gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

quarta-feira, 4 de setembro de 2019

Crónica Intermédia de Fim-de-semana – 03 – 2018 / 2019 – I


Nova crónica de fim-de-semana, relativa aos jogos da 2.ª Jornada da PO01, que se disputaram.

PO01 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Masculinos.

1.ª Fase
1.ª Jornada
Dia 26-10-19
SC Horta - Águas Santas (21H00)
2.ª Jornada
Dia 04-09-19
Sporting 38 - 24 Ismai
Madeira SAD 32 – 25 Boavista FC
Belenenses 46 - 28 FC Gaia
Benfica 29 – 22 ABC
Vitória 28 – 31 SC Horta
Águas Santas 32 – 37 FC Porto
Dia 26-10-19
AA Avanca - Boa Hora (18H00) Artística TV/Andebol TV

Tivemos uma jornada programada a meio da semana, mais uma vez não se disputou completa, pois teve um novo encontro adiado, que mais uma vez repetimos não consideramos o começo mais saudável. Tendo ainda mais um encontro com inversão de Pavilhão (Madeira SAD / Boavista FC), a moda continua. Felizmente existiram estatísticas, e todos os encontros foram caracterizados pela ausência de indisciplina.

Sporting 38 – 24 Ismai

Jogo disputado no Pavilhão João Rocha, que apesar de não se encontrar com a moldura humana desejável, não estava descomposto, em termos de público. Tivemos um surpreendente Ismai, nos primeiros minutos, a comandar o jogo e o marcador, obrigando o Sporting, a melhorar fortemente, quer defensivamente quer no ataque, e aos 16 minutos de jogo, registava-se uma igualdade a 8 golos, com o Ismai a chegar a ter 3 golos de vantagem aos 7 minutos (5-2), com Délcio Pina (3 golos, 60% de eficácia) em grande destaque, mas que foi desaparecendo ao longo do encontro, o Sporting, com parcial de 7-0 entre 16 minutos e os 21, coloca o resultado em 14-8, realizando uma boa gestão do plantel, e contando com Cudic (31% de eficácia), e Carol (8 golos, 73% de eficácia) em bom plano, mas na nossa opinião quer o trabalho de Luís Frade (4 golos, 80% de eficácia), quer o jogo realizado por Gonçalo Vieira (6 golos, 86% de eficácia), nunca esquecendo Edmilson Araújo (4 golos, 67% de eficácia), o resultado ao intervalo cifrava-se em 19-11, a favor do Sporting. No segundo tempo o Sporting, entrou em modo gestão, mas mesmo assim foi progressivamente dilatando o resultado, e aos 58 minutos registava a maior diferença ocorrida nos 60 minutos (15 golos), quando vencia 37-22, apesar da boa prestação do jovem Miguel Pinto (4 golos, 100% de eficácia), e de Hugo Santos (6 golos, 75% de eficácia, 2 em 3 de 7 metros) no Ismai, nem a prestação de Valentim Ghionea (7 golos, 88% de eficácia, 6 em 7 de 7 metros). Arbitragem a cargo da dupla de Lisboa, constituída por André Gameiro e Renato Marques, que adoptaram um critério rígido em termos de sanção progressiva, e de 7 metros, que conseguiram manter durante os 60 minutos, apenas se lhe anotando algumas (poucas), falhas na falta do atacante, arbitragem bastante positiva.

No Pavilhão Acácio Rosa, disputou-se o encontro com o resultado mais desequilibrado da jornada, o Belenenses / FC Gaia, infelizmente com uma fraca moldura humana, jogo onde o FC Gaia surpreendeu o Belenenses, pois aos 9 minutos de jogo, vencia por 7-2, depois de ter chegado a 5-1 aos 7 minutos de jogo, obrigando a equipa do Belenenses a trabalho extraordinário e a rectificação de processos, e apenas aos 21 minutos de jogo a equipa visitada passa pela primeira vez para a frente do marcador (13-12), iniciando então um processo que levou a que a equipa do Belenenses, chegasse ao intervalo a vencer por 21-16, na nossa opinião o jogo fica marcado com a desqualificação de Miguel Salgado do FC Gaia aos 31 minutos de jogo, com a equipa do Belenenses, a aproveitar para dilatar o marcador, chegando aos 45 minutos a vencer por (34-21), para posteriormente ir dilatando a diferença até ao resultado final, jogo com 16 exclusões e 2 duas desqualificações. No Belenenses, onde 12 jogadores marcaram golos, Nelson Pina (7 golos, 88% de eficácia), e André Alves (6 golos, 86% de eficácia, 0 em 1 de 7 metros), foram os seus principais marcadores, com Diogo Valério na baliza a ser um dos homens do jogo com 43% de eficácia. No FC Gaia, Martim Costa (10 golos, 67% de eficácia, 3 em 4 de 7 metros), e Luís Carvalho (6 golos, 86% de eficácia), foram os seus melhores marcadores.

