gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

sábado, 14 de setembro de 2019

Crónica de Fim-de-semana – 06 – 2019 / 2020 – I


Mais uma crónica intermédia de fim-de-semana, relativa aos jogos que faltavam disputar da 4.ª Jornada da PO01.

PO01 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Masculinos.

1.ª Fase
1.ª Jornada
Dia 26-10-19
SC Horta - Águas Santas (21H00)
2.ª Jornada
Dia 26-10-19
AA Avanca - Boa Hora (18H00) Artística TV/Andebol TV
4.ª Jornada
Dia 11-09-19
Sporting 30 - 26 ABC (J/Comentado)
Belenenses 27 - 34 FC Porto (J/Comentado)
Dia 14-09-19
AA Avanca 27 - 33 Benfica
Madeira SAD 27 - 35 Ismai
Vitória FC 24 - 21 Boavista FC
FC Gaia 37 - 30 SC Horta
Águas Santas 25 - 27 Boa Hora

Depois dos dois encontros que foram antecipados, face à participação das equipas portuguesa nas competições europeias, neste caso na Liga dos Campeões Europeus. Disputaram-se hoje os restantes encontros da 4.ª Jornada, com algumas surpresas, e com mais uma inversão de pavilhão. Infelizmente tivemos um encontro com registo de ocorrências disciplinares.

Vitória FC 24 – 21 Boavista FC

Jogo realizado no pavilhão Antoine Velge, que se apresentou com uma boa moldura humana, para um encontro onde se defrontaram duas das equipas que esta época ascenderam à 1.ª Divisão, que terminou com a difícil vitória da equipa visitada, registando a sua primeira na competição até ao momento. Encontro que começou com alguma superioridade da equipa do Bessa, que comandou o marcador até cerca dos 11 minutos (6-5), o Vitória FC iguala 6 golos no mesmo minutos e de seguida passa a comandar o marcador, para aos 23 minutos atingir a maior diferença registada nos primeiros 30 minutos (13-8), muito pelo mérito dos jovens Joaquim Nazaré (6 golos. 75% de eficácia), Gonçalo Grácio (6 golos, 86% de eficácia) e de Nikola Egic, (7 golos, 54% de eficácia) que estiveram sempre muito bem acompanhados de Alan Lima na baliza do Vitória FC (46% de eficácia). Chegando ao intervalo a vencer por 15-11, de salientar que na equipa do Bessa, já tinha entrado para a baliza o jovem Cláudio Silva (33% de eficácia), em substituição do experiente Sérgio Morgado (14% de eficácia), em dia não. Nos segundos 30 minutos a equipa do Boavista FC, entra muito mais determinada, e nos primeiros 12 minutos realiza um parcial de 5-1, igualando o marcador a 16 golos aos 42 minutos com Rui Rolo (3 golos, apenas 30% de eficácia), mas com excelentes assistências, e de Tiago Ferreira (4 golos, 80% de eficácia), tantos quantos marcou Gustavo Marques (67% de eficácia), que aproveitaram e bem a forma “desastrada” como a jovem equipa do Vitória FC, entrou neste período de jogo, com total precipitação no momento das decisões, enquanto a equipa do Bessa, realizava rápidas transições em especial através dos lançamentos de saída, no entanto a equipa do Boavista nunca conseguiu passar para o comando do marcador, e a maior diferença registada neste período foi de 3 golos (19-16 aos 47, 22-19 aos 57 como exemplo). O Encontro foi dirigido pela dupla de Lisboa, constituída por, Tiago Correia e João Aranha, que desta vez realizou uma arbitragem sem exageros e esteve muito mais atenta ao que se passava em campo.

A grande surpresa da jornada, este em nossa opinião no Águas Santas / Boa Hora, onde a equipa do Boa Hora, obteve a sua primeira vitória na prova, e logo no recinto do seu adversário, num encontro que registou ocorrências disciplinares, com 12 exclusões e 2 desqualificações directas. Quase que se poderia dizer que foi um encontro de sentido único, pois o Boa Hora comandou o jogo e o marcador a partir dos 5 minutos de jogo (3-2), para aos 20 minutos registar o maior diferencial em todo o encontro (10-4), chegando ao intervalo a vencer por 14-10. Margem que foi suficiente para poder gerir no segundo tempo a esperada reacção do seu adversário. O homem do jogo foi certamente o guarda-redes do Boa Hora Miguel Moreira com 43% de eficácia, com os seus colegas de posto no Águas Santas, Nuno Silva (35% de eficácia), e Henrique Carlota (26% de eficácia), o melhor marcador dos maiatos foi Mário Lourenço com 8 golos (80% de eficácia, 5 em 5 de 7 metros), por sua vez no Boa Hora o seu melhor marcador foi Salvador com 7 golos (70% de eficácia).

