcão, porque só pode ser anti benfiquista e o Benfica não necessita dessas coisas para ser o maior ...
Vamos ser campeões no feminino sem qualquer duvida.

Anónimo disse...

A surpresa pela positiva desta 1ª volta acaba por ser o facto de o Colégio de Gaia, conseguir manter um nível elevado apesar de todas as atletas que perdeu. Julgava-se que ia ser um passeio do Benfica já que SAD e Colégio perderam várias das melhores atletas, mas mais uma vez um exemplo de que um conjunto de vedetas (com mais nome do que qualidade) dificilmente fazem uma boa equipa . A não ser que a FAP deixe de tentar ser subtil e assuma claramente que quer o Benfica campeão e instrua as arbitragens para isso, o titulo será novamente discutido entre SAD e Colégio.
A maior surpresa deste campeonato (e pela negativa) é o SIR no 8º lugar. Das 7 equipas que estão à sua frente, perdeu com 6 e empatou com o ABC em casa. Fraquissíma, é pouco para descrever a prestação da equipa da Marinha Grande.

Anónimo disse...

O SIR é a prova que para treinar femininos não chega ter bom currículo nos masculinos. O andebol feminino tem a sua especificidade que muitas vezes não é valorizada. Para refletir...

Anónimo disse...

Basicamente estou de acordo com o primeiro e quarto comentário, onde o Benfica CHEGA leva a corrupção e a adulteração da verdade desportiva atrás de si, com a colaboração e anuência das respectivas Federações, neste caso a de andebol, onde a falta de vergonha e de decoro são gritantes. Senão vejamos, no primeiro comentário são referidos e bem dois lances no jogo de SLB com o Alpendorada em que o critério (neste caso a falta dele) foi vergonhoso, e se tivermos em consideração o que aconteceu neste fim de semana com uma atleta do Colégio de Gaia (Carolina Loureiro) em que a atleta está de costas e a adversária toca-lhe com a bola nas costas (num lance fortuito) em que o Colégio já estava a ganhar por vinte ou mais, os Srs árbitros entenderam por bem mostrar o vermelho á tal jogadora, não mostrando o azul, tendo dito á atleta que não seria alvo de relatório e consequentemente de castigo. Eis que no domingo entram em ação os Srs da FAP comunicando ao Colégio á tarde que tinham aplicado um jogo de castigo á sua atleta e que esta não poderia jogar em Aveiro contra o Alavarium, numa tentativa desesperada de com uma paulada matar uma série de coelhos, só que saiu-lhe o tiro pela culatra e como alguém diz no ultimo comentário o Colégio tem individualidades que formam um bom coletivo superando a falta de uma ou outra. A FAP bateu no fundo e a pouca vergonha não tem limite, depois queixam-se que á violência no desporto quando são estes Srs os primeiros a instigá-la. As pessoas estão a ficar fartas disto, um dia destes acontece uma desgraça num pavilhão e estes vão sacudir a água do capote e assobiar para o lado.

Anónimo disse...

O SIR acaba com os Seniores masculinos depois de garantir a manutenção na 2ª divisão e agora tem esta prestação miserável nos femininos. O SIR deveria ser um caso de estudo, nos cursos de gestão desportiva: "Como destruir um clube em poucos meses"!!!!

Anónimo disse...

Ainda não percebi a preocupação com O SIR....
Se calhar foi o melhor que fizeram acabar com os seniores, é só ver os outros 2 clubes da mesma zona na 2ª divisão.

Anónimo disse...

No caso do SIR ser um caso de estudo,será fácil perceber o que aconteceu. Foi para lá o tal vendedor de ilusões conhecido por João Promessas,levou o filho,o sobrinho e "vendeu" um projecto fantástico a toda a gente. Resultado acabaram os seniores depois de gastarem uma pipa de massa, a formação está a cair a olhos vistos, até a sua famosa formação já perde jogos na 2ª divisão,etc,etc. Entretanto vai somando jogadas de bastidores e servindo-se dos "amigos" das seleções vai levando atletas aos treinos para justificar o"bom" trabalho. vamos ver como fica o SIR?

Anónimo disse...

Mas isto aqui é para comentar jogos e resultados ou falar mal do vizinho do lado?

Parece mais que é um lavar de roupa suja de todo o tamanho e dizer ao abrigo do anonimato o que não se diz abertamente, e os clubes de Leiria em vez de se preocuparem com estas coisas estúpidas, preocupem-se com a merda de resultados que têm tido, isso sim.

Anónimo disse...

É por estas e por outras que os clubes de Leiria e o andebol de Leiria está como está e melhoras não se vê nenhumas em breve, pois preocupam-se em falar mal do vizinho do lado em vez de se preocuparem com o que têm dentro de portas e tentar melhorar.

Anónimo disse...

Sobre o comentário do anónimo de dia 10 às 22:03, deixe-me que lhe diga uma coisa relativamente aos atletas que vão às selecções, por incrível que pareça para selecção nacional masculina sub 16 vão 2 atletas de Leiria que curiosamente fizeram a sua formação em clubes como o Dom Fuas, e o SIR 1º Maio, o outro teve formação na Batalha, SIR 1º Maio e este ano rumou à Juventude do Lis, quem diria hein?

Acho que isto é suficiente para os clubes "pequenos" continuarem a trabalhar, pois parece-me que não estão a fazer um mau trabalho, por muito que o anónimo queira passar essa ideia.

Clubes pequenos que não devem nada a ninguém, que não prometem mundos e fundos e cumprem os seus compromissos é o que se necessita, não vale a pena querer crescer e fazer promessas vãs e sobre brasas, não concorda comigo?

Anónimo disse...

Aos anónimos anti benfiquistas lembro só arbitragem do Colegio vs Benfica, e quando dizem que a FAP dá instruções aos arbitros para favorecer o Benfica dá vontade de rir. Só digo uma coisa saibam as regras de jogo e não sejam faqueciosos. A chegada do Benfica a 1ª Divisão veio incomodar muitas dondocas.

Anónimo disse...

2ªdivisão????É de resultados que estamos a falar!

Anónimo disse...

Para o anónimo de 11 de dezembro de 2019 às 22:36,

Não deve saber bem a formação da equipa da 1ª divisão do Benfica, pois assim todas as equipas teriam bons resultados, sabe quantas atletas recebem para estar lá a jogar?

É muito engraçado comentarem que há varias para 1ª linha, se uma não pode tem outra... pois claro da forma como eles fazem também os outros clubes faziam se tivessem os euros que eles têm.

Enfim tristeza, e uma coisa digo, se não forem campeãs será que existem como equipa para época seguinte?

Anónimo disse...

Ao anónimo de 12/12 10.48, sei e muito bem da formação do Benfica e mais quantas recebem fica na sua imaginação mas se soubesse a verdade ficaria espantado mas o melhor é imaginar. Se não for campeao o projecto não irá morrer, mal seria se por morrer uma andorinha acabaria a primavera.

Anónimo disse...

Espantada ficava toda a gente se soubesse o que implica realmente a equipa da 1ª divisao do Benfica.

É verdade ou não que a Patrícia Rodrigues, alem do valor do passe internacional e casa em Lisboa, também recebe?

É verdade ou não que a GR Agatha também recebe?

É verdade ou não que a atleta Adriana Lage também recebe?

É verdade ou não que a Cláudia Correia também recebe?

Para não dizer outras coisas

Anónimo disse...

Incrível como a dupla Francisco Remígio e Fábio Gonçalves já apitou o Sir 1ª Maio (1ª Divisão Feminina) duas vezes, mais este jogo da Taça esta época. Se não é encomenda o que é?!...Coincidências!...