No Municipal de Pedrouços, por inversão do pavilhão, realizou-se o Madeira SAD / Boavista FC, perante uma fraca assistência, poderemos dizer que foi um encontro praticamente de sentido único, com a equipa insular a comandar o jogo e o marcador desde os momentos iniciais, do encontro, para aos 20 minutos já vencer por 14-9, tendo ainda nos primeiros 30 minutos chegado aos 6 golos de vantagem (17-11) aos 28 minutos, para atingir o intervalo na frente do marcador por 17-12. NO segundo período do jogo, o Madeira SAD, apesar de ter entrado em modo de gestão do seu plantel, foi comandando o jogo e o marcador e aos 53 minutos vencia pelo maior diferencial registado durante os 60 minutos (30-20), para até final se limitar a controlar os acontecimentos. No Madeira SAD, com o regresso de António Campos às boas prestações desportivas (41% de eficácia), e com 11 jogadores a marcarem golos, teve desta vez em Cláudio Pedroso (8 golos, 73% de eficácia, 3 em 3 de 7 metros), o seu principal marcador. NO Boavista de registar o bom comportamento de Cláudio Silva, na baliza com 36% de eficácia, e com Tiago Costa a marcar 10 golos (67% de eficácia, 0 em 1 de 7 metros), a ser o seu melhor marcador.

Na Luz, tivemos o que antigamente era um clássico da modalidade, o Benfica / ABC, e perante uma fraca assistência, o jogo merecia mais publico, tivemos mais um encontro de sentido único pois a partir da igualdade a 1 golo, aos 4 minutos o jogo só deu Benfica, permitindo ao seu técnico, ir fazendo uma completa gestão do plantel, e dando minutos de jogo aos menos utilizados, e até originando estreias, diante uma jovem equipa, que na realidade, e na nossa opinião é uma “sombra” de um passado recente, apresentado uma equipa “recheada” de juventude. O Benfica aos 8 minutos de jogo já vencia por 6-1, ainda permitiu uma aproximação até aos 7-4 (12 minutos), para a partir desse momento começar a dilatar a vantagem, embora nunca conseguisse, atingir os diferenciais, que muitos esperariam, chegando ao intervalo a vencer por 16-10. No segundo tempo e com a nítida queda da jovem equipa do ABC, chegou aos 11 golos de diferença, quando se registavam 49 minutos de jogo, para a jovem equipa do ABC onde o jovem André José (9 golos, 64% de eficácia, 4 em 5 de 7 metros), era a grande referência da sua equipa, pois o experiente Humberto Gomes na baliza, com 24 % de eficácia, era outro dos elementos em referência na equipa do ABC, na equipa do Benfica onde 13 atletas marcaram golos, o seu reforço Petar Djordjic (8 golos, 80% de eficácia, 3 em 3 de 7 metros), foi a sua principal referência, juntamente com os dois homens na baliza, Miguel Espinha (37% de eficácia), e Gustavo Capdeville (33% de eficácia).

Em Setúbal, no Pavilhão Antoine Velge, com uma excelente moldura humana, disputou-se um dos jogos mais equilibrados da jornada, o Vitória FC / SC Horta, e tal como era previsto o publico não saiu defraudado, pois apesar da equipa Insular comandar durante muito mais tempo marcador, o mesmo nunca foi desequilibrado, apesar de aos 17 minutos de jogo o SC Horta vencer por 10-6, para o Vitória FC, com uma excelente reacção igualar a 10 golos aos 22 minutos e estabelecer outra igualdade aos 28 minutos agora a 14 golos, para o intervalo chegar com o SC Horta a vencer por 17-15. Nos segundos 30 minutos, voltamos a ter um jogo de grande equilíbrio até aos 38 minutos, quando existiu nova igualdade agora a 21 golos, par a partir deste momento o SC Horta assumir o comando do marcador, chegando aos 46 minutos a vencer por 27-22, controlando o jogo e o resultado até final do encontro. O jovem Joaquim Nazaré (9 golos, 82% de eficácia, 3 em 3 de 7 metros), foi o melhor marcador do Vitória FC, que utilizou os seus 3 guarda-redes, onde Alan Lima (43% de eficácia), se revelou o mais positivo. No SC Horta, Bruno Landim (8 golos, 73% de eficácia), e André Lima (8 golos, 100% de eficácia, 3 em 3 de 7 metros), foram os seus melhores marcadores, com Lucas Santana na baliza a chegar aos 46% de eficácia, e Haris Pleh aos 28%.