No Pavilhão do Formigueiro por inversão da ordem dos jogos, realizou-se o Madeira SAD / Ismai, com fraca assistência, e que foi outros dos encontros, onde se registou uma grande surpresa, não pela vitória do Ismai, mas pelo diferencial final que se registou. Tivemos um encontro equilibrado nos primeiros 15 minutos de jogo (igualdade a 6 golos), passado este período, tivemos mais um encontro de sentido único com o Ismai a aumentar o diferencial que neste primeiro tempo chegou a ser de 7 golos (28 minutos 15-8 por exemplo), para o intercalo chegar como Ismai a vencer por 16-10. No segundo tempo o cariz do jogo não sofreu qualquer alteração e os maiatos foram dilatando o diferencial que chegou aos 11 golos (30-19 quando estavam decorridos 52 minutos de jogo), até final do encontro nada digno de registo existiu, pois a equipa maiata limitou-se a gerir o jogo e o plantel. No Madeira SAD, António Campos na baliza, não esteve nos seus dias (21% de eficácia) onde o jovem Hugo Freitas no pouco tempo de jogo que teve, obteve (38% de eficácia), na baliza do Ismai, Ricardo Castro esteve normal com (29% de eficácia), Elias António (7 golos, 58% de eficácia, e Elledy Semedo (7 golos, 88% de eficácia, 3 em 3 de 7 metros, foram os melhores marcadores do Madeira SAD, O Ismai com 12 atletas a marcarem golos, teve em Afonso Lima com 15 golos (88% de eficácia), o seu principal marcador.

No Pavilhão Adelino Costa, realizou-se o AA Avanca / Benfica, que foi um dos encontros praticamente de sentido único, com o Benfica a comandar desde cedo, controlando o jogo e o marcador, chegando ao intervalo a vencer por 18-12. No segundo tempo, aos 33 minutos vencia pela maior diferença registada em todo o encontro (20-12), para de seguida entrar em modo de gestão de recursos, dando tempo de jogo aos menos utilizados, e terminar o encontro com 11 jogadores a marcarem golos, sendo o seu reforço Petar Djordjic com 13 golos (68% de eficácia 5 em 7 de 7 metros), tendo na baliza Miguel Espinha atingido os 33% de eficácia. Na AA Avanca, Tiago Rocha, no pouco tempo que esteve na baliza, chegou aos 42% de eficácia, tendo como seu melhor marcador o experiente Nuno Carvalho (7 golos, 88% de eficácia, 4 em 5 de 7 metros). De assinalar pela negativa, o mau preenchimento do Boletim de jogo.

No Pavilhão do FC Gaia, tivemos o FC Gaia / SC Horta, encontro que fora os minutos iniciais, onde aos 5 minutos de jogo, se registava uma igualdade a 2 golos, o FC Gaia de seguida assume o comando do marcador e do jogo, e ao realizar um parcial de 7-1, aos 16 minutos de jogo, já vence por 9-3, maior diferencial registado nos primeiros 30 minutos, chegando ao intervalo a vencer por 19-14. No segundo tempo a equipa insular tem uma reacção positiva, que a leva aos 40 minutos de jogo, a estar em desvantagem por apenas 2 golos (24-22), mas rapidamente o FC Gaia, retoma o seu ritmo normal, e aos 53 minutos vence por 34-26, maior diferencial registado em todo o encontro. No FC Gaia, onde 11 jogadores marcaram golos, Martim Costa com 7 golos (64% de eficácia), foi o seu melhor marcador. No SC Horta, Pavel Hernandez com 8 golos (100% de eficácia), e André Lima (10 golos, 67% de eficácia, 3 em 4 de 7 metros), foram os seus melhores marcadores. Nas balizas, com prestações abaixo do esperado este Lucas Santana (22% de eficácia), pelo SC Horta, e David Sousa (21% de eficácia), e Diogo Ribeiro (20% de eficácia), pelo FC Gaia.

Classificação após a realização destes jogos – 1.º FC Porto, e Sporting (12 pontos), 3.º Benfica (10 Pontos), 4.º Belenenses (9 pontos), 5.º FC Gaia, e Madeira SAD (8 pontos), 7.º ABC (7 pontos), 8.º Vitória FC, Boavista FC, e Ismai (6 pontos), 11.º Boa Hora (-1 jogo), Águas Santas (-1 jogo), AA Avanca (-1 jogo) e SC Horta (-1 Jogo) (5 pontos).

O Banhadas Andebol

4 comentários:

Anónimo disse...

Caros srs do concelho de arbitragem nao será já tempo de a arbitragem ter os pagamentos em dia e em dia sao 60 dias de atraso e nao 240 como atualmente.
Srs árbitros nao está já na altura de acabar com este amadorismo pragmático e parar tudo até isto estar resolvido.
Srs da comunicação social se isto fosse no futebol ai se isto fosse no futebal.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...

Lamentável o comportamento do guarda redes Bauer, com gestos obsceno para com o publico, perante a passividade do delegado da FAP e do director do Porto.

Anónimo disse...

Fantástico este Boa-Hora!