No Pavilhão do Águas Santas, tivemos a repetição da final na super taça, o Águas Santas / FC Porto, um dos mais importantes jogos da jornada, e que mereceu uma moldura humana digna do jogo. No entanto quem ia na esperança de ver um jogo de grande equilíbrio ficou um pouco desiludido, pis este apenas existiu nos momentos iniciais, quando aos 5 minutos de jogo se registava uma igualdade a 4 golos, a partir desse momento a experiente equipa do FC Porto, passou a comandar o jogo, mas a equipa maiata, nunca lhe permitiu, grandes vantagens, e provocou momentos de grande ansiedade, pois aos 25 minutos de jogo, perdia apenas pela diferença mínima (18-17), para com António Areia (8 golos, 80% de eficácia, 6 em 6 de 7 metros) em bom plano, chegar ao intervalo a vencer por 22-19. No segundo tempo, o FC Porto construiu o resultado em especial até aos 40 minutos quando vencia por 30-23, para permitir nova reacção da equipa maiata, que nunca se deu por vencida, e aos 47 minutos a diferença era somente de 3 golos (30-27), após ter realizado um parcial de 4-0, o FC Porto, respondeu na mesma “moeda”, e entre os 51 e os 55 minutos de jogo, realiza igualmente um parcial de 4-0, resolvendo a questão do jogo, terminando como vencedor. No Águas Santas destaque, para Pedro Cruz com 14 golos (70% de eficácia, 2 em 3 de 7 metros), e para Mário Oliveira que com 7 golos (78% de eficácia, 3 em 3 de 7 metros), foram os seus melhores marcadores, com Henrique Carlota na baliza a chegar aos 29% de eficácia. No FC Porto, que como é natural, têm plantel para gerir, e assim o fez com 10 jogadores a marcarem golos, tendo ainda Iturriza (7 golos, 100% de eficácia), juntamente com António Areia, como principais marcadores, na baliza Alfredo Quintana com 33% de eficácia, e Thomas Bauer com 28% de eficácia.

Não publicamos ainda qualquer classificação, por ainda não se justificar.

O Banhadas Andebol

9 comentários:

Anónimo disse...

A Federação orgao com apoios do estado deve mais de 200.000€ em arbitragem. Isto tem de acabar. Arbitros está na hora de parar ps campeonatos sabemos todos que os IHF e EHF nao o fazem porque sao uma classe à parte mas nao chegam. Se os outros se unirem isto vao dar que falar. JÁ CHEGA! A Apaoma tem interesses por trás nao podemos contar com eles sao arbitros no ativo com insígnias... AGORA É O MOMENTO

Anónimo disse...

Vergonha de arbitragem no restelo, 16 exclusoes e 2 desqualificaçoes mas os jogadores andaram a estalada uns aos outros? bem que merecia umas estaladas era mesmo o delegado da fap , mais uma vez o bombeiro de canecas quis dar nas vistas ao parar o jogo aos 2 minutos para correr com um fotografo que esta cerdenciado pela fap com uma arrogancia como e habitual pelos senhores do concelho arbitragem, mas estamos ca para ver se este senhor quando for para luz ou alvalade vai fazer o mesmo aos reporter do jornal da bola ou do record, mas este senhor esquece para ir para um pavilhao tem que levar calcado adequado e nao sapatos de sola e andar dentro de campo a dar espetaculo, como nao chega-se o espetaculo continuou passado uns minutos voltou ha sua actuaçao com o treinador do Gaia.
Esta na altura destes senhores sairem da federaçao chega desta corja

Anónimo disse...

Uma vergonha o que aconteceu ontem no Restelo com os 3 elementos da FAP a quererem ser protagonistas. Desde um delegado a entrar em campo feito xerife, a 2 elementos que não sabem as regras, uma completa vergonha.

Estes elementos não têm qualquer capacidade para dirigir jogos de andebol.

16 exclusões parece uma sessão de pugilato quando não foi, de perto, o que aconteceu.

Mas é mais do mesmo vindo do bombeiro Conceição, do pseudo militar Ventura e do gordinho Mendes

Anónimo disse...

Como é possível continuarmos a levar com o MConceição? Já nem a carcaça o salva. Episódios como os de ontem, são habituais e completamente fora do adequado.
Retire-se, rejeite-se e recolha-se! Já há muito tempo que só estraga!!

Anónimo disse...

Tudo normal com os 3 grandes
Cuidado com o Belém triturou o Gaia

Anónimo disse...

Pronto já começou o choradinho

Anónimo disse...

Enquanto árbitro no ativo (e já agora, não sou internacional...) sinto-me envergonhado com o comentário do Sr. do comentário do dia 5 de setembro de 2019 às 08:27. De certeza que esse Sr. não é árbitro!!! Antes desta Direção (sim porque a responsabilidade é da Direção e não do CA!!) estávamos com 2 anos de atraso e agora já só estamos com menos de 8 meses. Ao menos esta Direção não nos andou a enganar como a outra, com promessas atrás de promessas! De certeza que o FS pode confirmar isso, se quiser... Acredito que daqui a um ano estejamos com os valores em dia.

FC

anónimo disse...

Vitória Vitória acabou-se a história xD

Anónimo disse...

gente nao se metam com os árbitros!!!
eles sao uns coitadinhos
sao, sem sombra de duvida, o parente incompetente do jogo mas julgam-se uns sabichoes...
ha uns que se safam mas a maioria são uns incompetentes e sem perfil para a função.